Tag Archives: Governo

Estou completamente de acordo

Com esta ideia de Miguel Relvas.

São os vereadores, os assessores, os presidentes de juntas, as juntas de freguesia minúsculas ou inexistentes a nível populacional que se podem fundir, a assembleia municipal e a assembleia de freguesia.

Deve-se racionalizar a despesa que o estado gasta na administração local.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , ,

Game-over

Com as etiquetas , , , , ,

Absolutamente ridículo

Num país em que existem bens de primeira necessidade taxados à tributação máxima IVA de 23%, onde existem bens de primeira necessidade taxados à tributação intermédia de IVA de 12%, onde as taxas moderadoras do Serviço Nacional de Saúde subiram, onde o salário mínimo nacional não ultrapassa os 500 euros, onde as sucessivas medidas de austeridade colocam literalmente os Portugueses sem dinheiro para consumir, onde existem reformados e pensionistas cujas reformas não atingem o salário mínimo nacional, onde a banca paga uma infíma parte de impostos em relação aos seus ganhos anuais, onde gestores públicos são mais bem pagos que Barack Obama, Nicolas Sarkozy e Angela Merkel, onde não existe financiamento nas universidades, onde existem cerca de 600 mil desempregados e 2 milhões de pessoas vivem no limiar da pobreza, eis que o Governo de Sócrates decide espontaneamente baixar a taxa de tributação de utilização de campos de golfe para a taxa mínima de IVA de 6%.

Este Governo Socialista está a passar os limites do razoável. Este Governo Socialista está rapidamente a passar a barreira da lucidez para a demência. Este Governo Socialista está a baralhar todo o meu conceito de ciência política e sistemas políticos. Já não consigo perceber o enquadramento ideológico destas políticas: se no centro esquerda, se no centro-direita, se na direita. É um Governo liderado por um Primeiro-Ministro que se “intitula o paladino do Estado Social” – no entanto, todas as políticas que faz executar são completamente antagónicas ao Estado Social. É um governo Socialista que se intitula de centro-esquerda mas que há muito que anda mascarado de neoliberal.

E não me venham dizer que esta medida contribui para que o estado consiga fomentar a prática de golfe para recolher mais lucros desta, porque se raciocinar-mos um pouco chegaremos à conclusão que nos tempos que correm “a economia” dos campos de golfe representa uma fatia híper residual do nosso Produto Interno Bruto.

Num país em que o poder de compra da classe média está completamente estagnado e onde as classes mais baixas passam fome e têm extremas dificuldades em cumprir as suas obrigações, em vez de optar por políticas que pudessem fomentar o consumo interno por parte dos Portugueses, o Governo Socialista está mais interessado em tornar mais barata a prática de golfe.

Este Governo está a passar das marcas. Sócrates não tem coragem para fazer os ricos pagar a crise em que este país entrou… Sócrates não consegue fazer executar uma política que não destrua ainda mais o pobre rendimento da maioria dos seus contribuíntes. Sócrates está a votar este Portugal a um marasmo nunca antes visto. Ainda falam dos países que vivem no sistema económico socialista – tomara nós neste momento termos um sistema económico socialista neste país. Temos um Partido Socialista no Governo, que de Socialista não têm nada.

Que se lixe a instabilidade política. Que se lixem os mercados e aquilo que pensam de nós. Que se lixe o FMI, a União Europeia e a pressão para que tenhamos de recorrer à ajuda externa. Que se lixem os Alemães, os Franceses. É preciso começar a limpar a casa por dentro. E isso implica que a limpeza comece por Sócrates e por todo este governo que está completamente sem soluções para este país.

Dr. Cavaco Silva do que está à espera para dissolver a Assembleia da República?

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A moção de censura fantasma

Francisco Louçã apresentou de manhã a conhecida moção de censura do Bloco de Esquerda ao Governo Socialista, que dentro de alguns minutos será rejeitada na Assembleia da República.

Louça rejeitou desde logo que esta moção de censura seja uma derrota – “Se a moção de censura for recusada, ouçam o que dirá o país na rua porque, onde está a democracia, ela vencerá”

E a contestação começará a sair às ruas este sábado, em Lisboa e no Porto, no protesto da “Geração à Rasca”

Com as etiquetas , , , , , , , ,

Discurso de tomada de posse do Presidente da República

http://sic.sapo.pt/online/flash/playerSIC2009.swf?urlvideo=http://videos.sapo.pt/o3H0dsnQhRzqSdzh6jac/mov/1&Link=http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/noticias-pais/2011/3/reveja-na-integra-o-discurso-da-tomada-de-posse-do-presidente-da-republica09-03-2011-17353.htm&ztag=/sicembed/info/&hash=FF3C1208-4291-4FCC-8A32-9B9AB0E99B57&embed=true&autoplay=false


Muitos números, muitas estatísticas, muitos índices, muitas opiniões, muitos conselhos, muitas políticas, muitas medidas sociais a adoptar.

Foi assim o discurso de Cavaco Silva. Em maior parte dos pontos enunciados pelo Presidente da República sou obrigado a concordar. Tenho pena que o Dr. Aníbal Cavaco Silva não pensasse de acordo com alguns pontos que travou hoje aquando da sua passagem pelo Governo. Principalmente no que toca a “dar voz à juventude” – onde definitivamente o governo de Cavaco Silva ficará manchado na história do nosso país.

No entanto, no âmbito das competências que lhe são atribuídas pela Constituição, pouco poderá fazer para inverter a lógica das políticas que estão a ser aplicadas pelo Governo Socialista.

A não ser que obviamente o demita.

De resto, o discurso do Dr. Cavaco Silva não veio acrescentar nada em relação aquilo que os Portugueses tanto anseiam: melhores condições de vida, mais emprego, melhores salários, uma melhor assistência social por parte das entidades estatais, mais quantidade e qualidade de serviços públicos, um dispositivo de segurança pública interna eficaz e um sistema judicial mais acessível a todos, mais célere, isento e justo.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , ,

11,2%


Portugal atingiu uma máxima histórica no que diz respeito à taxa de desemprego.

11,2% representa mais de 1 milhão de desempregados no nosso país. 1 milhão de pessoas que não tem como se sustentar ou sustentar as famílias a seu encargo. 1 milhão de pessoas que neste momento estão a depender dos apoios sociais do Estado.

E Valter Lemos, secretário de Estado do Emprego revelou-se satisfeito com a estabilização do desemprego no seu país. Satisfeitíssimo, quando relembramos que uma das bandeiras eleitorais de José Sócrates nas eleições legislativas de 2005 era de facto a criação de mais 150 mil postos de trabalho em todo o país. Bandeira eleitoral essa que não só não foi cumprida como (contrariamente) o tempo do mandato de Sócrates veio criar mais taxa de desemprego do que taxa de emprego.

Um secretário de estado de um governo que fica satisfeito pelo facto do desemprego não aumentar em vez de lutar para que mais cidadãos tenham direito a um emprego e que expressa contentamento aquando de um máximo histórico da taxa de desemprego no seu país,  deve obviamente ser demitido imediatamente…


Com as etiquetas , , , , , , , ,

A nossa grande esperança olímpica


Com a paragem na carreira de Vanessa Fernandes no Triatlo e os maus resultados de Nélson Évora no Triplo-Salto, os Portugueses em nada devem temer um novo fracasso nos Jogos Olímpicos de Londres do próximo ano.

O projecto olímpico Português está mais vivo que nunca, depois de se ter descoberto uma grande promessa do Salto à Vara. O Armando.

Aos 54 anos, Armando Vara é um dos melhores saltadores do mundo. Descoberto muito novo numa sucursal bancária da Caixa Geral de Depósitos em Mogadouro (distrito de Bragança) bastou-lhe uma ficha de adesão ao Partido Socialista e uma atitude passiva perante os cambalachos dos outros para rapidamente ocupar a posição de nº2 da Administração Central da Empresa em Lisboa.

