NBA #25

1. Jogos de ontem:

Grande jogo ontem em Indiana, com os Raptors a vencerem os Pacers por 100-98 depois de recurso a 1 prolongamento. Os Raptors já estão a jogar com a sua nova aquisição Rudy Gay. A antiga estrela de Memphis tem actuado muito bem nos primeiros jogos pela sua nova equipa. Gay fez 29 pontos na derrota da equipa canadiana contra os Heat por 85-100, 25 na derrota contra Boston por 95-99 e 23 pontos ontem. Na equipa de Toronto Rozan fez 22 pontos, Amir Johnson 14 pontos e 14 ressaltos (apesar de não ser um grande fã deste poste reconheço que está a fazer a melhor temporada desde que chegou à liga) e Jonas Valenciunas e Andrea Bargnani saltaram do banco para fazer 14 pontos cada um sendo que o rookie conseguiu também acrescentar 13 ressaltos.

O italiano Andrea Bagnani foi notícia esta semana visto que a imprensa especializada falou de eventuais negociações entre os Raptors e os Bulls para a troca do italiano por Carlos Boozer. À primeira vista, desportivamente, esta troca não faz qualquer sentido para o lado dos Bulls vista a época monstruosa que o seu poste-baixo está a realizar. Apesar de ser um jogador de 15 pontos de média e de poder vir a acrescentar poder de fogo exterior aos Bulls numa fase em que os Bulls são das equipas que menos concretizam de 3 pontos na liga, não vejo grande vantagem para os Bulls numa troca deste género até porque Boozer e Noah estão a perpetrar neste momento o melhor jogo interior da Liga. No entanto, a notícia afirmava que a troca se poderia dar por questões financeiras. Boozer assinou em 2010 um contrato salarial que prevê o pagamento de 100 milhões de euros a 5 anos sendo que a extensão de contrato que o poderá ligar aos Bulls até 2017 terá que ser negociada no início da próxima temporada. Com as exibições que o all-star está a fazer, Boozer poderá negociar uma extensão de contrato que lhe permita um vencimento máximo de 24 milhões de dólares, valor que neste momento parece ser proibitivo para os cofres da equipa de Chicago, ainda para mais por um jogador que está a caminhar para a veterania. No entanto, os Bulls, sem grandes objectivos este ano poderão receber Bargnani (está descontente em Toronto e poderá efectivamente, bem inserido na equipa de Chicago, dar o trampolim para a casa dos 20 pontos de média) e a partir do próximo ano poderão encaixar Bargnani com a concorrência de Nikola Mirotic, jogador do Real Madrid cujos direitos de NBA pertencem à equipa de Chicago e jogador cujas exibições em Madrid (onde já é estrela da Liga) auspiciam que poderá ser uma das vedetas do futuro da competição. Visto pela óptica de Toronto, Boozer poderia vir a reforçar a equipa canadiana, que, com a contratação de Rudy Gay pretende construir uma equipa competitiva que consiga alcançar os playoffs na próxima temporada.

Voltando à partida.

Do lado de Indiana, Paul George voltou a fazer das suas (26 pontos e 14 ressaltos) mas não conseguiu evitar a derrota da equipa. George e David West estão a jogar a um nível inacreditável. O poste-baixo que veio de New Orleans na época passada voltou a encontrar os números que tinha na anterior equipa. Ontem fez 30 pontos e 8 ressaltos. Muito perto do seu máximo de carreira, feito a 11 de Novembro do ano passado contra Sacramento (31).

Os Pacers também foram alvo de rumores esta semana. Dado que a equipa de Frank Vogel está a lutar pela vitória na divisão central com os Bulls (a vitória na divisão dá direito a um dos primeiros 3 lugares da conferência indiferentemente do score) e dado que Danny Granger está lesionado, o nome do extremo tem estado nas bocas do mundo para uma eventual troca. Vogel não conta com o extremo (as suas características são de jogo interior e no jogo interior a equipa de Indianapolis está bem servida com West e Roy Hibbert) podendo o mesmo ser trocado para fortalecer as opções da equipa, principalmente as de banco, onde Indiana “pode-se dizer” não tem banco.

Hornets a vencer categoricamente em Atlanta. Os Hawks estão a passar por uma fase má da temporada. Grande exibição dos bases de New Orleans. Eric Gordon com 27 pontos, Greivis Vasquez com um fantástico triplo-duplo com 21 pontos, 11 ressaltos e 12 assistências.

Vasquez é indiscutivelmente uma das maiores sensações da Liga. O base internacional Venezuelano, apesar de ter sido jogador da Universidade de Maryland por 4 anos, foi 28ª escolha do draft de 2010 (Memphis Grizzlies) e nas previsões não era visto como um jogador que se aguentasse por muito tempo na liga. Tanto é que os Grizzlies deram-lhe pouca rotação no seu ano de rookie e Vasquez foi parar a New Orleans no ano seguinte. Em New Orleans fez números de 8.9\5.4a no seu ano de estreia na época passada. Este ano já subiu a parada para 14 pontos de média e 9.4 assistências por jogo e é dono de interessantes skills técnicos para base. Lança bem (43%) e é um óptimo pensador de jogo. A sua contratação por parte dos Hornets tornou-se um sucesso.

Brilhante vitória dos Pistons no Palace de Auburn Hills perante os Spurs (sem Ginobili e Tim Duncan) por 119-110. Bom jogo colectivo da equipa do estado do Michigan. O poste Greg Munroe fez 26 pontos, 14 ressaltos e 5 assistências. O base Brandon Knight fez 24 pontos e o veterano extremo Charlie Villanueva saltou do banco com a mão quente para marcar 21 pontos, 15 deles em triplo (5 em 7 tentativas).

No lado dos Spurs, noite pouco inspirada para praticamente toda a equipa, excepto Tony Parker que fez 31 pontos e 8 assistências.

4ª vitória consecutiva dos Heat, desta feita contra os Clippers na Flórida. LeBron James dominou as atenções com 30 pontos marcados. Chris Paul voltou à competição mas ainda anda à procura de superar a lesão que o impediu de dar contributo à equipa nas últimas semanas. O base actuou 19 minutos e fez apenas 3 pontos e 2 assistências. Blake Griffin também anda com alguns problemas físicos. Do lado de Miami, Chris Bosh está lesionado e Ray Allen não jogou esta partida devido a uma gripe.

Com Yao Ming a assistir à partida, os Rockets bateram os “difíceis” Trail Blazers por 118-103. LaMarcus Aldridge mostrou novamente a sua boa forma e apontou 31 pontos no lado da equipa do estado do Oregon. No entanto do outro lado estava um inspiradíssimo James Harden (35 pontos) a mostrar o porquê de neste momento ser o jogador mais in da Liga. O Turco Omer Asik continua a provar que os Bulls estiveram errados quanto ao seu potencial quando no Verão não cobriram a proposta oferecida pelos Rockets. Eu próprio também nunca acreditei muito no seu valor. No jogo, o antigo poste de Chicago fez 9 pontos e 13 ressaltos. Os Bulls deverão estar arrependidos visto que Asik era capaz de dar muito jeito agora para fazer descansar Noah.

2. Top plays of the Night:

3. Classificação actual:

Este 3

Algumas Notas:

1. Indiana e Chicago taco a taco pela vitória na Divisão Central.

2. As 6 vitórias seguidas de Boston, lustradas pela “goleada” imposta aos Lakers na quinta-feira permitiram à equipa um novo balão de oxigénio na luta pelos playoffs. Philadelphia está cada vez mais longe desse objectivo. A equipa está a jogar muito bem sem Rondo. Paul Pierce e Jeff Green são aqueles que se tem portado melhor e que tem mais jogo nas mãos com a saída do base por lesão.

3. Orlando não vence há 12 partidas. Não acredito nesse tipo de estratégias porque na liga as derrotas pagam-se muito caras. Primeiro porque os fans começam a desiludir-se e não vão ao pavilhão. Segundo porque a equipa torna-se menos competitiva e na cabeça de alguns jogadores começa a ser um destino que não se deseja. Mas neste caso de Orlando parece-me que a equipa está a perder jogos de propósito para cair o mais fundo na tabela e assim poder candidatar-se a uma das primeiras posições do próximo draft.

Oeste

1. Despique San António\Oklahoma pela vitória de conferência. Estamos perante as duas melhores equipas da actualidade no Oeste se bem que acho que os Clippers são a equipa com o plantel mais dotado ao nível de qualidade e soluções.

2. Busílis. Utah, Houston, Portland, Lakers e Mavs (ainda não saíram totalmente da corrida) para 2 vagas de playoff no final. Os Jazz parecem-me o elo mais fraco da corrida. Portland está a jogar maravilhosamente bem apesar da inconsistência ao nível de resultados. Não merecem ficar de fora deste playoff. Houston também não. Os Lakers estão a subir gradualmente de produção e irão fazer tudo para entrar nos 8 primeiros.

4.

Kobe Bryant “in your face” em Kris Humphries e Gerald Wallace (Brooklyn Nets)

5.

Não é todos os dias que se vê isto na NBA. O Bósnio Mirza Teletovic, poste rookie de 27 anos internacional pela Bósnia Herzegovina que este ano trocou os espanhóis do Baskonia pelos Nets conseguiu cometer a proeza de fazer 3 airballs em 3 lançamentos consecutivos.

6.

Passagem de testemunho? Fantástico bailado de James Harden sobre Ray Allen. Harden é efectivamente aquele que um dia poderá suceder a Ray Allen como o jogador com mais triplos marcados da história da competição. Allen está na sua 17ª temporada na Liga e leva 3123 triplos (média de 183 triplos por temporada). Harden vai na sua 4ª temporada na liga e para já tem 481 triplos apontados.

7. Por falar em records:

Garnett

Kevin Garnett tornou-se o 16º jogador da história a ultrapassar os 25 mil pontos de carreira. Está a 1701 pontos do 10º lugar, sendo espectável que ainda consiga entrar no top-10.

8. Notícias, análises e rumores:

Análise de Jeff Kaplan à brilhante forma dos Denver Nuggets nos dias que correm no Hang Time Blog de Sekou Smith.

Josh Smith (Atlanta) torna-se free-agent no Verão e começa a discussão sobre o seu futuro. Poderá assinar um contrato máximo com os Hawks (o mais espectável) ou rumar a outra equipa.

O mesmo acontece com Kevin Garnett. Garnett torna-se free-agent no próximo verão sendo que o futuro dos Celtics (ou a reconstrução desse mesmo futuro) passa pela saída do veterano poste. “Clientes” não lhe faltam no entanto.

Fran Blinebury volta a lançar a questão no Hang Time: Será que Jordan poderá voltar a jogar 1 jogo na competição aos 50 anos? Sinceramente dou a resposta: sim, gostava que Jordan voltasse ao United Center para fazer 5 minutinhos num jogo dos Bulls!

Greg Oden continua sem clube mesmo apesar dos esforços que está a fazer para voltar à competição. E os Bulls continuam a dormir pois era de valor dar uma chance a Oden num cenário em que Noah continua a jogar 40 minutos por partida e mais dia menos dia poderá estoirar!

Já referi neste post logo no início: o rumor da troca Bargnani-Boozer entre Chicago e Toronto.

Rumor: Ben Gordon (Charlotte Bobcats) por Kris Humphries (Brooklyn Nets)

Rumores: JJ Redick interessa aos Bucks. O que na minha opinião é plausível visto que Reddick apesar de só este ano se ter afirmado como titular indiscutível dos Magic vê a sua carreira num impasse devido à estratégia da equipa da Flórida.

O poste rookie dos Detroit Pistons Andre Drummond (o jogador mais novo na competição deste ano) irá parar entre 4 a 6 semanas devido a uma lesão nas costas.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

11 thoughts on “NBA #25

  1. Deixa lá diz:

    Devia ser proibido escreveres sobre nba, tanta asneira nossa senhora!!!!!!

  2. Deixa lá diz:

    Se o pedes… Primeiro: “Os Pacers também foram alvo de rumores esta semana. Dado que a equipa de Frank Vogel está a lutar pela vitória na divisão central com os Bulls (…) e dado que Danny Granger está lesionado, o nome do extremo tem estado nas bocas do mundo para uma eventual troca. Vogel não conta com o extremo (as suas características são de jogo interior e no jogo interior a equipa de Indianapolis está bem servida com West e Roy Hibbert) podendo o mesmo ser trocado para fortalecer as opções da equipa, principalmente as de banco, onde Indiana “pode-se dizer” não tem banco.”

    Danny Granger caraterísticas de jogo interior????????????? O rapaz joga na posiçao 3, é um excelente atirador, nao tem nada a ver com o jogo interior!!!
    Vogel nao conta com o extremo????? é o jogador figura da equipa!
    O banco de Indiana Não existe??????????? Vê quem sai do banco e os contributos.
    A questão é sempre esta, e era o que te estava a dizer, tu falas de Indiana como se acompanhasses a equipa mas nunca a viste jogar sequer

    • Deixa lá diz:

      Tu tens umas noções e pesquisas no google. Resumes-te a isso.

    • O máximo que aceito do teu comentário é que é um bom atirador. De facto é. Mas não é um jogador totalmente virado para o jogo exterior pois também faz muitos 1 contra 1 ao estilo de post baixo e muitas incursões ao cesto em layup.

      Não, os jogadores figura da equipa são neste momento o Paul George e o David West. São aqueles que tem conseguido os objectivos da equipa sem a presença do Granger. No início da época quanto mais era o Roy Hibbert.

      os rumores de uma eventual troca do Granger:

      http://espn.go.com/nba/dailydime/_/page/dailydime-130209-10/weekend-dime
      “Maybe there is enough time before this month’s trade deadline for Indiana to find a trade partner willing to gamble on Danny Granger. This much we do know, though: It’s not going to be Houston. One source with knowledge of Houston’s thinking left little doubt that recent reports portraying the Rockets as a potential suitor for Granger, as they were in the past long before James Harden showed up, are out of date. Houston is not chasing Granger, who is increasingly regarded as expendable in Indy in the wake of Paul George’s rise to All-Star status.”

      http://www.hoopsworld.com/nba-pm-the-next-trade-chip-to-fall/
      “Danny Granger Available?

      Prior to the start of the 2012-13 NBA season, Danny Granger had about as much job security as any player in the NBA. The Indiana Pacers have received dozens of calls from teams looking to acquire the star small forward, but the Pacers simply weren’t willing to entertain the notion of giving up their franchise cornerstone.

      Times change, however, and the emergence of Paul George as Granger sits out with a knee injury has reportedly caused the Pacers’ new management team to change their stance.

      Count the Houston Rockets among the teams who would happily help the Pacers move on from Granger, as one executive close to the situation in Indiana recently told HOOPSWORLD he thought Rockets GM Daryl Morey had it on his daily to-do list to call and ask the Pacers if they were ready to part with Granger yet.

      Internally, the Pacers have some doubts about the condition of Granger’s knee, and whether or not he will ever be able to sustain a high level of play for 82 games plus the playoffs. That, together with George’s phenomenal play, have them pondering whether it might not be best to cash Granger in now and turn the team over to George. With George coming off of the best two months of his career and steadily improving, that would seem to make a great deal of sense.”

      Danny Granger Available?

      Prior to the start of the 2012-13 NBA season, Danny Granger had about as much job security as any player in the NBA. The Indiana Pacers have received dozens of calls from teams looking to acquire the star small forward, but the Pacers simply weren’t willing to entertain the notion of giving up their franchise cornerstone.

      Times change, however, and the emergence of Paul George as Granger sits out with a knee injury has reportedly caused the Pacers’ new management team to change their stance.

      Count the Houston Rockets among the teams who would happily help the Pacers move on from Granger, as one executive close to the situation in Indiana recently told HOOPSWORLD he thought Rockets GM Daryl Morey had it on his daily to-do list to call and ask the Pacers if they were ready to part with Granger yet.

      Internally, the Pacers have some doubts about the condition of Granger’s knee, and whether or not he will ever be able to sustain a high level of play for 82 games plus the playoffs. That, together with George’s phenomenal play, have them pondering whether it might not be best to cash Granger in now and turn the team over to George. With George coming off of the best two months of his career and steadily improving, that would seem to make a great deal of sense.
      Read more at http://www.hoopsworld.com/nba-pm-the-next-trade-chip-to-fall/#HI8TTXM9iKOZMuHa.99

      http://bleacherreport.com/articles/1189577-nba-trade-rumors-pacers-would-moronic-to-swap-danny-granger-for-eric-gordon

      Estão portanto 4 notícias que referem uma eventual troca de Granger.

      Quanto ao banco de Indiana:

      – Tyler Hansbrough (fraquíssimo tecnicamente), Orlando Johnson (enche chouriços da equipa) DJ Augustine (não o quiseram em Charlotte) Mahinmi (outro que não quiseram, desta feita em Dallas) Pendergraph e Gerald Green (tirando numa época em Boston, teve outras 5 em que não conseguiu completar uma fase regular em outra equipa). Se achas que isto é um grande banco, tu é que não percebes nada de NBA.

      Ainda me dou ao trabalho de te explicar com números. Por um banco bom ou eficiente deve-se considerar aquele que seja capaz de traduzir em números algo como isto: no mínimo 35 pontos, umas 12 assistências, uns 20 ressaltos e mais uns pós de roubos de bola e abafos. Os 6 suplentes supra mencionados garantem (tendo em conta os seus números individuais durante os jogos realizados esta época) algo como 28.3 pontos (nenhum jogador consegue ter uma média pontual de 10 pontos!!!) 14,8 ressaltos e 4,7 assistências por jogo. Mais explicito não posso ser. Vai ver os números ao site da NBA. Não ao google como dizes no teu comentário. Achas isto uma boa contribuição de banco? Não só não tem um poste-alto suplente como um 2º point guard decente.

      Se quiseres mais dados para corroborar o que acabei de dizer, analisa o número de pontos marcados em média pela equipa (98) e o número de pontos marcados em média pelos 5 actuais titulares da equipa: 68. Tirando o elo mais fraco do 5 titular que é o Stephenson e acrescentando o Granger, tiramos 8,3 do Stephenson e acrescentamos os 22 de média do Granger, o que perfaz 82. Ou seja, o banco de Indiana é nulo.

      Reconhecendo alguns erros no meu post, faço o que posso, escrevo o que sei, vejo o que posso da Liga. E sim já vi jogar Indiana muitas muitas vezes. Se gostas, lês. Se não gostas, não lês. Simples.

      • Deixa lá diz:

        Tu dizes que o Granger não tem lugar porque o jogo interior de Indiana está completo. O que não tem logica nenhuma porque o Granger não tem nada a competir com jogadores como o West ou o Hibbert. A troca que referem, eu explico-te: é a evolução do Paul George que está em causa, porque como não sabes ele quando chegou a liga era posição 2, mas com a lesão do Granger e a boa integração do Stephenson o 5 inicial voltou a ficar equilibrado com o Paul George a jogar a 3 (a posição do Granger, não 4 e 5 como referes). Se achas que a figura principal de Indiana no final das épocas passadas era alguém sem ser o Granger estás completamente enganado. Se não o é agora? claro, ainda não jogou qualquer jogo! E mais, tb li por aqui “uma ameaça a esta equipa dos Knicks são equipas que joguem de forma rápida, como é caso dos Indiana”, ou seja, nunca viste indiana jogar. Prevalece nos ideais do Vogel a defesa, o 5 para 5 em meio campo. Nunca um jogo em grande velocidade e de rápidas transições. Dj Augustine para suplente de PG é uma opção mais que valida, o Hansbrough no papel de rotação é perfeito e por aí em diante.
        Para rematar como nunca viste Indiana jogar, acerca de uma possível troca do Al Jefferson para os Spurs (palavras tuas) “já agora quem pelo jefferson: splitter, Leonard e George Hill?” oh amigo o George Hill Já não está nos Spurs à dois anos e tu ainda o queres trocar????? Ele é o base titular de quem?? Indiana!

        Charlie Villanueva apelidado de veterano quando tem 28 anos (nunca o viste jogar sabes lá tu quem é).

        Gary Payton dos melhores atiradores que viste? dá vontade de rir, mas fica bem ir buscar o antigo para dar de entendido.

        (Sobre CJ Watson) “Se em Chicago era aquele jogador que oscilava entre jogos maus e jogos onde era capaz de derrubar a fasquia dos 25 pontos, em Brooklyn tem sido menos point-guard e mais shooting guard.” ou seja, marcava mais em Chicago mas agora é mais Shooting guard e menos point guard? Não devemos ter os mesmos conceitos sobre posições e relativas tarefas.

        O “extremo Shumpert” não, ele é segundo base não é extremo.

        Enfim, entre outros, obviamente que tenho a opção de não ler e não comentar, mas com o que já me ri ao ler isto não consegui evitar! Tu não tens que ser entendido em tudo rapaz, ninguém te leva a mal por isso, não tens é que achar que sabes tudo!

        • “Tu dizes que o Granger não tem lugar porque o jogo interior de Indiana está completo. O que não tem logica nenhuma porque o Granger não tem nada a competir com jogadores como o West ou o Hibbert.”

          O que eu digo ou quero dizer é que é um jogador que também se sente confortável a jogar no jogo interior.

          “o Paul George a jogar a 3 (a posição do Granger, não 4 e 5 como referes)” –

          Onde é que eu me refiro ao Granger como jogador de posição 4 ou 5 no post? Se me souberes dizer…

          “E mais, tb li por aqui “uma ameaça a esta equipa dos Knicks são equipas que joguem de forma rápida, como é caso dos Indiana”, ou seja, nunca viste indiana jogar. Prevalece nos ideais do Vogel a defesa, o 5 para 5 em meio campo. Nunca um jogo em grande velocidade e de rápidas transições. Dj Augustine para suplente de PG é uma opção mais que valida, o Hansbrough no papel de rotação é perfeito e por aí em diante.”

          ahahaha! Deixa-me rir! O Hansbrough é perfeitíssimo. Só se for a dar fruta nos adversários!

          “Para rematar como nunca viste Indiana jogar, acerca de uma possível troca do Al Jefferson para os Spurs (palavras tuas) “já agora quem pelo jefferson: splitter, Leonard e George Hill?” oh amigo o George Hill Já não está nos Spurs à dois anos e tu ainda o queres trocar????? Ele é o base titular de quem?? Indiana!”

          Tens razão mas esta citação não vem a este contexto visto que foi retirada do meu facebook e não do post em questão. Ir ao facebook não vale visto que eu já sei quem tu és e facilmente te vou apanhar algumas ao facebook e ao twitter.

          De resto. Eu não te preciso de dizer quem é o Villanueva. E sim, perante a juventude da equipa é um veterano!

          (Sobre CJ Watson) “Se em Chicago era aquele jogador que oscilava entre jogos maus e jogos onde era capaz de derrubar a fasquia dos 25 pontos, em Brooklyn tem sido menos point-guard e mais shooting guard.” ou seja, marcava mais em Chicago mas agora é mais Shooting guard e menos point guard? Não devemos ter os mesmos conceitos sobre posições e relativas tarefas.”

          http://www.nba.com/playerfile/cj_watson/career_stats.html

          Está aqui a tua resposta.

          Shumpert: Até já foi point guard quando o Baron Davis e o Bibby estavam lesionados na época passada. Pode fazer posição 2 e 3.

          Continuo-te a dizer: quem quer ler, lê. quem não quer ler não lê. Como tu assinas em anónimo, respondo-te educadamente e refuto os teus comentários quando eles são passíveis disso. Quando tu assinares com o teu nome (sim, porque ainda por cima no facebook és meu amigo sob o nick NBA Portugal) e souberes ter uma discussão em que não entres com argumentos ad-hominem logo de início, talvez tenhamos boas conversas sobre NBA. Ninguém está totalmente certo nem ninguém está totalmente errado. Tu, alguém que eu não conheço, entraste aqui com a mania que sabes tudo. Pois, parece que não sabes. Mas como te digo: quem não quer ler, não lê.

      • O teu último parágrafo é sinal de uma maturidade que não tinhas quando te conheci.
        Continua a escrever.

  3. Deixa lá diz:

    “não é um jogador totalmente virado para o jogo exterior pois também faz muitos 1 contra 1 ao estilo de post baixo e muitas incursões ao cesto em layup.” a sério? então o derrick rose , tony parker, Kyrie Irving, reis das penetrações, de lançamentos debaixo do cesto também são jogadores de interior???

    • Nem te vou responder a esta pergunta pois está a tentar enviesar um jogador de posição 3 com jogadores de posição 1. O Jeff Green também é extremo e sente-se melhor no jogo interior do que no jogo exterior. O Love é 4 ou 5 mas lança triplos melhor que alguns bases.

  4. […] Já tinha escrito sobre Vasquez aqui. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: