Tag Archives: Rein Taamarae

Edvald Boasson Hagen vence pela 2ª vez

17 etapas, 4 vitórias em etapa de Norugueses. 2 de Thor Hushovd que venceu ontem e agora de Edvald Boasson Hagen da Team Sky.

Resumindo brevemente o que foi a corrida de hoje, pode-se dizer que começou com uma fuga de ciclistas mal posicionados na tabela classificativa. A etapa de apresentação aos Alpes era dura (muitas contagens de montanha numa etapa de rasga pernas) e uma subida de 2 ª categoria a acabar a etapa que poderia ser motivo para ataques pela geral, o que se veio a verificar (adiante veremos).

Num grupo muito numeroso de fugitivos incluiam-se nomes como Boasson Hagen, Sandy Casar (ainda não foi desta que conseguiu a tão desejada vitória para a Française des Jeux) Bauke Mollema da Rabobank (2º hoje numa nova investida por parte do homem da Rabobank, equipa que está a tentar colmatar a decepção na geral com uma vitória em etapa) Sylvain Chavanel (novamente sem sucesso!) os dois cazaques da Astana (Fofonov e Muratyev) entre outros…

Boasson Hagen provou então que era o ciclisma teoricamente mais forte do grupo, principalmente no toca à finalização de etapas, atacando a subida final com uma agressividade de pedalada que até a mim me causou espanto. Teremos aqui um excelente sucessor de Thor Hushovd no que toca a Campeonatos do Mundo UCI?

Lá atrás, ataques de Nicolas Roche e Kevin de Weert tendo em vista a reentrada no top-10 (ficaram a 4 minutos do primeiro mas ganharam muito tempo a Danielson, Roland, Jeanesson, Uran e Vanendert.

Quantos aos favoritos, formou-se um grupo que cortou a meta ao mesmo tempo com os irmãos Schleck, Alberto Contador, Cadel Evans (começa seriamente a tornar-se o favorito à vitória na geral; é uma lapa, não desarma da frente) Taaramae, Vanendert e Samuel Sanchez, tendo ganho tempo aos restantes do top-10 que não entraram neste grupo. Taamarae ganhou tempo a todos os candidatos à Juventude assim como Vanendert também reforçou o ataque ao top-10 apesar da ligeira perda de tempo para Roche e do facto de não ter pontuado na montanha.

Chegaram a 4.26 do vencedor. 8 segundos depois chegava Rigoberto Uran. Thomas Voeckler cedeu nesta etapa, chegando 27 segundos depois do grupo SchleckContadorSanchezEvans mas mantem a amarela para a etapa duríssima que os ciclistas tem amanhã. Chegou na companhia de Ivan Basso (irremediavelmente fora da discussão do Tour e do pódio) e Tom Danielson.

Assim na geral, existem mudanças:

1º Thomas Voeckler (FrançaEuropcar)
2º Cadel Evans (AustráliaBMC) a 1.18m
3º Frank Schleck (LuxemburgoLeopard-Trek) a 1.22m
4º Andy Schleck (LuxemburgoLeopard-Trek) a 2.36m
5º Samuel Sanchez (EspanhaEuskatel) a 2.59m
6º Alberto Contador (EspanhaSaxo Bank) a 3,15m
7º Damiano Cunego (LampreItália) a 3.34m
8º Ivan Basso (ItáliaLiquigás) a 3.49m
9º Tom Danielson (EUAGarmin) a 6.05m
10º Rigoberto Uran (ColômbiaSky) a 7.36m
11º Jean-Christophe Perraud (FrançaAG2R) a 7.53m
12º Kevin de Weert (BélgicaQuickstep) a 8.03m
(…)

Para a etapa de amanhã:

– Dia C para Contador, dia V para Voeckler, dia S para os irmãos Schleck e para Samuel Sanchez.
Contador precisará de recuperar distâncias para todos. O ataque terá que ser demolidor. Voeckler procurará defender ao máximo a amarela nas próximas 2 etapas para chegar em condições de disputar a prova no contra-relógio de sábado, Sanchez precisa de explorar a sua vantagem sobre os restantes na variante de contra-relógio para atacar amanhã e sexta e assim aproximar-se o suficiente da frente para tentar a investida final em Grenoble. Cadel Evans apenas terá que se limitar a seguir a roda daquele que lhe for mais vantajoso. Já os Schleck deverão atacar na máxima força amanhã. Para além de terem que recuperar a diferença perdida para Voeckler, terão forçosamente que construir uma almofada para o contra-relógio. Será tarefa difícil.

– Basso e Cunego na expectativa. Sabem que se seguirem a roda certa poderão ganhar tempo e alimentar a esperança de pódio.

– Haverá muita luta pelo top-10 da prova. Uran e Danielson tem a ameaça de De Weert, Roche, Vanendert, Perraud, Taaramae…

Nos pontos, tudo na mesma. Cavendish virtual vencedor.

Na montanha, tudo na mesma. Vanendert lidera mas terá que se defender muito bem amanhã.

Na Juventude, Uran perdeu para Taaramae e o Estoniano está agora apenas a 59 segundos. Tudo poderá mudar amanhã, sabendo que os dois andarão pela frente. Roland ficou agora a 2,27 mas não é descartável para amanhã onde estará novamente na protecção ao seu líder e camisola amarela. Jeanesson (3,17m) é uma carta fora do baralho nesta camisola.

Por equipas, a Garmin continua na liderança, dispondo dos 5 minutos de diferença para a Trek. Caso amanhã não perca muito terreno no fecho colectivo, será a equipa vencedora nesta classificação.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,