Tag Archives: Zacharya Labyad

clássico (IV)

na primeira parte o Porto dominou, o Jackson mandou umas balaustradas de pé esquerdo (mérito dos centrais do Sporting em nunca terem deixado que o colombiano usasse do pé direito para rematar à baliza), o Patrício chegou para as encomendas (ainda há dúvidas que estamos perante o melhor guarda-redes do mundo da actualidade?) e meio campo do Sporting teve uma exibição exemplar. Fito e Dier deram conta do recado perante boas exibições do trio do miolo do Porto, principalmente de Lucho que apareceu variadíssimas vezes solto a distribuir jogo como ninguém. Dier é um caso raro de um grande jogador. a defesa direito, a defesa esquerdo, a central, a trinco, a centrocampista, este internacional jovem pela Inglaterra é um tractor, tem uma técnica apuradíssima e um sentido táctico de craque. não tenho dúvidas em afirmar que um dia chegará a jogar pela Old Albion. e acreditem que para Dier já é bastante difícil chegar às selecções jovens inglesas, sabendo de antemão que compete num campeonato de segundo plano europeu e ainda para mais numa equipa cheia de problemas. O jovem não só serviu de tampão à construção de jogo do meio campo do Porto como ainda foi visto a isolar Ricky na cara de Helton por duas vezes. Já Fito Rinaudo é um senhor. É um todo terreno e joga de forma inteligentíssima. Labyad e Capel irrequietos. foi vê-los várias vezes a fazer arrancadas monumentais pelos flancos sem medo dos excelentes laterais do porto. Capel foi indiscutivelmente o jogador que mais faltas sofreu durante a partida. na 2ª parte, penso que o Sporting poderia ter ganho a partida. não foi só aquele lance do Ricky a terminar a primeira parte. no segundo tempo, o contra-golpe do sporting foi violentíssimo e pôs em sentido a defesa do Porto e a lamentar existe novamente aquele lance do Ricky contra Helton onde o Holandês poderia ter feito melhor. Jesualdo ganhou a aposta feita nas substituições: Bruma entrou agitado e pecou apenas pelo facto de querer fintar tudo e todos. Esperem que Bruma vá à selecção ainda este ano. Rojo foi expulso. Penso que a expulsão foi injustíssima. A falta é de Fito e na repetição vê-se que o internacional argentino não acerta em Jackson mas sim no seu compatriota. a arbitragem de Paulo Baptista foi negativa. o arbitro vindo de Portalegre não conseguiu controlar o jogo. na primeira parte deixou jogar duro e o jogo teve momentos em que os ânimos estavam exaltados. na segunda parte, como não disciplinou na primeira, começou a dar amarelos a torto e a direito e na expulsão de Rojo cometeu um enorme erro de análise. no final, conseguiu expulsar os dois treinadores do sporting. A expulsão de Rojo trouxe a surpresa da noite. Atud Fabrice Fokobo, defesa-central\trinco internacional sub-20 pelos Camarões, júnior, contratado em 2011\2012, a uma equipa camaronesa praticamente desconhecida (NQSA; se bem que essa equipa camaronesa em 2010\2011 já tinha emprestado o jogador ao Panathinaikos da Grécia) entrou pela primeira vez pela equipa principal do Sporting e foi decisivo por duas vezes com dois grandes cortes, tendo negado um golo certo a Jackson Martinez num deles.

a entrada de Fokobo confirmou uma coisa que estou a gostar de ver no Sporting. a aposta nos meninos está a dar frutos. poderemos não conseguir as competições europeias esta época mas estou certo que com a quantidade de miúdos talentosos que temos no nosso viveiro, dentro de 2 anos, com uma organização directiva decente, poderemos ter massa para podermos ombrear com Porto e Benfica novamente. na minha humilde análise, há muitos muitos anos que a cantera do sporting não tinha gente tão talentosa: Rui Patrício, Rafael Veloso, Tiago Ilori, Cedric, Dier, Fokobo, Nuno Reis, André Martins, Chaby, João Mário, Zezinho, Ricardo Esgaio, Bruma, Gael Etock, Betinho, Carlos Mané, Edilino Ié, Farley Rosa, Dani Podence, Christian Ponde, Braima Candé, Iuri Medeiros, juntando a Carrillo, Labyad, Viola (penso que voltará melhor da Argentina) são efectivamente miúdos com um talento enorme, com muita fantasia nos pés e prometem um futuro muito risonho.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

naquele momento em que eu quase em lágrimas só conseguia dizer “foi o ricky”

foto: césar santos\scp

Este Marcelo Boeck é demais. Um show dentro do próprio show.