Da Caixa ao Parlamento foi um passo. Do Parlamento ao Ministério foi outro. Depois, é caso para dizer que a carreira de Vara foi de vento em poupa até “dar um passo a mais que a perna” com um empresário de nome Manuel Godinho.

Armando Vara é agora um dos melhores saltadores da europa. Arrisca-se mesmo a bater os records do Ucraniano Sergey Bubka. Não é por nada que é considerado por analístas da modalidade como uma das “moscas varejas” mais maravilhosas no que toca a esta modalidade.

Como último record, Vara saltou por cima de alguns idosos num centro de saúde. Espantoso. Os Portugueses devem estar orgulhosos…

Com as etiquetas , , , , , , ,

Absurdo

Como é possível que num país que estrangulado pela crise, tenhamos que assistir à entrada em vigor da nova lei dos Financiamentos Partidários que retira responsabilidade aos actos dos dirigentes partidários ao ponto de transformar coimas a si atribuídas (de sua responsabilidade) como despesa do partido que será ressarcida pelo Estado sob a forma de subvenção?

Como é possível que todos os contribuíntes nacionais tenham que pagar pelos erros e más condutas daqueles que não assumem as suas responsabilidades só porque pertencem ao mundo da política partidária? Porque é que os contribuíntes terão que pagar por multas de trânsito, por faltas injustificadas de deputados na Assembleia da República ou por outras coimas que possam ser atribuídas a políticos pela lei?

Não seria boa ideia continuar a reduzir a despesa pública com um enorme corte no financiamento partidário, a começar pela extinção deste tipo de subvenções? Porque é que não continuam a reduzir a despesa pública com o corte nos subsídios de ajuda que o Estado dá aos deputados, aos Ministros e aos Secretários de Estado?

Começo a dar alguma razão às instituições financeiras comunitárias e ao FMI: ainda existe muito por cortar na despesa pública Portuguesa. Ainda existem muitas medidas por aplicar neste país.

O problema é que as despesas supérfluas que deveriam ser imediatamente cortadas pertencem aos benefícios que os políticos podem obter pelo exercício da profissão e como tal, são regalias cuja extinção ninguém está de acordo.

Com as etiquetas , , , , , ,

Em Almada…

Utentes do Hospital Garcia de Horta esperaram 14 e mais horas por uma consulta médica.

Utentes com graves problemas de saúde (desde um cidadão com um Acidente Vascular Cerebral até outro com problemas no sistema urinário) ficaram horas sem ter qualquer intervenção de especialidade por falta de médicos especialistas no hospital.

O cidadão que entrou com um Acidente Vascular Cerebral está em claro risco de vida, tendo demorado 3 horas a ser atendido a contar do momento em que tinha entrado na unidade hospitalar.

A Direcção Clínica do Hospital atira as desculpas de sempre: admitindo que existe falta de médicos no hospital, não estava à espera de uma enorme afluência de utentes no dia de ontem às urgências do hospital. Argumento básico de quem quer sacudir as culpas do capote.

Se há falta de médicos, porque é que não se contratam mais? Se há falta de médicos, porque é que não se abrem mais vagas nos cursos de Medicina espalhados pelo país? Num país que se considera de mundo civilizado, tomando em conta que os utentes tem os seus impostos em dia e ainda pagam taxas moderadoras para aceder ao Serviço Nacional de Saúde, acham admissível que hajam hospitais neste país que funcionam sempre o mínimo exigível de profissionais e sem um mínimo de eficácia no atendimento?

O Governo quer cortar a despesa. Que corte em todos os sectores menos na saúde. O acesso a um Serviço Público de Saúde de qualidade é um bem essencial dos cidadãos. Indispensável e eficaz.

Com as etiquetas , , , , , , ,

Greve Geral


Se o sistema em que vivemos faz com que este país seja para uns, que esses tomem conta dos país sozinhos!

Por isso, cabe-me obviamente apelar a todos os trabalhadores, estudantes, desempregados e reformados deste país para que amanhã dia 24 de Novembro que faltem aos seus empregos e às aulas e saiam à rua para paralisar todos os sectores deste país, mostrando aos Orgãos de Soberania deste país, que sem mão-de-obra trabalhadora, o país não vai a lado nenhum! A força está do lado de quem trabalha! A força está do lado do futuro deste país!

