Category Archives: Humor

the greeks are mad

Pago 2 finos a quem descobrir os dois erros (propositados ou não) do Sketch.

Anúncios
Com as etiquetas , , ,

Antes havia

O Franco (antigo internacional alemão; actual treinador nos austríacos do Sturm Graz) que tinha o apelido que era Foda.

Faz parte do mítico imaginário do nosso CM Database.

Na Áustria, a Foda de uma Aldeia é outra. Ler aqui a Fucking que é dar um nome diferente a uma aldeia.

Com as etiquetas , , , , ,

cantinadas

A noite continua viva de protesto na cantina dos grelhados.

Acabei de ler uma notícia que relatava a recusa dos estudantes de Cambridge em relação à presença de Dominic Strauss-Kahn.

Entre o PES e o estudo das RJIES estava embrenhado Ricardo Morgado.

Virei-me para o ditoso presidente e disse-lhe que bem podiamos trazer Strauss-Kahn para os debates de amanhã, desde que devidamente acompanhado de uma dúzia de jeitosas.

A resposta de alguém que tava a passar foi concludente e hilariante: ainda bem que não estão aqui as empregadas dos SASUC.

brincadeirita do dia

Este novo líder da troika em Portugal não podia ter um nome mais cómico.

Com Abebe Selassie é caso para dizer que Portugal não vai dar mais abébias!

Com Abebe Selassie as drogas vão ser finalmente legalizadas. ever living ever faithfull ever sure, Rastafara King Selassie the I.

Com as etiquetas ,

Incêndios de estupidez

Quem acompanha de perto o futebol em geral, e em particular os périplos da carreira de Mário Balotelli, decerto que saltou imensas risadas com alguns dos momentos mais cómicos do “artista” dentro e fora das quatro linhas.

Balotelli já protagonizou cenas de humor ímpares como: falar com adeptos do Inter no decorrer de um lance despropositado a meio de um final da Liga dos Campeões, negar conhecer a sua namorada (uma miss itália), ter problemas em vestir um colete no aquecimento ou atirar dardos ao campo onde uma equipa juvenil do City actuava por “não estar a gostar do espectáculo”.

Nesta semana, Balotelli protagonizou uma cena ainda mais caricata, ao ter lançado foguetes em casa com alguns amigos, facto que motivo um fogo no interior da habituação e a pronta emergência de uma corporação de bombeiros de Manchester. Mais cómico foi o facto de Balotelli se lançar rumo ao incêndio para salvar uma mala com notas que pressupostamente estava dentro da habitação!

Será que não existe ninguém que chame estúpido a este menino?

Com as etiquetas , , , ,

Festival O Gesto Orelhudo!

De acordo com a press release disponibilizada:

“Há gestos que nos surpreendem, nos fascinam e até nos mudam. A história resistente de um festival tem conseguido fazer tudo isso a Águeda. Vão completar-se 10 desses gestos.
O Gesto Orelhudo é um festival de musicomédia, termo nascido da orelhuda ideia de casar a música e o humor. Mas a diversidade artística da programação faz com que do intimista ao hilariante vá a distância de uma orelha à outra.
Começou por se realizar na Casa do Adro, em Águeda (1999 e 2001), passou depois pelo Auditório de Recardães (2002 e 2005), regressou à cidade para tornar mítica a tenda do Espaço d’Orfeu (desde 2006) e chega agora ao seu novo telhado: a antiga Junta dos Vinhos, espaço municipal que se assume como palco para novas manifestações.

O programa especial desta 10ª edição inclui bravos repetentes (Bernard Massuir, Oskar & Strudel, Trigo Limpo teatro ACERT, Teatro Necessario e Artelier?), óptimas estreias, não só no festival como no país (Cia. dos Palhaços, Mozart Group e Gadjo) e o envolvimento de projectos criativos locais (Fanfarra Kaustika e “Mal-Empregados”, a nova criação d’Orfeu). Há ainda o cruzamento de públicos com o circuito OuTonalidades que, para além do habitual encerramento festivo, terá também honras de pré-abertura no local, na sexta-feira anterior, a 30 de Setembro.
Este festival é uma iniciativa conjunta da d’Orfeu Associação Cultural e da Câmara Municipal de Águeda, parceria ininterrupta desde 2006. Um festival que, à 10ª edição, é ele próprio uma marca de Águeda! Venham todos fazer o Gesto!

