Falsas carências

A SIC Notícias veio a Coimbra fazer uma reportagem à AAC para aferir as carências pelas quais passam alguns estudantes de coimbra.

Atrevo-me a ter que escrever algumas notas depois daquilo que depreendi da peça em causa:

1. “Angariam-se fundos para arranjar as residências de estudantes” – A sério? Vamos lá desmistificar as coisas. Eu vivi numa residência universitária e durante anos tive conhecimento dos chamados “arraiais sociais” – a malta lá ia, consumia uns finos e umas bifanas com a ideia de que o dinheiro amealhado serviria para a DG equipar as residências com equipamentos em falta como máquinas de lavar roupa, torradeiras, fogões para cozinhar, micro-ondas, aquecedores, cadeiras, etc… Não percebo, porque carga de diabo, é que depois de amealhados certos valores, nunca vinha ter nada à residência onde vivi.

2. “Vendem-se livros… Ajuda-se a arranjar empregos” – Oi? Estamos a falar daquilo que tem feito as últimas direcções-gerais. Arranjam empregos? Essa está boa… Arranjem-me um emprego porque eu preciso.

O resto prefiro nem comentar.

A Direcção-Geral assume-se ao estilo salvação da pátria em frente às câmaras de televisão. Outros dizem-se necessitados. Carentes. Dinheiro pro tabaquito não falta. Pro Gin também não. Aliás, o Gin entra nas despesas da respectiva secção cultural onde estão inseridos. Carência de bebidas? 600 euros em Gin na Makro. Carência em tabaco? Só pode…

Muito gostava de ter assistido a esta peça para dizer ao jornalista em causa o que são as verdades carências entre os estudantes da AAC e o papel lastimável que as sucessivas Direcções-Gerais se tem prestado para fazer um mau serviço à comunidade estudantil. Usualmente diz-se que a maior pobreza está encapotada e existe nas pessoas mais trabalhadoras. Arriscar-me-ia até a dizer que o valor dispendido em manifestações dava para alimentar muito estudante carenciado. Gostava de perguntar quantos estudantes nestas situações é que a Direcção-Geral encaminhou para uma solução que pudesse ir de encontro às necessidades do estudante?

Ao indíviduo que falou do núcleo de estudantes, desminto categoricamente a sua intervenção. O NERIFE\AAC nunca ajudou ninguém nessas circunstâncias. Aliás, o NERIFE\AAC não me integrou sequer no curso. O NERIFE\AAC não disponibiliza apontamentos. Os apontamentos estão na secção de copias ou no Inforestudante. Portanto, as palavras desse senhor são MENTIRA… Uma tremenda mentira…

Com as etiquetas , , , , ,

15 thoughts on “Falsas carências

  1. João De Araújo Correia diz:

    lol. Sempre foi assim e sempre será… Branco, quantos não pedem os livros a outros colegas mais velhos – e, por vezes, ficando com eles eternamente! – com a desculpa de que são caros? Recebem o dinheiro dos livros que os pais lhes mandam… mas é tudo “torrado” em rodadas de finos, tabaco etc…
    Concordo ctg Branco…. Muitas das vezes os que mais precisam são precisamente aqueles que passam mais ou menos despercebidos aos nossos olhos.

  2. lol diz:

    Este excerto:

    “Ao indíviduo que falou do núcleo de estudantes, desminto categoricamente a sua intervenção. O NERIFE\AAC nunca ajudou ninguém nessas circunstâncias. Aliás, o NERIFE\AAC não me integrou sequer no curso. O NERIFE\AAC não disponibiliza apontamentos. Os apontamentos estão na secção de copias ou no Inforestudante. Portanto, as palavras desse senhor são MENTIRA… Uma tremenda mentira…”

    Ri-me.

    Para além do excessivo DRAMATISMO do teu discurso é giro o facto de pensares que o NERIFE pode fazer magia e integrar-te. Tu não queres ser integrado, gostas demasiado de ser conflituoso.
    És o único culpado dessa suposta discriminação. Mas claro, é sempre mais conveniente atirar as culpas para os outros 😀

  3. JAC, nem mais nem menos…

    lol: o NERIFE\AAC não serve propositadamente para isso? Não percebo… Então serve para quê?

  4. lol diz:

    acabaste de distorcer o que disse: o NERIFE não faz magia. existem actividades de integração. se não participas, se não demonstras interesse, se estás constantemente a atacar os teus colegas de curso… esperas milagres?

  5. Existem actividades de integração? Quais já agora? Jantares de curso? São actividades de integração?

    Estou constantemente a atacar os meus colegas de curso é verdade. Não o nego.

    Mas ironicamente, também estou constantemente a ajudá-los, dando-lhes apontamentos e tentando ajudar no que posso na resolução dos seus problemas. Não será nem 1 nem 2 nem 3 pessoas a dizê-lo. Serão várias. A isso chamo eu de integração. Aliás, até chamo de amizade. Não seria propriamente essa a tarefa do núcleo. Porque é que quando entrei em RI nunca ninguém se chegou à minha beira e perguntou se tinha dificuldades ou se precisava de ajuda? Porque é que sempre optaram por uma postura cínica e hipócrita? Consegues-me responder?

  6. lol diz:

    Sim, também conto os jantares de curso como actividade de integração! Não pressupõem socializar com os colegas? Não servem também para ajudar o carro? Mas os jantares são apenas uma pequena parte. Existem convívios, febradas, actividades desportivas e culturais… queres que continue? todas estas actividades contribuem e muito para a integração!
    Queres mais coisas? Existem as aulas, existem conferencias e debates!

    Estás constantemente a atacar os teus colegas, ainda bem que admites. Atacaste inclusivamente vários membros do NERIFE, publicando suposições e histórias muitas vezes sem fundamento, mandando bocas e resumidamente, demonstrando uma atitude que faz de ti, aos olhos de todo o curso, um ser humano intratável, agressivo e muitas vezes violento com palavras e acções impulsivas e prejudiciais para ti e para com os que te rodeiam. Neste blog podemos encontrar várias vezes ataques directos ao teus colegas e ao teu próprio curso. Este não foi o primeiro nem o segundo e certamente não será o último.
    Estás constantemente a ajudá-los? Nunca ouvi nada disso. O que é certo é que o número de pessoas que não pode com esse tipo de atitude é certamente maior que esses que ajudas. E acho que isso demonstra bem tipo de imagem fazes transparecer. O núcleo disponibiliza-se para ajudar e ao contrário do que pensas, Não é difícil arranjar apontamentos ou aconselhamento.

    Porque é que em RI nunca ninguem se chegou…?
    Só se foi contigo. Não estive presente no teu ano, seja lá ele qual for e se estive nao te vi. nunca vi alguem negar ajuda a um colega de RI. Que tal expores os teus problemas em vez de te queixares publicamente?

    Porque é que optaram sempre por uma postura cínica e hipócrita?
    Porque é que optaste por uma postura agressiva e conflituosa?

  7. Deixa-me rir.

    Jantares de curso, só se for na integração com os bons hábitos do saca-rolhas e do deus baco. 🙂

    “Existem convívios, febradas, actividades desportivas e culturais… queres que continue?”

    Sinceramente até quero. Se os primeiros dois exemplos que mencionaste é mais do mesmo à luz dos meus olhos, gostava de te perguntar o que é que o NERIFE tem feito ao nível desportivo e cultural? Atenção, levantar o copo ainda não é considerado desporto, mas anda lá estou curioso…

    Aulas? Claro que existem…
    Conferências e debates? Quais?

    “publicando suposições e histórias muitas vezes sem fundamento, mandando bocas e resumidamente, demonstrando uma atitude que faz de ti, aos olhos de todo o curso, um ser humano intratável, agressivo e muitas vezes violento com palavras e acções impulsivas e prejudiciais para ti e para com os que te rodeiam.” – descarrega todo o ódio que sentes pela minha pessoa lindinho!

    “Neste blog podemos encontrar várias vezes ataques directos ao teus colegas e ao teu próprio curso. Este não foi o primeiro nem o segundo e certamente não será o último.”

    Ainda bem que estás atento. Não serei livre de escrever aquilo que bem me apetecer? Onde é que anda o teu conceito de liberdade?

    “O núcleo disponibiliza-se para ajudar e ao contrário do que pensas, Não é difícil arranjar apontamentos ou aconselhamento.”

    Então amanhã quero ser atendido pelo núcleo às 17 horas na sua sala. Quero os apontamentos de todas as cadeiras do 2º semestre. Já agora, podem me ajudar a resolver alguns problemas que tenho no meu dia-a-dia? Já que aos teus olhos é tudo tão fácil, é melhor aproveitar…

    “Porque é que em RI nunca ninguem se chegou…?
    Só se foi contigo. Não estive presente no teu ano, seja lá ele qual for e se estive nao te vi. nunca vi alguem negar ajuda a um colega de RI. Que tal expores os teus problemas em vez de te queixares publicamente

    Se não estiveste presente no meu ano porque é que afirmas tantas coisas com tanta certeza?

    “Porque é que optaram sempre por uma postura cínica e hipócrita?
    Porque é que optaste por uma postura agressiva e conflituosa?”

    Eu não optei por nada jovem. Sou o que sou. Serei sempre assim.

  8. Diogo diz:

    NERIFE? Quem é o NERIFE? O que faz? Ainda é o Samuel Vilela o presidente? Ajudam alguém a não ser eles mesmos? Ainda fazem jantares de “integração” no Batateiro? E porque é que ninguém fala que as contas do NERIFE estiveram a um passo de serem as primeiras contas de um núcleo chumbadas por um conselho fiscal da AAC? Porque é que ninguém fala que existem privilegiados no curso de RI por fazerem avaliações contínuas? lol responde-me lá a essas perguntas pá! Desafio-te.

  9. Caro Diogo,

    Temo que já ninguém se mostre capaz de responder a algumas dessas questões…

  10. lol diz:

    “Jantares de curso, só se for na integração com os bons hábitos do saca-rolhas e do deus baco.”

    Claro que há alcool. E depois? Nem toda a gente bebe e ninguém é obrigado a beber. E não é esta uma oportunidade para estares com os teus colegas de curso, falares com eles (integrares-te, talvez?). Para além do mais, com a tua presença, estás a contribuir para o carro dos teus colegas.

    “Sinceramente até quero. Se os primeiros dois exemplos que mencionaste é mais do mesmo à luz dos meus olhos, gostava de te perguntar o que é que o NERIFE tem feito ao nível desportivo e cultural?
    Aulas? Claro que existem…
    Conferências e debates? Quais?”

    Pelo que sei este ano houveram vários torneios de futebol, ciclos de cinema, palestras, conferências e debates organizados pelo NERIFE.Não é culpa minha que não te informes. Participação não tem faltado.

    “– descarrega todo o ódio que sentes pela minha pessoa lindinho!”
    o lindinho está apenas a defender o curso que estás a tentar denegrir.

    “Ainda bem que estás atento. Não serei livre de escrever aquilo que bem me apetecer? Onde é que anda o teu conceito de liberdade?”
    tens toda a liberdade para escrever o que te apetecer mas:
    1. acho moralmente correcto publicares muitas vezes informação não fundamentada, especialmente contra colegas teus
    2. não te queixes das consequências dos teus actos. Atitudes agressivas não geram nada de positivo da parte dos atacados, como é lógico.

    “Então amanhã quero ser atendido pelo núcleo às 17 horas na sua sala. Quero os apontamentos de todas as cadeiras do 2º semestre. Já agora, podem me ajudar a resolver alguns problemas que tenho no meu dia-a-dia? Já que aos teus olhos é tudo tão fácil, é melhor aproveitar…”

    tudo bem, vai em frente. Tenho a certeza que vão fazer o melhor possível.
    É tudo muito mais fácil se não se tomar o tipo de atitude que tomas sim. isso a meu ver é uma verdade irrefutável.

    “Se não estiveste presente no meu ano porque é que afirmas tantas coisas com tanta certeza?”
    não tenho conhecimento de qual foi o teu ano. isso ficou implicito.

    “Eu não optei por nada jovem. Sou o que sou. Serei sempre assim.”
    Força. Agora não esperes facilidades e sorrisos da parte das pessoas que tentas espezinhar muitas vezes sem razão. Não só em RI mas em todo o lado

  11. Qualquer aluno para se integrar, não precisa de ir a um jantar de curso. Pode fazê-lo em sua casa, na faculdade, no café, na rua, na estação B se assim se proporcionar. Por isso não vás por aí.

    Não soube da existência desses tais torneios de futebol, ciclos de cinema, conferências e debates (exceptuando um ou dois que o Dinis Carvalho me avisou por telemóvel) – eu até ia aos torneios de futebol e cheguei inclusive a ganhar um. Há dois anos que desconheço que se tenha realizado algum. As actividades do NERIFE tem estado afixadas na faculdade? Até lá vou algumas vezes e nada vejo…

    “tens toda a liberdade para escrever o que te apetecer mas:”

    – estamos em sintonia então, pelo que me transparece dessa frase.

    “1. acho moralmente correcto publicares muitas vezes informação não fundamentada, especialmente contra colegas teu-

    non sense, engano, sono? já agora, não é informação. é fundamentada e é um comentário. perdoou-te o erro, tenta outra…

    “2. não te queixes das consequências dos teus actos. Atitudes agressivas não geram nada de positivo da parte dos atacados, como é lógico.”

    – nunca me queixei. sei bem o peso que as minhas palavras podem vezes podem ter. e assumo as responsabilidades. sempre.

    “É tudo muito mais fácil se não se tomar o tipo de atitude que tomas sim. isso a meu ver é uma verdade irrefutável.”

    Falas em verdades irrefutáveis com a adopção de frases non-sense onde tentar exprimir juízos valorativos acerca da minha pessoa. Faz-te exprimir de forma decente pá. O que é afinal irrefutável para ti? O que é que conheces de mim pessoalmente para tentar julgar com falinhas mansas as minhas atitudes? Ao menos identifica-te pá!

    “não tenho conhecimento de qual foi o teu ano. isso ficou implicito.”

    então CALA-TE.

    “Força. Agora não esperes facilidades e sorrisos da parte das pessoas que tentas espezinhar muitas vezes sem razão. Não só em RI mas em todo o lado”

    Não vivo para agradar a ninguém. Digo e repito

  12. lol diz:

    sim, não tem de ser num jantar. mas no caso do café e etc como mencionaste isso pode partir da tua iniciativa, nao?
    Sim, tenho visto cartazes

    “1. acho moralmente correcto publicares muitas vezes informação não fundamentada, especialmente contra colegas teu-

    ahahah de facto, esqueci-me do “não” antes do “acho”, peço desculpa pela confusão. acho que se percebeu que foi isso mesmo. A hora já vai adiantada, é a minha desculpa.

    “Falas em verdades irrefutáveis com a adopção de frases non-sense onde tentar exprimir juízos valorativos acerca da minha pessoa. Faz-te exprimir de forma decente pá. O que é afinal irrefutável para ti? O que é que conheces de mim pessoalmente para tentar julgar com falinhas mansas as minhas atitudes? Ao menos identifica-te pá!”

    Quanto ao non sense, peço novamente desculpa, mas perecebeste o que quis dizer, certo? Falinhas mansas??! Não, não me vou identificar, tenho as minhas razões e sim conheço-te minimamente (talvez nao tao bem assim, mas conheço-te suficientemente bem para escrever o que escrevi).

    “então CALA-TE.”
    ??

  13. Quem quer que sejas, convido-te a dares a cara e a conheceres-me pessoal (um café, uns minutos, algumas horas) para desmitificares alguns pensamentos errados que tens sobre a minha pessoa. Fica ao teu critério. Não vou alimentar mais esta discussão porque começa a ser algo non-sense em relação aquilo que acima postei.

    Um abraço.

  14. Oz diz:

    Isso da AAC arranjar trabalho é muito bom! Não conheço o gabinete da aac (será que existe?), mas o gabinete de saidas profissionais da UC é uma valente bosta.

    P.S.- Vejam o da UA.

  15. […] Lembram-se deste post (falsas carências)? […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: