Tag Archives: Cinema

para ver agora

Documentário de 2012, apoiado pelo Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria da Cultura Brasileira que tem como pano de fundo os Legião Urbana de Renato Russo e a era de ouro do rock brasileiro.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , ,

reminiscências

Com as etiquetas , , , , ,

visto

1. Perde por ser demasiado parado, por ter cenas muito longas, por ser demasiado longe (2 horas e pico; como vi no cinema pedi por intervalo várias vezes) e por não ter um plot-twist consistente e emotivo no seu final.

2. Perde pelo seu argumento estar muito parecido com o Retrato de Dorian Grey de Oscar Wilde.

3. Ganha pelo início (quem vê o início do filme pensa que vai ver um filmão).

4. Ganha pelas interpretações de Philip Seymour Hoffman e Joaquin Phoenix. Principalmente pela do segundo.

5. Ganha ao nível de fotografia. Existem picos de luz nos cenários do filme que são absolutamente delioiosos.

Com as etiquetas , , , , ,

grand finale

Ayn Rand. The Fountainhead.

Com as etiquetas , ,

a ver

Um filme de Leonardo Constanzo. Seleccionado para a sessão competitiva do Festival de Veneza 2012 e vencedor da sessão competitiva do Lisboa Film Festival.

Com as etiquetas , , , , , ,

maravilhas da internet

finalmente chegou ao youtube. puro e com legendas em Inglês.

Com as etiquetas , , , ,

true

“O inferno não existe. O inferno é que aqui, somos nós.” – in “As linhas de Wellington” de Valéria Sarmiento.

Com as etiquetas ,

O Cheiro do Ralo

Das melhores importações cinematográficas vindas do país irmão.

Com as etiquetas , ,

este também merece ser visto

o microcosmos da música portuguesa, contada desde os primeiros passos do rock de Daniel Bacelar ao punk dos Parkinsons.

parabéns a Eduardo Morais e ao resto da sua equipa por nos brindarem com uma hora de pura cultura.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

passado de glória, presente de merda

É no visionamento disto que vou buscar forças para lutar pela Académica. Vejam. Vejam a glória do passado e comparem com a merda que é o presente. Rua Morgado. Na tua posição ter-me-ia demitido seguramente. Não tens mais margem para viver de espinha direita enquanto presidente da instituição.

Com as etiquetas , , , , ,

para ver com atenção

As linhas de Wellington, da realizadora chilena Valeria Sarmiento, filme gravado em Portugal, produzido por um Português (Paulo Branco; o histórico produtor dos filmes de Manoel de Oliveira) e que conta com a participação de atrizes portuguesas. Brevemente num TAGV perto de si.

Com as etiquetas , ,

acalma o pito jotinha

senão cais no ringue no primeiro assalto como o Gorgeous George.

Com as etiquetas , , ,

cameronadas

Anda aí uma notícia a dizer que o James Cameron desceu ao ponto mais fundo do oceano no ambito de uma expedição ao fundo dos oceanos.

Eu que pensava que ele já tinha descido ao ponto mais fundo do Oceano quando fez o titanic e que já tinha também descido ao ponto mais fundo da cinematografia quando fez o titanic e o avatar…

Com as etiquetas , , ,

Semana cultural da UC

Já arrancou.

Mesmo assim fica aqui o PDF –  suplementosemanacultural – com os eventos que irão decorrer nos próximos dias

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ursos…

Vi que dois filmes portugueses ganharam Ursos de Ouro em Berlim. Grandes ursos pá.

Confesso que não sou apreciador de cinema português. Tirando os clássicos e um ou dois títulos modernos, é gosto que não me assiste. Se estes realizadores algum dia ganharem um BAFTA, um Óscar, um Cannes na categoria principal ou um Sundance, aí, mudo de ideias.

 

Com as etiquetas , , , , , , ,