Tag Archives: Estádio Municipal de Aveiro

vamos encher o Municipal de Aveiro

bEIRA 3

Jogo decisivo de tudo ou nada contra o Olhanense pela manutenção. Sábado às 16 horas. Caso o Beira-Mar vença, pode sair subir acima da linha-de-água. É importantíssimo o apoio de todos os aveirenses nesta partida. Vamos encher o Estádio Municipal de Aveiro. No domingo passado contra o Nacional estiveram 4 mil pessoas dentro do estádio. Por isso, vamos ser mais desta vez e vamos ajudar os nossos rapazes a obter 3 pontos fulcrais nesta nossa batalha pela 1ª liga.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , ,

Beira-Mar 2-2 Nacional da Madeira

Mês e meio depois de ter visto o Beira pela última vez no estádio, voltei ao EMA. Voltei por descargo de consciência. Nos bons e nos maus momentos temos de ser adeptos do nosso clube.

Uma primeira nota para o público. Não sei se foi minha impressão mas teve mais público no estádio que o habitual. Bom sinal para o clube em tempos de crise económica e desportiva. Também não sei se foi impressão mas vi um publico Aveirense mais entusiasta que o habitual. Famílias inteiras a ir à bola, todos de amarelos, todos com cachecóis do clube, alguns deles que sobressaíam claramente o cheiro a mofo e naftalina. De uma vez por todas, a direcção e a SAD (também consigo dizer bem de alguns aspectos trabalhos por esta SAD) estão a conseguir cativar mais gente ao estádio, fruto dos bilhetes a 5 euros para 2 acompanhantes por sócio. Se colocassem o bilhete para não sócio a 5 euros talvez teriam mais 500 ou 1000 pessoas. Disso estou certo.

Se o público afluiu em peso para ver se puxava pelos da casa, mal entrei no estádio tive ali um pique em que me julguei novamente no Mário Duarte. O bairrismo beiramarista, os cânticos da claque, os bruás do público a cada lance na área do nacional e as habituais picardias na linha lateral ao fiscal de linha fizeram-me lembrar outros tempos. Costinha pediu que os adeptos escondessem os cachecóis dos grandes e os aveirenses bem que lhe fizeram a vontade. Penso que só não fica bem ao treinador do Beira-Mar salutar a permanência do clube na liga para que os borlas (é como a malta dos UAN lhes chama) venham apenas visitar o clube quando este joga em casa com o respectivo grande. Penso que é errado proferir tais afirmações quando um dos problemas com que o clube se debate desde 2003 é precisamente a fraca mobilização e a fraca capacidade de realizar novos sócios. Tenho como certo quem é de Aveiro, indiferentemente das preferências por um grande, como eu as tenho, tem que ser em primeiro lugar do grande da cidade: o Sport Clube Beira-Mar. Os primeiros da partida minutos fizeram-me lembrar aquele inferno do Mário Duarte. Fizeram-me lembrar aquele pequeno rectângulo de jogo plantado entre o campus da Universidade de Aveiro, o Bairro Santiago e o Hospital Infante D. Pedro V onde, pequeno, furava os torniquetes só para ver actuar o Dinis. Se bem que ver actuar o Dinis implicava para as equipas adversárias um montão de contusões e pernas partidas. Mas, de facto, eram outros tempos. Ali, no Mário Duarte, respirava-se Beira-Mar da cabeça aos pés. As peixeiras insultavam bem alto os árbitros, os super dragões só se podiam portar bem ou então levavam na fuça e ainda existiam os comandos duros, a antiga claque do Beira-Mar. Eram mesmo duros. Histórias são mais que muitas no meu imaginário infantil. Lembro-me de uma vez estar a ver o Sporting. Não escondo que também sou sportinguista. Lembro-me do Emmanuel Amunike ter feito uma jogada de mestre para golo e de ter ido acirrar os comandos duros. O resultado foi uma calhoada em cheio que deixou o nigeraniano estatelado no chão durante largos minutos. Saudades.

Segunda nota: a arbitragem. Não serve para desculpar a ingenuidade da defesa do beira-mar nos lances dos dois golos do Nacional. Depois de Majid e seus pares terem lançado um comunicado a meio da semana a exigir à liga que a verdade desportiva prevaleça depois do roubo de catedral da última semana em Paços de Ferreira e de no dia seguinte se terem dirigido à Liga para pedir explicações ao seu director-executivo Mário Figueiredo e de terem solicitado uma reunião com o chefe do conselho de arbitragem Vitor Pereira, a própria liga escarrou (desculpem os mais sensíveis) na cabeça da SAD ao nomear para este jogo um árbitro que ascendeu a meio da época à 1ª categoria (Luis Ferreira; era o seu 2º jogo na 1ª categoria) e que ainda por cima era natural de Barcelos. Ou seja, se para mim já me causa confusão, quando está a permanência de um clube em risco, quando esse clube é sistematicamente prejudicado durante toda uma época e quando está o futuro de muitas famílias em jogo como é o caso das famílias dos mais de 100 empregados do Sport Clube Beira-Mar nomear um inexperiente árbitro para um jogo que se pode considerar decisivo para a equipa aveirense, mais me confusão me estranha que depois de uma semana em que os elementos da SAD do Beira-Mar fizeram barulho junto da liga como se lhes exigia (ao contrário dos elementos da direcção do clube que se mantêm calados que nem ratos no fundo dos seus cadeirões na sede social do clube à espera que o clube seja despromovido) a própria liga ainda tenha o descaramento de nomear um árbitro de Barcelos (AF Braga) sabendo que dois dos rivais directos do Beira-Mar na luta pela manutenção são precisamente duas equipas do distrito de Braga: Moreirense e Gil Vicente, a última, a precisamente de Barcelos.

Luis Ferreira acaba por ter o dedo no resultado. Se a expulsão já na 2ª parte do jogador nacional foi justíssima e mais que merecida (Moreno fartou-se de dar pau na primeira parte, não se calava junto do árbitro e no lance em questão fez uma entrada muita feita sobre Serginho) Luis Ferreira e os seus assistentes deixaram passar muitos lances onde havia fora-de-jogo nítido por parte dos jogadores do Nacional, deixaram passar uma obstrução clara à minha frente sobre Camará quando o resultado estava em 1-1 (o fiscal de linha do lado da superior não se sabia posicionar na linha do último defensor, logo via os lances de um ângulo inconclusivo) e o 1º golo do Nacional procede de uma falta clara a meio campo sobre Nildo, que, depois de meter o meio campo do Nacional no pacote com um tremendo slalom é completamente ceifado por um dos laterais do Nacional.

Terceira Nota – O Rendimento dos jogadores do Beira-Mar – Tudo bem feito excepto dois ou três pormenores.

O primeiro, os erros defensivos. Há 1 ano que o Beira-Mar não acaba uma partida sem sofrer golos. É coisa que não consigo perceber, muito menos lances como o 2º golo do Nacional. Com 2 duplas de centrais do melhor que existe na Liga (Jaime, Bura, Tonel, Hugo) todos eles fortes no jogo de cabeça (como é o caso do Bura e do Jaime, os que alinharam na partida de hoje) não faz sentido sofrer golos em lances de bolas paradas como hoje se veio a verificar. Se no primeiro golo do Nacional, existe o tal lance em que o Nildo sofre uma valente sarrafada por parte de um jogador do Nacional à qual Luis Ferreira passou vista grossa, nos dois golos do Nacional existem duas clamorosas falhas de marcação dos centrais.

Segundo, a falta de uma referência de área. Yazalde e Camará tem o mérito de serem jogadores dotados de alguns pormenores técnicos de classe mas são jogadores que não se constituem como referências de área visto que o seu jogo predomina nas linhas. Não são verdadeiros pontas-de-lança. Quanto mais são avançados ao estilo nº9 ou extremos. Recebendo jogo dos laterais ou da malta do meio campo nas alas acabam quase sempre a centrar para a cabeça dos centrais da equipa contrária sem que ninguém do Beira lá esteja para finalizar.

Terceiro, a apatia com que alguns jogadores do Beira-Mar jogam e a apatia do seu treinador. Rui Sampaio é o expoente máximo dessa apatia. Parado, paradinho e sem qualquer criatividade a sair daqueles pés maravilhosos. Desrotinado e a a anos-luz da época da subida de divisão. Os ares de Cagliari fizeram-lhe mal. No banco, Costinha tarda em mexer na equipa. O que por um lado até é compreensível pois as alternativas viáveis no plantel escasseiam. No entanto, com 13 minutos pela frente não soube colocar logo Balboa em campo e Balboa era o único capaz de fazer a diferença naquele banco. Balboa entra aos 88″ quando pouco havia a fazer.

De resto, exibição agradável do Beira-Mar. A começar em Nildo. É o patrão desta equipa em todos os sentidos. Só é pena que não consiga ser um jogador consistente a este nível durante toda época. Nildo manda no jogo aveirense. É uma formiguinha a correr atrás dos adversários no miolo quando a equipa defende. Quando a equipa tem em bola, em conjunto com Serginho (hoje entrou na 2ª parte; tem que ser titular visto que é um jogador que incute maior velocidade e arte ao jogo aveirense) são os únicos que conseguem dar um toque fantasioso ao futebol do Beira-Mar. Grande exibição para o capitão Pedro Moreira. Fez praticamente o flanco todo com a raça que se lhe conhece. Do outro lado, Hélder Lopes também não destoou.

Quarta Nota: os episódios lamentáveis do jogo de Paços de Ferreira. Alguns elementos da claque que foram a Paços de Ferreira descreveram o cenário vergonhoso que a equipa da capital do movel oferece às equipas visitantes. Desde intimidação directa a jogadores, insultos e escarradelas na entrada e saída dos balneários. Um estádio sem segurança para uma equipa que se vale desse facto para obter resultados desportivos. Agora com as novas regras do policiamento em recintos desportivos, em Paços de Ferreira e em outros campos deste país, sem polícia no terreno de jogo, vale tudo.

Quinta Nota: Com a vitória do Moreirense começo a ver as alminhas a rezarem pela intervenção divina do São Gonçalinho. Entre o 12º (Vitória de Setúbal) e o último (Beira-Mar) estão 4 pontos de diferença, sendo que 2 são os pontos que separam o Beira-Mar do Gil Vicente. O calendário do Beira-Mar não se avizinha fácil até ao final da temporada. Olhanense em casa na próxima semana num jogo de mata-mata entre aflitos onde a vitória é fulcral, Vitória de Guimarães fora naquele ambiente difícil com os vimaranenses a lutar pela europa, Gil Vicente em casa noutro jogo de aflitos que o Beira tem obrigatoriamente que vencer, Rio Ave fora com os vilacondenses também a lutar pela europa, Marítimo em casa com os madeirenses a lutar pela europa, Estoril fora com os estorilistas a jogar possivelmente o tudo ou nada pelo último lugar europeu e Sporting em casa na última partida do campeonato com a turma leonina também capaz de ter que vencer em Aveiro para ir à Europa. Ou seja, resumindo e concluíndo com dois jogos contra adversários directos onde os 6 pontos são o objectivo principal e mais 5 jogos para conseguir mais 5 pontos no mínimo visto que os 26 pontos que usualmente garantem matematicamente a manutenção não vão chegar este ano. Contudo, estou confiante que a rapaziada vai dar a volta por cima.

sexta e última nota: é a primeira vez em meses que escrevo um post sem bater no Majid. o seu a seu tempo.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Seja solidário

beira solidario

E no campo, a vitória em Barcelos contra o Gil Vicente é um balão de oxigénio. Sobe o Beira-Mar do último lugar para o 13º e atira provisoriamente a Académica para debaixo da linha-de-água.

Com as etiquetas , , , , , , , , ,

assim é para descer

o beira-mar dá um banho de bola no guimarães, domina o jogo por completo, cria meia dúzia de oportunidades de golo, sendo que algumas delas foram de 4×3 e 3×2, consegue falhar perdidas inacreditáveis como foram as de Rafael Batatinha (isolado) na 1ª parte e Serginho na 2ª (tudo bem feito e depois faz-me um passe daquelas para o guarda-redes) e sofre-me 2 golos que são absolutamente inenarráveis: o primeiro, um frango nada habitual no Rui Rego e o segundo, no último minuto, com a defesa a ver passar a banda convencida que já tinha os 3 pontos na mão.

o que eu vejo e o que o meu amigo Pedro Nuno também vê é um clube que não consegue ganhar com regularidade fora (em 5 jogos apenas foi buscar 3 pontos à Choupana) e que em casa desperdiça ocasiões perfeitas para sair do lugar em que está. e vemos a concorrência a sacar pontos em casa dos grandes. assim não vamos ficar.

nota final: foi a primeira vez que vi o Batatinha jogar. para quem veio da 3ª divisão, digamos que o homem habilidoso é. rápido nem por isso.

Com as etiquetas , , , , , , ,

porque o beira-mar e o porto

fazem com que haja uma história pessoal engraçada.

há um surdo mudo em Águeda que costuma frequentar o café onde me encontro com a malta. num certo dia, o porto jogava em aveiro e o dito, sabendo que sou sportinguista e beiramarista, entrou no café e viu-me com um cachecol do beira aos ombros, prontinho para ir ver a partida. o homem tem aquela mania portista de exibir o casaco oficial do clube e num dos braços tem tatuado um enorme dragão. naquele dia deu para embirrar comigo e começou a fazer-me sinal com o polegar para baixo. eu respondi-lhe com um 5 de mão indicando-lhe o número de golos que o porto ia apanhar no jogo. ele ficou a fitar-me durante minutos. chegado ao estádio horas mais tarde, não é que tenho o azar do homem chegar ao mesmo tempo que eu. já exibia o seu cachecol do porto à entrada dos torniquetes. fiz-lhe um sinal de que o porto iria ser “enrabado” em aveiro ao qual ele respondeu com um pirete. e lá entramos, cada um para o seu sector. o porto ganha com um penalty muito duvidoso num lance entre o Hulk e o Hugo. e o homem lá entra no café no dia seguinte com um ar triunfante de braços no ar apontados a mim. faço-lhe o sinal de roubo. e ele, no maior do fairplay (coisa que acho bonita no futebol) aplaude e por mimica assinala que tenho razão. ficamos amigos. não consigo compreender metade do que ele tenta dizer pelos seus lábios mas o aperto de mão sempre que entro no café vale pelo respeito.

Com as etiquetas , , , , , ,

pesadelo

Tudo apontava para uma noite de gala. O nosso pior inimigo era completamente esmagado em Aveiro. Duelo de claques na mesma bancada, na noite em que a SAD Beiramarista (com o proprietário na bancada) decidiu fechar os topos do estádio, retirando o lugar habitual da sua claque. Tudo indicava o melhor. Aos 7″ João Real castigava um Nildo esforçado com uma entrada por trás e o Beira inaugurava de penalty por Balboa. O 2º estava mais próximo que o primeiro dos coimbrinhas. Marinho era a única sombra que pontuava do lado de lá ao bonito futebol dos aveirenses. Abel Camara haveria de chutar de longe e ser feliz. Golo de carreira so far, golo para mostrar seguramente numa retrospectiva da época quando esta terminar. Intervalo. Balboa abre a 2ª parte com uma bola na barra que merecia ser muito mais do que uma bola na barra. O Beira-Mar jogava um futebol rectilineo, bastante flanqueado, os laterais subiam com confiança no terreno. Na defesa, Sasso e Hugo permitiam poucas veleidades a homens como Cissé ou Afonso. 3-0. Era o fim, pensava. Não poderia pedir melhor aos 56″. Eram os tais 5 que pedia para o arranque da época.

E tudo mudou em 12 minutos. Inacreditável. Infantilidade. Como é Ulisses?

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Finalmente, a manutenção…

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/SO44GULZBEEWjrm2GyUv/mov/1


Uns dizem que sim, outros dizem que não. Eu não tenho dúvidas: o Beira-Mar garantiu hoje a manutenção. Pouco vi do jogo, mas pelo que vi, vi um Beira-Mar a jogar um futebol bastante agradável.

Agora, é pensar jogo a jogo no que falta jogar esta época. Faltam 7 jornadas. Esta equipa, pelo trabalho que desenvolveu ao longo da época merece mais. Jogo a jogo,  um lugar nos 7 primeiros da tabela pode ser alcançado. Repito, pelo que os jogadores do Beira fizeram esta época, merecem um desses lugares.

Com as etiquetas , , , , , ,

Beira-Mar vs Paços de Ferreira


Hoje, pelas 20 e 15, o Beira-Mar recebe no Estádio Municipal de Aveiro o Paços de Ferreira em jogo a contar para a 23ª Jornada da Liga ZonSagres.

Após os percalços das últimas jornadas, os aveireirenses estão com os olhos postos na vitória frente a um Paços de Ferreira que está em 4º lugar do campeonato, resultado de uma 2ª volta estonteante. São 8 os pontos que separam as duas equipas.

Na antevisão da partida, o treinador Rui Bento pediu uma “atitude guerreira” à equipa.

Com as etiquetas , , , , , , , ,

Beira-Mar 0-1 Portimonense

A exibição do Beira-Mar ontem no Estádio Municipal de Aveiro frente ao Portimonense é o reflexo da intranquilidade que se viveu no clube nesta semana que passou.

A equipa do Beira-Mar entrou em campo frente a um Portimonense que aliado ao último lugar da Liga, não vencia desde o dia 26 de Setembro, ou seja, desde o jogo contra o Beira-Mar em Portimão. Para aqueles que se deliciam com pormenores estatísticos, esta vitória do Portimonense marcou a primeira vitória de Carlos Azelha na Liga enquanto treinador principal.

Com esta derrota, o Beira-Mar está a colocar-se a jeito. Se Leonardo Jardim frisou na conferência de imprensa posterior ao jogo que o Beira-Mar ainda goza de alguma tranquilidade em relação aos clubes que estão a baixo da linha de água, caso a Naval vença hoje, coloca-se a 8 pontos da nossa equipa.

Pior que esse facto é mesmo o facto do Beira-Mar estar precisamente há 3 jogos na possibilidade de efectuar os 27 pontos que lhe garantam “virtualmente” a manutenção na Liga e não aproveitar os jogos teoricamente “do nosso campeonato” para efectivar essa marca. Quem não mata, morre.

Ontem, frente ao Portimonense, vi um Beira-Mar a entrar em campo demasiado relaxado. Como se já tivesse o seu campeonato feito e não houvesse qualquer ambição em querer subir na tabela classificativa. Faço meus os comentários que ouvi na Rádio Terranova – o Beira-Mar parece a esta altura da época uma equipa desorganizada, incerta e dotada de uma direcção que parece estar a “desmontar a tenda” com base numa ilusão que a época está terminada ao nível de objectivos. Falsa ilusão.

O Beira-Mar executou uma péssima primeira parte. A pior primeira parte da época. Juro, que a primeira parte da equipa não parecia vir de uma equipa que nos encantou na 1ª volta do campeonato. Na 2ª parte, o Portimonense marcou (no único lance em que Rui Rego teve efectivamente culpas) e a equipa passou de uma situação de “descontracção” para uma situação de “nervosismo imanente” e “descontrolo emocional” – nervosismo esse que redundaria por exemplo no enorme falhanço de Wang Gang na linha de golo, um dos maiores falhanços que vi esta época senão o maior.

Esse desconcerto é obviamente marcado por alguns factores que aconteceram durante esta semana:

– O primeiro, obviamente, foi a venda de Ronny a uma equipa Chinesa.

Neste primeiro ponto, revelo como oportuno um comentário que fiz aqui no Bancada Norte a meio da semana. Parafraseio-me no intuito de revelar a minha opinião sobre este negócio: ” Creio que as informações que foram prestadas pela direcção em relação à transferência do Ronny (pagamento de uma compensação financeira cujos boatos apontam ao pagamento de uma quantia a rondar os 100 mil euros) são um tremendo barrete. Não estou a ver qualquer equipa da China, do Bangladesh ou do Djibuti a dar compensações financeiras por um jogador que terminava contrato em 4 meses a mais do que aquilo que ele iria receber até ao final do contrato.

É preciso tirar a limpo essa história.

Sem falar que desportivamente foi mais um mau passo dado pela direcção. Denota falta de ambição para o que resta desta época e para a próxima. Se com a saída do Rui Varela, Ronny (até à aquisição de Dudu) era o único ponta de lança do plantel e a direcção do Beira-Mar “viu-se negra” para contratar outro, até ao final da época resta um avançado que vem claramente desrotinado do Brasil tanto ao nível de forma como ao nível de encadeamento com os processos de jogo da equipa. Tenho lido por aí pessoas a dizer que o Wilson, o Wang e o Élio podem colmatar a saída. Nem pensar. São extremos, não avançados.”

– O 2º ponto que corrobora o desconcerto que se vive actualmente no clube prende-se obviamente com o futuro do treinador Leonardo Jardim.

Anteontem, surgiu uma notícia que o treinador está a caminho de Braga com um acordo formal estabelecido com o FC Porto. Pessoalmente, não creio que Leonardo Jardim embarque neste tipo de esquemas, que de imediato foi considerado como uma “imbecilidade” por Pinto da Costa; no entanto, nada me espanta que hoje Leonardo Jardim afirme que vai sair do Beira-Mar no final da época, como já foi admitido publicamente pelo Presidente António Regala. Não consigo perceber no entanto, porque é que a comissão administrativaactual direcção não foi capaz de apresentar a proposta de renovação ao treinador há alguns meses atrás, na euforia dos bons resultados alcançados pela equipa – creio que caso a proposta de renovação tivesse sido apresentada em Outubro ou Novembro, Leonardo Jardim assinaria.

Neste ponto, o clube fica novamente a perder. Caso eventualmente se tivesse renovado com Leonardo Jardim e caso este saísse efectivamente para outro clube, o clube poderia encaixar algum dinheiro com a desvinculação do treinador. Na actual situação, o treinador termina contrato e sai a custo zero. O Beira-Mar revela-se profícuo em deixar sair toda a gente em saldos.

– Um 3º ponto, também ele de vital importância, prende-se com o facto de 16 jogadores do plantel actual se encontrarem com futuro incerto. O Beira-Mar tem neste momento 8 emprestados de outros clubes e 8 jogadores que terminam contrato no final da época. De modo a assegurar estabilidade para a próxima época, a direcção já deveria começar a mexer os seus contactos de modo a aproveitar quem é de aproveitar para a próxima época. Um jogador que se encontra com futuro incerto na sua carreira profissional é um jogador intranquilo e completamente desleixado com o que falta jogar desta época.

Só a direcção do Beira-Mar não parece elucidada destes factos.

