Tag Archives: Ignácio Camacho

O tango segue para Paris

Os Emires tentam reavivar o PSG, aquele mega grande Francês cuja história apenas conhece 2 títulos na Liga Francesa.

Javier Pastore acaba de ser contratado por 43 milhões ao Palermo, após muita expeculação acerca do seu futuro. Esta transferência apenas é superada pela do seu compatriota e colega de selecção Aguero para o City por 45 milhões.

O PSG é sem dúvida um dos animadores do mercado. Gastou com Pastore a maior verba numa transferência na Ligue 1, record que já lhe pertencia quando em 2000 comprou Anelka ao Real Madrid por 33,5 milhões de euros.

Numa europa onde contratar não está a ser pera doce (para além dos 3 que vou enunciar apenas 5 clubes gastaram mais que 30 milhões de euros, a saber – Juventus, Real Madrid, Manchester United, Liverpool e Barcelona) são os árabes quem animam o mercado: o PSG , o Málaga e o Manchester City são os recordistas no mercado de transferências deste ano.

Os Franceses treinados por Anthony Koumbouaré e comprados recentemente pelo Sheikh Tamim bin Hamad Al Thani preparam o assalto à Ligue 1 (prova que já não vencem desde o longínquo ano de 1994) tendo já assegurado as contratações de jogadores como Pastore (um mago) o defesa Bisevac (ex-Valenciennes3,5 milhões de euros) o extremo Jeremy Menéz (ex-Roma8 milhões de euros podendo a transferência chegar ao total de 10) Blaise Matuidi (ex-Saint Ettiène10 milhões de euros) Momo Sissoko (ex-Juventus7 milhões de euros) e o avançado luso-gaulês Kevin Gameiro que saiu do Lorient para a equipa parisiense por 15 milhões de euros. As contas são simples: o Sheik já gastou qualquer coisa com 86,5 milhões de euros na equipa Parisiense.

Já o City continua na sua jinga-joga do compra-despede-compra ainda mais caro. Os Citizens de Mancini e da Abu Dhabi Entertainment Group contrataram Aguero ao Atlético de Madrid por 45 milhões de euros, o defesa Stefan Savic ao Partizan por 12 milhões de euros,e  o Francês Gael Clichy ao Arsenal por 8 milhões de euros gastando até agora 65 milhões de euros.

Os novos ricos do futebol espanhol, o Málaga, agora possuído pelo Emir Abdullah bin Nasser Al Thani (primo do proprietário do PSG) para além do “gratuito” Joris Mathisen e Ruud Van Nistelrooy (ex-Hamburgo) e Enzo Maresca (Sevilha contrataram o defesa esquerdo Nacho Monreal (ex-Osasuna) por 6 milhões de euros, Ignácio Camacho (ex-Atlético de Madrid) por uma verba a rondar os 5 milhões de euros, Joaquin (ex-Valência) por 4 milhões de euros, Jeremy Toulalan (ex-Lyon) por 10 milhões de euros, o extremo Santi Cazorla (ex-Villareal) por 20 milhões de euros, e Diego Buonanotte por uma verba a rondar os 5 milhões de euros ao despromovido River Plate. 

No total o Málaga já gastou 50 milhões de euros.

Mais contas nos próximos dias, onde começarei a escrever antevisões da Liga Portuguesa e das 5 principais ligas da europa.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Era uma vez (no Benfica)

Um treinador, uma equipa técnica, uma direcção e uma administração que uma época se lembrou de contratar jogadores suficientes para fazer 3 planteis.

Um treinador, uma equipa técnica, uma direcção e uma administração que necessitaram de contratar 5 guarda-redes em 2 anos, gastando 10,3 milhões de euros aos cofres encarnados + os salários dos respectivos atletas. No entanto apenas um garante total segurança à baliza do Benfica e dificilmente será titular – falo de Artur Moraes.

Um clube que já contratou 15 jogadores esta época e que ainda se prepara para contratar mais 2 ou 3, que já gastou em transferências este ano qualquer coisa como 28 milhões de euros, sendo que 3 desses contratados já foram despachados para rodar e terão tantas hipóteses de vestir a camisola encarnada como tiveram no passado Bergessio, Paulo Almeida, Urretaviscaya entre outros é motivo mais que suficiente para questionar (visto que o Benfica nas últimas 4 épocas um valor aproximado dos 150 milhões de euros em transferências) onde é que o Benfica vai buscar tanto dinheiro? Não é a única pergunta que faço no que toca a este aspecto? A outra obviamente coloca-se nesta grau: O Benfica terá mesmo uma gestão profissional ou meia dúzia de lunáticos que gastam sem rei nem roque?

A resposta, para alguns benfiquistas será toldada pelo raciocínio lógico de uma política de contratações imperialista e folclórica, facto assente como benfeitor da felicidade de qualquer benfiquista na pré-época. Bruno César (leia-se o homem mais gordo que o Benfica contratou; supera Paulo Almeida, Rochemback e Maniche) já é uma máquina de jogar futebol e Nolito (um pobre coitado que andava lá pelas equipas B dos Barças deste mundo) um jogador que vai ser convocado decerto à fabulosa Espanha de Del Bosque, onde por exemplo a coqueluche do Valência Juan Mata só agora entra nas contas e onde jogadores como Thiago Alcântara (jogou mais na equipa A do Barcelona que Nolito) Javi Martinez (campeão do mundo; intermitente convocado da Roja) Ignácio Camacho, Bojan Krkic não têm espaço na selecção de Del Bosque.

Pela primeira vez nos últimos anos, a equipa do Benfica até me pode mostrar que estou enganado mas dificilmente irá resultar e dificilmente irá combater com Sporting e Porto. Ao contrário dos últimos anos, o Sporting apostou em gente que o treinador e o director-desportivo conhecem e reconhecem como jogadores capazes de recolar o Sporting na órbita dos troféus. O Porto, no piloto automático de um Pereira disfarçado de Villas-Boas não irá precisar de muito para andar lá por cima. Para o Benfica, creio que se iniciou uma nova era das trevas.

Ao contrário dos últimos anos, o Sporting afastou-se por completo dos empresários e das jogadas que estes executam para colocar o seu lixo por estas bandas. Pelo menos, Jorge Mendes não conseguiu colocar o seu entulho pelas bandas de Alvalade: temos o exemplo de Manuel Fernandes, Quaresma, Simão Sabrosa, Hugo Almeida, entre outros.

Já o Benfica está minado de empresários. Ganhar dinheiro em comissões com o Benfica é fácil. É só afirmar que jogador X é relacionado directamente ao talento de um Sálvio já esquecido ou de um gaitan-de-foles-de-corrida e a coisa dá-se facilmente. O dinheiro, ninguém sabe de onde aparece. De meios lícitos talvez não deve ser. Não é que neste aspecto, Vieira seja um santo, porque todos sabemos que não é. É um excêntrico ignorante provinciano sem qualquer noção do mundo do futebol. Repete-o todos os dias quando vêm a público pedir para que se investiguem as contas do Porto. Investiguem as do Porto sim, mas também investiguem as do Benfica. Aliás, se tiverem de investigar clubes à mesma medida do que as autoridades turcas estão a fazer no país do Efeso, comecem por investigar da 1ª Liga até aos distritais. Meio mundo vai preso, metade do futebol português acaba.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,