o inevitável

Aos 30 anos e depois de uma época que deixou a desejar (apenas 2 vitórias em etapas na Volta à Espanha; se tivermos em conta as grandes épocas de 2010 e 2011 que este senhor fez) Philippe Gilbert é o novo campeão do mundo numa prova onde era em conjunto com Óscar Freire, Edvald Boasson Hagen, Peter Sagan e Alejandro Valverde um dos principais favoritos à vitória. Era aquele título que deveria ter abrilhantado a fantástica época de 2011 do Belga. Gilbert atacou na última subida do traçado de 262 km que ligou Maastricht a Valkenburg (Holanda), traçado que serve de palco para uma das mais espectaculares provas da temporada ciclística, a Amstel Gold Race, prova que Gilbert já ganhou por 2 vezes na sua carreira em 2010 e 2011.

Alejandro Valverde arrecadou a prata para a Espanha e o Norueguês Edvald Boasson Hagen culminou de forma brilhante a participação da selecção Norueguesa nas provas internacionais (a Noruega já tinha vencido a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos através de Alexander Kristoff) com a medalha de bronze.

Na quarta-feira, o Alemão Tony Martin venceu a prova de contra-relógio e ainda importante também foi a vitória da Holandesa Marianne Vos na prova de estrada feminina, juntando a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos à vitória nestes mundiais.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: