Tag Archives: Sporting

croquette´s

roquette

it´s over. c´est fini. finito. fim. einde. fund. ende. son. amaieran. kpan. fen. kraj. koniec. konec. final. fino. lopp. paa. diweed. vég. akhir. deireadh. finis. beigas. pabaiga. capat. misho. slut. katapusan.

Com as etiquetas , , , ,

Fokobo!

o golo que está a correr meia europa. ainda bem que o Norwich não viu este jogo. quem diz o Norwich diz outro qualquer clube que tenha meia dúzia de patacas para contratar um jogador do sporting. se o tivessem visto, com Godinho a vender ao desbarato de forma ilegítima enquanto presidente demissionário, meia dúzia de merréis e lá ia a nossa jóia africana.

Com as etiquetas , , , , , , ,

consequências

Bruno de Carvalho ganhou. Segunda não entra sozinho pela mítica 10A. Com ele entra também o BES, mais propriamente José Maria Ricciardi, para reaver o que de Ricardo Salgado é.

Com as etiquetas , , , , ,

entre o ser e o achar

o eduardo barroso acha que fez um bom trabalho enquanto presidente da mesa de AG do Sporting. eu também acho que ele está bem de bata branca a cortar fígados no hospital em vez de ir à televisão disfarçar que nada sabe como se gere um clube de futebol. espero que o Bruno de Carvalho o meta na linha e faça aquilo que muitos sportinguistas pensam e desejam: o eduardo barroso fora do sporting de vez em qualquer uma das vertentes: dirigente, comentador, opinador, bufo, destabilizador…

Com as etiquetas , ,

tudo ao molho e fé em deus

roquette

a sondagem do Jornal Record dá a vitória a Bruno de Carvalho no acto eleitoral do sporting. o fim da era croquette. aleluia.

neste mês e meio que passou entre a demissão da actual direcção do clube e o acto eleitoral, preferi, à excepção de um ou outro apontamento, manter o silêncio para ver o desaguar dos acontecimentos. não posso dizer que fico feliz pela vitória de Bruno de Carvalho porque fico. dos 3 candidatos, acho sem dúvida que Bruno de Carvalho era, à partida, depois de ponderar bem o programa das 3 listas a sufrágio, o candidato mais sensato para ocupar a presidência (e a presidência da SAD como o próprio manifestou em entrevista à RTP Informação nos últimos dias). porém decidi embarcar no silêncio, porque de botabaixismo já se encontravam cravadas as páginas dedicadas pelos jornais às ditas listas.

a confirmar-se a eleição de Bruno de Carvalho, fica reposta a vergonha que se deu lugar no último acto eleitoral para a direcção do clube em que por via do actual sistema eleitoral do sporting, o voto qualitativo por antiguidade de associado deu na altura a vitória a um Godinho Lopes sufragado por menos sócios que Bruno de Carvalho.

dos 3 candidatos, Carvalho era aquele que para mim satisfazia com melhor discurso e com melhores ideias aquilo que se precisa para o sporting. mais sensato, mais ponderado nas suas afirmações e nas habituais revelações de nomes e investidores para o clube e para a SAD, Carvalho mostrou nestas últimas semanas ser o candidato que afiança a promessa de maior rigor para a gestão desportiva e financeira do clube e da SAD e mostrou que é o candidato com melhor conhecimento daquilo que é a realidade do sporting, daquilo que o sporting precisa de ser no futuro e das estratégias que o sporting precisa para voltar a ser aquilo que já não é desde 2009 para cá: uma grande instituição da vida portuguesa.

de josé couceiro não esperava muito mais do que ser a continuidade da dinastia croquette no clube. não esperava mais do que um programa pouco ambicioso, resultante de uma dinastia de presidentes que afundaram o sporting tanto a nível desportivo como a nível financeiro, que empurraram o futebol do sporting para fora dos 3 primeiros da liga, que alienaram todo o património que o clube e a SAD detinham, que empurraram o sporting para uma posição de subserviência a outros grandes do futebol português, que empurraram o sporting para um lugar de menor relevo no panorama das modalidades, que empurraram o sporting para uma posição de subserviência à banca credora do clube e que consequentemente, empurraram o sporting para uma profunda posição de gozo entre a sociedade portuguesa que passou a tratar o sporting como autêntico lixo em vez de tratar o sporting como aquilo que ele é: uma instituição secular, que tira muitas crianças dos maus caminhos para a prática de uma modalidade desportiva, que os torna homens e que tem uma história riquíssima e ímpar, tanto em Portugal como no mundo, de vitórias nacionais e internacionais.

na análise à candidatura de carlos severino apliquei o ditado “de espanha nem bom vento nem bom casamento” – severino apareceu como o um daqueles cromos repetidos que costumam aparecer nos actos eleitorais do clube leonino. sem noção de realidade da casa, sem noção de como se gere um clube, sem noção de mais do que alimentar um puro protagonismo durante um mês. prova disso foi a cartada final da candidatura de severino que previa um acordo de parceria com a fundação cruyjff, que por si, já tinha escrito nas entrelinhas uma jogada de bastidores que iria delapidar a jóia da coroa do futebol de alvalade que é a formação. se carlos severino tivesse sido eleito do clube, sabendo das relações entre o técnico holandês actual seleccionador da selecção da catalunha e o FC Barcelona, qualquer ignorante com dois palminhos de testa saberia do que se estava ali a alinhavar. como os sportinguistas não tem memória curta, nem é preciso recuar muitos meses no passado para perceber que a direcção de Godinho Lopes cometeu um atentado no passado verão ao deixar sair dois dos mais promissores jogadores da cantera do sporting (os internacionais sub-20 Agostinho Cá e Edgar Ié) para o Barcelona a troco de 2 milhões de euros. com severino e cruyjff metidos ao barulho, quantos mais poderiam sair no futuro para a catalunha caso o candidato tivesse sido eleito.

por falar em vendas, o sporting já confirmou a venda de Ricky Van wolfsinkel aos ingleses do Norwich por 10 milhões de euros. a história dos fundos e das vendas de percentagens dos passes dos jogadores do clube aos fundos fará com que o sporting não receba grande parte da verba. o que eu não consigo perceber é o seguinte aspecto: como é que uma direcção demissionária e consequentemente em mandato de gestão até novas eleições tem o poder de vender um importante activo da SAD a poucos dias das eleições que irão constituir um novo presidente e um novo alinhamento na SAD?

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , ,

sportinguices

Luis Freitas Lobo com Bruno Carvalho: vamos ter a poesia de Homero a cada drible de Carrillo e a filosofia de Espinoza a cada defesa de Patrício. Carlos Severino com uma empresa de Johan Cruyjff para potenciar a academia. Ou melhor, para fazer o que esta direcção cessante fez com os passes de Agostinho Cá e Edgar Ié, dois jogadores promissores da cantera leonina que rumaram a Barcelona a custo do pagamento de salários em atraso do plantel principal. Do Peyroteu não falo. Toda a gente sabe o que é ele anda lá a fazer. Os próprios métodos que a sua campanha utiliza para limpar adversários são sobejamente conhecidos pela sua utilização noutros candidatos (vencedores presidentes) da dinastia. Há momentos no Sporting em que o algodão não engana… Ganhe o que ganhar (todos sabemos que quem vai ganhar é José Couceiro) tudo no feudo de Alvalade continuará igual… ou pior!

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Beira-Mar 2-2 Nacional da Madeira

Mês e meio depois de ter visto o Beira pela última vez no estádio, voltei ao EMA. Voltei por descargo de consciência. Nos bons e nos maus momentos temos de ser adeptos do nosso clube.

Uma primeira nota para o público. Não sei se foi minha impressão mas teve mais público no estádio que o habitual. Bom sinal para o clube em tempos de crise económica e desportiva. Também não sei se foi impressão mas vi um publico Aveirense mais entusiasta que o habitual. Famílias inteiras a ir à bola, todos de amarelos, todos com cachecóis do clube, alguns deles que sobressaíam claramente o cheiro a mofo e naftalina. De uma vez por todas, a direcção e a SAD (também consigo dizer bem de alguns aspectos trabalhos por esta SAD) estão a conseguir cativar mais gente ao estádio, fruto dos bilhetes a 5 euros para 2 acompanhantes por sócio. Se colocassem o bilhete para não sócio a 5 euros talvez teriam mais 500 ou 1000 pessoas. Disso estou certo.

Se o público afluiu em peso para ver se puxava pelos da casa, mal entrei no estádio tive ali um pique em que me julguei novamente no Mário Duarte. O bairrismo beiramarista, os cânticos da claque, os bruás do público a cada lance na área do nacional e as habituais picardias na linha lateral ao fiscal de linha fizeram-me lembrar outros tempos. Costinha pediu que os adeptos escondessem os cachecóis dos grandes e os aveirenses bem que lhe fizeram a vontade. Penso que só não fica bem ao treinador do Beira-Mar salutar a permanência do clube na liga para que os borlas (é como a malta dos UAN lhes chama) venham apenas visitar o clube quando este joga em casa com o respectivo grande. Penso que é errado proferir tais afirmações quando um dos problemas com que o clube se debate desde 2003 é precisamente a fraca mobilização e a fraca capacidade de realizar novos sócios. Tenho como certo quem é de Aveiro, indiferentemente das preferências por um grande, como eu as tenho, tem que ser em primeiro lugar do grande da cidade: o Sport Clube Beira-Mar. Os primeiros da partida minutos fizeram-me lembrar aquele inferno do Mário Duarte. Fizeram-me lembrar aquele pequeno rectângulo de jogo plantado entre o campus da Universidade de Aveiro, o Bairro Santiago e o Hospital Infante D. Pedro V onde, pequeno, furava os torniquetes só para ver actuar o Dinis. Se bem que ver actuar o Dinis implicava para as equipas adversárias um montão de contusões e pernas partidas. Mas, de facto, eram outros tempos. Ali, no Mário Duarte, respirava-se Beira-Mar da cabeça aos pés. As peixeiras insultavam bem alto os árbitros, os super dragões só se podiam portar bem ou então levavam na fuça e ainda existiam os comandos duros, a antiga claque do Beira-Mar. Eram mesmo duros. Histórias são mais que muitas no meu imaginário infantil. Lembro-me de uma vez estar a ver o Sporting. Não escondo que também sou sportinguista. Lembro-me do Emmanuel Amunike ter feito uma jogada de mestre para golo e de ter ido acirrar os comandos duros. O resultado foi uma calhoada em cheio que deixou o nigeraniano estatelado no chão durante largos minutos. Saudades.

Segunda nota: a arbitragem. Não serve para desculpar a ingenuidade da defesa do beira-mar nos lances dos dois golos do Nacional. Depois de Majid e seus pares terem lançado um comunicado a meio da semana a exigir à liga que a verdade desportiva prevaleça depois do roubo de catedral da última semana em Paços de Ferreira e de no dia seguinte se terem dirigido à Liga para pedir explicações ao seu director-executivo Mário Figueiredo e de terem solicitado uma reunião com o chefe do conselho de arbitragem Vitor Pereira, a própria liga escarrou (desculpem os mais sensíveis) na cabeça da SAD ao nomear para este jogo um árbitro que ascendeu a meio da época à 1ª categoria (Luis Ferreira; era o seu 2º jogo na 1ª categoria) e que ainda por cima era natural de Barcelos. Ou seja, se para mim já me causa confusão, quando está a permanência de um clube em risco, quando esse clube é sistematicamente prejudicado durante toda uma época e quando está o futuro de muitas famílias em jogo como é o caso das famílias dos mais de 100 empregados do Sport Clube Beira-Mar nomear um inexperiente árbitro para um jogo que se pode considerar decisivo para a equipa aveirense, mais me confusão me estranha que depois de uma semana em que os elementos da SAD do Beira-Mar fizeram barulho junto da liga como se lhes exigia (ao contrário dos elementos da direcção do clube que se mantêm calados que nem ratos no fundo dos seus cadeirões na sede social do clube à espera que o clube seja despromovido) a própria liga ainda tenha o descaramento de nomear um árbitro de Barcelos (AF Braga) sabendo que dois dos rivais directos do Beira-Mar na luta pela manutenção são precisamente duas equipas do distrito de Braga: Moreirense e Gil Vicente, a última, a precisamente de Barcelos.

Luis Ferreira acaba por ter o dedo no resultado. Se a expulsão já na 2ª parte do jogador nacional foi justíssima e mais que merecida (Moreno fartou-se de dar pau na primeira parte, não se calava junto do árbitro e no lance em questão fez uma entrada muita feita sobre Serginho) Luis Ferreira e os seus assistentes deixaram passar muitos lances onde havia fora-de-jogo nítido por parte dos jogadores do Nacional, deixaram passar uma obstrução clara à minha frente sobre Camará quando o resultado estava em 1-1 (o fiscal de linha do lado da superior não se sabia posicionar na linha do último defensor, logo via os lances de um ângulo inconclusivo) e o 1º golo do Nacional procede de uma falta clara a meio campo sobre Nildo, que, depois de meter o meio campo do Nacional no pacote com um tremendo slalom é completamente ceifado por um dos laterais do Nacional.

Terceira Nota – O Rendimento dos jogadores do Beira-Mar – Tudo bem feito excepto dois ou três pormenores.

O primeiro, os erros defensivos. Há 1 ano que o Beira-Mar não acaba uma partida sem sofrer golos. É coisa que não consigo perceber, muito menos lances como o 2º golo do Nacional. Com 2 duplas de centrais do melhor que existe na Liga (Jaime, Bura, Tonel, Hugo) todos eles fortes no jogo de cabeça (como é o caso do Bura e do Jaime, os que alinharam na partida de hoje) não faz sentido sofrer golos em lances de bolas paradas como hoje se veio a verificar. Se no primeiro golo do Nacional, existe o tal lance em que o Nildo sofre uma valente sarrafada por parte de um jogador do Nacional à qual Luis Ferreira passou vista grossa, nos dois golos do Nacional existem duas clamorosas falhas de marcação dos centrais.

Segundo, a falta de uma referência de área. Yazalde e Camará tem o mérito de serem jogadores dotados de alguns pormenores técnicos de classe mas são jogadores que não se constituem como referências de área visto que o seu jogo predomina nas linhas. Não são verdadeiros pontas-de-lança. Quanto mais são avançados ao estilo nº9 ou extremos. Recebendo jogo dos laterais ou da malta do meio campo nas alas acabam quase sempre a centrar para a cabeça dos centrais da equipa contrária sem que ninguém do Beira lá esteja para finalizar.

Terceiro, a apatia com que alguns jogadores do Beira-Mar jogam e a apatia do seu treinador. Rui Sampaio é o expoente máximo dessa apatia. Parado, paradinho e sem qualquer criatividade a sair daqueles pés maravilhosos. Desrotinado e a a anos-luz da época da subida de divisão. Os ares de Cagliari fizeram-lhe mal. No banco, Costinha tarda em mexer na equipa. O que por um lado até é compreensível pois as alternativas viáveis no plantel escasseiam. No entanto, com 13 minutos pela frente não soube colocar logo Balboa em campo e Balboa era o único capaz de fazer a diferença naquele banco. Balboa entra aos 88″ quando pouco havia a fazer.

De resto, exibição agradável do Beira-Mar. A começar em Nildo. É o patrão desta equipa em todos os sentidos. Só é pena que não consiga ser um jogador consistente a este nível durante toda época. Nildo manda no jogo aveirense. É uma formiguinha a correr atrás dos adversários no miolo quando a equipa defende. Quando a equipa tem em bola, em conjunto com Serginho (hoje entrou na 2ª parte; tem que ser titular visto que é um jogador que incute maior velocidade e arte ao jogo aveirense) são os únicos que conseguem dar um toque fantasioso ao futebol do Beira-Mar. Grande exibição para o capitão Pedro Moreira. Fez praticamente o flanco todo com a raça que se lhe conhece. Do outro lado, Hélder Lopes também não destoou.

Quarta Nota: os episódios lamentáveis do jogo de Paços de Ferreira. Alguns elementos da claque que foram a Paços de Ferreira descreveram o cenário vergonhoso que a equipa da capital do movel oferece às equipas visitantes. Desde intimidação directa a jogadores, insultos e escarradelas na entrada e saída dos balneários. Um estádio sem segurança para uma equipa que se vale desse facto para obter resultados desportivos. Agora com as novas regras do policiamento em recintos desportivos, em Paços de Ferreira e em outros campos deste país, sem polícia no terreno de jogo, vale tudo.

Quinta Nota: Com a vitória do Moreirense começo a ver as alminhas a rezarem pela intervenção divina do São Gonçalinho. Entre o 12º (Vitória de Setúbal) e o último (Beira-Mar) estão 4 pontos de diferença, sendo que 2 são os pontos que separam o Beira-Mar do Gil Vicente. O calendário do Beira-Mar não se avizinha fácil até ao final da temporada. Olhanense em casa na próxima semana num jogo de mata-mata entre aflitos onde a vitória é fulcral, Vitória de Guimarães fora naquele ambiente difícil com os vimaranenses a lutar pela europa, Gil Vicente em casa noutro jogo de aflitos que o Beira tem obrigatoriamente que vencer, Rio Ave fora com os vilacondenses também a lutar pela europa, Marítimo em casa com os madeirenses a lutar pela europa, Estoril fora com os estorilistas a jogar possivelmente o tudo ou nada pelo último lugar europeu e Sporting em casa na última partida do campeonato com a turma leonina também capaz de ter que vencer em Aveiro para ir à Europa. Ou seja, resumindo e concluíndo com dois jogos contra adversários directos onde os 6 pontos são o objectivo principal e mais 5 jogos para conseguir mais 5 pontos no mínimo visto que os 26 pontos que usualmente garantem matematicamente a manutenção não vão chegar este ano. Contudo, estou confiante que a rapaziada vai dar a volta por cima.

sexta e última nota: é a primeira vez em meses que escrevo um post sem bater no Majid. o seu a seu tempo.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

os melhores adeptos do mundo

fiorentina

A Curva Fiesole (Collectivo Autonomo Viola e Settebello) não deixou de deixar uma mensagem de incentivo ao Sporting Clube de Portugal e às suas claques, pelas quais nutrem muito carinho, pela morte do antigo presidente do Sporting Clube de Portugal João Rocha. É por estes gestos que eu amo este clube.

Com as etiquetas , , , , , , ,

coisas do futebol do médio oriente

História e Intolerância narram-se em linhas simples. Jerusalem. Teddy Stadium, 21600 pessoas nas bancadas. Clássico da liga israelita contra o Maccabi Netanya. O Beitar de Jerusalém é uma equipa grande em Israel devido ao facto de ser o clube mais representativo da cidade santa,  apesar de só agora se estar a levantar de um hiato desportivo (sem se qualificar sequer para as competições europeias) que dura desde a época 1997\1998. Tem 3 títulos nacionais. O primeiro conquistado em 1991\1992. Os restantes nas épocas 1996\1997 e 1997\1998 onde foi eliminado precisamente pelo Sporting e pelo Benfica n0 playoff de acesso à Liga dos Campeões. Na liga deste ano, o Beitar ocupa a 7ª posição com 33 pontos, a 1 do 6º lugar que lhe permite passar a uma 2ª fase e assim lutar pelo título ou por um dos 4 lugares que Israel dispõe nas competições europeias para a época de 2013\2014. A vitória contra o Netanya poderia colocar o Beitar no top-6 da liga, o que não se verificou visto que o jogo terminou empatado. Detido por um multimilionário Russo-Israelita (Arcadi Gaydamak; fortuna estimada em 3 mil milhões de dólares, valor que o coloca na lista dos 500 mais ricos do mundo) tem, pelo que pude apurar, um novo projecto que visa colocar o clube a lutar novamente pelo título. É nessa estratégia que se enquadra a contratação de Zaur Sadayev, avançado russo de 23 anos de origem tchechena, no passado mês de Janeiro. Sadayev já actuou duas partidas por uma selecção Russa B e aparece em Jerusalém vindo de uma equipa que tem vindo a crescer muito: o Terek Grozny, equipa que disputa o principal escalão da liga russa e que tem a particularidade de pertencer a Grozny, a capital da tchechénia. Ao 4º pela sua nova equipa, Sadayev (muçulmano) decidiu dar um ar da sua graça e apontar o primeiro golo na liga Israelita. O resultado foi o que se viu no vídeo. Milhares de adeptos do Beitar abandonar o estádio depois do golo do seu avançado.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

que injustiça

o benfica não jogou nada, nada, nadinha. teve um penalti ao qual não vou tecer considerações para não incorrer em falso juízo, aproveitou-o e teve mais duas situações na 2ª parte onde podia ter feito golo. de resto, limitou-se a ver o beira fazer o melhor jogo da época, jogo esse que peca pelo facto da equipa ter desperdiçado 5 (5!!) ocasiões flagrantes de golo. depois de ver o Nildo e o Rui Sampaio a correrem quilómetros, de ter visto o Hélder Lopes a agigantar-se ao Salvio em toda a partida e do Yazalde a dar o litro (infelizmente não é um matador) fico com a sensação que este beira-mar estava melhor classificado se tivesse um ponta-de-lança que metesse uns 7 ou 8 golos no campeonato. e esse ponta-de-lança não é Yazalde e tão pouco Abel Camará. Yazalde procura as linhas para ter bola e não é um finalizador. Camará é um avançado bom para jogar com um ponta-de-lança a sério ao lado: é forte fisicamente, ganha muitas bolas nos centrais, não é mau tecnicamente, chuta bem mas falta-lhe algum trabalho de posicionamento e desmarcação, que, a meu ver não é com a idade que possui que vai ser melhorado a tal.

o que me chateia não é a injustiça do resultado. o que me chateia é que os nossos rivais directos, como é o caso do Olhanense, do Moreirense e do Gil já foram buscar pontos nos jogos contra os grandes. nós não aproveitamos nadinha. em Alvalade podiamos ter ganho o jogo em 2 minutos e não o fizemos porque desperdiçamos uma grande penalidade e outro lance na cara de Rui Patrício. na luz, entrámos a ganhar e não suportámos a carga do Benfica, apesar de, nesse jogo, termos sido completamente roubados com aquele penalti duvidoso do Maxi Pereira que indiscutivelmente condicionou aquela partida. hoje, tivemos a bola a um metro da baliza e ninguém, por três ocasioões, conseguiu dar o toque final. não sei se é azar, se é destino. sei sim que em noites de granizo no Porto um dos nossos rivais directos foi buscar um ponto contra todas as espectativas e outros, em Moreira de Cónegos e Barcelos fizeram escorregar Sporting e Porto respectivamente.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , ,

clássico (IV)

