Tag Archives: Braga

infeliz, infelicidades

Parece que estamos a voltar ao tempo dos ‘catadores de lixo’, uma situação própria de países do Terceiro Mundo. É preciso tomar medidas para travar este roubo, que nos prejudica a todos. As coimas podem funcionar como um factor fortemente dissuasor” – Pedro Machado, administrador da BRAVAL, empresa intermunicipal de Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde.

Tem bom remédio seu pulha. Vá a São Bento e a Bélem pedir aos órgãos de soberania que acabem com a pobreza, com a fome, com o desemprego e com o desespero das pessoas que procuram comida no seu lixo devido às suas políticas terceiro mundistas. Aliás, como rei do lixo que é, fique com o seu lixo, ou seja, com as suas palavras. E já agora, à lá Viegas, vá tomar no cú com as suas coimas. Ou acha que quem vasculha lixo à procura de comida irá pagá-las? É triste perceber que existem estes cenários dantescos no nosso país, mas ainda é mais triste ver funcionários públicos “armados ao pingarelho” a tratá-los de crime. Francamente…

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

engraçado :)

A Pensão Português Inn em Braga.

 

Com as etiquetas , , , ,

facas de três bicos

O Costa do Castelo desistiu.

Seguro deu o sinal de alarme mas também se soube precaver. Apesar de ter perguntado qual era a pressa na convocação de um congresso quando tinha sido ele a apressar esse mesmo congresso na AR, havia sempre a questão das eleições à Câmara da Capital. António Costa sabia perfeitamente que não havia alternativa no PS\Lisboa às eleições autarquicas. Podia-se optar por uma solução de recurso dentro do “socratinismo” para Câmara que até pudesse lutar pela vitória contra Seabra (Pedro da Silva Pereira, Luis Amado ou até Carlos Zorrinho) mas essa hipótese seria sempre vista como a 2ª escolha para o cargo por parte de um partido que precisa de subir no barómetro.

António Costa sabia perfeitamente que não se podia tornar líder do PS antes das autárquicas (teria que obrigar o partido a manobras que poderiam não resultar nas eleições) ou depois das autárquicas (os lisboetas não seriam parvos e não iriam votar em alguém que iria abdicar a meio do mandato para se tornar candidato às legislativas). Em qualquer um dos cenários, a decisão de António Costa parece-me a mais sensata para a unificação do partido mas não me parece a mais sensata para o futuro pois António José Seguro não deverá constituir-se como alternativa a este governo. Creio que entretanto aparecerá alguém da ala “socratista” que irá empurrar Seguro para o lugar do qual ele jamais deveria ter saído.

Ganhar as autárquicas em Portugal significa, ao nível de mediatismo, barómetro de popularidade dos partidos e fidelização de eleitorado para as próximas legislativas ganhar uma dúzia de câmaras muncipais: Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia, Maia, Matosinhos, Coimbra, Braga, Amadora, Sintra, Almada, Oeiras, Leiria e Viseu. Só nestas Câmaras Municipais, a brincar a brincar, concentram-se quase 2,5 milhões de eleitores, número que é mais coisa menos coisa metade do número de votantes habituais, pautando a abstenção que se registou nas últimas legislações.

No caso de Lisboa, o partido que vencer a Câmara sobe nos índices mediáticos e no barómetro de popularidade. Portanto, torna-se essencial para PS e PSD disputarem a capital com o presidente em mandato e com um opositor que é amado em Sintra e é popular em Lisboa. Uma derrota nas autárquicas poderá ser o golpe de misericórdia neste governo. Creio que não será porque o executivo cai antes. Mas…

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

isto sim é inacreditável (2)

O Beto teve uma paragem cerebral e ficou a meio do caminho. Levou a chapelada. Tinha de ser. E no 3º golo, o Manchester faz gato-sapato da defesa do Braga. No entanto há que dizer que este Braga deverá ter feito um dos melhores jogos da sua história e complicou em muito a vida ao United nas duas partidas realizadas.

