Tag Archives: Protesto da Geração à Rasca

E porque hoje

Este senhor deverá deitar-se com um enorme nó na consciência por nos ter apelidado de “geração rasca”.

Rascas, foram as suas palavras e as atitudes pseudo-intelectual com que (infelizmente) nos brinda todos os dias nas suas colunas de jornal.

Hoje, Vasco Pulido Valente, provou o veneno das suas palavras. E com tamanho protesto, deverá irremediavelmente cair no esquecimento.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , ,

300 mil nas ruas

(foto: Manuel A. LopesAgência Lusa – RTP)

200 mil na Avenida da Liberdade em Lisboa. 80 mil na Avenida dos Aliados no Porto. 1500 na Praça da República em Coimbra. 500 em Leiria. 6 mil em Braga. 6 mil em Faro. 250 pessoas no Funchal. Mil pessoas em Ponta Delgada. 200 pessoas em Castelo Branco.

(números aproximados)

Sem confrontos, sem quaisquer tipo de intervenções policiais. O protesto de uma “geração à rasca” foi um tremendo bloco de força contra as políticas que tem ostracizado a juventude portuguesa. Contra a falta de emprego entre jovens licenciados e não-licenciados, contra a precariedade e os recibos-verdes, contra os cortes no financiamento das universidades e do ensino básico e secundário, contra os cortes na acção social – por um futuro melhor!

Não tenho dúvidas em afirmar que hoje se marcou uma página bonita na história contemporânea Portuguesa e que mais acções se seguirão nas ruas nos próximos meses. É hora de dizer basta.


Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , ,

Protesto “Geração à Rasca”

O dia chegou.
Sempre acreditei que o dia iria chegar.
Sempre acreditei que no dia em que Vasco Pulido Valente iria provar do veneno da sua expressão “geração rasca” – o dia chegou.

Juntos, a uma só voz e com um objectivo uno, iremos para a rua. Iremos para a rua clamar contra sucessivos governos que têm brincado com a juventude em Portugal. Iremos para a rua clamar contra a precariedade e o desemprego que a juventude de hoje padece, contra as políticas que têm retirado o acesso a uma melhor qualidade de vida aos jovens, contra as políticas que têm aniquilado com os sonhos de toda a uma geração, contra as políticas que têm retirado direitos aos estudantes, contra os cortes na acção social, contra os cortes no financiamento das universidades.

Iremos para a rua protestar bem alto que não somos escravos de ninguém. Não somos mercadoria. Não somos uma despesa presente redundante em proveitos no futuro para o Estado. Não somos um simples número financeiro. Hoje, a minha geração vai provar que têm força e que merece mais e melhor. Hoje, a minha geração vai dar a “bofetada de luva branca” nos políticos e nos “pseudo analístas políticos” que a avaliam de rasca.

Hoje, faremos história neste país. 63 mil inscritos no evento do facebook. Espero que em Lisboa, no Porto, em Coimbra e em todas as cidades do país e do estrangeiro onde residam jovens portugueses, se proteste, pela dignidade humana que a juventude de hoje e a de amanhã merece.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,