E está claro, perante todos acontecimentos, não se pode pedir que a equipa tenha rendimento nas partidas. Como Carlos Teixeira da Rádio Terranova frisou e bem, o jogo de ontem frente ao Portimonense foi o espelho das decisões que tem sido tomadas ao nível directivo e ao nível técnico.

Hoje, Leonardo Jardim anuncia a sua decisão. Não tenho muitas esperanças que fique. Infelizmente, vai terminar um ciclo de ouro para o Beira-Mar, quando todos nós detinhamos um sentimento de especial afecto pelo seu trabalho e um sentimento de esperança em relação a um futuro risonho para o clube.

Os próximos dias revelarão o futuro do clube. Não creio que a direcção seja opaca ao ponto de continuar passiva perante os problemas que tem em mão.

Para finalizar, peço desculpa a todos os sócios e simpatizantes que eventualmente possam discordar com a minha opinião. Mais que uma simples opinião, este post representa um desabafo meu em relação à actual situação do clube.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

O “projecto” da Câmara para o EMA


Gato escaldado tem medo da água. Creio que o exemplo da União de Leiria deverá ser o exemplo na base deste possível projecto.

Segundo a Comunicação Social regional, a Câmara Municipal de Aveiro prepara-se para dar vida e rendimento financeiro à zona do Estádio Municipal com a execução de um projecto que prevê a construção de um pavilhão multiusos com capacidade para mil pessoas, uma superfície comercial, um ginásio, 2 campos de futebol de 7 e um campo de treinos de futebol de 11 (em princípio para o futebol jovem do Beira-Mar).

O projecto está orçamentado em 8,5 milhões de euros e a Câmara lançará brevemente a concurso público este projecto, de modo a que possa encontrar o parceiro ideal para levar a cabo as obras e depois garantir a exploração da cidade desportiva e da superfície comercial envolvente.

É um excelente projecto para a dinamização do EMA, que obviamente peca por tardio…

Com as etiquetas , , , , , , , , , , ,

“As bases para um futuro melhor”

O presidente da Comissão Administrativa António Regala é o único candidato às eleições do Sport Clube Beira-Mar, eleições que irão decorrer no próximo sábado.

Ontem, António Regala e a sua equipa de vices (composta por , João Silva, Fernando Vinagre, Anastácio Oliveira, Jaime Machado e Diamantino Nunes) apresentou as bandeiras para o mandato de 3 anos que pretendem cumprir a partir de sábado.

Resumindo, os objectivos passam por:

– A construção de um pavilhão multiusos para o clube – numa altura em que parece irreversível o processo de hasta pública sobre o Pavilhão do Alboi.
– A abertura de uma sede social do clube no centro da cidade.
– A abertura de uma sala de troféus do clube no Estádio Municipal de Aveiro.
– A possibilidade de constituição de uma SAD para o futebol – mesmo depois das tentativas de constituição que foram rejeitadas pelos sócios em outras Assembleias-Gerais.
– A proposta de renovação a Leonardo Jardim depois das eleições.
– A diminuição do passivo do clube que neste momento se cifra perto dos 6 milhões de euros. No entanto, António Regala afirmou à Radio Terranova que a dívida que a Câmara Municipal de Aveiro deve ao clube é superior a 5 milhões de euros.

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Beira-Mar 0-0 Vitória de Setúbal

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/Kv6wSezE1YMEY4G8vwyT/mov/1

O Beira-Mar encerrou a jornada com um desolador empate a 0 bolas contra o Vitória de Setúbal.

A minha primeira nota vai obviamente para o número de espectadores: estariam 200 pessoas dentro do Estádio? Mesmo com a promoção de 2 bilhetes pelo preço de 1 para casais, a transmissão na Sporttv, a chuva e o frio afastaram os adeptos do estádio.

Os que estiveram presentes no EMA viram (na minha opinião) um dos mais interessantes jogos do Beira-Mar esta época. No entanto, este empate é amargo, muito por culpa das inúmeras falhas de finalização que os jogadores do Beira proporcionaram. Foram 30 os remates que o Beira fez esta noite sem que conseguisse marcar um golo válido.

Contra o Vitória, o Beira-Mar fez 90″ onde evidenciou uma tremenda circulação de bola (sempre a procurar que os extremos desiquilibrassem) mas não concretizou. Para além das duas bolas que o Beira mandou à barra e do golo anulado (tenho dúvidas), havia sempre uma perna de um defensor do Setúbal a evitar que a bola entrasse e um guarda-redes (Diego) que teve uma exibição inspirada em Aveiro.

Na equipa do Beira, destaque para a exibição colectiva. Na defesa, Yohan Tavares está lentamente a entrosar-se com Hugo e com a ajuda certinha dos laterais resolveram a pouca iniciativa atacante que o Setúbal teve durante a partida. No meio campo, Djamal enche por completo as medidas e tanto Rui Sampaio como Artur  fizeram  exibições bastante agradáveis.

Nas alas, os irrequietos Élio e Leandro Tatu tentaram sempre a linha para servir Ronny nas melhores condições. Tatu a par de Djamal foram para mim os melhores homens em campo. Ronny teve uma exibição bastante esforçada lá na frente mas continuou a pecar bastante no capítulo da finalização.

No entanto, já há alguns jogos continuo a reparar numa pecha que Leonardo Jardim terá que solucionar. Na esquerda do Beira-Mar, os adversários continuam sempre a colocar dois jogadores contra o defesa-esquerdo da turma Aveirense. Nos últimos jogos, o extremo do lado esquerdo não costuma cobrir o lateral quando este está em missão ofensiva, o que cria bastantes complicações ora para André Marques ora para Renan. Assim sendo, creio que a melhor possibilidade que o mister poderia usar era colocar uma dupla na esquerda composta por André Marques (melhor a defender) e Renan à frente (melhor a atacarcentros para a área).

Quanto ao árbitro da partida, o Portuense Rui Costa, dou-lhe o benefício da dúvida em alguns lances excepto em dois.

Na 1ª parte existem duas situações em que a bola vai ao braço de jogadores do Vitória de Setúbal. Se na 1ª (um lance de canto) a mão na bola é casual, no 2º lance (após centro de Artur) a intenção do central vitoriano Ricardo Silva é de cortar o lance com o braço.

Na 2ª parte, o golo anulado causa-me bastantes dúvidas. Leandro Tatu parece ligeiramente adiantado na altura do toque de Élio mas o lance é difícil de ajuizar visto que Élio perdeu o controlo do esférico e Tatu vindo da direita tocou “uma bola perdida” para o lado.

No lance de Élio na área, é claro que o jogador Aveirense falhou na bola e tentou a simulação.

Todavia, existe uma grande penalidade claríssima por assinalar, resultante de uma falta nítida de Miguelito sobre Leandro Tatu.

No final da partida, Leonardo Jardim era obviamente um treinador insatisfeito com o resultado da sua equipa:
” O resultado não espelha o que se passou em campo, sobretudo pela primeira parte muito boa que realizámos, mas sublinho a nossa ineficácia ofensiva. Sinto que foram dois pontos perdidos, pelo volume de jogo, as situações que criámos e, sobretudo, pelo desequilíbrio conseguido na primeira parte.

A segunda parte foi mais equilibrada por o Beira-Mar ter tido problemas nas laterais, o que nos condicionou em termos de substituição. O Vitória de Setúbal, com a sua qualidade técnica, conseguiu baixar o nível de jogo e pagámos a fatura da excelente primeira parte que fizemos.

Quero frisar a ideia de que não estamos satisfeitos com os 25 pontos alcançados e que mantemos os nossos objectivos individuais e cole tivos.”

Com este empate, o Beira-Mar somou 25 pontos mas caiu uma posição na tabela. Ainda não foi hoje que a equipa garantiu a “manutenção virtual”. Digo “manutenção virtual” visto que o Leixões (15º na época passada) somou 26 pontos. No entanto e como a linha de água este ano está nivelada por baixo ao nível pontual (Portimonense com 10 e Naval com 13) o Beira-Mar está descansado na 10ª posição com mais 12 pontos.

Mesmo assim, estamos a 4 pontos do 4º classificado que é o Guimarães e a 8 do 3º que é o Sporting.

Na próxima jornada, o Beira-Mar tem uma difícil deslocação à Madeira para defrontar o Marítimo. Na 1ª volta em Aveiro, Beira e Marítimo empataram a 1 bola num jogo em que o Beira foi prejudicado com um golo mal anulado ao central Hugo já em período de descontos.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , ,

Beira-Mar vs Vitória de Setúbal

Segunda-Feira às 20 e 15 todos os Estádio Municipal de Aveiro para apoiar o nosso Beira-Mar.

O Beira-Mar (9º da Liga) com 24 pontos recebe o Vitória de Setúbal (13º com 17 pontos) com os olhos na manutenção. Se o Beira-Mar vencer, perfaz 27 pontos e garante “virtualmente” a manutenção na Liga Zon Sagres.

Na 1ª volta, o Beira empatou em Setúbal a 0 bolas num jogo em que a equipa podia ter sido mais feliz…

Para cativos a entrada é grátis, para sócios o bilhete custa 3 euros (necessária a quota 1) e para o público em geral os bilhetes custam a partir de 10 euros. Como amanhã é dia dos namorados, todos aqueles que quiserem levar a sua namoradaesposa ao estádio tem a vantagem do 2º bilhete ser grátis.

Quanto à equipa profissional de futebol, o médio atacante Alex Maranhão rescindiu com o Beira-Mar. Emprestado no início da época pelo Juazeiro por duas épocas, o jogador rescindiu com o clube tendo assinado posteriormente com o Grémio Prudente da 2ª Divisão Brasileira. No entanto, o Beira-Mar salvaguardou uma cláusula que lhe permite receber uma percentagem caso o jogador seja transferido.

Para substituir Alex Maranhão, a direcção já tinha contratado o Ganês Yartey.

Ao Alex, desejo-lhe todas as felicidades na sua nova aventura e agradeço todo o esforço demonstrado enquanto jogador do Beira-Mar.

Outra grande questão que tem sido realçada pela Comunicação Social é a situação de Djamal. Notícias recentes afirmam que a direcção do Beira-Mar propôs a renovação ao jogador (termina contrato no final da época) que de pronto recusou negociar uma renovação contratual.

O Jornal Record afirmou na edição de ontem que o jogador é muito cobiçado pelo Lorient da 1ª Liga Francesa, que já destacou olheiros para observar o jogador.

Já o treinador Leonardo Jardim afirma que ainda não lhe foi proposta a renovação do contrato. Ao Record, Leonardo Jardim deu um toque à futura direcção do clube: “Ainda não me convidaram e não me faço de convidado”

Ao que o Entre o Nada e o Infinito sabe, o treinador já foi sondado por clubes como o Braga e como o Nacional para a próxima época. Todavia, também sabemos que a futura direcção (as eleições são a 19 de Fevereiro) quer ser eleita para poder apresentar uma proposta para o futebol profissional e para o futebol jovem que sirva para convencer Leonardo Jardim a renovar com o clube para as próximas 3 temporadas.

Ao que sabemos, António Regala tem a ambição de apresentar propostas que sirvam para engrossar o património do clube, apostando principalmente no futebol jovem. Estaremos perante uma proposta de construção de uma Academia de Futebol?

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , ,

União de Leiria muda de estádio

A decisão é inédita nos Estádios do Euro 2004 e já vinha a ser preparada há algum tempo pela direcção da União de Leiria.

O clube Leiriense rescindiu hoje contrato com a Leirisport (empresa municipal que geria o espaço) devendo actuar noutro estádio no próximo jogo da Liga.

O Estádio Dr. Magalhães Pessoa vai ficar sem utilização.

Este caso pode abrir precedentes no futebol Português. Falo do caso do meu Beira-Mar e do inevitável Estádio Municipal de Aveiro e da Académica com o Estádio Municipal de Coimbra. 3 estádios, onde apenas o de Coimbra tem alguma rentabilidade visto que foi o único que apostou num bom aproveitamento das infra-estruturas que detem.

Se juntarmos a estes 3 casos, o Estádio do Algarve, corre-se o risco de em breve ver 4 estádios do Euro a fechar portas.

No caso em concreto do Beira-Mar relança-se a velha questão: dado que em Leiria se abriu o precedente, continuamos no EMA ou voltamos ao velhinho Mário Duarte?

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , ,

Invasão a Coimbra!


Já se prepara a Invasão a Coimbra para o jogo do próximo domingo. Para além da cartada importante no campeonato, é o clássico da zona centro e nós queremos ganhar!

O preço da deslocação é convidativo, visto que o bilhete para adepto mais barato custa 15 euros.

Académica e Beira-Mar defrontam-se para a 17ª Jornada da Liga com o Beira-Mar à frente na tabela. Os Aveirenses são 8ºs com 23 pontos e os estudantes 12ºs com 19 pontos.

Ontem, o Beira-Mar jogou o jogo da 3ª jornada da Taça da Liga frente ao Nacional por 2-1. Perante uma paupérrima assistência de 200 pessoas, Leonardo Jardim optou por fazer rodar novamente jogadores menos utilizados e por exemplo estrear Élio.

Reforços de inverno é o que parece não faltar ao Beira-Mar. Depois de Élio, o clube assegurou a contratação do defesa-central Ricardo Rocha (ex-Chaves) para o lugar deixado em aberto pela saída de Kanu e assegurou o regresso do médio Ganês Ishmael Yartey até ao final da época. Yartey encontrava-se no Fátima, sendo pouco utilizado. À primeira vista parece ser estranha a contratação de Yartey visto que o Beira-Mar está bem servido de opções para o seu lugar como João Luiz, Alex Maranhão e Sérgio Oliveira. No entanto, tem existidos pequenos problemas com Sérgio Oliveira que indiciam que o médio emprestado pelo Porto poderá rumar até amanhã a outras paragens. Quem está definitivamente de saída é o guarda-redes Esloveno Jan Oblak: a Comissão Administrativa do Beira-Mar chegou a acordo com o Benfica para deixar sair o jogador que segue rumo para Olhão.

A vaga de avançado continua por preencher após a rescisão de contrato de Rui Varela. No entanto, o Jornal Record noticiou hoje a possível chegada de Dudu, avançado de 19 anos do Flamengo.  Pelo que consta, um grupo de empresários Brasileiros e o Sporting chegaram a acordo para enviar o jogador da cantera do Flamengo para uma experiência de 6 meses no Beira-Mar, cabendo opção de compra aos leões caso demonstrem interesse no jogador. Recordo que o Sporting já tem dois jogadores emprestados ao clube, casos do defesa-esquerdo André Marques e do extremoavançado Wilson Eduardo.

Para finalizar, parece existir luz verde para a formação de nova direcção no clube. Resultado da venda de Kanu ao Standard de Liège, a Comissão Administrativa presidida por António Regala apresentou a sua candidatura aos associados tendo em vista as eleições de 19 de Fevereiro.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Beira-Mar 0-1 FC Porto

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/CzD83euSWsAyzjLyC2iN/mov/1

Depois da derrota por 3 bolas a 0 na Quarta-Feira para a Taça da Liga, esperava-se outra resposta no jogo de hoje contra o Futebol Clube do Porto. Apesar da derrota, o Beira-Mar conseguiu dar essa resposta, lutando com as suas melhores armas perante um Porto que é de longe a melhor equipa a praticar futebol em Portugal.

Leonardo Jardim apresentou-se em campo com a equipa mais próxima do onze ideal. Em relação ao jogo contra o Porto, André Marques continuou no onze.

Na 1ª parte, o Porto dominou a partida e obviamente tentou chegar cedo ao primeiro golo. Depois de muitas jogadas de insistência do 3 jogadores mais avançados (James Rodriguez; Hulk e Silvestre Varela) a defesa do Beira-Mar foi conseguindo adiar o golo dos dragões até ao minuto 35, onde depois de uma falha de comunicação entre Rui Rego e Hugo colocou a bola em Hulk que no 1 para 1 com André Marques ludibriou o defesa Aveirense caíndo de seguida no chão. João Ferreira assinalou grande penalidade e o próprio Hulk inaugurou o marcador. Depois de ter visto o lance ao pormenor, continuo com muitas dúvidas quanto à veracidade desta decisão…

Na 2ª parte, o Beira-Mar lançou-se no ataque em busca do resultado. Sem nunca perder a organização que é característica desta equipa, a espaços, a turma de Aveiro foi-se instalando no meio campo do Porto sem no entanto ter criado oportunidades de golo de relance. A vencer, o Porto de Villas-Boas limitava-se a gerir o resultado, tendo efectivamente criado algum perigo na frente, nomeadamente num remate de Hulk que Rui Rego defendeu em apertos e num par de cantos em que a defesa do Beira-Mar teve alguns problemas em tirar a bola da área.

Em suma, não foi uma má exibição do Beira-Mar frente ao líder do campeonato. Foi uma exibição esforçada, com um certo sabor amargo na boca. O Beira-Mar podia ter conseguido o empate, não fossem os enormes erros técnicos cometidos no último terço do terreno e a grande penalidade sobre Hulk.

Segue-se o Nacional na Quarta-Feira para a última jornada da fase de grupos da Taça da Liga, competição em que o Beira-Mar está eliminado fruto das derrotas contra o Porto e Gil Vicente. Leonardo Jardim deverá optar por dar mais minutos a jogadores menos utilizados, com vista às 13 jornadas de campeonato que a equipa tem pela frente.

A Liga ZonSagres só volta dia 6, aquando da visita ao Estádio Municipal de Coimbra para o clássico do centro frente à Académica!

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , ,

Beira-Mar 3-2 Vitória de Guimarães

http://mediaservices.myspace.com/services/media/embed.aspx/m=107230904,t=1,mt=video

(À falta de resumo completo do jogo, fica aqui o golo que deu a vitória ao Beira)

Acabei de vir do Estádio Municipal de Aveiro, onde vi o meu Beira dar um banho de futebol no Vitória de Guimarães!

Fodasse, não há palavras para descrever aquilo que sinto neste momento! Estes jogadores, desculpem-me a linguagem, são do CARALHO! Repito: SÃO DO CARALHO! Merecem todos os cêntimos que ganham, merecem toda a felicidade deste mundo! Merecem todo o respeito que esta cidade deveria oferecer ao clube! Porque é que não vão ao estádio seus merdas?!

O Beira venceu! Num jogo de nervos em que tudo parecia estar perdido! A organização desta equipa é sublime! Mesmo depois de começar a ganhar e sofrer a reviravolta na 2ª parte, a equipa não se perdeu e pelo contrário, ergueu a cabeça e foi em busca do resultado que pretendia: a vitória! Os jogadores do Vitória de Guimarães, pelo contrário, sofreram a reviravolta (3-2) e desataram às patadas aos nossos jogadores… Como são tristes algumas equipas desta 1ª Liga…

Leandro Tatu inaugurou o marcador na 1ª parte, com um toque para a baliza após centro rasteiro de livre cobrado à esquerda por Renan. Na 2ª parte, o Vitória haveria de dar a cambalhota no marcador: primeiro num golo de Edgar (num lance em que William disputa a bola em claro fora-de-jogo) e depois num golo de Pereirinha. Os nossos rapazes não baixaram os braços e em dois lances resolveram a partida com dois golos de Wilson Eduardo: o primeiro com um toque à boca da baliza após excelente trabalho de Tatu na direita, o segundo na cara de Nilson depois de um excelente passe do regressado Wang Gang (1º jogo oficial esta época pelo Beira).

No regresso, não pude deixar de ouvir as palavras do caríssimo Manuel Machado à flash-interview da televisão. Caríssimo, tenho pena que à semelhança dos seus jogadores não consiga digerir as derrotas e se ponha publicamente com desculpas parvas. Não consegue compreender porque é que os seus dois jogadores foram expulsos, eu explico: porque lídera um bando de indigentes, de indisciplinados que só sabem dar porrada! Pergunte ao João Alves porque é que pisou naquela circunstância a perna do jogador do Beira Mar?

Basicamente, levou um “cheirete” de bola do Beira! Talvez falte ao Guimarães a organização em campo que só Leonardo Jardim tem nesta Liga! O Vitória de Guimarães é realmente um grande. Grande na massa salarial dos seus jogadores, grande na atitude irrascível dos seus jogadores, grande na média de altura dos seus jogadores. No entanto, em campo, penso que os nomes não ganham e hoje o Vitória aprendeu uma lição.

Bem, mas isso não interessa. O que interessa é que os rapazes conseguiram os 3 pontos e andam a calar muita gente que no início do campeonato punha o Beira-Mar a descer. Ao que parece, a descida está a dar em luta por um lugar na 1ª metade da tabela. Liga Europa? Não podemos entrar em euforias. Temos de pensar jogo a jogo, ponto a ponto.

Para finalizar, desejo um excelente Natal e um Bom Ano Novo a toda a família Beiramarista. Que 2011 seja mais um ano de esforço, luta e vitórias!

P.S: Está bom de ver, a quantidade de golos que já foram marcados nos 3 jogos desta jornada. 17 golos em 3 partidas – deve ser um número record na Liga. São estes jogos que chamam pessoas aos estádios de futebol. Não importando o preço dos bilhetes, as condições dos estádios, o frio, a chuva e a forma das equipas. Os clubes de futebol em Portugal, devem começar a ter em conta que as pessoas querem ver bons espectáculos e sobretudo golos!

Com as etiquetas , , , , , , , ,

Beira Mar vs Vitória de Guimarães

Sábado às 19 e 15, vamos todos ao Estádio Municipal de Aveiro apoiar o nosso Beira-Mar em mais um jogo da Liga ZonSagres, desta feita contra o Vitória de Guimarães.

Depois de 15 dias de paragem, o nosso Beira (10º classificado da Liga com 16 pontos) recebe o 3º classificado que é o Vitória de Guimarães com 22 pontos.

Na antevisão da partida, o treinador Leonardo Jardim aponta o objectivo para os 3 pontos: “O V.Guimarães tem um conjunto com muitos recursos, que cria um enorme número de situações e que, pelas soluções que possui para melhorar a equipa, mostra uma enorme capacidade para conseguir reviravoltas. Praticamos um futebol positivo e agradável, mas neste momento nada está feito, porque o campeonato é longo e temos de continuar a trabalhar com ambição.”

Leonardo Jardim viu esta semana alterações no plantel no que toca ao nível dos avançados:Rui Varela rescindiu com o clube Aveirense, conforme o que tinha sido veiculado na imprensa desportiva nos últimos dias. O internacional Chinês Wang Gang, que tinha sido castigado no início da época, volta a ser uma opção para o treinador madeirense.

O preço dos bilhetes para esta partida é grátis para os sócios com bihete de época, 3 euros para os sócios com a quota 12 em dia e a partir de 10 euros para o público em geral.

Com as etiquetas , , , , , ,