Tag Archives: Volta à França em bicicleta

Memórias do Tour de France (Jan Ullrich)

Quando ele era gordo mas era o único capaz de ameaçar a hegemonia de Lance Armstrong.

Jan Ullrich ficará para sempre na minha memória, pelas emocionantes Voltas a França que fez. Desfavorecido pelo handicap de ser ligeiramente mais pesado que os trepadores normais e pelas diversas vezes em que teve problemas de índole psicológica (o seu melhor amigo e ainda em actividade Andreas Kloden teve que ir bastantes vezes a casa de Ullrich convencê-lo a voltar aos treinos nos anos da Deutsch TelekomT-Mobile) chegava a Julho motivado para bater o Norte-Americano. Tal nunca aconteceu, mas esteve definitivamente muito perto de acontecer numa edição (penso que a de 2003)  em que no contra-relógio final Ullrich estava muito perto de retirar a amarela a Armstrong, acabando por ter uma infelicidade nos quilómetros finais com uma queda numa rotunda devido ao piso molhado que era consequência de um dia muito chuvoso.

Lembro-me também (creio que foi na edição do mesmo ano do Tour) que Ullrich teve um comportamento digno de fair-play numa etapa de montanha que Armstrong jamais teve com os adversários: o Norte-Americano e o Alemão iam na companhia de Mayo, Vinokourov e Tyler Hamilton pelo Mont Ventoux a cima (a etapa seria ganha por Mayo se não estou em dúvida) quando um espectador espetou o pau de uma bandeira na roda de Armstrong fazendo-o cair. O grupo seguiu mas o Alemão (apercebendo-se do infortúnio não-forçado do seu colega de profissão)  mandou o grupo retardar a marcha e esperar pelo Norte-Americano para que a discussão da etapa fosse leal para todos. Armstrong não foi em conversas e haveria de atacar, levando Mayo consigo. Ullrich perdeu tempo, o gesto foi bonito mas toda a comunicação social desportiva Alemã apelidou Ullrich de “parvo” por ter esperado pelo Norte-Americano.

Era interessante ver o comportamento de Ullrich na alta montanha. O seu handicap em relação aos trepadores puros era uma delícia de ver: Ullrich subia sempre sentado e com uma cara de esforço tremenda. Creio que nunca vi o Alemão descolar o rabo do selim da bicicleta em todas as suas participações na prova. Nos contra-relógios era um às: voava por completo, sendo bastante superior a Lance Armstrong.

Outro momento que também não me escapa da memória foi a prova dos Jogos Olímpicos de Sidney em 2000 quando Ullrich e Kloden (a representar a Alemanha) urdiram um ataque na penúltima volta com o seu então colega de equipa Vinokourov (em representação do Cazaquistão) acabando os 3 por vencer as medalhas olímpicas desse ano. Tal atitude foi uma estratégia de mestre para mim, estratégia bastante questionável para muitos especialistas da modalidade.

(este post mantem-se até ao dia em que se inicia a prova – todos os dias)

Com as etiquetas , , , , , , , , , , ,