Tag Archives: Bill Russell

NBA 2012\2013 #38 – as escolhas do staff

1. Começamos pelo habitual momento de humor, proporcionado pela rúbrica de Shaquille O´Neal na NBA TV: Shaqtin´A´Fool. Escolha do Eduardo Barroco de Melo.

Como sempre, a aparição regular de JaVale McGee (Denver Nuggets), desta feita com um acontecimento que merece um oscar. A reacção de McGee ao empurrão do rookie dos Cleveland Cavaliers Ty Zeller é absolutamente deliciosa.

2.

O Eduardo também nos traz um momento que aconteceu no último all-star weekend. No evento de trabalho comunitário promovido pelo programa NBA Cares, o poste dos Lakers Dwight Howard aprende a palavra trabalho da boca de duas cidadãs brasileiras. Pelas críticas que tem sido alvo pela sua má-forma nesta temporada, Howard vai ter que decorar a palavra neste último terço do campeonato para bem dos Lakers e das suas possibilidades de ainda atingirem os playoffs.

3. O Hugo Coelho Gomes traz-nos uma notícia que saiu no site da bola onde Isaiah Thomas, histórico jogador dos bad boys de Detroit (década de 80 e 90) afirma que “Lebron James é melhor que Michael Jordan”

Estas afirmações vem na sequência das afirmações de Jordan durante o all-star Weekend e no contexto da troca de palavras que se tem feito entre actuais agentes e antigos agentes da liga sobre quem é o melhor da actualidade (LeBron ou Kobe Bryant). Em Houston, Jordan afirmou que prefere o astro dos Lakers ao líder dos Heat. Tais afirmações tiveram resposta por parte de LeBron, que não se manifestou muito incomodado com as declarações do melhor da história da modalidade. Kobe tem passado ao lado da polémica e não se tem pronunciado publicamente sobre a situação.

Tenho muito respeito por Isaiah Thomas dado que foi um dos melhores bases de sempre da liga, mas não posso concordar com as suas afirmações. Isto porque:

– Jordan foi mágico em todos os sentidos. Jordan era um jogador completo a todos os níveis. Jordan foi a 6 finais e não perdeu nenhuma. Jordan marcou uma era. Jordan criou os Bulls como hoje os conhecemos. Jordan podia ter ganho 8 títulos seguidos caso não tivesse ido jogar baseball depois da morte do pai durante ano e meio. LeBron perdeu finais antes de conseguir o primeiro título apenas à sua 9ª temporada na liga. Jordan conseguiu o seu primeiro título à 7ª temporada na liga. Até hoje, nenhuma outra estrela da liga (nem Kobe, nem James, nem Wade, nem Duncan) conseguiram ganhar todas as finais em que participaram e tão pouco conseguiram os 6 títulos que Jordan conseguiu.

– Não é que LeBron não seja um jogador categórico porque é de facto. Estou seguro que será um jogador que ficará eternamente na memória colectiva da história da modalidade. Não concordo com Isaiah Thomas quando este disse que Jordan “saltava mais que os outros na altura” – falamos de uma fase da NBA recheada de jumpers e de shooters. Desde Gary Payton a Karl Malone, de Hakeem Olajuwon a Dikembe Mutombo, de Shaq a John Stockton, de Grant Hill a Reggie Miller. Tudo Hall of Famers da competição saídos da década de 90. Jordan era completo. Não foi o primeiro jogador completo da história da modalidade, mas dentro daqueles que foram completos (Bill Russell, Larry Bird, Kareem Abdul-Jabbar, Wilt Chamberlain, Joe Dumars), Jordan foi indiscutivelmente o melhor.

– Jordan e LeBron são jogadores diferentes ao nível de características: o primeiro era um shooter nato enquanto o segundo usa mais do físico para se fazer imperar. Se compararmos os números de um e outro notamos que ambos tem números muito parecidos nos vários departamentos de jogo. Jordan foi um jogador muito completo e LeBron é hoje um jogador muito completo. Ambos foram (no caso de LeBron são) bem secundados ao nível de equipa. Em Chicago, Jordan contava com a presença de outros jogadores brilhantes como Pippen, Longley, Kerr, Kukoc, Harper, Rodman, Paxson, Cartwright. Em Cleveland e Miami LeBron jogou com bons jogadores como Varejao, Larry Hughes, Ilgauskas, Wade, Bosh, Allen.

– É certo que toda a gente poderá opinar sobre este assunto. É certo que muitos do passado podem dizer que na era Jordan a competição era mais dura. Outros poderão afirmar que agora é mais duro vencer um título da liga do que era nos tempos de Jordan. Não poderemos estabelecer uma comparação entre os dois visto que não jogaram na mesma era, se bem que seria excitante ver Jordan, LeBron, Wade, Paul, Carmelo, e todas os outros Hall of Famers da história Liga a actuar numa única era.

– Na minha modesta opinião, em actividade, pelos títulos que já ganharam e pelo que já fizeram na liga, os dois melhores jogadores são Kobe e Tim Duncan. LeBron aparece em 3º.

4.

Bynum 2

Meme feito pelo Eduardo Barroco de Melo a reinar com o novo penteado de Andrew Bynum (Philadelphia 76ers). O poste voltou recentemente à competição depois de mais uma paragem prolongada devido à sua crónica lesão no joelho.

5.
LeBron James 2

Meme feito pelo Hugo Coelho Gomes, o maior fã de LeBron James que conheço!

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

NBA videos #1

50 anos depois. 100 pontos num único jogo. Will Chamberlain por Philadelphia. Ainda se mantem actualmente como o record de mais pontos somados por um jogador num único jogo. Se bem que há poucos anos atrás, num jogo contra Toronto, Kobe Bryant somou 87.

Will Chamberlain é um jogador mítico da Liga. Foi durante anos o melhor jogador da Liga, tendo um salário base que rondava os 30 mil dólares mensais nos anos 60, uma autêntica fortuna, considerando que na altura a Liga era maioritariamente constituída por jogadores brancos e Will era negro.

Will e Bill Russell, outro mito de então disputaram ano após anos duelos intensos.

Mais recentemente, numa auto-biografia, Will Chamberlain confessou (não sabemos se com um toque de verdade ou um toque de mito) que teve mais de 3 mil relações sexuais durante a sua vida.

Quem conhece a NBA profundamente, conhece Craig Sager.

Sager é um jornalista da TNT cuja profissão lhe dá o privilégio de viajar durante todo o ano com as equipas para cobrir (via TNT) o inside da competição.
Sager também é conhecido e ironizado na Liga pelo seu fraco gosto quanto à indumentária que veste. É ritual ver Sager com uma combinação constituída por um fato cor-de-rosa com uma gravata castanha, ou com um fato com lagartos e uma gravata do Mickey Mouse. Ou com um fato todo vermelho e uns sapatos pele de crocodilo verdes.
Neste vídeo, Kevin Garnett ironiza o pobre coitado e diz-lhe para queimar os fato!

Blake Griffin é a nova coqueluche da Liga.
Este número 2 do draft de 2010 conquistou os Estados Unidos da América com os seus poderosos afundanços. Dizem-se remates. Na verdade, aceitamos porque são autênticos remates.

No entanto, não são só os remates que fazem de Griffin um jogador com um potencial soberbo. O seu atleticismo é a sua maior arma. Tanto ofensivamente como defensivamente. É um jogador de um grau de explosão junto ao cesto demolidor, chegando por exemplo ao que foi nos anos 90 Dennis Rodman. Defensivamente é grande, abafa muito e ganha muitos ressaltos por jogo. Ao nível de lançamento não é tão forte como nas restantes características mas no entanto nesta época e meia de Liga ronda os 50% em lançamentos de campo. Já fez mais de 2500 pontos em época e meia, o que dada a durabilidade dos jogadores da NBA é meio passo para que entre nos 10 melhores de sempre neste campo.

Neste video, este ano, contra Oklahoma, Griffin brinda-nos com mais do mesmo. Fazer isto contra um jogador normal parece fácil para Griffin. O problema é quando do outro lado está um bom defensor, neste caso, Kendrick Perkins, um jogador que se pauta pela dureza associada ao alto dos seus 2,09m. Absolutamente delicioso.

Para rematar, um compendio de imagens dos melhores abafos da carreira de Alonzo Mourning.

Alonzo Mourning é um hall-of-famer que se destacou nos anos 90 principalmente ao serviço de Miami. Em Miami passou os seus melhores anos de carreira, que infelizmente coincidiram com os anos da era Jordan nos Bulls. Alonzo Mourning era um temível defensor e tem uma história enquanto desportista que é fenomenal: em 2004, Mourning estava em Miami já no fim de carreira quando recebeu a notícia que padecia de uma grave doença nos rins que o obrigava a interromper a carreira. Depois de um transplante de rim, Mourning ganhou coragem e em 2005 voltou a jogar pelos Heat tendo ganho o título desse ano ao lado de Dwayne Wade e Shaquille O´Neal.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,