Duro. Durinho. Duríssimo. Com uns toques de arbitragem manhosos. Lá conseguimos inverter o ciclo. Fez-me lembrar o jogo de Paços de Ferreira no ano passado. Chamei filho-da-puta ao Capel e tudo mudou nesse jogo. Voltei a chamar filho-da-puta ao Capel e ele deu o empate. Depois, já no gozo, a malta do café pediu-me para chamar filho-da-puta a outro. Escolhi o do costume: o Ricky. E minutos depois o Ricky lá meteu a cabeça a jeito na bola e deu a vitória.

Não é um campeonato mas soube como isso. Do abismo tiramos dois coelhos da cartola para salvar este mau início de temporada. As dificuldades da equipa continuam lá. O futebol é demasiado flanqueado e nem sempre é objectivo. No miolo não criamos desequilíbrios. Carrillo a 10 será uma boa solução visto que imprime uma maior velocidade ao jogo do sporting e a sua fantasia pode ser benéfica para ser aquele fura-defesas que tanto necessitamos. Apesar do Peruano ser um jogador que também pode partir laterais nas alas com a sua magia, o seu futebol nas alas remete-se para a simples função de ganhar a linha e tentar Ricky ou de ganhar a parte de fora e tentar a sua sorte. Sá Pinto continua com algumas escolhas que para mim são erradas. Colocar jogadores sem ritmo (Viola e Rinaudo) é um erro. Não porque não sejam bons jogadores. De Fito todos conhecemos o seu poder de tampão defensivo e o equilíbrio que dá à equipa. É incansável na sua função de todo-o-terreno. Do puto Viola vimos um ou dois lances em que desiquilibrou pelas alas. Mas não tinha pernas para mais. Sá Pinto precisa de ter um onze rapidamente para dar estabilidade à equipa ao nível de resultados.

Sá Pinto continua com dificuldades para desarmar a táctica que é montada pelos treinadores adversários em Alvalade. Há anos que assistimos a um fenómeno que pode ser descrito como o “autocarro de Alvalade”: as equipas chegam a Alvalade, montam um autocarro à frente da sua baliza e aproveitam os erros defensivos da equipa da casa para capitalizar pontos. Os jogadores do Sporting sabem que um golo cedo acaba com esse tipo de tácticas. Logo é crucial que o Sporting entre num ritmo alto para poder abrir a muralha adversária o quanto antes. E já agora, os jogadores do Sporting sabem que não podem ter tantos erros de finalização. O primeiro golo de Capel surge ao 25º remate do Sporting à baliza do Gil. Uma equipa que quer ser campeã não pode estar a seco com tantos remates.

Quanto à expulsão de Labyad no final da partida, prefiro não me pronunciar. As imagens falam por si. Parece que existe uma tentativa organizada para afastar o Sporting da luta pelo título logo nas primeiras jornadas.

De resto, voltamos ao activo. As vitórias servem essencialmente para moralizar os jogadores em tempos difíceis. O Sporting teve semanas difíceis. Vamos em frente!

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , ,

De Londres #4

1. Futebol Masculino:

Marrocos 2-2 Honduras – O golaço de Labyad contra as Honduras num jogo muito atípido entre selecções que não são candidatas a nada.

O recente reforço do Sporting é craque!

Espanha vs Japão

O Japão causou a primeira surpresa deste torneio masculino de futebol ao bater a favorita Espanha por 1-0. Mesmo apesar de ter 3 campeões europeus nos seus 18 (Jordi Alba, Juan Mata e Javi Martinez) os Espanhóis foram uma sombra daquilo que poderiam render e caíram perante uma equipa Japonesa, que, apesar de ser muito inexperiente nestas andanças (Se bem que alguns jogadores já actuam na Europa) poderia ter saído com uma goleada.

Yuki Otsu marcou o único golo de uma partida que ficou marcada pela expulsão directa (quase a fechar a primeira parte) do central da Real Sociedad Iñaki Martinez aos 41″ e pelas inúmeras perdidas dos japoneses na cara de David De Gea na 2ª parte. Os Japoneses, com uma tremenda pressão alta logo na saída do portador da bola (a filosofia de jogo espanhola está formatada para que sejam os centrais a iniciar a construção de jogo) não só não deixou jogar a Espanha durante toda a partida como fez com que os Japoneses espalhassem o terror na defesa espanhola com incríveis roubos de bola em sitios perigosos.

3. Estou estupefacto com o poderio que algumas selecções trazem:

3.1 Nem é preciso falar do potencial que o Brasil trouxe – Hulk, Danilo, Pato, Ganso, Neymar, Oscar, Thiago Silva, Marcelo, entre outros – Mano Menezes veio a Londres conquistar o ouro e preparar a sua selecção para o Mundial de 2014 com competição ao mais alto nível.

A selecção brasileira derrotou o Egipto por 3-2 na primeira jornada. Apesar de ter esmagado na primeira meia-hora (3 golos) os egipcios quase provocavam uma surpresa na 2ª parte.

