Tag Archives: Câmara Municipal de Águeda

Apoios a mais, ilegalidades e apertos

Li no Público de hoje.

“Tribunal de Contas considera ilegal apoio da Câmara ao futebol da Oliveirense” – Sara Dias Oliveira

Trechos da peça jornalistica:

” O Tribunal de Contas (TC) considera ilegal e susceptível de configurar eventual responsabilidade financeira sancionatória e reintegratória, o apoio de 240 mil euros atribuídos pela Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis à União Desportiva Oliveirense (UDO) na época de 2008\2009. A autarquia pagou aquela verba para que os jogadores do clube de futebol profissional usassem o logótipo municipal no seu equipamento desportivo.

O pedido de apoio passou pelos serviços técnicos da Câmara que o chumbaram, por violar o preço base do caderno de encargos. Mesmo assim, o então presidente da câmara Ápio Assunção, aprovou, por despacho, a proposta da UDO sem lhe mudar uma vírgula, alegando “interesse municipal na contratação do serviço”.

Ápio Assunção alegou, no contraditório apresentado ao TC, que nunca houve intenção de atribuir um apoio financeiro à equipa da UDO, mas sim celebrar com o clube um contrato de prestação de serviços de publicidade (…)

Os argumentos não convencem o TC, que se apoia na lei para sustentar que os clubes desportivos que participam em competições profissionais não podem beneficiar de apoio ou comparticipações financeiras das autarquias locais, sob qualquer forma, com excepção da “construção ou melhoramento de infra-estruturas ou equipamentos desportivos com vista à realização de competições desportivas de interesse público. Para o TC não há dúvidas: “A despesa é ilegal e os respectivos pagamentos são ilegais e indevidos, na medida em que não se mostram idóneos à realização de um fim público”.

A caixa ao lado mostra que a Câmara Municipal de Paços de Ferreira deu 250 mil euros ao Sport Clube de Paços de Ferreira e 125 mil ao Freamunde no mesmo âmbito.

Assim, não custa o profissionalismo a esses clubes.

Já a Câmara Municipal de Águeda, por exemplo, ainda não deu um tostão aos clubes enquanto não se averiguar o que lhe será consignado ao nível de verbas em Orçamento de Estado. Faz muito tempo até que deixou de “alimentar” futebol sénior e faz muito bem.


 

 

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , ,

Cortes de rating

A Moody´s também cortou o rating das Câmaras de Sintra e Lisboa, da Região Autónoma da Madeira e dos Açores.

A Câmara de Sintra assim como a Câmara Municipal do Porto já afirmaram que não irão renovar o contrato com a agência de rating, facto que deveria ser seguido pelo Estado Português, bancos, empresas públicas, regiões autónomas, empresas privadas e autarquias.

Já agora porque é que também não cortam o rating da Câmara Municipal de Águeda? Podem sempre pegar pelas ciclovias que o PSD tanto contesta, pelas despesas no Agitágueda e na Festa do Leitão, pela flauta do nariz do Tónio da Loiça, pelo facto do Daniel Arede estar sempre a chatear as pessoas e o turistas camones e pelos jacintos na Pateira que podem ser prejudiciais à flora e fauna aquática!!


Com as etiquetas , , , , , , , ,

Amanhã (Parte II)

Legendary Tigerman ft Maria de Medeiros: “These boots are made for walking” (Nancy Sinatra cover) — Fémina (2009)

Hoje (sexta-feira) pelas 21.30 no Cine-Teatro São Pedro.

Incluído nas Sextas-Feiras Culturais da Câmara Municipal de Águeda.

Com as etiquetas , , , , , , , ,

Amanhã


Paulo Furtado (Legendary Tigerman) sobe ao palco do Cine-Teatro São Pedro em Águeda pelas 21 e 30 no âmbito das “Sextas-Feiras Culturais”.

O seu último álbum (Fémina) estará obviamente em destaque.

Os bilhetes custam 5 euros a quem os adquirir hoje no Fórum da Juventude, Biblioteca Municipal Manuel Alegre, Câmara Municipal de Águeda (posto da cultura), Piscinas Municipais e na bilheteira do Cine-Teatro ou 10 euros amanhã.

Recomendo.

Com as etiquetas , , , , , , , ,

D. Juan do Botaréu

Chegou aqui à redacção do Entre o Nada e o Infinito um vídeo amador que foi depositado no Youtube, em que o Presidente da Câmara Municipal de Águeda Gil Nadais aparece bastante animado numa noite da edição 2010 do Agitágueda.

Pode ser visto aqui

Ao autor do vídeo (logado com o nick MsCarlos198711) gabo-lhe a coragem por ter publicado estas imagens. A devassa à vida pessoal do homem é censurável, mas as imagens são hilariantes. Qual cansaço qual quê. As imagens consagram Gil Nadais como um homem virado para a farra, para a diversão e pode-se dizer que ainda “está aí para as curvas”.

Do melhor…

Com as etiquetas , , , , ,

Crítica da noite…


Desde Setembro que aguardamos pelo trabalho final das obras de requalificação da margem esquerda do rio Águeda que a autarquia está a levar a cabo desde a rua 5 de Outubro até à entrada de Paredes.

A via já está aberta ao público e qual é o nosso espanto ao ver que o pavimento em alcatrão foi substituído pelo pavimento em paralelo. Uma escolha incompreensível, dizem muitos.

Se o objectivo  na rua 5 de Outubro seria o alargamento da via rodoviária, é caso para dizer que ao nível do trânsito local aquele ponto mudou para pior. A faixa continua igual, continuam a não existir sítios para os moradores estacionarem o carro e a presença dos taxistas na zona coloca muitos carros em 2ª fila, tornando o trânsito para quem sai das rotundas e para quem vem de Paredes completamente caótico.

À entrada de Paredes, aparecem as três piores situações das obras de requalificação: a Junta do Vinho ainda não tem destino traçado pela Câmara ou seja, está ali tudo muito bonitinho excepto aquele mamarracho enorme ali plantado sem qualquer utilidade.

A autarquia socialista continua a apostar nas ciclovias que ninguém vai utilizar: depois de pintar e repintar de vermelho o alcatrão de meia cidade quando se podia fazer uma enorme ciclovia do lado do rio de Recardães até à Pateira (um certo presidente de Junta não deixou) vemos sair da rua que liga a entrada de Paredes à Alta-Villa uns enormes ferros que circundam o sítio onde se pode andar de bicicleta e a faixa rodoviária. Outra ideia inconcebível.

No fim da estrada de paralelo, eis que o condutor se depara com um enorme desnível de estrada. Mesmo à frente da capela de Paredes. É bem certo que aquele local precisa de ter uma sinalética que obrigue o condutor a abrandar – o cruzamento da capela de Paredes é perigoso. Mas, não era necessário que se fizesse aquela “obra de arte” desnivelada, capaz de partir suspensões de muitos carros.

Nota: Tudo isto vai ser fotografado e postado em breve, assim como aquilo que uns artistas escreveram nos muros que impedem a passagem automóvel na antiga passagem de nível quem vai para o hipermercado LIDL.

O Pessoal do PSD já deve andar a esfregar as mãos para criticar esta obra nas próximas sessões de Assembleia Municipal.

Todavia, gostaria de dar “um aviso à navegação do pessoal do PSDÁgueda”: não se excitem muito. Lembrem-se que não podem atirar pedras aos outros quanto tem telhados de vidro. Não se esqueçam que os Socialistas estão a fazer mais pela cidade em 5 anos do que vocês fizeram em 30.

Mal ou bem, o PS está a conseguir revitalizar esta cidade. Se porventura tivessemos que continuar com o PSD na Câmara não haveria Agitágueda, não haveria um projecto para um Centro das Artes, não haveriam “Sextas-Feiras culturais no Cine Teatro São Pedro,  não haveriam requalificações das margens do rio, não haveriam negociações benéficas no âmbito do alargamento das redes de transportes (autocarros, comboios), não haveriam esforços para dotar de melhor qualidade todas as freguesias, a Biblioteca Manuel Alegre não existiria e o Centro de Canoagem continuaria tão parado como hoje se encontra.

Ou seja, Águeda continuaria tão estática, tão parada como há 15 anos atrás.

Com as etiquetas , , ,

Que risota!

José Vidal vira-se a Alberto Marques. Alberto Marques vira-se a José Vidal.

Num panorama recente em que uma Assembleia Municipal teve duas reuniões num cúmulo total de 8 horas para discutir ideias para o futuro do concelho e nada se espreme da laranja, a batalha arrasta-se pelos jornais, sem que os Srs. em causa façam mais do que se criticar num estilo altamente basófias.

Meus senhores, creio que me urge desafiar-vos a finalmente fazer algo por Águeda. No espaço certo, no tempo certo…

Com as etiquetas , ,

O carro foi à valeta…

A gerência do vosso blog de eleição tem uma em primeira mão para vos contar: ia eu ontem ali pelas bandas da Alta Vila ao final da tarde quando vi um carro particular imobilizado numa das valetas que dá acesso ao desvio feito pelos tipos das obras da linha de ferro (quem vai para o hospital).

Mesmo no momento em que vou a passar, saem dois cidadãos da viatura. Equipados com uma farda amarela e verde, encontram-se num estado notório de tal bubadeira que o cidadão que estava ao volante teve bastantes dificuldades em sair do veículo. Estão ver de que instituição pública pertencem estes funcionários, não estão? Estão!!!

Tudo isto decorre na presença de vários populares da localidade de Paredes que se riem do aparato causado pelas bubadeiras indecentes dos referidos cidadãos.

O que é interessante para ressalvar o que eu vi por demasiadas vezes. Esses funcionários de uma determinada instituição pública, cuja função é a de tratar da preservação e manutenção do património camarário, não só são encontrados horas a fio a passear de forma descontraída pelas ruas do burgo como por vezes são surpreendidos por munícipes conhecidos a bebericar aí pelas tascas mais chungas da coisa…

Já que a instituição pública os manda para o exterior aos magotes (mais daqueles que são realmente precisos) que tal começar a enviar os seus responsáveis de vez em quando para fiscalizar se o trabalho que lhes compete é feito?


Com as etiquetas , , , ,

Porquê?

Nos últimos meses, as crónicas do Dr. Alberto Marques no Jornal “Região de Águeda” têm sofrido alguns hiatos de publicação. A edição da passada quinta-feira foi um dos exemplos.

Ao folhear a referida edição, deparei-me com a falta da crónica das arrobas.ponto.com e fiquei triste. Fiquei triste porque gosto sempre de dar uma boa gargalhada ao ler a argumentação dos Sociais-Democratas Águedenses. No fundo, são artigos de opinião de quem não deixa Gil Nadais fazer, o que pelo PSD.em.31.anos.não.foi.feito.

Com as etiquetas , , , , ,

Perguntas da noite para o dia

Convido o Sr. Presidente da Câmara Municipal de Águeda, o Dr. Gil Nadais, e todo o seu executivo a tomar a liberdade de vir a público responder a estas questões:

1. Se a Câmara Municipal de Águeda comparticipou a Festa do Leitão com o generoso montante de 174.982. 74 euros porque é que anda a dizer aos pais dos alunos da pré-primária da Chãs que não tem dinheiro para pagar às auxiliares de educação?

2. Se o Rio Águeda (aquando da realização da Festa do Leitão) estava tão bonito com um caudal considerável, porque é que agora passadas duas semanas mais parece uma fossa a céu aberto?

Com as etiquetas , , , , ,

Ser político é tão fácil

Quem é de Águeda decerto o perceberá. Quem não é, passe à frente este capítulo.

Hoje ao ler uma edição de um dos jornais regionais, dei de caras com uma notícia que os vereadores de um certo partido da cidade abstiveram-se quanto à alteração do alvará de loteamento da empresa PECOL por parte do executivo municipal.

Para quem não sabe, o Grupo PECOL é uma das maiores empresas Aguedenses, senão a maior. Pelo menos, os seus indicadores de crescimento não têm parado nos últimos 10 anos. É um grupo industrial a sério, não uma “chafarrica” no sentido literal do termo, como 90% das empresas aguedenses. Cria uma riqueza anual para o país perto dos 70 milhões de euros. Emprega centenas de pessoas, dá subsistência a dezenas de famílias. Tudo derivado da inteligência de um rosto: Paulo Coelho.

Esta abstenção não vêm significar mais do que um jogo de interesses pessoais de quem sistematicamente vai à Assembleia Municipal posicionar-se contra tudo o que é feito pelo executivo. Dispenso apresentações. É mais que imanente que existem pessoas que não fazem política senão para tentar puxar a brasa à sua sardinha. Diria melhor, para defender com unhas e dentes a sua dama. A questão é que essa dama já foi há muito ultrapassada no mercado de concorrência e não tem a mínima hipotese de recuperar terreno.

Como munícipe, sinto-me indignado com a política que é feita. É a política de quem não fez nada no seu tempo e não deixa os outros fazer nada. Destruir é facil, construir é que é do diabo. No entanto, há quem esteja a construir. Assim, ser político é tão fácil.

Com as etiquetas , , ,