No Dell´Alpi, o Chileno Arturo Vidal (grande jogador!!) marcou um golo à platini. Não pelo facto do actual presidente da UEFA ter sido um dos grandes jogadores da história da Vecchia Signora mas sim pelo facto do seu sistema de UEFA privilegiar a entrada na competição de equipas que não tem ponta por onde se lhe pegue, caso destes Dinamarqueses do Nordsjaelland.

Pyatov fez companhia a Beto. Não fosse o duplo erro do internacional Ucraniano e o Shakhtar Donetsk teria saído de Stamford Bridge com uma vitória contra o poderoso Chelsea. Mais um que fica na retina, embora já o conhecesse de outras paragens: Willian. Não tardará muito e estará num grande europeu. Até lá cuidado com este Shakhtar. É a equipa mais perigosa em contra-ataque do futebol europeu. Ganhar ao Chelsea em casa e vir jogar de peito aberto com um futebol de ataque bem pensado e extremamente flanqueado a Stamford Bridge não está ao alcance de qualquer equipa. Pena foi o golo de Victor Moses ao cair do pano. De Brasileiro para Brasileiro, Oscar é qualquer coisa… aquela precisão de passe é absolutamente deliciosa. Cada vez mais o patrão do meio campo deste Chelsea de Di Matteo.

p.s: nota final para a goleada do Bayern por 6-1 contra o Lille. aquela máquina avassaladora lá na frente dos Bávaros faz-me posicioná-los como os principais candidatos à Champions deste ano.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Mão Morta — “Barcelona (encontrei-a na plaza real) — Álbum: Mutantes S.21 (1992)

Com as etiquetas , , , , ,

justiça

A FA decidiu punir o Uruguaio do Liverpool Luiz Suarez por insultos racistas proferidos ao defesa-esquerdo do United Patrice Èvra no último jogo disputado entre reds e red devils.

A FA, neste tipo de casos, costuma ter mão bem pesada e com toda a razão. Em Portugal, fazem algumas semanas que aconteceu exactamente o mesmo entre 3 jogadores de 2 clubes (Javi Garcia, Alan e Djamal). Fez-se muito alarido na imprensa. Falaram os jogadores envolvidos, colegas, treinadores, conhecidos e até presidentes. A Liga de Fernando Gomes não abriu sequer uma investigação para chamar à letra os envolvidos.

Aí reside uma enorme diferença entre o futebol português e o futebol de outros países.

Suarez deverá ter chamado “preto” a Évra e foi punido com 8 jogos.

George Weah deu um soco a Jorge Costa depois de este lhe ter chamado “preto de merda” e apesar de ter sido ilibado pelas instâncias judiciais desportivas ainda cumpriu alguns meses de suspensão enquanto a pena não transitava em julgado nas mesmas.

Na época 2004\2005 Paolo Di Canio fez a saudação nazi em dois jogos da Lázio (Roma e Livorno) tendo sido suspenso por 1 jogo na 1ª vez e por 8 na 2ª com multas de 10 mil euros nas duas ocasiões.

John Terry ainda está a ser investigado por insultos racistas a Anton Ferdinand e arrisca-se a uma pena que pode ir dos 4 aos 8 jogos.

Carlos Queiroz foi despedido do comando técnico da Selecção Sul-Africana em 2002 por alegadas queixas de jogadores sul-africanos de que o técnico português era racista no tratamento pessoal e profissional dos jogadores negros da referida selecção.

Em 2006, António Carlos Zago, antigo defesa da Roma e da selecção Brasileira chegou mesmo a ir ao banco dos reús por alegados insultos racistas proferidos a meio de um jogo a Jeovânio, jogador que na altura jogava pelo Grémio de Porto Alegre.

Laurent Blanc foi alvo de um processo disciplinar em 2010 por parte da Federação Francesa depois de ter proferido comentários que alegadamente foram interpretados como racistas.

Não é portanto à toa que as instâncias mundiais e europeias que mandam no futebol apregoam os valores do respeito, da igualdade étnica e da luta contra o racismo no futebol. A interpretação destes valores acarreta obviamente várias interpretações, diria, tantas quantas federações existem no mundo do futebol. É certo que a inglesa, a italiana, a francesa, a brasileira, a sul-africana actuaram na medida exacta contra os casos que acima mencionei. Não é uma questão de criticar a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga de Clubes pelo seu comportamento no que toca a estes casos, mas o que é certo é que no que toca a esta problemática, os nossos organismos ainda são pequeninos. E consequentemente as mentalidades no nosso futebol ainda são pequeninas.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Governo Civil

3 Governadores Civis demitiram-se mal foram informados que Pedro Passos Coelho ter afirmado que não iria nomear governadores civis.

António Galamba (Lisboa) Fernando Moniz (Braga) e Manuel Monge demitiram-se na sequência das afirmações do Primeiro-Ministro no decurso do seu discurso de Tomada de Posse.  António Galamba justificou a sua decisão pelo facto de “nos ultimos meses os governadores civis em funções foram confrontados com uma campanha mediática populista, catalisada por partidos políticos como o PSD e o CDS-PP, centrada na defesa da extinção dos governos civis.” – O mesmo refere também que: “os governos civis foram ignorados e “apresentam uma sustentabilidade financeira invejável, com capacidade de gerar receitas próprias para o funcionamento dos serviços prestados aos cidadãos, para apoiar as forças de segurança e contribuir para o equipamento dos bombeiros voluntários de cada distrito”

Na minha modesta opinião, o novo primeiro-ministro deveria ir mais longe na sua reforma administrativa e acabar de vez com os governos civis. Afinal de contas, os governadores civis não servem mais para além de descerrar placas comemorativas e serem uma despesa inútil para o erário público nacional! Se na opinião do Governador Civil de Lisboa, os governos civis servem os propósitos acima enunciados na declaração, poupa-se despesa no seu encerramento e transferem-se directamente as suas competências e os recursos que dispõem para a protecção civil portuguesa, para o exército (quando chamado a combater incêndios florestais), para o ministério que tutela as forças de segurança,  para as lojas do cidadão espalhadas pelo território e fundamentalmente para as autarquias, ficando o caso resolvido. 


Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A Liga dos Nomes Estranhos

No passado actuaram nomes bizarros na Liga Portuguesa como Konadu, Torrão e Kata (União de Leiria) Roberto Tigrão (Moreirense) Pintassilgo, Eufigénia, King, Nabor e Tozé Marreco (Farense) Vuhuo, Mickey, Febras,  Abazai, Fofana e Eurípedes Amoreirinha (Académica) Rodrigo Arroz, Zázá e Lula (Belenenses) Buba, Tanque Silva e Juninho Petrolina (Beira-Mar) Jean Jacques Missé-Missé, Poejo, Julian Kmet, Marlon Brandão, Paulinho Cascavel,  Maurício Hanuch, Balajic e Koke (Sporting)  Chicabala, Marafona, Danielson e Sidraílson (Rio Ave)  Argélico Fuchs, (Argel), Tamagnini Néné, Kandaurov Panduru, Abdelsatar Sabry, Fyssas, Azar Karadas, Machairidis e Escalona (Benfica)   Godeméche, Lupède e Camora(Naval)  Olberdam e Fogaça (Marítimo) Mamadu Bobó, Martelinho, Elpídio Silva e N´Kama (Boavista) Penteado e Mrdakovic (Vitória de Guimarães) Frasco, Vermelhinho, Bandeirinha (Porto) Vinagre e Kasongo (Chaves) Casquilha (Gil VicenteMoreirense) Toy (Olhanense) Cao (Campomaiorense) George Lucas (Braga) Kasumov (Vitória de Setúbal).

Actualmente os 16 clubes da Liga parecem manter a aposta em jogadores com nomes bastante bizarros senão vejamos:

– Porto com Kelvin, Sapunaru, Otamendi.
– Benfica com Melgarejo, Wass (vá-se foder!), Weldon, Alan Kardec e as possíveis contratações Bottinelli e Stracqualursi.
– Sporting com Ricky Van Wolfswinkel, Stijn Schaars e Torsiglieri.
– Braga com Imorou e a possível contratação Darragi.
– Vitória de Guimarães com Issam El Adoua, Jean Barrientos, N´Djeng e Kamani Hill.
– Nacional com André Zuba, Douglas Pará, Michael Weir, Elisson, Todorovic, Mihelic e Skolnic.
– Paços de Ferreira com Reinaldo Lobo, Eridson, Marcelo Tchê, Bacar, Cohene e Amond.
– Rio Ave com Huanderson e Wires.
– Marítimo com as possíveis contratações Domeneghini, Metouali, Berrabeh e os jogadores Roberge, Sérgio Marakis, Baba e Heldon.
– União de Leiria com Jorge Chula, Obradovic e N´Gal.
– Olhanense com Turossi, Carvajal, Yontcha e Ismaily.
– Vitória de Setúbal com Anderson do Ó, Peter Suswam e Getúlio Vargas.
– Beira-Mar com Bornes, Enoque Paes e Wang Gang.
– Académica com Amessan e Pape Sow.
– Gil Vicente com Péricles, Junior Caiçara, Paulo Arantes e Simão Coutinho.
– Feirense com Sténio Santos e Élvis.


Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Liga Europa

Parabens ao Benfica, ao Braga e ao Futebol Clube do Porto pelas passagens aos quartos-de-final da Liga Europa, constituíndo assim um pedaço inédito de história para o nosso futebol, que nesta edição da Liga Europa (extinta Taça UEFA) terá 3 equipas Portuguesas a jogar os quartos-de-final.

Com maior ou menor dificuldade, conseguiram vencer as suas eliminatórias contra equipas com igual ou superior calíbre no actual panorama do Futebol Europeu, elevando bem alto o nome de Portugal.

Espero que o sorteio dos quartos-de-final não dite uma eliminatória entre equipas Portuguesas, para que as 3 ( jogando contra adversários estrangeiros) possam passar às meias-finais e quiçá não só nos dar uma meia-final como eventualmente uma final Portuguesa.

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

300 mil nas ruas

(foto: Manuel A. LopesAgência Lusa – RTP)

200 mil na Avenida da Liberdade em Lisboa. 80 mil na Avenida dos Aliados no Porto. 1500 na Praça da República em Coimbra. 500 em Leiria. 6 mil em Braga. 6 mil em Faro. 250 pessoas no Funchal. Mil pessoas em Ponta Delgada. 200 pessoas em Castelo Branco.

(números aproximados)

Sem confrontos, sem quaisquer tipo de intervenções policiais. O protesto de uma “geração à rasca” foi um tremendo bloco de força contra as políticas que tem ostracizado a juventude portuguesa. Contra a falta de emprego entre jovens licenciados e não-licenciados, contra a precariedade e os recibos-verdes, contra os cortes no financiamento das universidades e do ensino básico e secundário, contra os cortes na acção social – por um futuro melhor!

Não tenho dúvidas em afirmar que hoje se marcou uma página bonita na história contemporânea Portuguesa e que mais acções se seguirão nas ruas nos próximos meses. É hora de dizer basta.


Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , ,

União de Leiria 0-3 Beira-Mar


Uma grande exibição individual de Artur em Leiria (1 golo e 1 assistência) e mais uma exibição personalizada dos comandados de Leonardo Jardim valeram mais 3 pontos em Leiria!

