Tag Archives: Festa das Latas e Imposição de Insígnias

parabéns

ao João Seixas, restante administração e restante Direcção-Geral, pelo excelente trabalho desenvolvido na criação de mais uma das Festa das Latas e Imposição de Insígnias. Apesar de considerar que esta Latada teve altos e baixos (dias onde o recinto teve uma adesão a desejar e outros onde superou as minhas próprias espectativas), a organização conseguiu estruturar o melhor recinto que alguma vez vi numa Festa das Latas (a tenda principal era gigante e acolhedora e o recinto apresentou-se de forma arejada e com boa circulação) e conseguiu fazer muito com pouco (esta Latada teve um orçamento inferior em cerca de 150 mil euros à Latada de 2011).

No trato com as secções culturais, no que a mim me diz respeito, também não tenho razões de queixa.

Parabéns malta!

Com as etiquetas , , , , ,

e os grupos da casa?

Não existem. Provavelmente não dão lucro a uma noite de latada. Chegamos a uma era na Associação Académica de Coimbra em que se vive para o lucro. Para pagar actos de má-gestão do passado e do presente. É triste constatar que os meninos andam a arriscar o futuro da instituição com a contratação de bandas de 100 mil euros quando uma de 20 mil chegava perfeitamente. Há tantas soluções boas e baratas entre bandas nacionais, mas o novo riquismo (em casa pobre) parece ser a nota dominante. Vindo de gente que sempre se habituou ao luxo não se pode esperar mais do que luxo. Ainda por cima, gerem o dinheiro que não é deles. Se fosse deles, talvez pensassem numa redução de custos.

Com as etiquetas , , ,

vai ser uma latada em cheio

Melhor nome de sempre de uma latada! Adoro! Fantástico, mesmo! Parabéns à Direcção-Geral por, pela 1ª vez revelar algum olho para o negócio do espectáculo! Estão mesmo de parabéns!

Com as etiquetas , , , , ,

Comunicado dos colaboradores da Tesouraria da Festa das Latas

Caros editores,

Nós, os colabores da Tesouraria da Festa das Latas, vimos, à luz da recente polémica levanta com a demissão do tesoureiro da Associação Académica de Coimbra e do, recentemente publicado, comunicado da Direcção Geral, prestar alguns esclarecimentos que consideramos necessários para clarificar certas situações.

Começamos por declarar que não podemos compreender os elogios e agradecimentos que a Direcção Geral nos endereçou ontem, ao mesmo tempo que insultava abundantemente o Tesoureiro da Festa das Latas, acusando-o de irresponsabilidade enquanto nos iliba de qualquer culpa no cartório. Ora, tendo em conta que a tesouraria da Festa das Latas funcionou enquanto equipa, é no mínimo incoerente a existência desta distinção. Só podemos, por isso, fazer a leitura de que a Direcção Geral nos tentou agraciar, para que não tenhamos necessidade de intervir publicamente e de trazer a público os conhecimentos que temos sobre esta situação. No entanto, os elogios e os garantes da nossa inocência, que aliás atestam a credibilidade da tesouraria, não nos podem impedir de repor a verdade, apenas porque não somos parte interessada na discussão.

Uma das questões levantadas no comunicado da Direcção Geral foi a enorme falha do tesoureiro Miguel Andrade, que teria alegadamente permitido que a tesouraria da Festa das Latas ficasse de porta aberta, sem vigilância, até às 10 da manhã. Os três colaboradores que fecharam a tesouraria nessa noite, querem esclarecer que o administrador da Direcção-Geral foi inteirado da situação por volta das 6 da manhã e foi-lhe questionado se seria necessária a chamada ao local do tesoureiro, que se havia disponibilizado a regressar para possibilitar o fecho da tesouraria e que apenas se havia ausentado, exausto, para repousar um pouco. O administrador da Direcção Geral, afirmou que tal não seria necessário, visto que iria informar a segurança do recinto para que se procedesse a um reforço de segurança, naquela zona, durante o resto da noite. Alertámos ainda para o facto de todo o fundo de maneio e bilhetes se encontrarem guardados no cofre, mas a resposta continuou a ser no sentido de a situação se encontrar perfeitamente controlada.

Acrescentamos ainda que, no dia em questão, não foi efectuado qualquer depósito junto da empresa de transporte de valores contratada para o efeito, uma vez que se considerou que a quantia concentrada nesse dia não justificaria esse mesmo depósito. Todos os restantes depósitos foram efectuados pelo tesoureiro da Associação Académica de Coimbra, Miguel Andrade, com a companhia de um ou mais colaboradores. Desmentimos por isso a acusação feita no comunicado da Direcção Geral, e esperamos que tal possa ser comprovado.

Quanto ao alegado “ambiente de brincadeira e irresponsabilidade” que o Presidente e o Administrador da Direcção Geral afirmaram encontrar na tesouraria, queremos também dar a conhecer a nossa posição. Embora exista uma excelente relação e à vontade entre todos os colabores da tesouraria (que pode ocasionalmente levar a uma ou outra brincadeira), tal nunca pôs em causa o nosso sentido de responsabilidade e de dever. Jamais descurámos as nossas funções e sempre as realizámos de forma extremamente profissional, pelo que não admitimos que ninguém questione o nosso empenho, dedicação, e acima de tudo, seriedade.

Quanto à questão das credenciais, os membros da tesouraria presentes desconhecem quem ordenou a acção e se terá sido uma imposição da segurança. No entanto não considerávamos, na altura, que o trabalho estivesse completo da forma que pretendíamos. Além disso, e ainda mais gravoso, essa acção, antes do fim da actividade do recinto, retirou-nos a exclusividade de acesso ao cofre, visto que fomos obrigados a entregar a chave, e poderá também ter dado acesso à tesouraria a elementos sem autorização para tal, uma vez que as credenciais deixaram de se encontrar em nossa posse.

Queremos terminar, afirmando que nos encontramos de consciência tranquila quanto ao trabalho que realizámos e do qual estamos orgulhosos. Gostávamos ainda de referir que foi uma enorme honra sermos coordenados pelo Tesoureiro da Associação Académica de Coimbra, Miguel Andrade, a quem reconhecemos extrema competência nas funções que desempenhou na passada edição da Festa das Latas de quem guardamos a imagem de um dos dirigentes associativos mais sérios, mais honestos e com mais carácter com que privámos ao longo dos tempos.

Os colaboradores:
Sofia Costa,
Carlos Silva,
Ana Jegundo,
Gustavo Bonifácio,
Armando Capela,
Francisco Mouraz,
André Oliveira,
Diogo Marques,
Melissa Claro,
Sónia Gonçalves

Com as etiquetas , , , , ,

Operação “Apanha Latas” – Desperta a Academia

Ontem, em pleno cortejo da Festa das Latas e Imposição de Insignas, um grupo de jovens da candidatura à AAC designada com o epíteto de “Desperta a Academia” despertou para uma acção efectiva de limpeza do lixo provocado pelo referido corso.

Numa acção ímpar na história da Academia, à qual louvo desde já, aqui ficam as imagens e a nota informativa prestada pela assessoria de imprensa da referida lista.

Como podem constatar pela imagem, cerca de 25 estudantes, abdicaram de um momento de farra para ajudar os trabalhadores da ERSUC na recolha de lixo provocado pelo corso festivaleiro.

Enquanto os membros da outra lista estavam numa “on-da” de folia, distribuição de autocolantes inúteis e cacique barato, André Costa, como grande lider que é, negou-se a festejos, sujou os jeans e  pôs as mãos à obra, dando o exemplo daquilo que pretende para a AAC: a maior força aglutinadora de causas da cidade e dos estudantes.

Para finalizar, a nota informativa disponibilizada pelo colectivo com o balanço final da operação realizada:

nota Informativa
Iniciativa “Operação Apanha Latas”
do Projecto “Desperta A Academia”

Coimbra, 1 de Novembro de 2011
Caro Editor(a)
Venho por este meio transmitir-vos o nosso balanço final da iniciativa “Operação Apanha Latas” realizada hoje, dia 1 de Novembro, após o Cortejo da Festa das Latas, pelo percurso realizado pelos caloiros.
Esta iniciativa, que contou com a participação de 25 elementos do Projecto, teve por base a nossa convicção de que, enquanto estudantes, temos a responsabilidade de ajudar a cidade com o esforço de limpeza que impomos com a realização dos eventos das nossas Festas Académicas. Acreditamos que deve partir da Direcção Geral da Associação Académica de Coimbra, à qual nos candidatamos, o esforço de inspirar os estudantes a despertar para o civismo e para as questões ambientais, por forma a credibilizar a imagem do “estudante de Coimbra”, objectivo que conseguimos cumprir parcialmente despertando a curiosidade de alguns participantes do cortejo. A iniciativa consistiu na recolha do lixo acumulado na rua após a passagem dos caloiros, sendo depois distribuído por sacos do lixo consoante a sua categoria de reciclagem. Após terem sido esgotados todos os sacos do lixo que tínhamos à disposição (cerca de 120), continuámos o nosso trajecto colaborando com a ERSUC (que agradeceu a nossa ajuda com que confessaram nunca contar) nas suas tarefas.
O nosso balanço final é extremamente positivo, tanto pelo resultado material de tornar as nossas ruas mais limpas, como pelo sentimento gratificante que ficou em todos os participantes na iniciativa.
Tratando-se de uma matéria que, pelo seu carácter cívico e interesse público, agradecíamos imenso que lhe proporcionassem a devida divulgação.
Encontro-me à vossa inteira disposição para qualquer esclarecimento.

Grato pela Atenção,
Com os melhores cumprimentos,
João Andrade de Oliveiros
Assessor de Imprensa do projecto “Desperta a Academia”
912798584
Andrade_deoliveiros@live.com.pt

É por este tipo de intervenções que declaro aqui, para que todo o mundo leia, que estou com o meu amigo André Costa e com o seu projecto. De alma e coração, André conta comigo! Vamos mudar o rumo da AAC!

Com as etiquetas , , , , , , , ,