Tag Archives: Jorge Costa

justiça

A FA decidiu punir o Uruguaio do Liverpool Luiz Suarez por insultos racistas proferidos ao defesa-esquerdo do United Patrice Èvra no último jogo disputado entre reds e red devils.

A FA, neste tipo de casos, costuma ter mão bem pesada e com toda a razão. Em Portugal, fazem algumas semanas que aconteceu exactamente o mesmo entre 3 jogadores de 2 clubes (Javi Garcia, Alan e Djamal). Fez-se muito alarido na imprensa. Falaram os jogadores envolvidos, colegas, treinadores, conhecidos e até presidentes. A Liga de Fernando Gomes não abriu sequer uma investigação para chamar à letra os envolvidos.

Aí reside uma enorme diferença entre o futebol português e o futebol de outros países.

Suarez deverá ter chamado “preto” a Évra e foi punido com 8 jogos.

George Weah deu um soco a Jorge Costa depois de este lhe ter chamado “preto de merda” e apesar de ter sido ilibado pelas instâncias judiciais desportivas ainda cumpriu alguns meses de suspensão enquanto a pena não transitava em julgado nas mesmas.

Na época 2004\2005 Paolo Di Canio fez a saudação nazi em dois jogos da Lázio (Roma e Livorno) tendo sido suspenso por 1 jogo na 1ª vez e por 8 na 2ª com multas de 10 mil euros nas duas ocasiões.

John Terry ainda está a ser investigado por insultos racistas a Anton Ferdinand e arrisca-se a uma pena que pode ir dos 4 aos 8 jogos.

Carlos Queiroz foi despedido do comando técnico da Selecção Sul-Africana em 2002 por alegadas queixas de jogadores sul-africanos de que o técnico português era racista no tratamento pessoal e profissional dos jogadores negros da referida selecção.

Em 2006, António Carlos Zago, antigo defesa da Roma e da selecção Brasileira chegou mesmo a ir ao banco dos reús por alegados insultos racistas proferidos a meio de um jogo a Jeovânio, jogador que na altura jogava pelo Grémio de Porto Alegre.

Laurent Blanc foi alvo de um processo disciplinar em 2010 por parte da Federação Francesa depois de ter proferido comentários que alegadamente foram interpretados como racistas.

Não é portanto à toa que as instâncias mundiais e europeias que mandam no futebol apregoam os valores do respeito, da igualdade étnica e da luta contra o racismo no futebol. A interpretação destes valores acarreta obviamente várias interpretações, diria, tantas quantas federações existem no mundo do futebol. É certo que a inglesa, a italiana, a francesa, a brasileira, a sul-africana actuaram na medida exacta contra os casos que acima mencionei. Não é uma questão de criticar a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga de Clubes pelo seu comportamento no que toca a estes casos, mas o que é certo é que no que toca a esta problemática, os nossos organismos ainda são pequeninos. E consequentemente as mentalidades no nosso futebol ainda são pequeninas.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

São os maiores

Pilar OlivaresReuters

Mika. Os grandes homens e os grandes atletas aparecem sempre nestes palcos nas alturas decisivas. Como se diz na gíria, o guarda-redes do Benfica recentemente contratado à União de Leiria, mostrou ter os “tomates no sítio”.

É preciso sofrer para vencer. Esta equipa portuguesa é uma equipa de sofredores. E ou muito me engano, ou será uma equipa de vencedores!

120 minutos de um jogo muito estático e sem grandes oportunidades de golo para ambos os lados, redundaram na marcação de grandes penalidades onde os nossos sub-2o estiveram literalmente com um pé fora da competição após 2 penaltis falhados pelo central Roderick e pelo trinco Danilo. Seria então da sorte bafejar Portugal ao 4º penalti, com uma bola em cheio na trave por parte do central Argentino Pirez (que devia ter sido expulso no decorrer da 2ª parte) e duas grandes defesas de Mika.

No lado Português, como os comentadores da RTP bem realçaram, Portugal não é uma equipa muito goleadora e não pratica um futebol bonito do ponto de vista atacante. No entanto, a selecção de sub-20 faz juz a uma das máximas mais importantes do futebol em que a defesa é realmente o melhor ataque. Ao nível defensivo, Ilídio Vale tem ali um enorme conjunto: o sexteto constituído por norma por Cedric, Nuno Reis, Roderick e Mário Rui (ontem foi Luis Martins o jogador que cumpriu com distinção o lado esquerdo da defesa) e os trincos Danilo e Pelé são o esteio de uma equipa vencedora. Principalmente o central Nuno Reis (imperioso no desarme e com um sentido posicional muito maduro para os seus tenros 20 anos) e os trincos Péle e Danilo, voltando ontem a ser jogadores incansáveis ora na transição de jogo de portugal como nas dobras aos colegas de equipa e no desarme às investidas dos argentinos.

Lá na frente, Caetano e Nelson Oliveira foram irrequietos e provocaram muitos problemas a uma defesa argentina que se tivesse pela frente um consistente contra-ataque de Portugal com mais homens teria tremido bastante.

Nelson Oliveira é de facto um jogador fenomenal. Tem um drible estonteante e brota fantasia em q.b no seu jogo. No entanto terá que crescer muito mais como jogador e (por exemplo) aprender a passar mais a bola aos seus colegas. De todas as intervenções do jogador do Benfica, grande percentagem foram intervenções em que o avançado do Benfica pegou na bola e pensou que ia fintar 5 ou 6 jogadores. Já Caetano peca por ser um jogador muito franzino.

Sérgio Oliveira é outro dos casos problemáticos nesta selecção de sub-20. Acompanhei o jogador durante 1 época no Beira-Mar. A técnica está lá, a inteligência está lá. A confiança é que parece não estar. O sérgio poderá ser um jogador excepcional quando um treinador o obrigar a estar presente no meio campo da equipa durante 90 minutos. O Sérgio tanto é capaz de fazer rasgos brilhantes e criativos em prol da equipa como de seguida desaparece da partida durante 20 minutos e pelo meio é capaz de arranjar uma picardia com 2 adversários e arranjar problemas com a arbitragem. É portanto um jogador que irá necessitar de muito acompanhamento por parte dos técnicos que lhe surjam pela frente durante a carreira.

Do lado argentino, Erik Lamela é de facto um grande jogador. Aquele pé esquerdo é absolutamente divinal a distribuir jogo e a bater bolas paradas. Justificam-se os 13 milhões dados pela Roma por um atleta que para já apenas mostra uma vicissitude muito negativa: à semelhança de Sérgio Oliveira, desaparece por momentos da partida.

Juan Iturbe mostrou-me novamente aquilo que já tinha visto no jogo entre o Cerro Porteño e o Santos para a Libertadores: pé esquerdo bem apurado, usa e abusa das tabelas com os colegas de equipa ao estilo Messi e é um jogador muito rápido ao nível de movimentos, coordenação motora e pensamento do seu jogo. Não terá muitas dificuldades em enquadrar-se ao alto nível no FC Porto com estas características.

Não fiquei impressionado com o guarda-redes Andrada. Se é certo que é alto, também me deu a parecer que é capaz do 8 e do 80 no mesmo jogo.

Também não fiquei impressionado com a defesa argentina. Mais do mesmo: caceteiros em demasia.

Portugal irá defrontar o vencedor do jogo entre a França e a Nigéria, jogo que se disputa hoje. A Nigéria é outra das selecções em destaque neste campeonato do mundo, fazendo à força que estes países africanos trazem usualmente ao mundial de sub-20 prova onde os Nigerianos já obtiveram uma final em 2005 onde apenas sucumbiram perante a Argentina de  Messi, Ustari, Lucas Biglia, Pablo Zabaleta, Ezequiel Garay, Kun Aguero e Fernando Gago, selecção onde muitos 3 anos depois viriam novamente a derrotar os Nigerianos para o Ouro olímpico em Pequim.

Como também foi dito pelos comentadores da RTP, esta vitória frente à Argentina tem um significado histórico muito forte em 1991, Portugal também derrotou os Argentinos no campeonato do mundo disputado em Portugal e acabaria por chegar à vitória.

Dessa selecção de sub-20 vingaram jogadores como Jorge Costa, João Pinto, Rui Costa, Capucho, Paulo Torres, Nélson, Abel Xavier, Peixe, Rui Bento, Brassard e outros menos sucedidos como Toni, Gil, Luis Miguel, Tó Ferreira, Tulipa, João Oliveira Pinto e Cao.

Para finalizar, a fotogaleria desta vitória:

Pilar OlivaresReuters

Vanderlei AlmeidaAFP

Vanderlei AlmeidaAFP

Pilar OlivaresReuters

Vanderlei AlmeidaAFP

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Jorge Costa: “Não estou a deixar a Académica, estou a deixar o futebol”

Comunicado oficial de Jorge Costa:

“À Académica,

É difícil esta missão de me dirigir a vós neste momento. Não são muitas as palavras que terei a dizer para justificar esta minha decisão, mas sinto o dever de vos deixar uma mensagem de despedida, tantos foram os bons momentos que passei em Coimbra.

Antes de mais, quero dizer-vos que não estou a deixar a Académica. Estou a deixar o futebol.

Por motivos estritamente pessoais que não me permitem continuar a actividade profissional que mais me realiza, hoje anuncio com grande tristeza que deixarei de treinar equipas de futebol. Não deixo apenas de ser treinador da Académica, deixo de ser treinador de futebol.

Neste momento, quero registar o orgulho pelo desempenho desportivo da minha equipa, o qual tenho de agradecer aos meus jogadores e aos restantes membros da equipa técnica, que sempre me apoiaram, compreenderam e potenciaram o meu trabalho. A todos eles desejo as maiores felicidades pessoais e profissionais.

Não posso deixar de pedir desculpa ao Presidente da Académica, dirigentes, equipa técnica, jogadores e demais funcionários. Aos Sócios e aos adeptos… Para com todos eles fico em dívida, uma dívida que jamais poderei saldar.

Por fim, quero registar o grande privilégio que foi para mim treinar a Académica. Num momento difícil como este, dá-me um certo conforto saber que treinei este clube e guardarei para sempre todos os bons momentos que me proporcionaram.

Um abraço a todos e muito sucesso, dentro e fora das quatro linhas…”

Com as etiquetas , , , , ,