Category Archives: Entre o Nada e o Infinito

aquele momento em que fico com cara estranha

quando alguém à entrada de um bar vira-se para mim e diz

– és o João Branco do blog não és?

e quando eu, com cara de enfastiado penso em voz alta

– fodasse, já me apanharam. um gajo não pode apanhar um bebedeira descansado.

e quando o gajo afirma:

– não achas o Bruce Springsteen o maior da década de 80?

e eu penso em voz alta

– acho o Bruce Springsteen uma bosta.

e o gajo faz replica

– gostava que me dissesses o que andas a ouvir que seja melhor que Bruce Springsteen.

e eu pacientemente lá lhe ensino umas coisas, até que o gajo de forma algo chata me começa a pavonear.

Anúncios
Com as etiquetas ,

este blog faz hoje dois anos

E já deu muito que falar.

E já deu muito que escrever.

E já deu muito que ver.

E já deu muito que ouvir.

E dá-me bastante prazer.

 

Com as etiquetas ,

Comentário elevado a post

“Branco… Deixa… “Liga dos Pobres” diz ele… Mas o facto de não ter estado na final de Dublin ainda lhe está, aposto, “atravessado”… Vai valendo a Taça da Liga que todos os anos muda de “visual”para eles irem coleccionando e depois mandarem fazer uma t-shirts a dizer que são “tri” ou “tetra” campeões da mesma. E já não bastava o facto de comemorarem as distantes conquistas europeias com a junção ao emblema de umas estrelitas, como agora ainda vão construir um “mamarracho” em frente ao estádio de modo a relembrar a década de ouro do “Glorioso”.
Como dizia o outro: “Recordar é viver”! E, se calhar, também deve ser por isso que os notáveis benfiquistas passam a vida no bar do Benfica a “secar a adega” e a rezar que o Malheiro traga novamente as 80 mulheres que levou ao seu aniversário!

P.S: Resta dizer que à boleia das vitórias do Benfica também se tiram cursos superiores; disse-o a filha do “Pantera Negra”!

Benfica… Mais que um clube!”

João de Araújo Correia, um rei nos comentários deste blog!

Com as etiquetas , , , , ,

200.000

The Young Punx ft Count Bass — “Ready for the fight”

200 mil visitas. Quem Diria?

Actuamos como o Mike Tyson. Um passo à frente, outro atrás, mas sempre com os olhos no prémio.

O Mike é certeiro:

Seremos lembrados pela controvérsia. Mas creio que seremos lembrados. Outros não serão lembrados por nada. Outros até serão lembrados sempre pelos piores motivos. É por isso que andamos na blogosfera. Lembrados ou não, já conseguimos inquietar muita gente. E continuaremos. Sempre.

Com as etiquetas , , , , , ,

Desculpe lá senhor ministro

Usualmente, quando não sei responder, invento.

Perguntei ao ministro da economia tomando como pressupostos base as suas afirmações de que o governo deve estimular o empreendedorismo jovem e recusando desde logo a ideia do estado no sentido liberal de estado-polícia, se fazia sentido continuar a desinvestir no ensino superior como tem desinvestido e assim aniquilar o futuro a uma boa parte da juventude que hoje frequenta o ensino superior?

A resposta que eu tive da boca de Álvaro Santos Pereira focou-se na necessidade da avaliação de professores pelo mérito, na necessidade de racionalizar os corpos docentes e algumas palavras assertivas acerca da necessidade de um ensino concorrencial.

Não recebi uma resposta que fosse de encontro às necessidades de dotar as universidades de um financiamento justo que permita a sua gestão e funcionamento sem um estigma asfixiante. Não recebi uma resposta que fosse de encontro a uma acção social escolar universal, justa e equalitária. Não recebi uma resposta que dissesse que em tempos de crise tem que se apostar na juventude e na consequente criação de políticas de emprego que absorva os cérebros que saem todos os anos do ensino superior. Nada. Álvaro dos Santos Pereira esquivou-se das minhas perguntas.

Recebi sim o convite para ler as suas opiniões nos seus manuais de economia portuguesa. Terei todo o gosto em ler a sua literatura Sr. Ministro.

O Entre o Nada e o Infinito na pele do seu rosto João Branco pede desculpas ao Álvaro Canadiano e promete que da próxima vez não vai ser tão duro nas perguntas.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , ,

veneno d´a cabra

(clique para aumentar)

Mais do mesmo.

Por norma, quando me pedem para respeitar o valor paz, eu faço questão de o respeitar.

Tanto respeito, que depois das quezílias existentes entre eu João Branco, entre o meu colega de secção Paulo Abrantes e a Secção de Jornalismo (vide o link acima colocado) optamos por extinguir algumas das nossas críticas à referida secção para bem da paz entre as secções culturais que representamos.

Podíamos ter optado por uma postura hostil à Secção de Jornalismo. Motivos não nos faltam… Sempre criticamos objectivamente aquilo que achavamos injusto no que toca aos estatutos e ao modo de actuação da referida secção. De rosto destapado. O mesmo não acontece neste artigo. A crítica (sempre de salutar) vem de um rosto (próximo é certo) mas que não conhecemos. Porque é que certas pessoas não dão a cara pelo que escrevem?

No entanto, creio que certas pessoas não entendem o conceito de paz. E muito menos compreendem o objecto do jornalismo e toda a deontologia que está agregada a esse mesmo objecto.

Este artigo é prova disso.

Tirando o “irónico” elogio que me fizeram, convinha que o artigo desse destaque ao blogger que participou no referido debate e aos blogs (entre os quais o Entre o Nada e o Infinito) onde se centra o único conteúdo informativo do artigo crítico em causa. Parece-me evidente que estes novos jornalistas não sabem respeitar as fontes onde vão beber a informação.

Com as etiquetas , , ,

Obrigado

Obrigado a todos. Sem vocês, não poderia estar consecutivamente nos tops da wordpress por meia dúzia de vezes nos últimos 3 meses.

Como este blog é uma animação, dedico-vos este hit intemporal das pistas de dança. A programação vai continuar.

New Order — “Blue Monday” — Compilação: Substance (1987)

Com as etiquetas , , , ,

vil(elices)

Como é da praxe, o nosso caríssimo Samuel Vilela lá voltou a usar a mailing list de Relações Internacionais para fazer campanha de última hora.

O catedrático do cacique, da competência (nula) e do trabalhinho que foi zero durante o último mandato voltou a atacar…

Nem a denúncia do Entre o Nada e o Infinito no ano passado levou o referido aluno a refrear os ânimos.

O que vale é que o corpo do texto este ano não foi tão descarado. O nosso vil(ela) tachista optou por uma coisa mais soft, já passavam 2 minutos das 23:30

“Boa noite,

Como já deverá ser do conhecimento da maior parte encontram-se a decorrer eleições para os Órgãos Gerentes da AAC. Terminado o período de campanha, as votações iniciam-se amanhã e terminarão na próxima terça-feira. Amanhã o local destinado às votações será a sala dos Núcleos no piso 0 e, terça-feira, a sala 2.5, no piso 2. No período nocturno também poderão votar na sala de estudo da AAC entre as 21h e as 00h.

Independentemente do vosso sentido de voto a participação neste sufrágio é importante, principalmente num ano em que possivelmente o Ensino Superior vai sofrer mais ataques, ao nível do financiamento e da acção social (bolsas de estudo). Será sempre importante uma Direcção-geral da AAC com a legitimidade de um elevado número de votantes.

Da minha, falando um pouco do projecto que integro, a Lista L, gostaria apenas de vos deixar a garantia que caso sejamos eleitos, além da contínua representatividade que o nosso/vosso curso poderá continuar a ter na AAC, expresso também pela Mariana Mesquita, que integra a lista, poderão continuar com o nosso empenho no apoio à resolução dos vossos problemas académicos que vão surgindo no dia-a-dia e, também, com uma AAC activa no plano da cultura e do desporto.

Obrigado pela vossa atenção,
Com as mais cordiais saudações académicas,


Samuel Caetano Vilela, candidato a Vice-Presidente da DG/AAC
Mariana Mesquita, candidata a Relações Externas da DG/AAC
Lista L – Liga-te à Academia”

Vergonha? Essa não existe. Vale tudo não é Vil(ela)? Pois vale, sim senhor! Já agora gostei da parte da representatividade que o curso tem na AAC? Tem tanta representatividade que nem o candidato à super-coordenadoria das Relações Internacionais é aluno do referido curso.


Com as etiquetas , , , , , , , , ,

Demissões Parte III

O Presidente da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra, apaga todas as postagens que o Entre o Nada e o Infinito lhe coloca no seu mural de facebook e as perguntas que o seu autor (João Branco) lhe deixa a título pessoal no referido perfil.

Nem é uma questão de se dar ao trabalho de responder. Apaga, porque não tem uma resposta às perguntas que lhe formulo. Mais uma vez se vê a falta humildade deste presidente da Direcção-Geral, assim como outros tiques nada democráticos.

Relembro-lhe portanto, um trecho da conversa telefónica que tivemos na célebre noite da ameaça de um processo judicial. O Eduardo, em tons agressivos, pedia-me encarecidamente para o consultar sobre ocorrências no seio da Direcção-Geral\Explicações sobre tomada de acções e decisões da sua parte antes de escrever o que fosse no blog. Dizia-me ele que “era para evitar escrever factos inverosímeis e caluniosos”. Lembras-te Eduardo? Pois bem, foi o que fiz. Pedi-te uma explicação. Tu habilmente apagaste. Volto a relembrar as tuas palavras quando me criticavas “que eu só escrevi aquilo que me interessava” – pois bem, acho que acabaste “de cair no meu erro”.

E de facto, não conhecia esses tiques de tirano em ti.

Até na questão da demissão do Miguel, tu não quiseste saber do Entre o Nada e o Infinito e enviaste a nota para o Sexo e a Cidade.

Como é que queres que escreve, se não me envias a tua nota com a versão dos factos?

Pergunto-te então aqui, publicamente: Quando é que te demites?

Segunda-Feira, irei perguntar-te em Assembleia Magna, podes estar descansado.

Daqui não levarás uma única palavra de apreço. Porque não a mereces.

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Restart (2)

No passado sábado, supostas transferências contínuas de vírus informáticos através do servidor em que estava alojado o blog antigo não permitiam postar.

Depois de contactado o servidor e deste ter respondido com a promessa de ultrapassar o problema gerado com a maior brevidade, vários dias se passaram e nada disso veio a acontecer. Dado que já ponderava migrar o blog, acabei por fazê-lo para a WordPress até porque creio que este ainda não registou uma afluência que o faça carecer de utilização num domínio privado.

Voltamos então à blogosfera por mão da WordPress e voltamos com o espírito redobrado.

Este blog tem a partir de agora um novo restart.

 

Com as etiquetas , , , , ,

Removido?

Sim, removido.

Apesar de todas as mentiras e distorções da realidade que se escreveram sobre a minha pessoa e sobre a minha vida pessoal, e das críticas e gozos que lançaram ao que escrevo no Entre o Nada e o Infinito, é certo que continuo pela blogosfera. De rosto destapado, crítica afoita, moral intacta e vontade redobrada.

Dos autores do blog, desconhecidos até ao dia de hoje não tenho razões de queixa. Há quem as tenha e com razão, é certo… Tenho razões de queixa do seu excessivo clientismo, clientelismo falso, hipócrita, cínico e mentiroso. Clientelismo personalizado na face mais visível de uma academia onde muitos não tem carácter nem personalidade para se intitularem como estudantes do ensino superior.

Pantomineiros, é a palavra que mais me ocorre para descrever uma corja de desgraçados que nem a falar mal da vida dos outros sabe com rigor o que realmente se passou. Não é que lhes diga respeito, em todo o caso.

Tenho pena que um sítio onde se gerou tanta discussão sobre a academia encerre o seu capítulo de um dia pró outro. Logo agora que as coisas vão aquecer.

Com as etiquetas , , , ,

Muito Agradecido, Samuel Vilela

Até tenho direito a coraçõezinhos e tudo!

Até te dedico mais uma das canções do meu vasto repertório. Espero que estejas sintonizado!

Com as etiquetas , , , , ,

Re-Start

Cá pelo burgo, achamos que por fim a este blog era uma parvoíce do outro mundo.

Por vezes, a vida de blogger é ingrata. Não somos os paladinos da verdade, mas tentamos alcançá-la. Não somos os donos da palavra, mas tentamos geri-la milimetricamente para não ferir susceptibilidades. Por vezes, somos demasiado agressivos na abordagem de certas questões e com essa agressividade não ganhamos nada na vida, só perdemos. Ganhamos sim um rol de inimigos, prontos para nos calar e para nos tirar a liberdade de expressão.

Todavia, surgem situações em que a nossa liberdade de expressão gera situações que ultrapassam os limites da zona de zona de conforto. É nessas situações que ponderamos se a nossa tarefa está a ter ou não os frutos desejados. No que a mim me toca, a minha tarefa bloguística está a ter os frutos desejados.

Ponderados os prós e os contras da actividade bloguística, ainda somos surpreendidos por mensagens de apoio que nos incentivam a manter a casa de pé. Mesmo perante todos os inimigos que as suas palavras foram semeando ao longo deste último ano e meio. São essas mensagens de apoio que fazem reflectir e concluir que o nosso trabalho também é apreciado por muito.

Podemos ser derrubados por uma vez, mas nunca vencidos. Este blog tem hoje o seu re-start.

Com as etiquetas ,

1 ano de actividade

Banner da autoria de Paulo Abrantes.

Este Blog faz agora precisamente 1 ano de actividade.

Obrigado pelas 85 mil visitas efectuadas, 1035 comentários realizados até hoje e por toda a atenção disponibilizada. São números que me surpreendem e que me motivam a continuar por aqui.

A festa vai continuar.


Com as etiquetas , , , , , ,

Direito de Resposta

Em relação ao que manifestei neste post, escrito neste blog a 4 de Março de 2010, foi-me comunicado um pedido de rectificaçãoesclarecimento por parte do Presidente da Direcção-Geral Eduardo Barroco de Melo:

Contextualizando:

Em relação ao “Protesto Geração à Rasca” e a tudo aquilo que por mim foi escrito no referido post, o Presidente da Direcção-Geral escreveu:

(passo a transcrever)

  1. ” Caro João, como não deves ter assistido à mesma Assembleia Magna que eu, vou esclarecer-te:
  2. 1- A adesão ao protesto “Geração à Rasca” foi proposto pela DG/AAC.
    2- A única proposta que não era da DG/AAC e que foi aprovada em Assembleia Magna foi a arruada do dia 17 e consta da nossa divulgação.
    3- O protesto de dia 12 não foi incluído porque, tal como explicado em Assembleia Magna, os proponentes não queriam um processo de mobilização, mas sim que a adesão fosse espontânea. Daí que a DG/AAC se tenha disponibilizado a fornecer o transporte aos sócios efectivos que pretendam deslocar-se ao protesto, mas sempre rejeitando que a AAC, enquanto estrutura, mobilizasse para o mesmo, desrespeitando a intenção dos seus autores e tomando de assalto uma acção que não era sua (algo que referi diversas vezes nas minhas intervenções).
  3. Assim sendo, respeito o espírito crítico que apresentas no teu blog, mas peço-te que faças uma rectificação/esclarecimento ao que escreveste sob pena de incorreres em inverdade.”

Como tal, o Entre Nada e o Infinito, acata o direito de resposta do Presidente da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra, mantendo na íntegra o post em questão.


Com as etiquetas , , , , , , ,

Doce ilusão

http://tv.aac.uc.pt/web2010/plugins/content/jplayer/mediaplayer/player.swf

(com os devidos créditos ao pessoal da TVAAC)


Sobre as declarações da minha cara colega Diana Taveira:

– Quando falas de credibilidade, usaste um pressuposto que pensas ser verdadeiro mas acaba por ser falso. Afirmas que a Assembleia Magna é o orgão mais democrático da Academia, onde todos os estudantes tem voz. Tudo bem, nada a objectar.

1. A partir do momento em que mais de 4 mil estudantes “legitimaram” a tua lista no sufrágio realizado em Dezembro e só aparecem no total cerca de 300 estudantes na Assembleia Magna, esse facto atesta não só que existe um completo desinteresse de cerca de 95% das pessoas que vos “legitimaram” pela Assembleia Magna como consequentemente atesta que aqueles que vos “legitimaram” estão-se completamente nas tintas para as acções que a DG possa desenvolver.

2. No que toca à credibilidade da Assembleia Magna, também te posso dizer, que a partir do momento em que há uns meses atrás vi a Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra acatar uma deliberação da Assembleia Magna que ia no sentido desta (DGAAC) lutar (custe o que custar) pela revogação do decreto-lei 702010 e vi dirigentes da DGAAC apelidar a modificação do referido decreto-lei (advinda da proposta de lei do CDSPP) como uma grande vitória da AAC afirmo aqui que afinal de contas a democraticidade da Assembleia Magna só existe caso as moções que sejam aprovadas tenham como proponente a DGAAC.

O verbo é revogar, não modificar.

3. A partir do momento em que tu nas funções que te competem, acabaste por expulsar um sócio efectivo da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra de um direito que lhe compete por estatutos apenas, porque o rapaz (cansado de toda a fantochada que efectivamente acabou por ser a tua primeira assembleia Magna) se exaltou momentaneamente, não te reconheço qualquer moral para afirmares a palavra “democracia” na Assembleia Magna.

Com as etiquetas , , , , , ,

Assembleia Magna: minuto-a-minuto

22:54 – Como é apanágio, o Entre o Nada e o Infinito encontra-se nos fundos da Cantina dos Grelhados a levar a cabo o habitual minuto-a-minuto sobre mais uma Assembleia Magna da Associação Académica de Coimbra.

Na Cantina dos Grelhados encontram-se seguramente mais de 300 pessoas. Esta Assembleia Magna cuja ordem de trabalhados pode ser vista aqui marca a primeira magna de Diana Taveira enquanto presidente da Magna e de Eduardo Melo enquanto presidente da Direcção-Geral.

As expectativas para esta Assembleia Magna são elevadas. O ponto alto da noite será uma nova discussão da situação política e das acções em desenvolver, principalmente no que toca à Acção Social Escolar.

23:00 – Diana Taveira apresenta os seus pares da mesa, a ordem de trabalhos e inícia a Assembleia Magna.

Diana Taveira afirma que já foi feita a revisão dos estatutos da AAC e que estes já foram apresentados.

E aí vem o Alface. Sempre cheio de pica.

Coloca uma questão (sobre os estatutos): o texto final dos estatutos irá a votação dos estudantes?

Diana Taveira afirma com base legal que a aprovação dos estatutos não serão levados a votação da Assembleia Magna mas sim dos membros da Assembleia Estatutária – Artigo 96º dos Estatutos.

Rui Carvalho questiona novamente Diana Taveira: ” Essa decisão, não-oscultação dos estudantes (decisão de Diana Taveira)” em relação aos estatutos, se é uma decisão irreversível… – Rui Carvalho e Diana Taveira estão em pleno diálogo. Rui Carvalho fala da questão da RUC – o alvará da RUC dependerá em exclusivo da aprovação dos estatutos.

Rui Carvalho volta a perguntar a Diana Taveira se não seria sensato apresentar o projecto final aos estudantes? – Diana Taveira volta a argumentar com base no artigo 96º dos estatutos.

23:09 – Fala Marco Veloso, o antigo presidente da mesa da Assembleia Magna. Um dos principais visados nas críticas sobre a demora dos estatutos na penúltima Assembleia Magna.

Marco Veloso lê o artigo 96º dos estatutos – O mesmo dá a oportunidade a qualquer sócio-efectivo que não pertença à Assembleia Estatutária de apresentar propostas para a discussão e redacção do texto final dos estatutos.

Marco Veloso considera inútil a discussão sobre os estatutos em prol da passagem para o ponto 2. Diana Taveira afirma praticamente o mesmo – passar esta discussão para o ponto 3.

23:12 – Bárbara Gois da FLUC sobe ao pulpito. Vem falar sobre Zeca Afonso. Hoje fazem 24 da sua morte. Fala da importância de Zeca Afonso para a luta estudantil e do seu contributo para a cultura coimbrã.   Boa intervenção da estudante.

(Salva de palmas da plateia)

23:14 – Eduardo Melo sobe ao púlpito. Apresentações e cumprimentos à mesa e aos seus pares da Direcção-Geral.

Vai fazer um breve resumo deste primeiro mês de trabalho:

– Organização das fases finais dos campeonatos universitários.

– Criação da agenda cultural, de modo a publicitar as acções culturais da casa.

– Concurso no dia dos namorados e arruda nesse dia.

– Campanha e divulgação dos programas de mobilidade existentes para os estudantes do ensino superior.

– Resolução de problemas burocráticos.

– Iniciativa de apoio aos sem-abrigo da cidade de coimbra e comemoração do dia mundial do doente.

– Reunião com os núcleos de estudantes para reforçar laços de cooperação entre a DG e os mesmos.

– Lançamento do (in)formação pedagógica, um novo folheto do pelouro da pedagogia e levantamento de problemas pedagógicos.

– Início do novo gabinete de apoio ao estudante e visita da DG a escolas secundárias de todo o país.

– Visita a Repúblicas e Residências Universitárias, de modo a apurar os seus problemas. Reuniões com habitantes e delegados dessas mesmas repúblicas e residências.

– Marcaram reuniões com alunos bolseiros, para identificar os seus principais problemas.

– Debates com os candidatos à reitoria da Universidade de Coimbra de modo a esclarecer todo o público interessado com as eleições para a Universidade.

– Reunião com o secretário de estado do MCTES.

Eduardo acaba a sua intervenção, sendo bafejado com uma salva de palmas.

23:21 – Hugo Ferreira da FDUC, actual membro do Conselho Fiscal vai falar sob a queixa que lhe foi apresentada por Miguel Portugal em relação ao contrato do Intocha no Conselho Fiscal.

Hugo Ferreira está a falar sobre o seu processo.

Fala sobre o “julgamento” sobre o seu processo. O “julgamento” será feito por 6 pessoas – diz. Diana Taveira interrompe-o. Pede para que Hugo Ferreira explique todo o problema no ponto 3.

23:28 – O João Alexandre chega à sala e o Joel senta-se ao meu lado.

23:29 – Eduardo Melo vem fazer uma defesa de honra, em nome da DG. Ataca Hugo Ferreira: “não admito. apresenta provas para comprovar o que tens a comprovar mas não venhas para aqui colocar o nome da DG para limpar o teu nome”

Defesa de honra de Carlos Barandas, presidente do CF. Admite que “não existem jogos estratégicos” para afastar Hugo Ferreira.

Defesa de honra de Hugo Ferreira. Responde à letra a Eduardo.- Diana Taveira interrompe novamente o aluno de direito.

O causador disto, Miguel Portugal, tem-se mantido calado.

Hugo Ferreira, fala que várias pessoas lhe pediram esclarecimento sobre o processo.

23:34 – Diogo Pereira, antigo membro da mesa da Assembleia Magna pede a criação de um novo ponto na ordem de trabalhos – discussão sobre a votação que se efectuou para a reitoria da Universidade de Coimbra.

23:36 – A mesa ordena que se passe para o ponto nº2 da ordem de trabalhos.

Diana Taveira pede ordem na sala.

23:38 – Mais uma vez, o Entre o Nada e o Infinito está a actualizar o seu minuto-a-minuto com mais rapidez que os pseudo-jornalistas do “Quinzenário os Cabrões”

23:40 – Passamos de facto ao ponto nº2.

Começa Eduardo.

” Este sim é o ponto que nos traz aqui hoje” – Fala da reunião que teve com o secretário de estado do MCTES.

Apresentou as necessidades que a AAC quer ver cumpridas no Ensino Superior, nomeadamente, na Acção Social Escolar e das preocupações que a AAC tem publicitado em relação às bolsas de estudo e em relação às normas técnicas que regulam a atribuição das mesmas.

A estas preocupações, foi respondido a Eduardo Melo que “não podiam ser mudadas quaisquer políticas, porque na opinião do secretário de estado toda a gente estava de acordo com estas políticas relativas ao ensino superior”

Quanto ao decreto-lei 702010 e à proposta de lei do CDS, a AAC perguntou quais serão os passos seguintes do MCTES. Ao que o secretário de estado deu uma resposta que Eduardo Melo afirma “ser brincar com os estudantes do ensino superior”

No ENDA, houveram duas tomadas de posição quanto a esta questão:

1 – A posição defendida pela AAC – Melhorias das normas técnicas para o próximo ano lectivo. Uma compensação que o governo não vê com bons olhos.

Em ENDA, foi assumido pela AAC a contrariedade absoluta contra o decreto-lei 702010 e a retirada do mesmo devido à proposta de lei do CDSPP. Regras de cálculo mais justas dados os agregados familiares dos estudantes que se candidatam a bolsa de estudo.

Eduardo Melo continua a falar sobre Acção Social Escolar e sobre os atrasos que se verificam no estudo e atribuição de bolsas. Eduardo pretende que as entidades (no próximo ano) acelerem este processo.

Eduardo Melo acaba a sua intervenção.

23:57 – Vem um estudante (Manuel Ribeiro) falar sobre as bolsas de estudo.

Moção.

Afirma que as bolsas de estudo são um direito de todos os estudantes. Fala do défice das capacidades de resposta dos SASUC aos estudantes que não ainda não viram o seu processo definido. – reiteira que estas entidades não podem fugir à responsabilidade de decidir todos os processos individuais que tem em mãos.

Soluciona que estas entidades devem ser sancionadas com a cobrança de uma taxa de juro pelo atraso no pagamento das bolsas, à semelhança daquilo que o Estado efectua a quem não paga propinas a tempo e horas e os seus impostos a tempo e horas.

Apresenta uma moção:

Ponto 1 – Uma data para pagamento das bolsas – até 20 de Dezembro.

Ponto 2- Esta data é irrevogável.

Ponto 3 – Cobrança de uma taxa de juro de 1% ao mês a cada aluno pelo atraso na decisão da avaliação dos seus processos a partir da data de 20 de Dezembro.

00:02 – Fabien Figueiredo da FEUC questiona Manuel Ribeiro: “Quem paga essa taxa de juro? É o Estado?”

Manuel Ribeiro atribuí esse pagamento às entidades responsáveis por atribuição de bolsa.

Hugo Ferreira questiona “quem é a entidade responsável” para imputar a culpa ao infractor para que seja cobrada essa taxa de juro e quem é que avalia essa decisão?

Manuel Ribeiro responde: “claramente o governo”

Fabien Figueiredo elogia o “Quinzenário os Cabrões” pela edição desta semana. Pelo menos no toca à questão da FAIRe em que a Cabra noticiou que esta se encontra há 2 anos sem direcção.

Fabien Figueiredo passou para a questão da FAIRe

( ver a edição desta semana do Quinzenário)

Questiona a quota de entrada da FAIRe, e questiona quantas secções culturais tem 1800 euros para trabalhar? – Fabien esteve muito bem…

Apresenta uma moção para que a AAC anule a adesão à FAIRe.

Aí vai o principal interessado da adesão da AAC àFAIRe. Discorda de Fabien em relação à opinião em relação ao trabalho do Quinzenário.

O Alface já vem todo picado.

Afirma “relações apertadíssimas entre a DG e o MCTES. nunca esteve em causa” – e diana taveira chama “alface ao alface”.

“a minha honra está afectada” – diz Rui Carvalho. Ataca Fabien Figueiredo, na luta que o estudante da FEUC trava nas Assembleias Magnas – Diana Taveira tenta acalmar o antigo vice-presidente da DG.

” é anti pedagógico vir tentar alterar uma decisão que foi tomada livremente na Assembleia Magna. o que o colega Fabien veio aqui fazer é desrespeitar a Assembleia Magna”.

12:16 – Pedido de esclarecimento do Samuel Vilela.

Lá vem mais uma lição do catedrático!

Pergunta a Fabien “Em que te baseias para fazeres essa moção, se a adesão foi votada aqui em Assembleia Magna com larga maioria?”

Pedido de esclarecimento de André Costa, da FDUC – “Se alguém conseguir explicar quais são os estatutos da FAIRe… gostava de os conhecer agora.” – Pede para que lhe sejam explicados os estatutos da FAIRe, visto que nos novos estatutos a AAC não pode ser sócia.

Relembra que houveram Assembleias Magnas que já revogaram deliberações de outras Assembleias Magnas. O estudante de Direito afirma ser possível revogar deliberações de outras Assembleias Magnas – Esteve bem o antigo presidente do núcleo da FDUC

Diana Taveira quer alterar esta questão para o ponto 3 – Outros assuntos.

Depois de um intervalo, novas actualizações:

1. O presidente do núcleo de Economia leu uma carta aberta do Dr. Júlio Mota (docente de economia) que foi endereçada ao MCTES e à mesa da Assembleia Magna.

2. Está neste momento a discursar Manuel Afonso:

– Fala dos ataques que estão a ser feitos aos estudantes devido ao actual sistema de acção social escolar.

– Fala sobre as eleições para a Reitoria e para a “eventual passagem da UC a fundação” e a palavra que a AAC deve assumir neste ambito, fomentando a discussão.

– Vem apresentar uma moção:

Ponto 1 – Os representantes dos estudantes no Conselho-Geral apresentarão a proposta de propina mínima no próximo ano.

Ponto 2 – Os representantes dos estudantes no Conselho-Geral, apresentarão uma proposta de discussão no órgão em relação à passagem da UC a fundação.

Não consegui perceber o ponto 3 e o ponto 4. Mais à frente, nas votações, este será lido novamente.

12:45 – Aí vai João Alexandre.

Concorda com a intervenção de Manuel Afonso. Faz um par de questões a Manuel Afonso, que de seguida, decide “não alimentar guerrinhas”.

Seguem-se os pedidos de esclarecimento de Filipe Januário e de Miguel Franco a Manuel Afonso.

O  Ponto 3 da moção de Manuel Afonso é a proposta de um referendo.

Samuel Vilela tenta “empurrar estas questões” para o ponto 3. Samuel Vilela enaltece o discurso de Manuel Afonso e afirma que a DG é “contra o 702010, é a favor da revogação do 702010” – quanto à proposta de lei do CDSPP – “queremos que os nossos colegas não estejam muito tempo à espera da atribuição das bolsas” – e aí, o estudante de RI frisa que os SASUC têm neste momento várias dezenas de processos por avaliar.

Samuel Vilela apresenta uma moção:

Ponto 1 – Proceder a escrita de uma carta aos grupos parlamentares para que façam uma norma transitória em relação aos estudantes que ainda estão à espera de atribuição de bolsa…

Uma aluna da faculdade de direito, vem falar sobre os problemas que afectam os estudantes da Universidade de Coimbra – a luta deve continuar – afirma. “Eles não nos vão fazer calar… Temos que continuar a gritar, a gritar aquilo que queremos…”

00:56 – Discursa Renata Costa.

Fala sobre a dificuldade que os jovens enfrentam ao nível financeiro para continuarem os seus cursos e as dificuldades que estão a ser tornadas evidentes em arranjar emprego depois de terminarem os seus estudos.

Fala do desinvestimento que estão a ser efectuados no Ensino Superior, da detrioração das infra-estruturas de habitação da UC e do aumento do prato social.

Reforça a ideia que os estudantes devem unir-se de modo a que sejam escutados (os seus problemas) pelos governantes. Reforça a ideia de uma luta estudantil forte.

Apresenta uma moção:

– Uma manifestação no dia 17 de Março, que deve começar no largo D. Dinis e deve terminar no Governo Civil de Coimbra.

( pequeno intervalo)

Depois do intervalo, continua a discussão do ponto 2 da ordem de trabalhos.

A DG apresentou uma moção:

– A DG delibera – a adesão da Associação Académica de Coimbra ao protesto “geração à rasca” a realizar no próximo dia 12 de Março, em Lisboa. Devendo esta encontrar-se institucionalmente representada e acompanhar o protesto ao longo do seu percurso

Continua-se a falar sobre as dificuldades que os actuais estudantes do ensino superior passam durante e depois de terminarem o seu curso.

01:19 – Eduardo Melo refere que está disponível para responder a todas as questões que estão a ser colocadas na Assembleia Magna.

Fabien defende que a AAC deve mobilizar o máximo número de pessoas para ir a essa manifestação – essas pessoas devem ir junto com a representação institucional da AAC.

Eduardo Melo responde que os proponentes não querem que a AAC tome de assalto o referido protesto. No entanto, Eduardo Melo vai perguntar aos proponentes se querem alterar esta tomada de decisão.

Fabien continua a insistir que a AAC deve levar mais gente à manifestação “Geração à Rasca” – Eduardo Melo diz que pode reservar autocarros até dia 8 de Março e que a AAC não terá quaisquer problemas em reservar os meios para que a sugestão de Fabien se concretize.

1:26 – Outro estudante pergunta se “os núcleos estão vínculados às decisões da política educativa da AAC”

Eduardo Melo responde: “não creio que os núcleos de estudantes estarão preocupados em participar nestas iniciativas. é questão de levar as iniciativas a inter-núcleos”

1:28 – Mais uma moção de uma estudante da FDUC neste ponto 2:

Ponto 1 – A realização de uma concentração que consiga juntar 1000 estudantes contra os cortes nas bolsas no dia 14 de Março (a data pode ser ajustada) no largo D. Dinis.

Ponto 2- A afixação no largo das matemáticas de uma lona que diga “queremos as nossas bolsas…”

(não consegui perceber o ponto 3)

Ponto 4 – Criação de um grupo de trabalhado constituído por dirigentes da DG e outros estudantes para trabalhar nesta questão num prazo de 48 horas.

1:30 – André Costa pede esclarecimento. 4 protestos em 12 dias? ” Eu não sou mínimamente contra os protestos, acho que nos devemos mobilizar e cada um tem aqui o seu espaço para defender a convicção que deve entender…” – a seguir, André Costa, pergunta se em vez de 4 protestos, a DG não poderá condensar tudo num grande protesto. “Assim não faz sentido…” – termina André Costa.

A estudante da FDUC dá certa razão a André Costa mas defende que se deve mobilizar o máximo de gente para as manifestações que foram apresentadas.

Retomamos o debate:

1:53 – Ainda a discussão do ponto 2.

Já foram apresentadas outras moções, que dentro de minutos serão votadas.

O Entre o Nada e o Infinito, na persona do seu mordomo-mor João Branco irá intervir no ponto 3.

Mais uma moção. De Hugo Ferreira.

Ponto 2 – A DGAAC deve garantir transporte a todos aqueles que pretendam ir a Lisboa ao Protesto da Geração à Rasca, mesmo que o ponto nº1 não seja aprovado – Peço desculpa mas não ouvi o ponto nº1.

Samuel Vilela defende a DG.

2:18 – Silvia Franklin pede aos actuais dirigentes da AAC e a todos os presentes nesta Assembleia Magna que lutem para que os nossos colegas mais carenciados tenham acesso aos seus direitos. Fala dos 600 estudantes da Universidade de Coimbra que cancelaram a sua matrícula por insuficiência de meios financeiros.

Apresenta uma moção-programa de acções:

Ponto 1 – Pede que a atribuição de bolsa de estudo seja baseada nos critérios anteriores ao decreto-lei 702010, que os estudantes que já estão prejudicados pelo decreto-lei vejam revistos os valores das suas bolsas de estudo.

Ponto 2 – Divulgação deste caderno reinvindicativo em todas as faculdades e cantinas para que a luta estudantil continue.

Sílvia Franklin terminou a sua intervenção com uma célebre frase futebolística que um dia foi dita pelo treinador Jaime Pacheco: “quem joga pro empate, arrisca-se a perder”

Responde-lhe o alface.


Manuel Afonso pergunta a Sílvia Franklim se acha que esta estratégia de perda de tempo não é similar à estratégia de José Socrates. Pergunta-lhe também se também não é coincidência que a atitude e as políticas tomadas pela DG não são as mesmas (da cor partidária) que está na primeira fila (DG)?

Alface perguntou onde andava Sílvia Franklim e Sílvia Franklim assume que é trabalhadora estudante e que estava a trabalhar.

2:25 – Alface: “Não serão as propostas exibidas por Sílvia Franklim ao longo dos anos coincidentes com as opções políticas do partido político que foi candidata (BE)?

Sílvia Franklim: “Gosto de pensar que a minha acção está consequente com a minha visão da realidade”

2:28 – Mais uma moção de uma estudante cujo nome não consegui perceber

Ponto nº1 – Convocação de uma manifestação para o dia 24 Março em Lisboa com destino à Assembleia da República – 24 de Março = dia do estudante.

Ponto nº2 – A manifestação terá como objectivo a revogação do decreto-lei 702010.

Ponto nº3 – Convocar para dia 28 de Março uma nova magna para discutir os efeitos da manifestação.

“Se nós queremos revogar a porcaria do decreto-lei 702010 temos que marcar uma manifestação já e não convocar novas magnas para estar a discutir estes assuntos” – bem dito.

( e o ponto 3 nunca mais chega)

2:37 – Mais uma moção apresentada pela DG. Lida por Rafael Duarte:

Quantas moções é que já foram apresentadas?

2:40 – Mais uma moção de Henrique Paranhos. Segundo o próprio, é uma moção que vai de acordo com a moção apresentada com Renata Costa.

(Henrique Paranhos está à 5 minutos a discursar)

Ponto 1 – Manifestação dia 24 de Março, dia do estudante. ( A proposta já foi apresentada) – Efectivação da proposta deliberada em magna, de modo a que seja entregue.

Henrique Paranhos propõe que a sua moção seja anexada à de Renata Costa.

(pausa)

03:39 – Desde a pausa, a única intervenção decente foi a de João Alexandre, quando convidou a Universidade de Coimbra a criar o estatuto de “estudante-manifestante”. Bravo!

Eduardo Melo: ” A associação académica de coimbra vai defender a revogação do decreto-lei 702010. A primeira que defendeu a revogação foi a AAC”

Eduardo Melo reforça que a proposta de lei do BE foi chumbada no Parlamento. “Para obter resultados fracos onde estão aqui os interesses dos estudantes” – disse para a aluna de direito que interveio antes.

( o ponto nº2 está a ser discutido há 4 horas – ainda faltam 3 pontos e várias votações para que se encerre esta assembleia magna)

“Sejamos muito sinceros. Dia 24 de Março já o assumi. É preciso que analisemos o cenário político depois disso” – Eduardo. – “A DG quer uma medida de força. Uma manifestação, uma greve de fome, o encerramento da Universidade de Coimbra, o quer que seja.” – sobre o dia 24 de Maio.

(a Magna está-se a tornar numa prova de resistência. mais fixe e mais árdua que qualquer edição das 24 horas de Le Mans)

Uma jovem da Faculdade de Direito pergunta a Eduardo se é preciso ter currículo para participar numa acção estudantil.

03:50 – Manuel Afonso sobe ao púlpito.

Diz que a magna está a tornar-se “cansativa”.

Crítica o argumento de Eduardo Melo. Crítica o facto do presidente da DG não apoiar a manifestação de 24 de março com o objectivo de revogar o decreto-lei, frisando que esta está deliberada em magna e tenta transparecer que a postura de Eduardo Melo denota uma certa passividade em relação à luta estudantil.

(Vá-la pessoal, vamos às votações e vamos passar ao ponto 3)

04:45 – São 4 e 45 da manhã e ainda estamos na votação das milhentas moções que foram propostas neste ponto.

Pelo cansaço, este post não será mais actualizado.

Amanhã, postarei todas as deliberações tomadas esta madrugada em Assembleia Magna.

Agradeço a compreensão.


Com as etiquetas , , ,

Sondagem Presidenciais: Cavaco Silva vence eleições

Notas Prévias:

1. Esta sondagem, realizada no período compreendido entre 2 de Dezembro e 23 de Janeiro (hora de fecho às 18:29) não foi realizada segundo qualquer tipo de padrões profissionaislegislativos e destina-se apenas a prestar um pequeno carácter informativo aos leitores deste blog. Nela, cada utilizador (IP) tinha direito a votar apenas por 1 vez.

2. Dado que na hora de postagem da sondagem coloquei os pré-candidatos Luis Botelho Ribeiro e José Pinto Coelho na mesma e como os mesmos não se confirmaram como candidatos com o decurso do tempo, decidi anular os votos colocados no seu espaço (6 em Pinto Coelho; 3 em Botelho Ribeiro) sendo portanto o total de votos da sondagem de 216 votos.

Quanto à Sondagem em si:

Cavaco Silva acabou por vencer a Sondagem realizada no blog com um total de 57 votos contra 51 de Manuel Alegre e 43 de Francisco Lopes. Caso este cenário fosse real, teríamos lugar a uma 2ª volta.

Resultado das votações:

Total de votos: 216 votos

1º Aníbal Cavaco Silva – PSDCDS-PP – 57 votos (26.38%)
2º Manuel Alegre – PSBE – 51 votos (23.61%)
3º Francisco Lopes – CDU – 43 votos (19,90%)
4º Fernando Nobre – independente – 23 votos (10.64%)
5º José Manuel Coelho – PND – 21 votos (9.72%)
6º Defensor Moura – independente – 5 votos (2.31%)

Votos em Branco: 9 votos (4.16%)
Abstenção: 5 votos (2.31%)

Como referi no ponto 1 das notas prévias, esta sondagem não foi realizada segundo os padrões profissionaislegislativos que regulam as mesmas, tendo sido efectuada segundo as escolhas de votos dos leitores do Entre o Nada e o Infinito.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , ,

Actualidade do Beira-Mar

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/CWfWNmeS2jzTuAi1TE5q/mov/1


Numa tarde de denso nevoeiro em Barcelos, o Beira-Mar estreou-se na Fase de grupos da Taça da Liga com uma derrota por 2-1 frente ao Gil Vicente da Liga Orangina.

Leonardo Jardim apresentou algumas mudanças em relação aquele que tem sido o onze-tipo do Beira-Mar esta época e deu-se mal com os ares de Barcelos. Perante um Gil Vicente “com a corda toda”, a equipa do Beira apresentou pouca motivação aos longo dos 90 minutos. Kanu marcou o golo do Beira-Mar já nos minutos finais.

O Beira-Mar acabou por ser o grande derrotado da jornada, visto que o Nacional foi vencer ao Dragão. Se o Beira-Mar tivesse vencido o jogo em Barcelos, as probabilidades de passar às meias-finais da prova seriam maiores. No entanto, deve-se realçar que parece haver uma certa falta de ambição para esta competição em detrimento do campeonato, o que está errado visto que esta competição apresenta prémios monetários para os semi-finalistas que poderiam ser bastante benéficos para aliviar as contas do clube.

O plantel profissional já trabalha, com vista à deslocação ao terreno do Nacional da Madeira no próximo domingo, a contar para a 15ª Jornada da Liga.O Beira-Mar está neste momento em 8º com 19 pontos, podendo (em caso de uma combinação de resultados favorável e de uma vitória na Choupana) acabar a primeira volta em lugar europeu.

No plantel profissional houve mexidas. No último post, anunciei a saída do ala Pedro Araújo por empréstimo para o Gil Vicente.

No entanto, houve mais uma saída no plantel auri-negro, a do defesa Luis Tinoco.

Sobre o plantel, ainda existem algumas dúvidas a pairar no ar: o futuro de Kanu e Djamal no Beira podem estar ameaçados por propostas que deverão ter chegado à direcção. O Jornal Record avança que o Lens da 1ª Liga Francesa estará interessado na contratação do médio defensivo que termina contrato esta época com o Beira-Mar. Tanto o Lens já se deslocou a Aveiro para “observar” o jogador como o mesmo, demorou a regressar das férias natalícias em França, falhando portanto o jogo contra o Gil Vicente. Arrisco-me a dizer que aqui há gato. É urgente portanto renovar com o jogador, de modo a que o Beira saia compensado em possível transferência. Isto, se o jogador ainda não se comprometeu com o clube francês.

Também por esclarecer continua o dossier Rui Varela: no início de Dezembro, o avançado e a Comissão Administrativa acordaram na rescisão do contrato do avançado com a introdução de uma cláusula que não permitia ao jogador transferir-se a custo zero para um clube da Liga. Dado que o jogador assinou dias depois com o Belenenses, ainda não se sabe se o Beira-Mar irá pedir uma indeminização ao clube Lisboeta.



Por falar em Kanu. O defesa-central foi distinguido pelos leitores dos blogs Mais Beira-Mar, Bancada Norte e Entre o Nada e o Infinito como o melhor jogador do ano do clube. Numa votação promovida pelos 3 blogs em conjunto, Kanu venceu por larga maioria os outros nomeados (Djamal, Artur, Hugo e Rui Sampaio).

Assim sendo, eu, o Nuno Quintaneiro Martins, o Jorge Henriques e o Sérgio Vieira já estamos a tratar de entregar um prémio ao jogador em sítio a combinar com o mesmo (será no velhinho Mário Duarte ou na sala de conferências de imprensa Tozé Bartolomeu no EMA) de modo a entregar uma lembrança simbólica ao jogador e gravar um vídeo.



Os Ultras Auri-Negros já voltaram ao trabalho, para preparar a difícil deslocação à Madeira a acontecer nos dias 19 e 20 de Fevereiro, de modo a ir ver o Marítimo vs Beira-Mar.

Até dia 15 de Janeiro, quem quiser poderá reservar um lugar no avião por 160 euros (com direito a uma noite de Hotel e bilhete para a partida) sendo que terá que desembolsar 80 euros no acto da reserva.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Fórum Beira-Mar

Com o novo ano, a criação de mais um espaço de discussão sobre o Sport Clube Beira-Mar!

Aproveitando a falta de um fórum, a blogosfera Beiramarista uniu-se num novo projecto, o Forum Beira-Mar

O objectivo do Fórum passa por discutir a actualidade do clube: futebol profissional, camadas jovens, assembleias gerais e as modalidades, o passado do clube (ex-jogadores, ex-funcionários)  por divulgar as iniciativas do clube e dos Ultras Auri-Negros (jantares, eventos solidários, deslocações da claque) e se possível ter uma base de suporte média com fotografias, recortes de jornal e vídeos relativos à Instituição.

Apresentado há poucos dias, o Fórum Beira-Mar já começa a ter um movimento interessante de comentários. Resta então agradecer a todos aqueles que criaram o projecto, desejando que este Fórum seja um espaço de discussão saudável que permita aos dirigentes, sócios e adeptos do clube trilhar um caminho evolutivo para a Instituição que tanto amamos.

Já está linkado no Entre o Nada e o Infinito!

P.S: Hoje, para a Taça da Liga, o Beira-Mar perdeu 1-2 em Barcelos contra o Gil Vicente. Kanu apontou o golo do Beira nos minutos finais. Começa mal a fase de grupos para os comandados de Leonardo Jardim. Se me for possível, ainda no dia de hoje ou então amanhã, postarei aqui o resumo do jogo e mais notícias sobre o futebol profissional.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , ,