Monthly Archives: Janeiro 2013

que tranquilidade!

na liga russa de basquetebol!

Com as etiquetas , , ,

NBA 2012\2013 #21

1. Começo por um momento bonito da liga ocorrido há alguns dias atrás. No jogo entre Sacramento Kings e Oklahoma City Thunder, da bancada veio um pedido pouco usual: a meio da partida, um menino pediu uma sapatilha a Kevin Durant e o craque dos Thunder acedeu ao pedido!

2. Nos espectáculos da liga parece estar em voga os adeptos acertarem do meio campo. No outro dia mostrei aqui um vídeo onde um o fazia em Miami. Em Atlanta houve outro que fez melhor!

3. Insider´s: videos que demonstram o trabalho de pré-draft realizado por Damien Lillard no campo de treino dos Portland Trail Blazers e o trabalho de drible de Dwayne Wade dos Miami Heat. Não é todos os dias que temos oportunidade de ver como se trabalha na NBA e de ver como é que as equipas avaliam as suas escolhas de draft.

4. Jogos de ontem:

Jrue Holliday (18 pontos e 10 assistências), Thaddeus Young (23 pontos\7 ressaltos) e Evan Turner (27 pontos e 7 assistências) fizeram 3 senhoras exibições mas não conseguiram evitar a derrota em casa frente aos Grizzlies nem mesmo depois de terem saído para o intervalo a vencer por 16. Do lado de Memphis destaque para as exibições de Jerryd Bayless (esteve magistral a substituir Mike Conley com 21 pontos, 5 ressaltos e 9 assistências) Marc Gasol (27 pontos, 7 ressaltos e 7 assistências) e Rudy Gay com 26 pontos, 7 ressaltos e 5 assistências.

Não deixo de estranhar que os Grizzlies estão a ter um rendimento muito interessante ao longo desta temporada se tivermos em conta que esta equipa tem actuado em maior parte dos jogos com apenas 8 jogadores fruto das lesões que tem assolado alguns jogadores do plantel.

Bulls 95-93 Bobcats

Jimmy Butler

Do jogo não existe muita história para contar que visto que foi uma vitória tranquila dos Bulls. No entanto existem dois pormenores que devem ser realçados: a boa-forma de Jimmy Butler (Chicago Bulls).

Jimmy Butler está um jogador descomunal. Quem diria? O sophomore de Chicago, escolhido na posição 30 do draft de 2011, teve poucas oportunidades de jogo na última época fruto da presença de Luol Deng , Kyle Korver e Ronnie Brewer (apenas fez 42 dos 82 jogos da equipa na fase regular com uma média de 8.5 minutos de utilização e 2.6 pontos por jogo). Com a mudança de estratégia da equipa começou por entrar lentamente na rotação de Tom Thibodeau para fazer descansar Deng. E o puto, cujos colegas dizem que é um excelente profissional, começou por marcar 6\8 pontos que na maioria dos jogos acabavam por ser decisivos para as vitórias dos Bulls. Tenho reparado que ao contrário de Deng (mais exterior), Butler marca muitos pontos debaixo da tabela, aparecendo no ressalto a ganhar as bolas que Noah não concretiza. Com a lesão de Luol Deng nos últimos jogos, Butler subiu a um patamar do qual eu já desconfiava que ele tinha talento e raça para subir: em 44 jogos realizados pela equipa jogou-os todos (5 vezes titular), subiu a sua média de utilização para os 20 minutos e a média de pontuação para os 6.7 sendo que nos últimos 5 jogos já marcou muito acima da sua média: Golden State (16) Washington (9) Charlotte (19; recorde de carreira no regresso de Deng após lesãoM). É sem dúvida um dos jogadores mais in de Chicago e penso que daqui a 2 temporadas será um jogador que poderá elevar o seu jogo para uma média de 13 pontos por jogo e 7 ressaltos. Para além do mais, é um óptimo defensor. Pendura-se por completo nos extremos adversários e é uma carraça difícil de ultrapassar. Na semana passada fez suar Kobe e foi graças a ele que a estrela dos Lakers saiu do United Center com uma das piores exibições individuais da temporada.

Os Denver Nuggets ganharam 9 dos últimos 11 jogos.

O resultado mais desigual da época até agora. Os Rockets foram dar uma lição de basquetebol a Utah e acabaram por vencer o rival directo na luta pelos playoffs por 45 pontos. James Harden com 25 pontos e Omer Asik com 19 ressaltos foram os pilares defensivos da equipa do Texas.

5. Fotografias: 

DeMar DeRozan

DeMar DeRozan (Toronto Raptors) @ Orlando Magic

Carmelo Anthony

Carmelo Anthony (New York Knicks) e Josh Smith (Atlanta Hawks)

7. Para finalizar, mais um rumor. Este com o selo do diário espanhol Marca:

A lesão de Rondo poderá desencadear uma mega troca entre várias equipas da NBA (Boston, Memphis, Toronto, Lakers, Clippers e Dallas) sendo que em cima da mesa estão nomes como Calderon (Toronto Raptors) Pau Gasol (LA Lakers) Kyle Lowry (Toronto Raptors) Dwight Howard (LA Lakers) Paul Pierce (Boston Celtics) Rudy Gay (Memphis) DeAndre Jordan e Eric Bledsoe (LA Clippers). Os espanhóis dão os seus palpites.

Os negócios poderão não ser nesta arquitectura traçada pela Marca, mas creio que na próxima semana teremos movimentações importantes na Liga.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A falta de vergonha no seu expoente máximo

O CDS\PP aprovou no seu seio a candidatura de Avelino Ferreira Torres à Câmara do Marco de Canavezes.

Só me ocorrem 3 brevíssimas notas em jeito de comentário.

1. A falta de vergonha no seu expoente máximo.

2. Portas já está a tentar criar o seu caminho à margem do governo (já percebeu que o PSD vai cair tão baixo depois desta legislatura que o CDS\PP pode levar por tabela) e esta manobra com Avelino Ferreira Torres é apenas uma das várias manobras que o partido fará nas autárquicas para poder lavar a sua cara e controlar os locais onde a sua popularidade é mais alta. Falo dos distritos de Braga, Porto, Aveiro e Viana do Castelo.

3. O significado de dois termos da língua portuguesa:

3.1 Impunidade: s.f falta de castigo devido, estado de impunidade, tolerância de crimes ou desaforos, estado do que não é punido, dificuldade de exercício da justiça.

3.2 Populismo: adj. 2 g. s. 2 g. Diz-se pessoa amiga do povo. Estilo de governo onde um homem procura tornar-se um líder carismática aos olhos dos seus cidadão. Mobiliza massas e usa a máquina pública para se perpetuar no poder pela concessão de benefícios às classes baixas e médias, podendo efectivamente tais concessões não passarem de pura demagogia.

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Hoje na Marca

hurtado

O jogador do Paços de Ferreira Hurtado dá uma entrevista ao Jornal A Marca, com vídeo da entrevista gravado na Mata Real, onde aborda a selecção peruana e o clube da capital do móvel! Claro indicador do peso considerável que o futebol português já mexe nos principais media de outros países.

Com as etiquetas , , , , , , ,

:)

Oops! É pena que depois da graçola tenha feito o auto-golo que deu a vitória ao PSG.

Com as etiquetas , , , , , , ,

hoje

hoje

fonte: Marca

Recomeça hoje em Espanha o julgamento do médico Eufemiano Fuentes, médico envolvido no maior escândalo de doping até hoje revelado. Fuentes vai começar hoje o seu testemunho.

É de relembrar que entre os clientes de Fuentes não estavam só ciclistas.

A lista famosa de clientes do médico da antiga ONCE e da Kelme incluía:

1. Ciclismo:

– Alberto Contador, Allan Davis, Joseba Beloki, Isidro Nozal, David Bernabéu, David Blanco, Eladio Jimenez, Ruben Plaza e o nosso Sérgio Paulinho (se bem que no exemplo destes 9 a justiça espanhola retirou-os dos ficheiros do processo por falta de provas de ligação com o médico mas alguns destes corredores, como é o caso de Contador já foram suspensos por uma ou mais que uma vez) Unai Osa, Michele Scarponi (dito em espanha como o “gerente\angariador” dos negócios de Fuentes em Itália). 

Alberto Contador, apesar de suspenso por 2 vezes sempre negou conhecer o Dr. Fuentes. A justiça espanhola retirou-o dos processos do caso mas eventualmente poderá inseri-lo novamente, estando essa condição dependente do que disser o médico. Alegadamente, Contador dopava-se segundo as ordens do médico quando estava na Discovery Channel.

– Marcos Serrano, Angel Vicioso, Francisco Mancebo, Constantino Zaballa, Alejandro Valverde (entretanto já suspenso por controlos positivos), Ivan Basso (já suspenso quando estava na Discovery Channel em 2007), Franck Schleck (admitiu em 2007 que transferiu 700 euros para uma conta de Fuentes mas negou qualquer envolvimento com o médico pois não prosseguiu o seu método, algo que ainda está por provar neste julgamento), Santiago Botero, Óscar Sevilla, Jan Ullrich (embora tenha dado positivo em 2006 a um teste feito ao sangue, sempre negou envolvimento com o médico espanhol), Michele Bartoli, Santiago Perez, Roberto Heras e Marco Pantani.

basso

Oscar Sevilla e Jan Ullrich chegaram a ser suspensos preventivamente em 2006 pela sua equipa de então, a T-Mobile.

ullrich

Nota de culpa de Franck Schleck:

Schleck

Apesar de ter dito que pagou a referida verba ao médico espanhol sem nunca ter usado os seus serviços e substâncias, o luxemburguês acusou xypamine, um diúrético muito usado na modalidade para expelir mais rapidamente substâncias dopantes pelo organismo em 2012.

– Tyler Hamilton, o mesmo que denunciou Armstrong na investigação da USADA. Pelo acordo que fez na justiça norte-americana no caso Armstrong, Hamilton não terá quaisquer problemas com a justiça norte-americana. No entanto, as autoridades espanholas investigam as suas ligações a Fuentes. Em causa está a época de 2003, onde o americano supostamente terá usado EPO, esteróides, transfusões de sangue,  hormonas de crescimento e testosterona durante 114 dos 200 dias da sua temporada. Alegadamente, o Norte-Americano contribuiu com 43 mil euros para o médico espanhol nesse ano. Nesse mesmo ano Hamilton fez 3º no Tour com uma prova “heróica”: caiu na primeira etapa,  fracturou a clavícula e ainda conseguiu o 4º lugar na geral, resistindo o mais que pode na alta-montanha a Armstrong e Ullrich.

– O antigo director desportivo da ONCE Manolo Saiz,
– O antigo director desportivo Vicente Belda.

Futebol:

O antigo ciclista da Kelme Jesus Manzano denunciou às autoridades espanholas que o Dr. Fuentes fazia visitas esporádicas aos balneários do Real Madrid e do Barcelona. O antigo presidente da FIFA Sepp Blatter chegou a dizer que estava na posse de documentos que o comprovavam. Nenhum dos rumores e testemunhos foi dado como provado até hoje. Em 2011, o Jornal Francês Le Monde também acusou a equipa catalã de promover uma rede de dopagem dentro das suas portas com a ajuda e monitorização técnica de Fuentes. A justiça espanhola não deu nenhuma das acusações do diário francês como provadas e o Barcelona pediu uma indeminização de 15 mil euros e um pedido de retratamento público do jornal.

Atletismo:

Ligações claras entre Fuentes e atletas olímpicos espanhóis desta modalidade.

Ténis:

Rafa Nadal também foi acusado de envolvimento neste escândalo. Recentemente, o seu colega de profissão Christopher Rochus acusou o espanhol e o sueco Roger Soderling do uso de substâncias dopantes.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

passado domingo

marca

Capa da Marca no passado domingo.

Com as etiquetas , ,

facto raro

os governos provisórios do PREC viraram trabalhadores contra trabalhadores. o cavaco silva virou polícias contra polícias. o louçã e o gil garcia da arrentela viraram bloquistas contra bloquistas. o arménio carlos virou o texas.

Com as etiquetas , ,

mas é isto mesmo que vai acontecer no final da temporada

vitor pereira

e só não aconteceu no último defeso porque:

1. Vitor Pereira foi campeão.

2. O Porto tinha que gastar uns 5 milhões para despedir Vitor Pereira e pagar a clásula de rescisão a Leonardo Jardim.

3. Seria demasiado óbvio depois das notícias que saíram a seguir à saída do Leonardo Jardim do Beira-Mar.

no entanto, a malta do relvado deve estar com os copos quando publica isto:

riquelme

e isto:

eder

como se o Braga não quisesse pagar\acautelar as próximas três épocas com um jogador que chegou há 6 meses ao clube a custo zero.

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

em memória de jaime neves

jaime neves

“Foi um homem polémico pela atitude frontal que sempre adotou, mas teve um papel de exceção ao serviço de Portugal e da democracia pluralista. Deve ser recordado como um herói nacional” – General Loureiro dos Santos.

Com as etiquetas , , , , ,

está tudo doido

obviamente que se tratou de um assalto.

tudo serve para roubar neste país. creio que este assalto ainda é mais incrível que a limpeza recente que fizeram às antigas instalações do Hospital Pediátrico de Coimbra onde para além de material hospitalar chegaram a limpar torneiras, sanitas e até o vidro da porta das instalações do segurança.

P.S: quanto ao que fizeram aos animais, prefiro não comentar. anda aí uma onda gigantesca de gente a defender os bichos, até mesmo quando eles matam crianças. antes prevenir que remediar.

Com as etiquetas , , , ,

NBA 2012\2013 #19

1. Jogos de ontem:

Miami e Boston deram um enorme espectáculo. Emotivo até ao final. Os Celtics, no 8º lugar da conferência este (score 21-23) venceram os Heat, primeiros com um score de 28-13 depois de dois prologamentos.

Jogo de estrelas. Grandes exibições para a equipa de Doc Rivers por parte dos dois veteranos Paul Pierce e Kevin Garnett. Pierce esteve escondido durante toda a partida (falhou muitos lançamentos) mas apareceu no momento de decisão com os lançamentos decisivos. Marcou 17 pontos. Já o veterano poste-baixo esteve em grande (deve andar motivadissimo com a presença em mais um all-star game, sendo que na verdade não tem feito nada para merecer essa presença) com 24 pontos e 11 ressaltos. Do banco veio ainda um Jason Terry (está a aparecer de forma decisiva nos últimos períodos das partidas da equipa do Massachussets) com 13 pontos.

Do lado de Miami, James fez mais uma exibição monstruosa (34 pontos, 16 ressaltos e 7 assistências), Wade marcou 17 pontos e fez 7 assistências e Chris Bosh está a calar todos aqueles que tem criticado a sua passividade na luta das tabelas. O poste de Miami marcou 16 pontos e ganhou 16 ressaltos numa luta intensa contra Garnett.

Má notícia para os Celtics: Rajon Rondo lesionou-se gravemente no joelho e não irá jogar mais esta época. Avizinha-se portanto uma segunda metade de temporada regular muito difícil para a equipa de Doc Rivers. Perde o seu líder numa altura em que o 8º lugar está muito tremido (Philadelphia está com um score de 18-25 e rapidamente poderá fazer sombra a Boston) e a equipa de Doug Collins poderá ter um boost muito importante nas próximas semanas com o regresso de Andrew Bynum à competição.

Com esta lesão de Rondo e com a possibilidade dos Celtics ficarem de fora dos playoffs, reforço a ideia que tenho vindo a construir nas últimas semanas de que a equipa poderá ter entrado num ponto sem retorno que lhe trará um futuro muito negativo. Os Celtics estão no mercado à procura de um poste-alto para reforçar o paupérrimo jogo interior da equipa. Michal Gortat (Phoenix Suns), Pau Gasol (Lakers), Glen Davis (Orlando), Anderson Varejao (Cleveland Cavaliers) e Roy Hibbert (Indiana Pacers) são para já aqueles cuja comunicação social Norte-Americana colocaram\colocam na rota da equipa. No entanto, Gortat e Davis estão felizes nas suas equipas e seria disnexo o regresso de Glen Davis a Boston, pelas circunstâncias que se fizeram sentir na sua passagem pela equipa do Massachussets. Varejao lesionou-se e só regressa no mês de Abril, logo, não serve para já os interesses dos Celtics. Hibbert e Gasol estão insatisfeitos nas suas equipas e já mostraram interesse em mudar de ares. No entanto, para Boston, existe um problema. Os Celtics não só não tem poder de troca fruto da sua envelhecida equipa como Pierce e Garnett (jogadores cujo valor ainda seria capaz de desencadear uma troca) tem salários proibitivos para muitas equipas da NBA, mesmo que a troca destes jogadores não se realizasse de forma bilateral mas sim numa cadeia de trocas entre equipas. No entanto, a ESPN nas últimas semanas afirmou que os responsáveis de Boston já estiveram em LA a negociar uma troca de Pierce por Gasol, visto que o jogador de Boston tem possibilidade de rumar a LA por um salário inferior aquele que ganha em Boston. Já o internacional Espanhol, tem um vencimento anual de 19 milhões para esta temporada e para a próxima do qual decerto não deverá abdicar. Pierce ganha 16 milhões por temporada e os Celtics ainda tem 24 milhões de cap salarial disponível dentro do tecto máximo salarial permitido sem o pagamento de impostos adicionais. Caso o extremo saísse, a entrada do poste espanhol não seria problema para os cofres da equipa de Boston.

Dado que Rondo é a meu ver, a única grande moeda de troca da equipa, a sua lesão impossibilita a possibilidade da equipa trocá-lo num futuro próximo por alguém que pudesse servir de base à construção de uma equipa para o futuro. Se os Celtics não forem aos playoffs o cenário será ainda mais grave.

Rápido a reagir, o analísta Fran Blinebury não tardou a postar no Hangtime Blog de Sekou Smith a ideia que a lesão de Rondo terá que acelerar o processo de renovação na equipa.

Duas vitória seguidas para os Lakers. Facto raro esta época pelo Staples Center. Vitória categórica contra a equipa que está em 2º no Oeste, quase por vingança à dura derrota que essa mesma equipa tinha imposto em LA há algumas semanas atrás.

Exibição monstruosa de Kobe Bryant (21 pontos, 9 ressaltos e 14 assistências) a calar todos aqueles que o tem acusado de falta de empenho nos últimos jogos da equipa. Bryant continua a demonstrar que é o melhor da liga. Durant com 35 pontos. Não foi forte no lançamento (10-26) e aí residiu um dos problemas que causaram a derrota à sua equipa. No entanto sofreu muitas faltas e foi empurrando a discussão do jogo através da linha de lance livre. Westbrook com uma sensacional exibição all-around: 17 pontos, 9 ressaltos e 13 assistências. No entanto, nota-se que cada vez mais esta equipa está a viver da liderança destes 2 jogadores. Falta Harden para desiquilibrar a balança quando é preciso, e mesmo apesar de Serge Ibaka estar a realizar a sua melhor época desde que chegou à liga, o substituto que veio de Houston para o lugar de Harden (Kevin Martin) desceu uns furos em relação aquilo que fazia na equipa do Texas (principalmente no plano ofensivo) e está longe do “barbudo” e da sua importância nos anos em que jogou em Oklahoma.

Nash (17 pontos), Gasol (16) e Metta World Peace (15) também ajudaram à vitória da equipa orientada por Mike D´Antoni. Sobre Dwight Howard é melhor não escrever. Escrevo sim sobre Earl Clark. De jogador raramente utilizado, saltou directamente para o 5 da equipa da Califórnia e tem-se revelado bastante consistente nas suas actuações. Não é um primor de técnica, não é um bom jogador ao nível de lançamento, mas é sem dúvida um jogador que está a agarrar a oportunidade com unhas e dentes.

Com estas duas vitórias, aliviou a pressão em LA e já se vê uma luzinha ao fundo do túnel. Continuo a não acreditar que os Lakers não marquem presença nos playoffs. No entanto, a segunda metade da época será muito difícil dadas as equipas que irão lutar pelo 7º e 8º lugar da conferência. Utah, Houston, Portland, Lakers e Mavericks vão lutar até ao fim por duas vagas. Apesar dos Jazz não terem nomes sonantes são uma equipa que emprega muito esforço no seu jogo. Tem um Paul Millsap a jogar muito bem e partem para a segunda metade da época com 9 jogos de vantagem sobre LA por exemplo. Portland é uma equipa muito difícil de bater em casa e tem jogadores a actual de forma estupenda, casos de JJ Hickson, LaMarcus Aldridge e Damien Lillard. Hoston tem Harden e isso por si só basta. Os Mavs de Mark Cuban (diz a imprensa norte-americana que o patrão da equipa de Dallas está mortinho para ir caçar Howard a LA no final da época para o juntar numa simbiose perfeita ao nível de jogo interior com Dirk Nowitzky) apesar de estarem a ser muito irregulares, melhoraram muito com o regresso do Alemão e quem sabe ainda podem vislumbrar alguma luz ao fundo do túnel caso vençam uma série de jogos de forma consecutiva.

2. Classificações actualizadas:

este 2

Algumas notas:

1. A luta pelos primeiros lugares está ao rubro. Miami lidera mas Nova Iorque e Chicago poderão rapidamente usurpar a posição dos campeões em título. É notável a prestação dos comandados de Tom Thibodeau. Não me canso de gabar o trabalho do treinador de Chicago. Começou a época sem o melhor jogador e com um espectro muito negativo em torno da equipa. A ausência de Rose, o fantasma da eliminação aos pés de Philadelphia nos playoffs no ano passado e a política de desinvestimento da direcção de Chicago ao contratar um banco constituído por jogadores tidos como “remendos” face às saídas de gente como Korver, Asik ou CJ Watson fizeram crer que os Bulls poderiam ter muitas dificuldades durante esta época. Os mais cépticos (falo aqui de malta que escreve no Chicago Tribune) chegaram inclusive no início da época a duvidar do valor da equipa para atingir o objectivo mínimo, os playoffs.

2. Atenção a Indiana. A equipa de Frank Vogel não está longe de Chicago e sabe perfeitamente que indeferentemente do score que obtiver no final da temporada, a vitória na sua divisão abre as portas a um dos 3 primeiros lugares finais da conferência.

3. Como já referi, Boston e Philadelphia irão lutar taco a taco pelo último lugar de acesso aos playoffs. Invertem-se cenários: Rondo Out no lado dos Celtics, Bynum in em Philadelphia nas próximas semanas. Com Jrue Holliday a jogar muito bem no jogo exterior, Bynum poderá dar um toque de classe ao jogo interior da equipa e permitir uma eficácia que não está ao alcance de Spencer Hawes.

4. Washington. Não me canso de escrever que, se John Wall tivesse iniciado esta época desde o primeiro jogo, esta equipa estaria a lutar pelos playoffs. Arrancam tarde.

Oeste

1. Com uma gestão constante da utilização de Tim Duncan e mesmo apesar das lesões constantes de Manu Ginobili, Greg Popovich vai levando a água ao seu moínho e os Spurs vão lançados para a conquista do 1º lugar no Oeste. 8 vitórias seguidas de uma equipa que está a dar espectáculo por onde passa. Boost massivo do jogo de Tony Parker. Tanto aparece como desaparece. Não há portanto quem o entenda.

2. Golden State. Quem diria? A equipa de Oakland está a calar todos aqueles que diziam que a troca de Monta Ellis para Milwaukee era um erro.

3. Phoenix. Último lugar. Desilusão completa. A reconstrução da equipa com jogadores como Gortat, Dragic e Beasley assegurava qualidade para a equipa lutar por um lugares nos playoffs. A realidade dos jogos da equipa mostra muita inconsistência.

3. Momento de humor:

Para rir. LeBron ficou maravilhado com alguém que não treme em situações de Buzzer-beat. Tanto ficou que tratou logo de abraçar quem finalmente lhe ensinou a lançar com classe do meio campo.

4. Melo deluxe. 42 pontos difícil vitória contra Atlanta:

 

Espanha campeã mundial de andebol

sterbik

Final paupérrima por parte dos dinamarqueses. A Dinamarca perde novamente o campeonato do mundo na final, facto que já tinha ocorrido em 2011 contra a selecção francesa. Resumindo: Os Dinamarqueses nunca chegaram a entrar no jogo. Muitas perdas de bola (20), quase tantas como as que tinham cometido nos restantes jogos deste mundial. Os Dinamarqueses entraram muito nervosos na partida. Jogadores com uma enorme experiência como Kaspar Sondergaard, Mikkel Hansen ou Nikolaj Markussen, habituados a disputar finais de competições internacionais e por clubes não conseguiram entrar no jogo e cometeram erros atrás de erros contra uma Espanha fortíssima no jogo exterior (Cañellas principalmente), no fornecimento de jogo ao seu pivot Julen Aguinalde (comeu de cebolada a frontline dos Dinamarqueses) e para o lateral direito Guardiola. Cañellas chegou inclusive a terminar o jogo com 100% de eficácia (7 golos em 7 remates). Pior que os turnovers cometidos foi a atitude passiva dos dinamarqueses na partida. Os Dinamarqueses não foram capazes de por em prática o seu andebol de 1ª linha e não conseguiram colocar em campo toda a agressividade que os caracteriza no plano defensivo. Na primeira parte, fruto da desconcentração dinamarquesa, a Espanha vencia por 18-10.

Na 2ª parte, os dinamarques até entraram bem do ponto de vista defensivo mas não conseguiram marcar qualquer golo nos primeiros 9 minutos. A Espanha continuou a capitalizar todos os erros dos Dinamarqueses como lhe competia e teve a ajuda do senhor que está na imagem: Arpad Sterbik. Uma exibição de sonho deste guarda-redes sérvio naturalizado espanhol em 2008, com 15 defesas onde demonstrou serenidade (raramente levantou um pé do chão para tapar angulos). Sterbik já foi eleito pela EHF o melhor jogador do ano no ano de 2005, tendo sido o primeiro guarda-redes a ser eleito na história da modalidade.

Nos minutos finais, com a vantagem expressiva dos espanhóis a oscilar entre os 14 e os 16 golos de diferença, pode-se dizer que foi um passeio até ao apito do quadro electrónico. A Espanha é a nova campeã do mundo de andebol.

P.S: mais logo, vou tentar arranjar e postar highlights ou o jogo completo se tal me for possível.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , ,

raspadinha pé-de-meia

vasconcelos-erse

Consta-se que este indivíduo, de nome Jorge Viegas Vasconcelos, ex-presidente da ERSE (Entidade Reguladora do Sector Energético), organismo de fachada de um sector monopolizado onde a principal prestadora de serviços (recentemente privatizada a um grupo chinês) impõe o preço ao cliente que bem lhe apetecer por via do chamado “contrato de adesão” demitiu-se depois de ter pedido aumentos ainda maiores na factura da electricidade do que aqueles que foram feitos recentemente.

Não tivesse bastado o pedido de aumento e a demissão (quando alguém se demite do seu emprego tem que ter a noção que não irá receber quaisquer direitos da entidade patronal para a qual trabalha), vai para casa com 12 mil euros por mês durante dois anos ou num período até arranjar um novo emprego. Isto é, vai, porque segundo o Ministério da Economia “o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE” e «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos»

Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE forem mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.

Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a benção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.

Tiro várias conclusões:

1. A ERSE não serve para mais do que dar emprego a meia dúzia de boys do sistema e gastar mais uns milhões ao estado.

2. Este tipo de situações são uma afronta a todos os trabalhadores que se despedem de empresas onde são constantemente pressionados e chantageados para o efeito pelos seus patrões e não tem acesso a quaisquer direitos dos anos em que trabalharam nessas empresas, são uma afronta para os trabalhadores que estão desempregados e não conseguem ou já não podem receber qualquer ajuda social do estado e, dado o salário chorudo deste senhor, a todo um grupo de trabalhadores que cria riqueza para este país a troco de um salário de 485 euros mensais.

3. O governo continua a atirar o número de 4 mil milhões e afirma que não sabe onde cortar mais na despesa. Pois é aqui, nestes organismos fantasmas que tem muito para cortar e não corta. Fazendo um exemplo: se existirem 20 organismos com 10 gestores\cada, com cada gestor com uma remuneração de 12 mil euros mensais, falamos de uma despesa anual para o estado de 31.200.000 euros. Este é só um exemplo, cabendo portanto analisar os casos concretos dentro do funcionalismo público português.

4. Cada vez mais tenho a certeza que neste país só se safa que opta por caminhar por esquemas paralelos.

Com as etiquetas , , , , , , , ,

NBA 2012\2013 #17 – Que tranquilidade

Há minutos em Toronto.

Hoje em Washington. Este auto-cesto de Taj Gibson espelha a paupérrima exibição feita pela equipa de Chicago.

Os Wizards continuam fortíssimos desde que John Wall voltou à competição. 6 vitórias em 9 jogos. Prenúncio de que se Wall tivesse alinhado desde o início seriam candidatos aos playoffs?

Os Bulls não jogaram nadinha. Não defenderam nada, não atacaram nada, não se esforçaram nada. E Washington, com 85 pontos, não fez um jogo por aí além.

Com as etiquetas , , , , , , , , ,