Sem os trabalhadores, não existe lucro, não existe luxo para os grandes magnatas do capitalismo nem receitas para um Governo que está a castigar excessivamente um povo.

Vamos sair todos à rua em todas as cidades do país, contra os sucessivos PEC, contra os sucessivos pacotes de medidas de austeridade, contra a asfixia no poder de compra dos cidadaos, contra a fome, contra a exclusão social, contra a vida marginal que este governo faz sentir a partir das suas medidas.

Vistas as coisas, esta merda de governos do Bloco Central não dão uma vida condigna à força de trabalho que faz evoluir a economia. Esta merda de governos do Bloco Central não oferecem um futuro aos jovens que estão a gastar fortunas no Ensino Superior para oferecer uma melhor especialização técnica aos diversos sectores, ajudando assim para que este país avance no retrocesso em que está mergulhado. Por isso, vamos para a rua, temos que nos revoltar contra o actual ponto de situação, temos de nos revoltar contra a miséria que estes governos nos tem votado.

Vamos sair à rua e mostrar que o povo está mais unido que nunca! É o apelo que vos deixo.

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Manifestação em Lisboa, 17 de Novembro de 2010 – Vídeos

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/volP83zY4lYqgzH29HzN/mov/1

Fonte: SICSAPO Vídeos

À chegada a Lisboa, os estudantes de todo o país recebem a visita de Manuel Alegre, acompanhado pelo antigo presidente da Associação de Coimbra André Oliveira. Alegre continua firme em apoiar todas as acções levadas a cabo pela “sua Academia”.

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/HNz2bH6F4zoovRTTqHoZ/mov/1

Fonte: SICSapo Vídeos

À saída de Coimbra, Miguel Portugal relembra o mote da manifestação.

http://tv2.rtp.pt/noticias/player.swf?image=http://img0.rtp.pt/icm/noticias/images/18/188f8248915422e5a78cef90d3519fc7_N.jpg&streamer=rtmp://video2.rtp.pt/flv/RTPFiles&file=/informacao/manifestudantes_68622.flv

Reportagem da RTP sobre a manifestação.

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

O futuro dos videojogos em Portugal

O melhor videojogo alguma vez inventado neste país: “Deixem cair o Socrates”. Aqui


Créditos: João Jorge

Com as etiquetas , , ,

Orçamento de Estado

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/w5OitU4zrQzAhP9p3VDp/mov/1

Com os indicativos que pretende passar ao povo para o próximo ano, não tenha dúvidas Sr. Ministro: a coisa vai ser chumbada.

Prepare-se então para receber os seus amigos do FMI!

Pior que isso será a crise política que se irá instalar nos destinos da governação deste país… Essa já a alertei publicamente aqui.

Com as etiquetas , , , , , , ,

A Acção Social não existe em Portugal!

Os estudantes da Academia do Porto tiveram tomates e irromperam no auditório onde decorria a abertura solene das aulas da Universidade do Porto que tinha a presença do Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Mariano Gago e o primeiro ministro José Socrates para entregar ao Sr. Ministro uma medalha de chouriço pelo facto deste país ser o 3º país “mais caro” ao nível do ensino superior entre os 27 estados-membros da União Europeia.

No seu discurso, Mariano Gago defendeu que a propina actualmente está de acordo com os rendimentos que são auferidos pela autoridade paternal assim como a propina anual de 6 euros estava de acordo com os rendimentos auferidos em 1942! Digamos que é um argumento bizarro, visto que quem tinha 1200 escudos em 1942 era literalmente uma pessoa abastada!

O que eu pergunto ao Sr. Ministro da Educação é o seguinte: não estará o Sr. a fazer as contas tendo em conta o seu chorudo ordenado? É que parece que não, mas 1000 euros por ano significa um esforço de retenção de capital de um mês por parte de algumas famílias neste país!

Façamos recuar o tempo. Há uns meses atrás, eu vi com os meus próprios olhos no Canal Parlamento, o Sr. Primeiro Ministro num debate quinzenal dedicado ao estado actual do Ensino Superior em Portugal, defender-se do massacre que levou dos partidos de esquerda e do CDSPP. Os 3 partidos da oposição questionaram na data (entre outros assuntos) a razão pela qual as instituições bolseiras do ensino superior não estavam a pagar a tempo e horas as referidas bolsas aos alunos bolseiros cuja atribuição já tinha sido despachada no início do ano. Socrates, na altura interveio, dizendo que a culpa não era do Ministério, pois o Ministério tinha canalizado o dinheiro a tempo e horas, sacudindo portanto a “água do capote” para as referidas instituições bolseiras das Universidades e Politecnicos. Em resposta a Francisco Louça do Bloco de Esquerda, o nosso grandioso mestre da mentira, prometeu que o novo decreto-lei de Julho sobre a Nova Regulamentação para as Bolsas de estudo do Ensino Superior, não só acabariam com as falhas de pagamentos como também haveria de prometer ligeiros aumentos nas bolsas de estudo dos alunos do Ensino Superior.

Sr. Primeiro Ministro, sempre me ensinaram desde miúdo que a mentira tem pernas curtas. O que se passa actualmente é que o referido Regulamento não só alterou as formas de cálculo das Bolsas de forma drástica e injusta como é favorável para que milhares de alunos carenciados percam as suas bolsas e outros milhares vejam o valor das suas bolsas reduzidas em 20, 30 ou até 50% em relação ao valor que era pago no ano lectivo 20092010. Ou seja, o que em Março parecia uma coisa, rapidamente tornou-se noutra sendo que os estudantes do ensino superior regrediram na idade e agora assemelham-se a crianças cuja maldade dos adultos leva a que num primeiro instante se lhes dê um rebuçado para o retirar mais tarde. É algo gravíssimo, Srs. Primeiro Ministro e Ministro do Ensino Superior! Isto sim, é estar a praticar um autêntico atentado ao Estado Social. É estar a incentivar a que o Ensino Superior se torne definitivamente um serviço público elitista, estar a incentivar que muitos jovens não tenham possibilidades para frequentar o Ensino Superior.

É portanto preciso denunciar as situações que estão a ocorrer nos serviços de bolsas deste país. Pior que a crueldade de limitar ainda mais os orçamentos de jovens (que são a rampa de lançamento para que Portugal no futuro tenha uma maior qualificação técnica capaz de criar mais riqueza para o nosso país e assim abater o “gap” que temos em relação às grandes potências europeias) é a crueldade com que o nosso Primeiro-Ministro assemelha todos os futuros licenciados, mestres e doutores deste país a números económicos. Não estamos a ser tratados como os cérebros neste país, mas sim como um número financeiro presente e futuro em que os vectores pura e simplesmente indicam que quem der riqueza no futuro será bem vindo e quem der demasiada despesa no presente deve ser cortado para que as contas públicas não sofram aumentos.

Eu estou-me completamente a cagar se o défice público aumenta ou diminui. Se aumenta, a culpa é vossa. Não temos que pagar na pele os vossos erros. Não trabalho em Bruxelas e sei que no futuro terei que pagar a vida toda para que se paguem os erros de quem governa este país desde o 25 de Abril de 74. Eu e a minha geração pura e simplesmente queremos aquilo que nos é consagrado de direito pela lei fundamental deste país. Para que um dia, na pele de contribuintes, possamos dar aquilo que é de Direito às futuras gerações que ciclicamente nos irão pagar a reforma e dar de aquilo que é de direito às gerações que se seguem.

E agora Sr. Ministro? Venha aqui ler se faz favor. Processe-me por difamação se assim quiser. A sua promessa, desta vez é um facto. Está documentada e é uma prova da sua vergonha enquanto governante deste país. Portanto, apenas nos dê o que é um direito nosso e construa definitivamente o seu estado social em vez de navegar com o liricismo neoliberal do PSD!

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , ,