Tag Archives: Twin Shadow

reminiscências

Com as etiquetas , , , , ,

Paredes de Coura (3)

George Lewis Jr., ou como quem diz na gíria musical “Twin Shadow” veio à Praia Fluvial do Tabuão mostrar que existe (ler crónica do público acerca do álbum Forget) que é um músico bastante eclético e consegue mudar a roupagem das canções de um dos melhores álbuns do ano passado.

Começou por “Shooting Holes”, acabou o espectáculo no mais recente single de Forget “Tether Beat” – revestiu todo o álbum com uma camada de guitarra, cuja afinação ao nível de som demorou mais de 20 minutos mesmo em frente ao público de Coura. As melodias de “Forget” tornaram-se mais rock, algo que depois pude comprovar como desgosto de alguns festivaleiros no seu feed acerca do concerto do músico nascido no Brooklyn.

Na minha opinião, mesmo apesar de me ter colado bastante no álbum durante algumas semanas, não me desgostou a sonoridade ao vivo do músico Norte-Americano. É sinal qb para ousar pensar que o próximo projecto poderá ter um som bastante diferente do anterior. Veremos então se George Lewis Jr. terá capacidade para ultrapassar o exito de “Forget”.

Com as etiquetas , , , ,

Pdc ´11

Grandes concertos, grande ambiente, grande espírito de entreajuda, grandes conhecimentos, grandes amizades, grandes e sinceras conversas, grandes momentos de descanso e diversão, grandes momentos de humor…

Ano após ano, voltamos ao mesmo sítio. No final, saímos sempre com um sorriso estampado no rosto. Tenho a certeza que se pudessemos, ficavamos pelo menos um mês no mesmo ritmo destes últimos 6 dias. 

Ao nível de concertos, pela positiva Deerhunter, Pulp, Twin Shadow,  Metronomy, Kurt Vile, Two Door Cinema Club, Warpaint, Blonde Redhead, Omar Souleyman, Trail of Dead, Crystal Stilts, Battles, Kings of Convenience, Linda Martini e Marina & the Diamonds e Mogwai.

Pela negativa, Crystal Castles (o péssimo som do palco after-hours prejudicou claramente a qualidade do concerto), Wild Beasts (expectativas goradas) e os cancelamentos dos concertos de Foster The People e Jamaica sem que a organização tivesse capacidade de responder a curto prazo com bandasartistas de relevo. 

Para finalizar, queria dedicar este pequeno post (terá desenvolvimento nos próximos dias) a este conjunto de pessoas: Tiago Faísca, Ricardo Faísca, Ricardo “BatmanHaircut” Flores, Ana, Patrícia, Joana, Inês, Quim, Nuno Miranda (e respectiva cambada) Luzio (este festival é o melhor de sempre pá) Pedro “Chuck” Nora, Johnny Gil, Quim, António Sérgio (pela conversa franca que tivemos esta madrugada) e à miúda de Leiria cujo nome nunca cheguei a obter mas cuja boa-vontade me livrou de me ter afogado no Coura com o barco de borracha que o chinês não quis regatear connosco!

Sem vocês, Paredes de Coura não seria a mesma coisa! Obrigado! Pró ano voltaremos!

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Pausa

O Entre o Nada e o Infinito interrompe a postagem até segunda-feira. Pelo meio, encontramo-nos na Praia Fluvial do Tabuão para mais uma edição do Festival Paredes de Coura. No meio de tanta crise, ainda conseguimos arranjar maneira para 6 dias de descanso e muita musica de qualidade.

Na simpática vila minhota, estaremos atentos aos concertos de Black Bombain, Crystal Castles, Wild Beasts, Pulp, Blonde Redhead, Warpaint, Crystal Stilts, Twin Shadow (infelizmente We Trust coincide no mesmo período no palco secundário) Kings of Convenience, Deerhunter, Battles, Chappel Club, Jamaica, You Can´t Win Charlie Brown, Metronomy, Death From Abovo 1979, Mogwai, Two Door Cinema Club, Linda Martini, Kurt Vile (isto se não colocarem uma banda interessante para o lugar de Foster The People) Peixe:Avião e Orelha Negra.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Paredes de Coura nos 10 melhores da Europa

Segundo um blog de música Espanhol.

Relembro que a edição deste ano decorre entre 17 e 20 de Agosto na Praia Fluvial do Tabuão em Paredes de Coura, tendo um cartaz de luxo onde se destacam Pulp, Mogwai, Two Door Cinema Club, Deerhunter, No Age, Metronomy, Crystal Castles, Crystal Stilts, Blonde Redhead, Twin Shadow, Death From Above 1969, Warpaint, Esben & The Witch, Marina & the Diamonds, entre outros.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Castles in the snow

” You’re my favorite daydream
I’m your famous nightmare
Everything I see looks like gold
Everything I touch goes cold
Castles in the snow

Here’s all I know
Your checkered room and your velvet bow
Your Elvis song in my ear
That moonlit voice that I hear

Now we are bold as brass
We walk along our golden crest
We hide away for a week
We only look and don’t speak

You’re my favorite daydream
I’m your famous nightmare
Everything I see looks like gold
Everything I touch turns cold
Castles in the snow”

George Lewis Jr in Twin Shadow´s “Castles in the snow” (Twin Shadow, 2010)

Com as etiquetas , , , ,

Twin Shadow

Twin Shadow é o projecto de George Lewis Jr., aquele que o suplemento Ípsilon garante nunca ter existido.

“Forget” é o primeiro álbum. A confusão está presente no álbum. Ao mesmo tempo, é esta confusão enorme que puxa a atenção ao ouvinte, que o cativa e que torna o álbum intenso e fascinante.

O retro está cada vez mais em moda. Bonito do ponto de vista estético e rico do ponto de vista instrumental. Retro é fixe.

Não sabemos bem qual é o trilho sonoro de George Lewis Jr. Desde os Smiths aos TV on The Radio passando pelos Talking Head,  em “Forget” somos transportados em ondas retro, new-wave, funk.  Como se fossemos repentinamente transportados para uma realidade labiríntica cerrada de nevoeiro.  Sem termos bem a noção onde estamos e para onde vamos. George Lewis tanto nos é capaz de brindar com grandes instrumentais a fazer lembrar as guitarras e os sintetizadores dos anos 80 à la Talking Head como é capaz de se transformar rapidamente numa balada que podia ser muito bem interpretada por Bryan Ferry e pelos Roxy Music.

A versatilidade da voz de George Lewis Jr. também é um dos factores que me surpreendeu: o seu tom grave é extremamente interessante e inovador, tomando em conta os instrumentais do álbum que se calhar puxavam por uma voz mais aguda. À semelhança daquilo que tem sido feito por exemplo pelos Mystery Jets ou pelos Band of Horses.

“Forget” é um álbum fascinante. Desde “Tyrant Destroyed” até à faixa homónima ao nome do álbum que precisamente o termina. Pelo meio, temos faixas de antologia como “When we´re dancing”, ” I can´t wait”, “Shooting Holes”, “Castles in the Snow” e “Slow”.

O projecto poderá vir a Portugal no mês de Março ou Abril. Carecendo de confirmação oficial, poderemos ver Twin Shadow num festival em Vila do Conde.

Para finalizar, deixo-vos aquele que considero ser o melhor tema no álbum:

Com as etiquetas , , , , , , , , ,