Tag Archives: Selecção Sul-Africana de Futebol

justiça

A FA decidiu punir o Uruguaio do Liverpool Luiz Suarez por insultos racistas proferidos ao defesa-esquerdo do United Patrice Èvra no último jogo disputado entre reds e red devils.

A FA, neste tipo de casos, costuma ter mão bem pesada e com toda a razão. Em Portugal, fazem algumas semanas que aconteceu exactamente o mesmo entre 3 jogadores de 2 clubes (Javi Garcia, Alan e Djamal). Fez-se muito alarido na imprensa. Falaram os jogadores envolvidos, colegas, treinadores, conhecidos e até presidentes. A Liga de Fernando Gomes não abriu sequer uma investigação para chamar à letra os envolvidos.

Aí reside uma enorme diferença entre o futebol português e o futebol de outros países.

Suarez deverá ter chamado “preto” a Évra e foi punido com 8 jogos.

George Weah deu um soco a Jorge Costa depois de este lhe ter chamado “preto de merda” e apesar de ter sido ilibado pelas instâncias judiciais desportivas ainda cumpriu alguns meses de suspensão enquanto a pena não transitava em julgado nas mesmas.

Na época 2004\2005 Paolo Di Canio fez a saudação nazi em dois jogos da Lázio (Roma e Livorno) tendo sido suspenso por 1 jogo na 1ª vez e por 8 na 2ª com multas de 10 mil euros nas duas ocasiões.

John Terry ainda está a ser investigado por insultos racistas a Anton Ferdinand e arrisca-se a uma pena que pode ir dos 4 aos 8 jogos.

Carlos Queiroz foi despedido do comando técnico da Selecção Sul-Africana em 2002 por alegadas queixas de jogadores sul-africanos de que o técnico português era racista no tratamento pessoal e profissional dos jogadores negros da referida selecção.

Em 2006, António Carlos Zago, antigo defesa da Roma e da selecção Brasileira chegou mesmo a ir ao banco dos reús por alegados insultos racistas proferidos a meio de um jogo a Jeovânio, jogador que na altura jogava pelo Grémio de Porto Alegre.

Laurent Blanc foi alvo de um processo disciplinar em 2010 por parte da Federação Francesa depois de ter proferido comentários que alegadamente foram interpretados como racistas.

Não é portanto à toa que as instâncias mundiais e europeias que mandam no futebol apregoam os valores do respeito, da igualdade étnica e da luta contra o racismo no futebol. A interpretação destes valores acarreta obviamente várias interpretações, diria, tantas quantas federações existem no mundo do futebol. É certo que a inglesa, a italiana, a francesa, a brasileira, a sul-africana actuaram na medida exacta contra os casos que acima mencionei. Não é uma questão de criticar a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga de Clubes pelo seu comportamento no que toca a estes casos, mas o que é certo é que no que toca a esta problemática, os nossos organismos ainda são pequeninos. E consequentemente as mentalidades no nosso futebol ainda são pequeninas.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,