Tag Archives: Caminhos do Cinema Português

os esmifras

Ler aqui o comunicado do Centro de Estudos Cinematográficos da AAC em relação à Gala António Luis Gomes.

Foi com algum gozo que assisti às trocas de palavras entre o presidente do CEC\AAC Tiago Santos e o representante das secções culturais na Comissão Executiva do Conselho Cultural da AAC António Miguel Arnaut.

Pela primeira vez, por mais que me custe admitir (continuo a reiterar publicamente que não lhe reconheço capacidades para exercer o cargo de super-coordenador da cultura na DG\AAC), o António Miguel Arnaut assumiu uma postura digna de paridade entre as Secções, e, perante o referido comunicado deu uma resposta que achei desde já muito positiva e muito elegante à missiva do CEC\AAC.

Vamos por partes:

1. Se bem me lembro, na gala de encerramento dos Caminhos do Cinema Português de 2010, Vitor Ferreira, na altura presidente do Centro de Estudos Cinematográficos, com António Miguel Arnaut na plateia, mostrou o seu descontentamento em relação ao festival, segundo palavras próprias “pela falta de condições que lhe eram dadas pela casa que alberga a referida Secção”.

2. Pegando no referido comunicado e no trecho que assim reza: “É inconcebível que a realização de um evento que pretende ser a consagração do trabalho desenvolvido pelas Secções Culturais da Associação Académica de Coimbra se concretize com base em ideias em avulso, falta de informação, onde imperam as vontades e favores, ou pelo menos a tentativa de calar as vozes incómodas da Academia”.

Fazendo a junção do ponto 1 ao ponto 2, inquiri alguns representantes de secções culturais acerca da reunião do Conselho Cultural de preparação da gala e de alguns acontecimentos que se passaram nessa reunião.
A reunião de preparação da gala António Luis Gomes foi longa. Durou algumas horas, na discussão do evento, da programação e dos prémios que seriam entregues. O Presidente do CEC, segundo os relatos, entrou a meio da reunião e afirmou que a secção não estava a marcar a sua presença “visto que o evento Caminhos do Cinema Português tinha mais preponderância que a gala” mas aproveitou a ocasião para perguntar à Comissão Executiva do Cultural se lhe emprestava 5 mil euros adiantados, valor que segundo o próprio era urgente para aplicar no evento, valor que foi desde logo atribuído por antecipação.
Desde logo, trilha-se aí uma falta de respeito perante uma gala que visa mostrar o trabalho realizado pelas secções culturais ao longo do ano.
Dado o avanço de capital, o presidente do CEC não se ficou por aí e tratou de tentar vender o “naming” de prémio ao Conselho Cultural no valor de 2 mil euros, proposta que veio a ser recusada. Esta para mim é nova: vender algo a uma casa que já financia a actividade. Vender algo a uma casa numa génese de “vender a própria mãe ao pai”.

Urge-me no entanto relembrar que no ano passado, o CEC\AAC recebeu uma verba relativa ao pagamento das bandas que iriam actuar nas after-parties, pagamento esse que posteriormente seria feito pelo Theatrix e cujo CEC tem no contrato estabelecido com o estabelecimento nocturno uma cópia dos valores dos pagamentos. Resumindo e concluíndo: alguém meteu dinheiro ao bolso.

Ainda sobre este posto, também é de relembrar ao presidente do CEC\AAC que o relatório de actividades da referida secção não apareceu a tempo da gala o que é de facto algo muito triste visto que a referida secção pouco ou nada faz mais durante o ano lectivo do que os Caminhos do Cinema Português.

3. No referido comunicado, Tiago Santos fala de falta de transparência.

Tenho também a comunicar que a falta de transparência é algo que não assiste ao Centro de Estudos Cinematográficos. Quero afirmar aqui publicamente, que 90% das pessoas que trabalham nas secções culturais trabalham pró-bono. Digo bem, 90%. Existe uma excepção: o CEC. Não preciso de repetir mais nada: existem elementos da direcção do CEC que são remunerados pelas funções que exercem dentro da secção. Remunerados não, muitíssimo bem remunerados. Basta ver as facturas que estão na tesouraria da Associação Académica de Coimbra para se perceber que o próprio director do festival leva para casa nada mais nada menos que 5200 euros pela função que exerce no festival. Se alguém me tentar desmentir, auditorias às contas da secção e a verdade virá ao de cima. E mais uma vez se denota que a referida secção também vive numa onda de profunda ingratidão perante a casa que a alberga e que lhe deu as condições para trabalhar.

Tudo isto não me leva a concluir apenas que a referida secção vive numa falta de transparência enorme. Vive numa onda de esmifrar o máximo de dinheiro possível, de forma descarada e sem olhar a quem, sem apresentar contas nem rei nem roque. Daí que dê inteira razão à posição assumida pelo António Miguel Arnaut.

4. Outra coisa que me faz espécie é o facto do Centro de Estudos Cinematográficos da AAC continuar a ser a única secção que cobra às outras secções valores pela utilização do seu material e estar a preparar-se para tentar cobrar a utilização do Mini-auditório Salgado Zenha, que como todos sabemos está consignada como material destinado à promoção do seu trabalho mas, em todo o caso é pertença da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra e como tal é um bem que pode ser usufruído por todas as secções e organismos autónomos que assim o entenderem e requisitarem. 


Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Caminhos do Cinema Português

O Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra, apresenta hoje a nova edição dos Caminhos do Cinema Português.

Toda a info pode ser vista aqui.

Com as etiquetas , , , , , ,

Caminhos abandonam Theatrix

O Theatrix encerrou provisoriamente. Devido a problemas estruturais do saneamento. O que se especula por aí é que o espaço apenas poderá reabrir em Dezembro.

É uma notícia triste, dado que no post acima linkado defendi o espaço como um espaço muito interessante para revolucionar as noites de Coimbra e nesta altura em particular, para dar um toque de charme à organização do melhor festival de cinema Português.

Segundo uma nota de imprensa do espaço: “«no sentido de corrigir e melhorar as estruturas de saneamento do Theatrix, a administração desta sala viu-se forçada a recalendarizar os espectáculos agendados. Manter-se-ão no entanto as condições para a realização de sessões de cinema. A nova agenda será divulgada com a maior brevidade possível» – Diário de Coimbra, 18 de Novembro de 2010

Nem os ensaios visuais, nem os filmes… Nada!

Até ao próximo dia 23, os Caminhos mudaram de sítio. Dado que o conhecido é que o espaço cancelou os eventos previstos para o espaço, os ensaios visuais, filmes do Cinema Turco mudaram para o Mini-Auditório Salgado Zenha na AAC e as after-parties foram canceladas, causando um prejuízo enorme para a organização dos Caminhos do Cinema Português que pretendem portanto prosseguir para uma rescisão amigável do contrato e caso tal não seja possível, levar o caso para a barra dos tribunais.

Com as etiquetas , , , ,

Cinema Português em Coimbra!

Foto: CECAACCentro de Artes Cinematográficas de CoimbraCaminhos do Cinema Português

Com as etiquetas , , , ,

Theatrix Coimbra

Menos discotecas, mais cultura.

Recuperando uma das salas mais emblemáticas da cidade (o antigo Cinema Avenida) na sexta-feira inaugura-se o Theatrix, a nova sala de espectáculos de Coimbra que pretende realizar eventos de música, dança, stand-up comedy e circo.

Joaquim Lourenço, o director-artístico do Theatrix Coimbra deu o mote de arranque para a nova sala de espectaculos.

Devido à grande concorrência das casas nocturnas da cidade, o Theatrix é um investimento de risco assumido por 4 investidores: o antigo presidente da AAC e actual deputado da Assembleia da República pelo PSD Emídio Guerreira, Helder Sousa, Luis Soares e um 4º investidor que prefere manter-se no anónimato.

Nestes primeiros dias de actividade, o Theatrix acolhe os Caminhos do Cinema Português, através da realização dos ensaios visuais, dos filmes Turcos e das after-parties nas noites do evento.

Os Caminhos são só o começo de uma casa em que deposito grande esperança para mudar as mentalidades de diversão, noite e lazer desta cidade.

Com as etiquetas , , , , , , , ,

Caminhos do Cinema Português

De 14 a 23 de Novembro, Coimbra é a grande montra do cinema nacional. Com a organização a cabo dos Caminhos do Cinema PortuguêsAssociação de Artes Cinematográficas de CoimbraCEC-AAC, este post apresenta a XIX edição dos Caminhos do Cinema Português – o único evento de divulgação do cinema Português.

No entanto, os Caminhos não se cingem apenas à divulgação de filmes Portugueses, tendo outros eventos capazes de cativar a atenção da massa estudantil e dos aficcionados da 7ª arte.

Para além da reprodução de filmes Portugueses, o evento oferece a habitual secção competitiva de curtas-metragens, ensaios visuais, filmes para crianças no âmbito dos Caminhos Juniores, a passagem de filmes de Cinema Turco, retrospectivas, conferências e Workshops.

Os Caminhos do Cinema Português decorrem em 3 espaços distintos da cidade de Coimbra: Teatro Académico Gil Vicente, Mini-Auditório Salgado ZenhaEdifício da AAC e o novo Theatrix (antigo Cinema Avenida).

Para o Teatro Académico Gil Vicente, ficam reservadas as exibições da secção competitiva onde serão exibidos entre outros “Um Funeral à Chuva” de Telmo Martins e “Embargo” de António Ferreira no meio de algumas curtas-metragens realizadas por jovens realizadores Portugueses e estrangeiros radicados em Portugal.

Ao nível da animação infantil, os Caminhos Juniores (que já se encontram esgotadosmais de 5 mil crianças) são um evento paralelo dedicado às crianças de dezenas de escolas nacionais.

Outros eventos paralelos a decorrer no Teatro são as retrospectivas em que por exemplo serão visionadas “Perdido por Cem” de António Pedro Vasconcelos e “Sofia e a educação sexual” de Eduardo Geada para além das habituais conferências que se realizarão nos dias 17 e 22 de Novembro

No Edifício da AAC decorrerá a repetição dos filmes da  secção competitiva e os Workshops relativos às artes cinematográficas que são promovidos pela organização. São 5 os Workshops que os estudantes universitários, sócios do CEC e público em geral poderão frequentar:

– Edição e Imagem, por Hugo Valter Moutinho, que decorre nos dias 13 e 14.

– Cinema 3D – Estereoscopia  por Telmo Martins, que decorre nos dias 15 e 16.

– Vídeo, Acção e Intervenção por Miguel Marques, que decorre entre os dias 18 e 21.

– Cinematografia em Cinema Digital por Miguel Matias Alves, nos dias 22 e 23.

– Produção e Realização Vídeo por José Luis Gonçalves, a realizar nos dias 17,18 e 21.

Os Workshops estão abertos a 20 inscrições (cada) tendo o custo de 40 euros para estudantessócios do CEC e 50 euros para o público em geral. Todos os Workshops darão acesso a todos os eventos garantidos pela organização.

Para o recente espaço nocturno de Coimbra (Theatrix) estão reservados os ensaios visuais, a divulgação dos filmes oriundos da Turquia e as after-parties no final de cada dia do evento com a actuação de bandas como Os Yeah, Os Pinto Ferreira, D3o, Orxestra Fitagórica e do Dj da Antena 3 Rui Estêvão.

A organização promoveu ainda a venda de Bilhetes Gerais para o evento que garante a entrada em todos os locais do festival a 15 euros para estudantes e 20 euros para o público geral. Os Bilhetes gerais poderão ser adquiridos nas bilheteiras do TAGV.

Com as etiquetas , , , , , , , , ,

Caminhos do Cinema Português


Vem aí os Caminhos do Cinema Português!

Com a organização a cargo do Centro de Estudos Cinematrográficos da Associação Académica de Coimbra, os Caminhos são um evento que visam divulgar o Cinema Português.

Para além da habitual reprodução de filmes Portugueses e da secção competitiva de curtas-metragens, os Caminhos também irão dar destaque ao Cinema Turco com a reprodução de filmes Turcos, conferências, 5 workshops em “Edição Imagem, Cinema 3D e Estereoscopia, Vídeo Acção Intervenção, Cinematografia em Cinema Digital e Produção e Realização Vídeo” e os Caminhos Juniores onde passarão filmes para crianças.

Os Workshops (vagas limitadas) terão o custo de 50 euros para o público em geral, 40 para os sócios do CECEstudantes.

O evento realiza-se em vários espaços da cidade como o Teatro Académico Gil Vicente e o novo Theatrix (antigo Cinema Avenida).

O programa completo do evento pode ser visto aqui.

Para mais informações sobre o evento, deverão dirigir-se ao site dos Caminhos que está disponível a partir deste endereço: www.caminhos.info.

Com as etiquetas , , , , , , , , ,