O Beira-Mar não fez uma exibição de gala frente à União, mas mereceu amplamente os 3 pontos, muito devido ao facto de ter marcado cedo (aos 15 minutos por Ronny) e de a partir daí ter controlado o jogo, mesmo perante as sucessivas investidas da União de Leiria na 2ª parte antes do golo de Artur aos 87″.

Continuo a repetir que este sucesso do Beira-Mar não é obra do acaso. Como referiu Leonardo Jardim na conferência de imprensa “este plantel é um plantel de trabalho”. Como tal, o trabalho árduo mesmo perante as dificuldades que o clube atravessa está a surtir efeito e está a trazer felicidade.

Continuo também a repetir que este bom momento tem que ser gerido com serenidade. Não podemos embandeirar em arco e aspirar para já um lugar europeu. Temos sim de continuar a trabalhar e a apoiar a equipa como temos apoiado. Jogo a jogo, podemos construir algo bonito para a história do clube. Disso temos a absoluta certeza. Assim como temos a certeza que as grandes vitórias só aparecem se mantivermos uma postura humilde e se enfrentarmos todos os adversários olhos nos olhos como temos enfrentado.

No final desta ronda, o Beira-Mar continua a ocupar a 7ª posição com 23 pontos. Estamos a 5 do 3º lugar (Sporting) e a dois do 4º e 5º que são respectivamente Vitória de Guimarães e Nacional. Teoricamente, alcançamos a manutenção com mais 3 pontos. O que vier a partir daí é lucro!



Venha o Futebol Clube do Porto. Dupla jornada em vista contra os Portistas. Primeiro, quarta-feira para a 2ª Jornada da fase de grupos da Taça da Liga. Sábado, em Aveiro, a contar para a 17ª jornada da Liga ZonSagres.

Para Quarta-Feira, o site do FC Porto anuncia bilhetes entre os 5 e os 10 euros para não sócio. Convidativo.

Mesmo perante a parca possibilidade de qualificação, vencer o Porto seria importante para motivar a equipa para a recepção ao líder da Liga em Aveiro no fim-de-semana.


Ainda sobre o plantel profissional, ontem tanto o Jornal A Bola como o Jornal Record davam como certa a saída de Eduardo Kanu para o Sporting de Braga.

Os Bracarenses pretendem reforçar o eixo da defesa após a venda de Moisés para o Al-Rayyan do Qatar por 750 mil euros. Segundo os jornais, Kanu já deverá ter chegado a acordo com os Bracarenses, faltando o acordo entre direcções. Especula-se que a direcção do Beira-Mar pediu 500 mil euros pelo passe do jogador que tem mais época e meia de contrato com o Beira-Mar.

Os referidos jornais também avançaram que o Beira-Mar já tem uma solução para colmatar uma eventual saída do central Brasileiro que deverá passar pela contratação de outro Brasileiro cuja identidade se desconhece.

Ao nível de saídas, Renan Meduna rescindiu contrato e voltou ao Brasil. Tiago Barros, Hugo Seixas e Jaime tem futuro indefinido no clube, podendo sair a título definitivo ou por empréstimo até ao final da época. Ao nível de entradas, Elio Martins assinou até ao final da época. Recorde-se que o extremoavançado foi peça basilar na subida do clube à 1ª Liga na época passada, tendo abandonado o mesmo para assinar pelo DOXA do Chipre.

Ainda sobre o plantel profissional, cumpre-me apresentar as minhas sentidas condolências à família Jardim pela morte do sogro do treinador Leonardo Jardim.


Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , ,

Mágico Braga

A era dourada do Sporting Clube de Braga.

Mágico Braga – Brilhante vitória obtida hoje frente ao Sevilha.

Este resultado não deixa os Bracarenses qualificados para a fase de grupos da Champions mas quase…No entanto creio que em Sevilha, o andamento vai ser duro e a equipa da casa tentará acelerar o jogo de tal maneira que o Braga deverá passar algumas dificuldades. Depois do que vi hoje, se a equipa de Domingos Paciência mostrar a mesma garra e a mesma atitude creio que irá passar para a fase de grupos.

Não passa decerto pela cabeça da direcção, da equipa técnica e dos jogadores da equipa Andaluz ficar de fora da fase de grupos da Liga dos Campeões, ainda mais contra um semi-desconhecido Braga. Pela qualidade do plantel Sevilhano, pelos custos de manutenção operacional destes jogadores (numa época que a direcção Sevilhana decidiu voltar a não vender Fabiano) não ir à fase de grupos da Liga dos Campeões significa perder largos milhões de euros que à priori já estão contabilizados como certos nos cofres pela direcção Andaluz.

No jogo desta noite, notou-se um Sevilha despreocupado. Notou-se um Sevilha que pensava que vinha a Braga fazer um passeio e que a vitória dependia exclusivamente de um lance ou outro de eficácia na finalização por parte de Kanouté ou Luis Fabiano. Neste tipo de jogos, o menosprezo por uma equipa teoricamente mais fraca paga-se caro. Domingos estudou bem a equipa com quem ia jogar ” fez a equipa vestir o fato macaco” e jogar taco-a-taco contra os Espanhois. Característica que desde já é a imagem de marca nas equipas de Domingos.

No entanto, a vantagem mínima não é suficiente para o Braga. A 2ª mão no Sanchis Pizjuán será terrível. Espera-se um Sevilha de top europeu, a carregar forte e feio. Se o Braga jogar com a mesma qualidade que jogou hoje, tem grandes condições para trazer para a cidade um feito histórico. Caso perca, a fase de grupos da Liga Europa já está assegurada.

Todos estes sucessos Bracarenses tem “três rostos”: o treinador Domingos Paciência, o presidente António Salvador e os treinadores e jogadores que têm passado pelo clube nos últimos 5 anos.
Se o primeiro é um treinador jovem que mete as equipas a jogar bom futebol (já o tinha feito na União de Leiria e na Académica) e tem um futuro enorme à sua frente, o 2º chegou à presidência do Braga, estabilizou o clube financeiramente e dotou-o de condições para lutar com os grandes do futebol nacional. Ambos, conseguiram desenvolver uma organização interna no clube que permite actualmente que o Braga consiga ser uma monta apetecível de compras para os grandes e para clubes de meia tabela nos maiores campeonatos europeus para depois reforçar o plantel com qualidade (quase não se notam as diferenças com as saídas de Eduardo, João Pereira, Evaldo, Hugo Viana) e a baixo custo.

O Braga neste momento é para mim a melhor equipa Portuguesa a jogar futebol. Com isto não estou a ferir os sentimentos bobos de Benfiquistas, Portistas e Sportinguistas. Sem falsos rodeios afirmo aqui que o Braga é tão candidato a vencer o título como o Benfica. Se no ano passo ameaçou, este ano pode concretizar.
Joga um jogo de ataque total, sem no entanto descurar as tarefas defensivas. É uma equipa coesa cá atrás e bastante perigosa no contra-ataque. Quando o contra-ataque não sai, os jogadores do Braga também conseguem construir jogo através de ataque organizado.

O Braga joga bonito, a equipa ganha, e as vitórias trazem as pessoas ao estádio com a sua camisola do clube. É o orgulho de uma cidade, é um dos orgulhos de uma região. Para se ter um clube sustentado é preciso dinheiro. O dinheiro só é conseguido quando se vence, quando se apresenta um espectáculo que as pessoas gostam. Para se ter um bom espectáculo de futebol é preciso ter bons artistas da bola e neste âmbito o Sporting de Braga pouco ou nada gasta.
Se todos os clubes da Primeira Liga seguissem esta Filosofia em vez de estar a contratar jogadores Brasileiros de 2ª, o Futebol Português não estaria no nível em que hoje se apresenta.


PS: A minha preferência clubística não é o Braga, como devem calcular.

Com as etiquetas , , , , , ,