Terça 4 de Outubro

21h45 “La Voix est Libre”, Bernard Massuir (Bélgica)

Se há, em 10 edições, artista que mais e melhor encarna o espírito artístico deste festival, ele é… Bernard Massuir. O belga esteve em três edições e sempre o público orelhudo se rendeu. Adepto do nada nas mãos (ou quase), Bernard Massuir apresenta um delirante recital vocal a solo, vagueando entre o humor musical e um delicioso minimalismo. “La Voix est Libre” é o novo trabalho de Massuir, aquele com que abre a 10ª edição do também seu Festival O Gesto Orelhudo!

23h30 “Concerto em Ri Maior”, Cia. dos Palhaços (Brasil)

Uma hilariante comédia musical de dois palhaços. Wilson, palhaço maestro russo, e Sarrafo, o seu fiel amigo e tradutor, tentam apresentar um concerto musical, por entre mirabolantes peripécias, que se sucedem com a cúmplice participação do público. Estreia absoluta em Portugal.

Quarta 5 de Outubro

21h30 “A Côr da Língua”, Trigo Limpo Teatro ACERT

Companheiros da aventura orelhuda desde o início, o Trigo Limpo apresenta “A Côr da Língua”, um brilhante espectáculo que percorre a lusofonia. José Rui Martins e um naipe de grandes músicos, conseguem que a força da palavra nos embale pela miscigenação das diferentes culturas, fazendo da Língua Portuguesa um idioma sem dono e, por vezes, indomável. O humor e ironia dos textos, a sagacidade das palavras, tudo está lá, na cor da língua. Uma língua de muitas cores, a nossa.

23h00 Oskar & Strudel (Suíça, Austrália)

O regresso de uma parelha fenomenal. A habilidade e a comédia sublime de Oskar coincidem com o virtuosismo musical e o encanto irresistível de Strudel. As suas actuações envolvem o público numa paródia em que a vida e a comédia são a mesma coisa, misturando circo contemporâneo, teatro de rua e música ao vivo.

Quinta, 6 de Outubro

21h30 The MozART group (Polónia) vídeo

Fenómeno de popularidade à escala planetária, The MozART group apresenta-se pela primeira vez em Portugal. Este virtuoso quarteto de cordas, de sólida formação clássica, apresenta a música erudita de uma forma criativa, cómica e muito original, brincando com a formalidade sóbria dos grandes concertos. Uma diversão musical para fazer rir toda uma plateia, literalmente transformada pela arte, tomada pela música!

23h00 “Punk Filarmónico”, Fanfarra Kaustika (Águeda)

A pequena e irredutível aldeia de Casal d’Álvaro é a capital do punk filarmónico, estilo que a Fanfarra Kaustika celebriza. A vontade de criar (o kaus, quem sabe?) fez surgir este colectivo endiabrado. São músicos de boa cepa que espalham o espírito kaustiko, convergência de várias influências no eixo filarmónico-balcânico. Uma festa contagiante!

Sexta, 7 de Outubro

21h45 “Barbieri”, Teatro Necessario (Itália)

Depois do aclamado “Clown in Libertá”, finalmente chegará ao público orelhudo o novo espectáculo destes incríveis italianos. Capazes de impressionar ainda mais, em Barbieri recria-se a sociedade de outrora, em que a barbearia era o centro de ideias, palavras e músicas. Fazendo do tempo de espera ocasião de peripécias, os três musicómicos aspirantes a barbeiros fazem as acrobacias musicais mais inimagináveis à volta de uma cadeira de barbeiro. O Gesto Orelhudo não podia passar sem Barbieri!

23h30 Gadjo (Espanha, França, Reino Unido, EUA, Argentina)

O concerto dos Gadjo, uma espécie de banda nómada e circense, vai resultar num grande fim-de-noite na antiga Junta do Vinhos. Uma miscelânia de nacionalidades em cima do palco, para uma festa absoluta dentro e fora dele! Vêm de Barcelona, mas tocam música do Gadjistan, nação imaginária que resulta das influências culturais destes músicos, num delicioso e energético cocktail multicultural.

Sábado, 8 de Outubro

21h30 “Auricular Di.vinus safari”, Artelier?

Outra das companhias que regressa, agora para celebrar a 10ª edição com um espectáculo exclusivo e interactivo no espaço exterior da antiga Junta dos Vinhos. Onde outrora se criava vinho e agora se bebe arte. Baco e Orfeu juntos. O personagem Ted Costa será o mestre de cerimónias de um percurso guiado por instantâneos sonoros e visuais. As antigas cubas serão labirinto para a participação sensorial do público orelhudo.

22h15 “Mal-empregados”, d’Orfeu

Estreia absoluta da nova criação d’Orfeu. E logo no palco que a inspirou: o Festival O Gesto Orelhudo. Mal-empregados é um espectáculo pseudo-sério, pseudo-cómico, absurdo qb e tendencialmente minimal. Dois actores-músicos, aparência por decifrar – farão o quê? -, desafiam-se, revezam-se, fartam-se, tentam sempre outra coisa. Tanto pode resultar como não. Uma caricatura irónica dos especialistas em polivalência. Para se chegar a uma conclusão: mal-empregados!

23h30 OuTonalidades – Quempallou (Galiza)

Encerrado o 10º Festival O Gesto Orelhudo, a noite na Junta dos Vinhos prossegue com a música de uma das referências da música folk galega, no âmbito do circuito luso-galaico “OuTonalidades 2011”. Cada concerto dos Quempallou é uma festa e ninguém vai ficar indiferente!

Passe Orelhudo [válido para todos os espectáculos] – 20€
Preço por noite – 6€
Desconto 50%para crianças até aos 12 anos e todos os portadores cartão d’Orfeu
Bilhetes à venda a partir do dia 26 de Setembro.

No Espaço d’Orfeu
Dias úteis, das 9h às 12h30 e das 14h às 18h30.

Antiga Junta dos Vinhos
Dias de espectáculo, a partir das 20h45.

Internet
Compra antecipada mediante transferência bancária e envio de comprovativo.

Antiga Junta dos Vinhos | Águeda

Rua 5 de Outubro s/n [N: 40.572213 | W: -8.451874]”

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

!!!!!

Este é outro cromo. Dos bons.

Com as etiquetas , , , , , ,

Toma lá…

“Toma lá que é para não te armares em esperto de teres vindo investir para Portugal e não seres taxado na tua riqueza como eu sou aqui na Mother Russia”

Com as etiquetas , ,

Demais!

Retirado daqui.

Não sabemos quem é (ou são) o(s) autor(es) do blog, mas no entanto mostram um rasgo de humor bem apurado. Engraçado e inofensivo.

Se eu tivesse uma equipa de futebol não hesitaria em contratar estes 2 brilhantes extremos e o valiosíssimo ponta-de-lança Dino Alves.

Com as etiquetas , , , , , , ,

Não, não vale

Não vale nem a porra de um voto.

É muito triste chegarmos à conclusão que até os políticos locais não valem nada enquanto seres humanos. Depois do erro feito, nem se prestam a ter a hombridade de assumir o erro e ir a um simples funeral prestar condolências a uma família enlutada.

Não é a questão de denunciar um desvio de 600 euros. É a questão de tratar os problemas em praça pública, como se um jovem de 35 anos que comete um erro que custa míseros 600 euros merecesse um linchamento em praça pública.

Fica também um aviso para os diários locais. Sei que me lêem. Pior, sei que me roubam informação e nem tem consideração em pedir autorização ou mencionar a fonte. Não emprenhem tanto pelos ouvidos. Espero que abram falência. O vosso sensacionalismo custa vida humanas e a vossa deontologia da profissão é nula.

Coimbra não aprende. Coimbra é uma cidade que julga antes de tomar atitude pedagógicas. Coimbra é um cidade que ataca antes de pedir a paz. Coimbra é um cidade de elitistas que não avança para a frente porque a elite julga-se merecedora de dominar as vidas de todos. Coimbra é uma cidade triste. Tristíssima.

Demita-se Carlos Cidade. Não tem idoneidade para se manter no cargo que ocupa.

Com as etiquetas , , , , , ,

Piada “cinéfila” da noite

“Naquele filme em que a Whitney Houston faz dela mesma, o Guarda-Costner continua vivo ou morre mesmo no filme?”

Com as etiquetas , , , ,

Nyan cat

A gerência para um whisky, um pack de finos, um maço de Marlboro e uma ida à Impacto (já que a States agora é uma casa de bons costumes) a quem conseguir enviar para o email a prova gravada (em qualquer suporte) que conseguiu ouvir este video de forma seguida, num volume acima dos 95 décibeis sem ir parar ao Sobral Cid ou ao Júlio de Matos.

Moisés Regalado, aviso-te que estás automaticamente excluído do concurso porque sei que tu consegues e escapas sem qualquer tipo de sequelas.

Já agora topem a reacção dos miúdos ao fabuloso Nyan Cat:

Com as etiquetas , , , , ,