algumas notas sobre o Sporting

1. Franky Vercauteren prepara-se para mais uma fase atribulada da vida do clube. O Belga já disse que em Janeiro as coisas vão mudar de forma drástica, podendo dar-se aquilo que ultimamente se tem chamado “revolução dos b´s”. O que poderá vir, como já defendi neste blog no post que escrevi a seguir ao Sporting vs Benfica é a ascenção de muitos jovens da equipa b para a equipa principal já em Janeiro para a construção do futuro do clube. Como tal, a ascenção dos miúdos, cumprindo uma estratégia que passa claramente pela aposta na formação do futuro (existe outra opção neste momento para o clube face a situação pantanosa das suas finanças?) poderá levar a que o clube tenha que fazer e bem uma purga dentro do balneário. Para já, Betinho, Dier e Esgaio já estão dentro do plantel da equipa principal. Da equipa B poderão juntar-se João Mário, Filipe Chaby, Bruma, Gael Etock e Diego Rubio. E que tal também fazer regressar os emprestados Wilson Eduardo e Nuno Reis. Continuo a dizer que face aos problemas actuais que o Sporting tem em várias frentes, a estratégia passa por sermos um clube de formação, com um treinador ambicioso e motivado para trabalhar com a prata da casa, sem objectivos e como tal sem pressão de vitórias. Gasta-se o que se tem e os miúdos, bem formados na Academia, correm por um bom contrato com o clube. Em vez dos colossais 40 milhões de orçamento, orça-se a época em 10.

2. Sinceramente quanto a esta questão sou franco: se eu pudesse mandar no sporting, fazia uma razia por completo naquele balneário. Existem muitos salários chorudos e inúteis naquele plantel que devem ser eliminados para bem das finanças actuais do clube (já sabemos que não iremos novamente à Liga dos campeões para o ano e tomara até que nos qualifiquemos para a Liga Europa) e jogadores cujos passes ainda podem dar algum equilíbrio ao clube (outros nem tanto, por causa da brilhante ideia do Gordinho dos fundos de investimento). Pensemos então pela óptica da folha salarial. Por mim iam: Boulahrouz, Xandão, Pereirinha, Adrien, Pranjic, Elias, Gelson, Jeffren e Ricky. Fosse pelo preço que fosse. Outros a meu ver estão na corda bamba: Carrillo tem potencial para render muito mais, Insua está uma sombra daquilo que foi na época passada, Schaars e Capel idem.

3. Ultimamente tem-se especulado sobre as saídas de Elias para o Flamengo e Ricky para a Fiorentina. O primeiro está mortinho para ir para o Brasil ganhar o que ganha em Portugal. Elias prometeu muito e pouco se viu dele neste último ano e meio. Era o primeiro a zarpar. Ricky por 10 milhões para a Fiorentina. Má notícia para um clube do quanto gosto. Seria uma óptima venda para o Sporting não fosse o facto de Ricky ter 70% do seu passe tomado por um fundo de investimento.

4. Noutro prisma há o dossier Izmailov. Vercauteren abriu a caixinha de pandora e diz que não conta com o russo porque não o vê treinar. É portanto difícil para um treinador a aquecer o poleiro convocar alguém que não vê treinar. É certo que Izmailov está praticamente acabado para o futebol. A sua lesão no joelho obriga-o, em alto rendimento, a ir à sala de operações uma vez por ano. Arranjem-lhe uma solução por favor desde que essa solução não seja a saída por trocos para um rival.

5. É precisamente sobre o dossier Izmailov que gira um rumor de que o Sporting e o Porto estarão a negociar a transferência do russo. O Jornal Record fala de uma troca de jogadores: o internacional russo por Miguel Lopes e Kléber. Não sei se é fogo de vista para intranquilizar ainda mais as hordes do clube, ou se, à semelhança do que o Porto fez com Moutinho, é mais uma jogada do clube do norte que visa dar um tiro letal nesta paupérrima direcção de Godinho Lopes. Acredito nos 2 cenários. No entanto, a confirmar-se como verdade, o Sporting está a negociar um activo com o rival em troca de amendoins, de jogadores medíocres que não entram nas contas do rival e não são precisos em Alvalade. As notícias também afirmam que Jorge Nuno Pinto da Costa deverá ter dito não quanto a Kléber, o célebre jogador ao qual o Sporting (quando jogava no Marítimo) fez melhor proposta que o FC Porto, mas, como se sabe, depois do problema levantado e de sucessivos aliciamentos ao jogador, o Atlético Mineiro (detentor de 52% do passe do jogador) já tinha o arranjinho feito com o Porto. Pior que isso, a confirmar-se, é o Porto gozar novamente na cara desta direcção ao rejeitar a inserção de Kléber no negócio.

6. Dá pano para mangas. Esta direcção do Sporting parece ter memória curta. Não se lembram dos casos Adriano, Paulo Assunção, Ruben Micael, Kléber e João Moutinho. Os primeiros três foram desviados de Alvalade em virtude do conluio que existia entre as direcções do Porto-Nacional e Porto-Atlético Mineiro. A história do 4º dispensa apresentações e por conseguinte comentários. É certo que no nosso futebol, vender directamente a um rival ainda permanece assunto tabu, tendo em conta aquilo que se passa em Inglaterra ou Itália, onde os grandes trocam jogadores como se de cromos se tratassem. Neste caso específico, a confirmar-se a veracidade das negociações, não me importo nadinha que o russo rume ao Dragão se o Porto pagar a sua cláusula de rescisão. É assim que a credibilidade de um clube se repõe. Queres o jogador, pagas o jogador.

7. Sobre as finanças do clube. Outra notícia nos desportivos dá o sinal de alarme há muito esperado em Alvalade. O nosso maior credor financeiro, o BES, prepara-se para tomar conta do clube para reaver aquilo a que tem direito. Espero que sim, pode ser que alguém que não perceba nada de futebol consiga por o clube na linha já que o Gordinho e seus pares, não percebem nada de futebol e estão a enterrar cada vez mais as finanças do clube. 12,5 milhões é a verba, segundo a imprensa, que o Sporting necessita para continuar com o controlo maioritário da sua SAD. Os investidores-salvadores prometidos por Gordinho da Russia, India, China, Qatar e Bahrein não apareceram para o resgatar. Como se algum dia alguém quisesse investir o quer que fosse num clube como o Sporting.

8.  Eixo Godinho-Barroso. O ardiloso que entregou a cabeça de Duque por um lugar na federação e o médico que deveria ser proíbido de falar sobre o Sporting pois sempre que fala só diz merda. O primeiro é pior charlatão do Sporting desde a presidência de João Rocha. O segundo apela a que ninguém dê informações do clube quando ele, e os seus pares da Assembleia Geral são os primeiros a dar essas informações e a criar instabilidade no mesmo. E não existe ninguém que trave as suas verborreias mentais naquele programazeco de segunda. No entanto, não consigo perceber a lógica de quem um dia esteve com o Gordinho e no outro já quer que o Gordinho se ponha na alheta. Agora que as coisas correm mal zangam-se as comadres?

9. Jesualdo Ferreira para manager (manager?) do clube. Sem comentários. Provavelmente lá na Grécia os pagamentos já não chegavam a tempo e horas. Também desconfio que não cheguem a tempo e horas no Sporting. Manager? Ao estilo Inglês ou ao estilo Gordinho Style? Não percebo as funções, não percebo a escolha e assalariados sem fazer nada dentro e fora da estrutura do Sporting já há muitos (Sá Pinto\Domingos\Freitas)

10. Perante isto, mais um empate na Madeira. Mais do mesmo. Mais dos suspeitos do costume, os centrais. Mais um pouco daquela falta de ambição a que eles nos habituaram nesta época. E Vercauteren diz: “os jogadores precisam de férias” – já regressaram delas?

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

5 thoughts on “algumas notas sobre o Sporting

  1. Someone diz:

    Post fraco. Pena porque foi o primeiro que li do blog. Assim que, no parágrafo 5, a fonte de informação é revelada, escapa-se o valor que a opinião pudesse ter. Parei de ler. Uma opinião baseada no que dizem os jornais desportivos está assente sobre mentiras (hipóteses, achas para a fogueira,…há muito nomes). Não vale nada. Aproveitando a época natalícia: é melhor não saber se o Pai-Natal existe do que viver sobre a mentira de que ele existe. Até explico melhor: é melhor nem ler o que dizem esses jornais do que viver nas suas mentiras (“ao que record apurou” ou “sabe a bola” são das expressões que mais me fazem rir…). É mais verdade dizer que não se faz ideia do que dizem Godinho Lopes e Pinto da Costa um ao outro, do que viver a achar que ele recusou envolver Kléber no negócio. Os jornais também não sabem. A opinião só se pode dar sobre informação verdadeira. Sim, é pena, mas neste caso não temos quase nenhuma. Por isso, cuidado com as opiniões e em especial com a sua fundamentação. Continuação de um bom trabalho.

    • como deve ter lido (espero) no post, existem expressões que deixam bem claro que não dou essas notícias como garantidas ou reais e apenas escrevo de acordo com cenários possíveis. expressões como “gira um rumor”, “O Jornal Record fala” (o jornal record, não eu) “a confirmar-se como verdade” (se acontecer no futuro, não agora) aparecem no post para justificar mesmo isso.

      • Someone diz:

        É verdade. O problema está em fazer disso (pode chamar hipóteses porque o são como tudo o resto, eu prefiro mentiras para vender) um ponto de partida para falar e, pior, criticar. Não faz sentido criticar a partir de hipóteses. Nesse caso, o que se faz é, simplesmente, completar um guião para uma novela lançado por um excelente (imaginação não lhes falta!) contador de histórias. Mas, neste caso, a imagem dos alvos fica danificada como se se tratasse da realidade porque os nomes são os reais. E mais do que o nome das pessoas, o nome do Sporting está neste momento transformado num saco do lixo pelos próprios adeptos. Um espectador que queira comentar tudo o que sabe é: quem pertence ao clube, mas não quem irá pertencer, o resultado dos jogos, quem jogou, mas não o porquê, quanto tempo jogou cada um, quem marcou os golos, quem rematou, quem passou, quem falhou. O que quero dizer é que é preciso muito cuidado para se ser justo ao criticar com tão poucos dados disponíveis. Um adepto do sporting, neste momento, pouco mais pode dizer do que: os resultados desportivos são maus e os financeiros estão piores. Mas o pouco que sabe de futebol (hoje em dia os treinadores e gestores têm muita formação) aliado aos dados de que dispõe, torna as suas tentativas de crítica patéticas, altamente vulneráveis e voláteis. A volatilidade destas opiniões é uma excelente mostra da sua invalidade. A velocidade com que os adeptos mudam de opinião em relação a qualquer assunto (como exemplo ponho os treinadores que querem à frente da equipa e pouco depois já querem na rua!) é impressionante e demonstra que a opinião anterior estava assente em fundamentos fracos, provavelmente era até incutida pelo conjunto de mentiras que foram lendo.

        • Eu chamo-lhe opinião. O que eu apenas postei é a minha opinião, o que penso em relação ao Sporting. Disse que foi a primeira vez que leu este blog. Convido-o portanto a ler a evolução da minha opinião em relação ao Sporting nos últimos 2 anos e em particular ao trabalho desta direcção. Eu sou sócio do Sporting, com quotas pagas a tempo e horas e não critico por criticar, critico porque me sinto insatisfeito com os resultados globais do clube sporting e porque me sinto insatisfeito não só com esta direcção como com as direcções anteriores. Mas entendo a sua crítica.

  2. […] tinha escrito aqui e aqui neste outro espaço que qualquer que seja o futuro do sporting, indiferentemente do projecto […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: