Tag Archives: Micah Richards

futeboladas

Como é tradição, o futebol em Inglaterra não para nas festas.
Na sexta, sábado e no domingo disputou-se a segunda de quatro jornadas loucas na Premier League, tendo saído vencedores (ao nível pontual) o Liverpool, o Arsenal e de certa maneira o Tottenham.

Começando pelo Liverpool.

Depois de um arranque intermitente e de muitos problemas (culminados pela suspensão de Suarez cujo recurso ao castigo de 8 jogos apresentado pelos Reds à FA) a equipa de Kenny Dalglish está a acertar agulhas no campeonato e depois desta vitória re-entrou pelo menos na luta pelos lugares da Champions League. Os 11 pontos que separam os Reds de City e United continuam a ser um obstáculo enorme a uma eventual mudança de objectivos visto que continuo a considerar que os Reds não são candidatos ao título.

Contra um Newcastle moralizado por ter quebrado um ciclo de 6 jogos sem ganhar, os Reds carregaram a fundo no acelerador e a “surpresa” Craig Bellamy, a fazer a melhor época da sua carreira no regresso a Anfield deu a volta ao resultado com dois golos (29 e 69 minutos) depois de um auto-golo de Daniel Agger aos 25″. A defesa continua a ser a maior fragilidade dos homens de Anfield.

Andy Carroll, depois de mandar duas bolas aos ferros durante a partida, calou todos aqueles que o tem acusado de ser o maior flop da história do Liverpool (inclusive eu) com um golo já nos descontos.

Em Manchester, o dia que devia ser de festa pelo 70º aniversário de Sir. Alex Ferguson acabou por ser um dia que culminou o corolário de um ano que só se salvou com a conquista da Premier League.

No Old Trafford, o pobre Blackburn (vindo da última posição do campeonato mas com um empate na última jornada em Anfield Road) surpreendeu tudo e todos ao bater os Red Devils por 3-2. O Nigeriano Yakubu (é impressão minha ou ele está um pote?) bisou e continua a sair da casca: já leva 12 golos na Premier este ano. O United respondeu com dois golos de Berbatov e quando se esperava que a equipa de Sir. Alex Ferguson desse a volta ao marcador, Grant Hanley aproveitou um soco no ar de Di Gea (mais um!) num canto para marcar um golo às três tabelas.

Mesmo com um rendimento muito intermitente, o United partilha a liderança com o City (perdeu em Sunderland) e no meio de tanta azelhice continua a ter um lugar privilegiado para atacar o título. No entanto, urge que o mês de Janeiro traga caras novas a Old-Trafford. Na minha opinião, o United precisa de se reforçar com um defesa direito, um central, um trinco, um nº10 e um extremo e deveria dispensar jogadores como Johnny Evans, Rio Ferdinand, Phil Jones (continuo a não compreender como é que o United pagou 22 milhões por Phil Jones) Darren Fletcher, Michael Carrick, Antonio Valência e Dimitar Berbatov. Luka Modric e Wesley Sneijder voltam a ser falados como targets dos Red Devils para Janeiro, mas tanto Inter como Tottenham já vieram negar disponibilidade para negociar os atletas.

A Coreia do Sul está muito orgulhosa do seu novo delfim no futebol: Ji Dong Won. O Coreano de 20 anos que os Black Cats foram buscar ao modesto Chunnam Dragons da Coreia do Sul saltou do banco aos 78 minutos quando o City carregava para vencer o jogo e em cima do minuto 90 marcou o golo da vitória para a equipa de Martin O´Neill, fazendo o seu 2º na Premier.

O City de Mancini continua a demonstrar uma fase de menor fulgou ofensivo que tem sido culminada com alguns desaires nas últimas jornadas. Num jogo de várias incidências: Bendtner falhou isolado na cara de Joe Hart aos 12″, e por outro lado, Dzeko enviou uma bola à barra ainda na primeira parte, coube ao Coreano selar o desfecho trágico para os Citizens já em cima da hora.
Na 2ª parte, Mancini meteu toda a carne no assador e colocou David Silva e Kun Aguero em campo. Sem resultados práticos.

Outros jogos:

Arsenal 1-0 QPR – A turma de Wenger cresce de jogo para jogo e re-entrou na luta pelo título. 9 pontos separam os Gunners da dupla de Manchester depois de um jogo fácil para a turma de Londres num derby contra o Queens Park Rangers decidido com um golo do inevitável Robin Van Persie.

Swansea 1-1 Tottenham – Podia ter sido melhor para a turma de Harry Redknapp. Recuperam 1 ponto para os líderes e estão a apenas 6 de City e United com uma partida a menos, relativa à 1ª jornada contra o Everton que se irá disputar no dia 11 e que pode levar os Spurs às portas da liderança (poderão ficar a 3 pontos caso tudo se mantenha invariável até lá na tabela classificativa).
O Tottenham demorou mais uma vez a encaixar no jogo e só conseguiu chegar ao golo já perto do Intervalo com um golo de Van der Vaart. Na 2ª parte, o Swansea carregou à procura do empate e mereceu-o. Scott Sinclair coroou uma grande exibição com um golo aos 84″ depois de vários avisos feitos pelos Swans (cisnes) à baliza de Brad Friedel e de uma postura muito defensiva dos Spurs na 2ª parte. Kyle Walker continua a confirmar-se como a revelação da Premier League e perante uma dada indecisão de laterais direitos na Old Albion (apenas Micah Richards terá lugar para já na convocatória de Capello para o Europeu) poderá ser uma alternativa viável para o seleccionador.

Aston Villa 1-3 Chelsea – Uma lástima para os Blues. O cerco a Villas-Boas volta a apertar-se.

1. 4 jogos sem vencer voltam a afastar os Blues da luta pelo título. No jogo contra o Aston Villa, o futebol exibido pelos Blues voltou a demonstrar muita incipiência e muito esgotamento por parte dos consagrados de Stamford Bridge para alterar o rumo da equipa. Lampard fez um jogo para esquecer dando um golo de bandeja aos Villains e David Luiz estava mal posicionado em todos os golos da turma de Birmingham. O defesa central brasileiro continua transferível no mercado de Janeiro.

2. A relação entre AVB e os jogadores parece ter-se agudizado nos últimos dias depois do técnico português ter negado a presença a Nicolas Anelka (transfere-se precisamente para a China) no tradicional jantar de natal do plantel londrino, facto que revoltou os jogadores e que obrigou inclusive à realização de uma festa paralela num clube privado para que Anelka participasse. Um dos problemas desta equipa pode explicar-se por esta óptima: a tensão crescente dos jogadores aos métodos do treinador português. A jornada de hoje será decisiva para AVB e a demissão em caso de derrota pode ser uma realidade que terá que se por em cima da mesa.

Stoke City 2-2 Wigan – O Wigan activou o marcador aos 45″ por intermédio do extremo nigeriano Victor Moses. O Stoke, a jogar em casa, aproveitou a expulsão de Gary Caldwell e o respectivo penalty assinalado para empatar a partida aos 77″ por intermédio do gigante Walters. O Stoke carregou e chegaria à vantagem 7 minutos depois por intermédio de Cameron Jerome. Quando tudo parecia decidido, o Wigan de Roberto Martinez, a jogar com 10 chegou ao empate 3 minutos depois por intermédio de Ben Watson. O Stoke continua a confirmar uma época tranquila: é 8º com 26 pontos, longe da turbulência da linha de água onde se encontra o Wigan com 15 pontos, mais um que Blackburn e dois que Bolton e com menos dois que Wolverhampton e QPR.

Hoje e amanhã teremos mais uma jornada da Premier.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,