na primeira parte o Porto dominou, o Jackson mandou umas balaustradas de pé esquerdo (mérito dos centrais do Sporting em nunca terem deixado que o colombiano usasse do pé direito para rematar à baliza), o Patrício chegou para as encomendas (ainda há dúvidas que estamos perante o melhor guarda-redes do mundo da actualidade?) e meio campo do Sporting teve uma exibição exemplar. Fito e Dier deram conta do recado perante boas exibições do trio do miolo do Porto, principalmente de Lucho que apareceu variadíssimas vezes solto a distribuir jogo como ninguém. Dier é um caso raro de um grande jogador. a defesa direito, a defesa esquerdo, a central, a trinco, a centrocampista, este internacional jovem pela Inglaterra é um tractor, tem uma técnica apuradíssima e um sentido táctico de craque. não tenho dúvidas em afirmar que um dia chegará a jogar pela Old Albion. e acreditem que para Dier já é bastante difícil chegar às selecções jovens inglesas, sabendo de antemão que compete num campeonato de segundo plano europeu e ainda para mais numa equipa cheia de problemas. O jovem não só serviu de tampão à construção de jogo do meio campo do Porto como ainda foi visto a isolar Ricky na cara de Helton por duas vezes. Já Fito Rinaudo é um senhor. É um todo terreno e joga de forma inteligentíssima. Labyad e Capel irrequietos. foi vê-los várias vezes a fazer arrancadas monumentais pelos flancos sem medo dos excelentes laterais do porto. Capel foi indiscutivelmente o jogador que mais faltas sofreu durante a partida. na 2ª parte, penso que o Sporting poderia ter ganho a partida. não foi só aquele lance do Ricky a terminar a primeira parte. no segundo tempo, o contra-golpe do sporting foi violentíssimo e pôs em sentido a defesa do Porto e a lamentar existe novamente aquele lance do Ricky contra Helton onde o Holandês poderia ter feito melhor. Jesualdo ganhou a aposta feita nas substituições: Bruma entrou agitado e pecou apenas pelo facto de querer fintar tudo e todos. Esperem que Bruma vá à selecção ainda este ano. Rojo foi expulso. Penso que a expulsão foi injustíssima. A falta é de Fito e na repetição vê-se que o internacional argentino não acerta em Jackson mas sim no seu compatriota. a arbitragem de Paulo Baptista foi negativa. o arbitro vindo de Portalegre não conseguiu controlar o jogo. na primeira parte deixou jogar duro e o jogo teve momentos em que os ânimos estavam exaltados. na segunda parte, como não disciplinou na primeira, começou a dar amarelos a torto e a direito e na expulsão de Rojo cometeu um enorme erro de análise. no final, conseguiu expulsar os dois treinadores do sporting. A expulsão de Rojo trouxe a surpresa da noite. Atud Fabrice Fokobo, defesa-central\trinco internacional sub-20 pelos Camarões, júnior, contratado em 2011\2012, a uma equipa camaronesa praticamente desconhecida (NQSA; se bem que essa equipa camaronesa em 2010\2011 já tinha emprestado o jogador ao Panathinaikos da Grécia) entrou pela primeira vez pela equipa principal do Sporting e foi decisivo por duas vezes com dois grandes cortes, tendo negado um golo certo a Jackson Martinez num deles.

a entrada de Fokobo confirmou uma coisa que estou a gostar de ver no Sporting. a aposta nos meninos está a dar frutos. poderemos não conseguir as competições europeias esta época mas estou certo que com a quantidade de miúdos talentosos que temos no nosso viveiro, dentro de 2 anos, com uma organização directiva decente, poderemos ter massa para podermos ombrear com Porto e Benfica novamente. na minha humilde análise, há muitos muitos anos que a cantera do sporting não tinha gente tão talentosa: Rui Patrício, Rafael Veloso, Tiago Ilori, Cedric, Dier, Fokobo, Nuno Reis, André Martins, Chaby, João Mário, Zezinho, Ricardo Esgaio, Bruma, Gael Etock, Betinho, Carlos Mané, Edilino Ié, Farley Rosa, Dani Podence, Christian Ponde, Braima Candé, Iuri Medeiros, juntando a Carrillo, Labyad, Viola (penso que voltará melhor da Argentina) são efectivamente miúdos com um talento enorme, com muita fantasia nos pés e prometem um futuro muito risonho.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

clássico (II)

claro que o Izmailov não estava lesionado. claro que o Izmailov tem muito que revelar. claro que o Izmailov fez o mesmo truque do Moutinho aquando da transferência deste para o Porto. claro que estava tudo previsto: o Porto queria o jogador e através do seu empresário deu instruções para que o jogador criasse um clima de mal estar tal que o Sporting não tivesse outra solução senão vender o jogador. claro que os dirigentes do Porto sabiam perfeitamente que criando um clima de instabilidade no balneário do Sporting através do Izmailov, facilmente iam buscar o jogador a troco de feijões. claro que os dirigentes do Porto sabiam que os dirigentes do sporting iriam libertar o Izmailov a troco de feijões visto que era um problema grave dentro do balneário, não jogava e tinha um salário demasiado alto para as possibilidades actuais do clube. bem disse um tal de Vercauteren que não podia convocar um jogador que não via, que não aparecia nos treinos. O Izmailov já nem punha os pés na sua entidade patronal. O Izmailov estava a fazer de tudo para ser vendido para o Porto. E assim foi. Mais uma vez, os dirigentes do Sporting, os bananas do costume, deixaram-se trapacear pelas armadilhas vindas do clube do norte.

Com as etiquetas , , , , ,

clássico (I)

O Jesualdo Ferreira é pago (e bem pago diga-se desde já) para treinar uma equipa e com ela alcançar vitórias ou para responder a candidatos de índole duvidosa à presidência do Sporting?

Com as etiquetas , , , , ,

a partir de 23 de Março

limpeza directiva, limpeza de balneário.

Com as etiquetas ,

quando…

um Sul-Coreano que há 5 anos atrás não tinha lugar no Vitória de Setúbal chamado Kim Byung Suk parece uma mota no ataque do Marítimo e faz o que quer da defesa do sporting, está tudo dito em relação ao futuro deste clube: vamos para a 2ª divisão que vamos muito bem!

Com as etiquetas , , , ,

algo me diz…

que este sporting vai acabar muito mal. muito mal mesmo.

Com as etiquetas ,

o do costume

Godinho demitiu os órgãos sociais do clube, mas mantém-se em mandato de gestão até às eleições de dia 23. Como me disse o João Borba e bem “evitou a humilhação da AG”.

Já começa típico circo eleitoral do Sporting. Os nomes são os do costume: Bruno de Carvalho, Braz da Silva, Rogério Alves, Abrantes Mendes. Cuidado, não vá aparecer também um Pedro Baltazar à espera de reaver aquilo que perdeu com o Daniel Carriço e com a negociata da transferência das acções da SAD em troca do passe (na altura avaliado em 5 milhões; o mesmo valor das acções que o Grupo de Baltazar detinha na SAD leonina) de um jogador que de facto valeu 750 mil euros. Todos afirmar por ora que são capazes de trazer pérolas e diamantes. Daqui a 1 semana, todos eles apresentarão o seu director desportivo e o seu treinador. Falta porém, desta vez, o Futre. Há por aí um Andrade da “era croquete” a bufar na TV cobras e lagartos da gestão do Sporting. Talvez se meta ao barulho e seja o candidato da dinastia. Já assisti a momentos destes no clube de Alvalade: alguém “semi-desconhecido” de uma antiga direcção da dinastia Croquete aparece (como apareceu em 2011 o Go(r)dinho), lava a sua imagem e a imagem da dinastia com palavras de revolução, toma o poder e faz asneira como fez o Go(r)dinho. 

Porém, o meu palpite para candidato vindo da dinastia é o Rogério Alves. O homem está sequioso de poder. O homem anda mortinho para que chegue o dia em que lhe entreguem o Sporting. Para além do mais, dentro da Dinastia, é capaz de ser aquele com melhor nome entre os sócios. Não creio é que os sócios do Sporting caiam novamente em engo(r)dos.

Com as etiquetas , , , , , , , , ,

cretinice

o medo desta Direcção do Sporting em relação à AG do próximo sábado já é tão grande que metem o Rinaudo a falar bem da mesma no final do jogo contra o Rio Ave (falava pelo plantel, dizia ele; toda a gente com um palminho de teste saberá que o Rinaudo pela popularidade e simpatia que goza juntos dos adeptos do Sporting foi metido a falar desses assuntos por alguém desta direcção) e a pedir “calma e paz” para o clube, realçando na sua opinião que “não é necessário fazer eleições antecipadas no clube”.

pois muito bem:

esta Direcção do Sporting ainda não meteu algo na cabeça. o processo que se desencadeou e que terá o seu fim no próximo sábado é um processo irreversível e cúmulo da gestão danosa que essa mesma Direcção e que as Direcções da dinastia Roquette estão a fazer no clube há vários anos. os sócios do clube, na sua esmagadora maioria estão fartos deste sportingzinho. os sócios do sporting estão fartos desta mediocridade instalada. os sócios deste clube estão fartos das sucessivas humilhações a que estas direcções tem exposto o clube. os sócios estão fartos de ver o nome do Sporting Clube de Portugal na fossa. no sábado, a Direcção pode usar de todas as artimanhas estatutárias, legais e desportivas possíveis para se manter no poder. é um processo irreversível que só terá fim quando esta Direcção cair. se não cair no próximo sábado, estejam seguros que irão cair na próxima. é tudo uma questão de tempo.

Com as etiquetas , ,

Uau!

Afinal, o Sporting de Jesualdo perde.

Com as etiquetas ,