O Uruguai, apesar de ter suado muito para bater os Emirados Árabes Unidos, é candidato às medalhas. Suarez, Cavani e Lodeiro são um trio de ouro para a selecção campeã sul-americana.

A equipa comandada pelo seleccionador A Oscar Tabarez ainda sofreu para vencer a equipa asiática, que, apresentando um futebol vistoso, chegou ao intervalo a vencer por 1-0.

Ryan Giggs cumpre o sonho em Manchester!

Aos 39 anos, o Galês cumpre o sonho de participar numa prova ao mais alto nível. Prémio de carreira para quem nunca pode participar numa grande competição internacional derivado do facto da selecção galesa nunca ter tido potencial para se qualificar para um campeonato da europa ou campeonato do mundo. Giggs torna-se o mais velho jogador a actuar numa fase final olímpica do torneio masculino de futebol.

A Inglaterra de Stuart Pearce cumpriu o primeiro jogo da fase-de-grupos em Old-Trafford perante um público em delírio. Na estreia contra o Senegal, a turma africana (na minha opinião) jogou melhor e mereceu o empate. A Grã-Bretanha mostrou algumas fragilidades defensivas e mostrou que ao nível de soluções está muito longe de outras selecções concorrentes como o Brasil e Uruguai.

Futebol Feminino:

1. França 2-4 Estados Unidos – Os Estados Unidos de Hope Solo (guarda-redes na moda no futebol feminino) venceram com dificuldade a França, selecção que se apresenta candidata às medalhas. Apesar de terem entrado a perder por 0-2 na primeira parte, as americanas fizeram uma excelente 2ª parte e deram a volta ao marcador.

2. O “escândalo diplomático” a abrir os Jogos com a selecção Norte-Coreana. A troca de bandeiras (as jogadoras norte-coreanas eram apresentadas nos monitores do estádio com a bandeira sul-coreana) motivou o atraso de hora e meia no jogo e algumas queixas indignadas por parte da delegação norte-americana. Um incidente a não repetir…

3. Brasil massacra Camarões. Marta (eleita por 5 vezes a melhor jogadora do universo futebolistico feminino) bisou e deu espectáculo. Christiane, a ponta-de-lança da selecção brasileira, tornou-se a melhor marcadora de sempre das olimpiadas com os 2 golos que apontou na partida. O Brasil afirma-se como candidato às medalhas no futebol feminino.

Tiro com Arco:

Lee Chang Hwan é um dos homens de quem se tem falado muito nos últimos dias. Isto porque o atirador sul-coreano bateu o record olímpico de pontos no tiro com arco logo nas qualificatórias para o torneio e tem a particularidade de ser “amblíope”, ou seja, de ter uma considerável percentagem do seu sentido visual afectado. Hwan afirma que se guia pelas cores dos alvos e pelo “sentir” no acto do disparo da flecha. 

Volei de Praia:

As fantásticas instalações da modalidade em Londres, bem no centro da cidade.

Andebol Feminino:

Dois excelentes jogos que vi hoje.

A Rússia bateu com muitas dificuldades a selecção de angola, tendo as angolanas contado com um espírito de luta fantástico e com o apoio dos Britânicos nas bancadas.

Suécia vs Dinamarca – Duas candidatas às medalhas deram espectáculo.

Portugueses:

1. Na Natação, 3 participações terminaram com a eliminação e sem novos recordes nacionais. Diogo Carvalho foi 26º nos 400 estilos. Sara Oliveira nos 100 mariposa e Carlos Almeida, ficou a poucos décimos do recorde nacional, tendo sido 3º na sua série nos 100 bruços. No entanto, a competição tem sido pautada por excelentes prestações globais.

2. Lei Huang Mendes foi eliminada no torneio individual de ténis de mesa. A luso-chinesa foi eliminada por uma atleta Tailandesa, menos cotada no ranking. A Portuguesa acusou o nervosismo de ser a primeira lusa a participar na prova na história dos Jogos Olímpicos. Venceu os dois primeiros parciais por 11-4 e 11-3, pensando-se na altura que iria conquistar uma vitória tranquila. O nervosismo da atleta veio ao de cima no 3º parcial, acabando por vencer o 4º e perder na negra contra Komwong. Falta de experiência internacional.

3. João Costa foi 7º nas finais do tiro de pistola de ar comprimido a 10 metros. Uma razoável prestação de quem já foi campeão do mundo na modalidade.

Doping:

Como não poderia deixar de ser, o primeiro controlo positivo já apareceu nos Jogos. No Halterofilismo, o Albanês Hysen Rulaku acusou uma substância dopante e foi convidado a abandonar a aldeia olímpica.

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,