Momentos felizes da Académica

Ontem, no Auditório Central do Polo II assisti a uma das melhores comédias de sempre desta academia: a tomada de posse da nova Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra.

A hipocrisia e a bajulação andaram de mãos dadas, de tantas as cabeças naquela sala.

De Eduardo Barroco de Melo, um discurso de “fim de linha”. O antigo presidente da Direcção-Geral tentou, à frente de todos os convidados presentes branquear algo que não foi e algo que não fez: trabalho e resultados práticos.
O antigo presidente da DG chegou inclusive a expandir-se em agradecimentos (estranhos no mínimo) ora a colegas de Direcção-Geral que arruinaram o seu trabalho, ora a colegas que pouco ou nada fizeram no ano em que estiveram consigo no comando dos destinos da Académica. Para bom entendedor, meia palavra basta.

Não falemos mais em tristezas.

De Ricardo Morgado, um discurso de início de sales season. Muita luta. Muita luta que dentro de um ano se transformará a meu ver em muita parra e pouca uva. Priceless. A continuação da dinastia terá obviamente que prometer para cair em graça. No fim de contas, por mais cálculos mentais que possam ser feitos, o resultado será zero, ou seja, tudo continuará na mesma.

Ricardo Morgado não se importou de mandar umas boas punchlines a Jorge Gouveia Monteiro, administrador dos SASUC. São a meu ver punchlines de circunstância, dado o nó institucional em que o administrador se encontra devido à pressão que Lisboa exerce sobre a sua actuação institucional. No entanto, na óptica do estudante fica bem ao novo presidente começar com um discurso moralizador, para depois, lá para meio do ano, nos diálogos institucionais entrar de pantufas e sair de pijama vestido.

Depois uma nota para a sua equipa. Lá andavam eles todos sorridentes. Competências é uma coisa que não vejo em muita gente. Efeito bajulação? Muita. Hipocrisia? Muita. Facadas nas costas? Pois claro. É assim que certas pessoas chegam a Direcções-Gerais. Arrisco-me a dizer que pegava em maior parte da sua equipa e todos espremidos não dão 1 de jeito.

O certo é que o futuro está aí mesmo à porta. Luta por um ensino gratuito e de qualidade ou ficar parado à espera que Lisboa corte ainda mais direitos e continue gradualmente a fomentar um ensino elitista. Ricardo Morgado saberá melhor que ninguém que este ano será crucial para a Académica. Coloco apenas uma dúvida na minha mente: filiado na JSD, estará Ricardo Morgado disposto a ir contra os governantes do seu partido?

Para finalizar, uma nota mais pessoal enquanto seccionista cultural da AAC: falou-se muito do desporto universitário. Nada contra. Os resultados estão à vista e são salutares. Parabéns a todos aqueles que lutaram pelo melhor dos nossos desportistas e aqueles que deram de si em prol da Académica. Cultura? Zero. Meia dúzia de linhas pouco coesas para ficar bem no papel. Depois da incompetência Jéssica Barandas na cultura da AAC, posso perguntar o que é que nos vai calhar na fava com 2 pessoas que nunca trabalharam numa secção cultural?

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , ,

7 thoughts on “Momentos felizes da Académica

  1. É… o Morgado vai ter que fazer um pouco de “contorcionismo político. Admirar-me-ei se o fôlego contestatário se mantiver. A ver vamos…

    Quanto aos discursos, apesar de serem de circunstância e excessivamente elogiosos para com as diversas partes, têm a sua razão de ser. A democracia tem os seus costumes ritos e – porque não dizê-lo também – as suas vaidades. Agora, ver coordenadores ou super-coordenadores fazerem os seus respectivos “statements” no facebook, sobre o que projectaram o que realizaram e o que anseiam para futuro é que não há pachorra (para não falar das juras de amor eterno à AAC)… É curioso verificar que muitos dos que passam pela DG – há honrosas excepções! – parecem ficar com a sensação de que “pairam” sobre os restantes… Como se, subitamente, se tivessem transformado em indivíduos constituídos de diferente “massa” dos restantes.

  2. Pedro diz:

    “Lá andavam eles todos sorridentes.” – Fiquei-me por aqui. Enfim…

  3. Jovem, ao menos identifica-te convenientemente! Pedro quê? Anda lá, diz o apelido. Pedro Mota? Secretário da Magna? Sê bem vindo…

  4. Anonymous diz:

    fala o gajo que foi enrrabado a sangue frio pelo Costa, Arnaut e companhia! o que nos consola é saber que nunca foste nem serás alguma coisa na academia! no dia em que lamberes menos pissas talvez consigas!

  5. Se tivesses era caladinho, ganhavas mais. Ao menos dá a cara palhaço.

  6. Rui diz:

    O Pedro e o artista que assina como anonymous deviam era ter vergonha porque se o Morgado está onde está esse esforço também o deve a pessoas como o branco. se este blog tem sido isento na altura da campanha eleitoral a coisa poderia ter piado mais fino para os lados da Lista L. E o André Costa portou-se muito mal com o João Branco. Muito mal mesmo. Atenção porque sei do que falo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: