Tag Archives: Bruno Paixão

falta de categoria

Dizia-me uma pessoa no café que maior parte dos arbitros portugueses “como não jogaram futebol” não são gajos que entendem o futebol.

A mesma pessoa foi unânime aquilo que acho sobre Bruno Paixão: falta de categoria.

Bruno Paixão é um agente que anda a mais no futebol português. Não é de hoje. Bruno Paixão anda a mais no futebol português há anos.

Falamos de um árbitro que há uns anos atrás, no final de um jogo da Académica no antigo Calhabé, foi acusado por uma oficial da PSP de se ter exibido na porta do seu balneário apenas de toalha à cintura e de posteriormente se ter desnudado à frente da mesma.

Incidente à parte, Bruno Paixão é um indecente. Acredito que já tenha prejudicado todas as equipas da 1ª liga durante os anos em que é árbitro de 1ª categoria. Quando apita o Sporting, o Sporting não ganha. Não é que o Sporting jogue muito nesses jogos, mas Paixão mal ou bem mete sempre o seu dedinho no jogo.

Não consigo perceber como se mantem na 1ª categoria de arbitragem. Vê os lances de longe. Tem uns auxiliares miseráveis. Deixa que o jogo se paute por constantes paragens. É demasiado excessivo no capítulo técnico, muitas vezes dando amarelo por faltas curriqueiras. Marca penaltis após penaltis sem sequer ponderar a melhor decisão. De vez em quando alterna entre a excessividade de paragens e cartões e o regaboff total dentro das 4 linhas onde tudo é permitido aos atletas. Fala demasiado com os treinadores em ímpetos de falso-moralismo e tem uma coisa que me irrita imenso: demora séculos quando exibe cartões.

Bruno Paixão é indecente. Provavelmente deve ter um bom padrinho entre a comissão de arbitragem. Não consigo também perceber como é que conseguiu que a FIFA o tornasse árbitro de elite. Enfim, é fraco, é incompetente e é indecente.

Com as etiquetas , , , ,

Amigo não empata amigo!

A nomeação de Carlos Xistra para o jogo de ontem causou alguma polémica, visto que os regulamentos da Liga de Clubes e os regulamentos da Federação não batem certo.

Nos jogos da Liga, em jogos entre equipas da mesma associação de futebol distrital pode ser nomeado um árbitro da mesma associação de futebol assim como em jogos de equipas de  associações distritais diferentes, poderá ser nomeado um árbitro da mesma associação distrital de um das equipas.

Nos jogos da Federação, os estatutos prevêem que não podem ser nomeados árbitros das mesmas associações distritais das equipas em confronto. Daí que tenha sido nomeado Carlos Xistra para o clássico que se realizou ontem.

A acrescentar a este facto, para o jogo de ontem teria que ser nomeado um internacional. Reduziam-se assim, entre os árbitros de 1ª categoria, as escolhas para 3 nomes: Carlos Xistra, Olegário Benquerença ou o sempre “simpático” Bruno Paixão.

Se Benquerença era um nome riscado, dadas as divergências existentes entre os clubes em confronto quanto ao nome do árbitro Leiriense, colocar Bruno Paixão na Luz seria o mesmo que um desastre total. Daí que Xistra tenha parecido à luz da Federação uma escolha sensata.

Rivalidades à parte, Xistra e os seus auxiliares erraram por 4 vezes no clássico: 4 erros com influência directa no resultado final, erros que felizmente não retiraram a verdade desportiva à eliminatória que o Porto, desde já, venceu justamente

Falo do golo de Hulk em claro fora-de-jogo, do penalti mal assinalado a favor do Benfica e de duas expulsões que deveria ter acontecido: a de Cristian Rodriguez e a de Carlos Martins, que esteve mais interessado em interagir com os elementos do banco do Porto do que no que se passava dentro das 4 linhas.

Xistra fez uma arbitragem medíocre, notando-se claramente que não é árbitro para estes tipos de jogos. A arbitragem Portuguesa continua no seu melhor, a rivalidade entre o Porto e o Benfica continua no seu melhor. Outra pergunta que aqui coloco é quando é que as instâncias que regulam o futebol português colocam finalmente um ponto final nesta rivalidade doentia, sancionando com dureza os dois clubes por aquilo que têm dito e feito ao longo desta época?

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,