Monthly Archives: Novembro 2011

sem facciosismos

Eu gosto muito dos New Order, são das minhas bandas favoritas, mas também gostava de chegar a Manchester e perguntar sem obséquios: desculpe lá ó Peter Hook, já ouviu isto?

Com as etiquetas , , ,

parolos (parte II)

Yo La Tengo — “Little Eyes” — Álbum: Summer Son

Com os Radiohead em Portugal, só aumenta o meu desejo de ir ao Porto ao Optimus Primavera Sounds ver estes senhores.

 

Com as etiquetas , , ,

parolos

Thom Yorke e os irmãos Greenwood andaram uma década a gozar com o povo português.

Andaram literalmente a encher o cú de ilusões ano após ano aos Portugueses numa eventual presença em Portugal e agora, aparecem do nada para actuar no Festival mais medíocre que existe neste país.

Agora reaparecem sorridentes. Na pior merda de festival que existe em Portugal. Os tolinhos, sim, aqueles que só gostam de Radiohead porque se fartam de cantar a “Creep” no caminho de casa para o trabalho, já andam todos doidos a dizer que não podem faltar ao concerto – só para ouvir a “Creep” está claro. Eu cá afirmo-o já: não vou ver Radiohead ao Alive nem que me paguem. E os Radiohead para mim são sagrados.

Não vou porque desde já jurei que nunca ia meter os pés no Alive. Não vou trocar o Optimus Primavera Sound do Porto e Paredes de Coura, nem que ao Alive venham os Radiohead e uma banda composta pelo Papa Bento XVI, Mick Jagger, Paul McCartney, Madonna e a Chicholina.

Não vou porque não vou estar hora e meia a ouvir o King of the Limbs e o InRainbows.

Não vou porque sou capaz de dar umas porradas a todos os posers que começarem a cantar a “Creep” ao meu lado.

Não vou porque o Thom Yorke começa-me a meter fastio.

Este filme já é antigo. Lembra-me o filme dos Pearl Jam em Portugal. Durante anos cagaram por completo no país da Europa com mais ratio de fans em proporção à população existente e de um momento para o outro lembraram-se que existimos e começaram a vir cá todos os anos.Daí que toda a gente adore o Eddie Vedder e eu, apesar de não esconder que adorava os Pearl Jam na minha adolescência já nem o suporto ouvir.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Resultados finais

Para a Direcção-Geral – aqui

Para o Conselho Fiscal – aqui

Fonte e créditos – Jornal Universitário A Cabra

P.S: Faltam apenas abrir os envelopes para se saber se Ricardo Morgado ganhou ou não à 1ª volta.

No Fiscal, 4 mandatos para a Lista L, 3 para a Lista C.

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Especial Eleições AAC – Dia 2

09:14 –

Sérgio Godinho — “Primeiro Dia” — Álbum: Pano Crú (1978)

Para iniciar as hostilidades deste segundo dia de eleições para a AAC, deixo esta brilhante canção a todos os candidatos aos órgãos da casa.

Faltam sensivelmente 45 minutos para a abertura das urnas para este segundo dia de escrutínio.

Relembro que poderá prestar informações a este blog pelo número 912703643 ou pelo email joaorbranco@live.com.pt

09:52 – Ainda sobre o caso do email da docente Filipa de Sá, a Lista M “Mexe-te pela AAC” esclareceu-nos que:

. Pedirá esclarecimentos sobre o sucedido ao Director da Faculdade, à Reitoria e à Comissão Eleitoral;
. Apresentou queixa ao Conselho Fiscal da AAC (uma vez que a pessoa em questão é sócia efectiva da AAC);
. Solicitará que todas as listas concorrentes se pronunciem sobre o assunto, principalmente a Lista C – “Desperta a Academia”.

10:34 – Na primeira meia-hora de abertura, as urnas vão abrindo gradualmente e para já, não se regista qualquer incidente no escrutínio.

11:04 – Departamento de Física – 134 votantes apurados no dia de ontem (cerca de 25 % da totalidade de votantes inscritos).

11:06 – Surgem-me as primeira especulações quanto ao resultado final. Em ambas as listas afirma-se cada vez mais a hipótese de um empate técnico. Também me começam a surgir vozes unânimes nas duas listas que declaram vitórias de André Costa e da Lista C em Farmácia e Medicina (vitórias esmagadoras), FEUC (com uma margem a rondar os 150 votos de diferença) e da Lista L de Ricardo Morgado no Pólo I da FCTUC (cerca de 200 votos) Psicologia (cerca de 150 votos) Desporto (sensivelmente 200 votos de diferença). Quanto ao Polo II da FCTUC nenhuma dessas fontes se quis pronunciar, visto que tem surgido boatos contraditórios: o pessoal afecto à Lista L clama uma vantagem significativa, o pessoal afecto à Lista C afirma que o pólo II poderá conter um resultado brilhante para os seus objectivos.

11:14 – Relembro que só existirá um vencedor nesta 1ª volta se a diferença de votos em relação à 2ª lista mais votada ultrapassar os 1000 votos.

11:23 – Um amável aluno de Direito (amável de qualidade: não confundir com o outro Amável, o Zé) relatou-me que na 1ª hora votaram 69 alunos em Direito.

11:28 – Sem dados muito rigorosos, dos 21 mil inscritos no sufrágio, apenas 15% deverão ter votado até este momento.

11:45 – Na Faculdade de Farmácia registaram-se nas primeiras duas horas 75 votos.

12:03 Mais noticias fresquinhas:

1. Depois da “corrida ao voto” ontem no Departamento de Informática (segundo a fonte que nos mencionou Philip Santos andava onfire dentro do departamento no dia de ontem mas hoje ainda não foi visto por lá) e dos 284 votos registados no dia de ontem no mesmo, hoje registam-se a esta hora sensivelmente 40 votos. Os 284 votos num só dia nesse departamento constituem de facto uma enorme surpresa.

2. Na Faculdade de Direito aina não se registaram incidentes no dia de hoje.

3. Em Engenharia Química (Polo II) as urnas abriram com hora e meio de atraso, tendo a nossa fonte mencionado que os problemas se deveram a uma pressuposta quezília armada pela delegada da Comissão Eleitoral da Lista C.

12:08 – Na FEUC surgem-nos relatos que o presidente do Núcleo de Estudantes de Economia anda completamente onfire no dia de hoje.

12:23 – Departamento de Química? Recebi uma SMS a dizer que queriam boicotar a urna do departamento. Alguém confirma? Alguém desmente? Dêem-me a informação para o número 912703643 ou para o email joaorbranco@live.com.pt

14:38 – Ao meio-dia, um incidente na urna de Direito levou o representante da Lista A – Paraíso Fiscal João Alexandre a requerer (com exito o fecho da urna). Esta esteve encerrada durante 15 minutos.

Diz quem viu que o almoço em Direito foi animado. João Alexandre, Ricardo Morgado, Hugo Ferreira e Fabian Figueiredo. Moscambilhas para a 2ª volta?

Até ao momento conferem-se 300 votos hoje em Direito.

No Polo II tenho informação que todas as urnas de voto estão a decorrer de forma pacífica.

16:00 – Urna de direito novamente encerrada: Motivo insólito – um aluno fugiu com o seu boletim de voto. João Alexandre fechou a urna.

Temos também a informação que Diana Taveira já se encontra em Coimbra, vinda de Lisboa. Virá ajudar à festa?

Diz quem viu: Pedro Fialho está sempre a ser rodeado por João Alexandre, Mónica Batista, Diana Taveira, Filipe Januário, Fabian Figueiredo e Hugo Ferreira nas imediações da Faculdade de Direito.

16:34 Se ainda quiser prestar informações a este blogger até ao fim da noite, poderá fazê-lo a partir do número 912703643 ou do email joaorbranco@live.com.pt

20:57 – Um leitor mais atento avisou-nos que na Faculdade de Letras numa das urnas houve uma falha de 25 votos numa folha com nomes de votantes. Os elementos da Lista L ainda barafustaram mas sucesso. Pedro Fialho resolveu a situação.

Também me informaram que existe um elemento de uma associação de estudantes e investigadores brasileiros de Coimbra cujo nome e sigla não me conseguiram precisar, a ajudar ao cacique para uma das listas entre os estudantes brasileiros em prol da lista L.

Aproveito também para dizer que ainda se pode votar na sala de estudo da AAC até à meia-noite. Para quem não o fez em tempo útil nas faculdades, sei bem que o frio é muito mas a exerção de um direito estudantil é mais forte.

Pela noite, este blog também fará cobertura dos resultados das eleições.

22:41 – Outro atento leitor mandou-me uma sms a relatar alguns dos acontecimentos que viu durante o dia em Medicina:

Medicina vivia sobre o efeito Mariana Andrade – “até os mortos votaram” segundo as palavras do mesmo, estudante da FMUC.

Na FEUC, Dino Alves não foi visto. Na guerra entre a Lista C e a Lista L, dos caciqueiros locais, Gustavo Bonifácio foi o mais activo para a C, enquanto a malta de Gestão na L também fez das suas.

Em Civil estima-se uma surpresa para a lista C e em Letras uma boa surpresa para a Lista L. Um leitor mandou-nos uma mensagem em que relatava “enquanto o PP metia votos, o Nelson dormia cá fora”.

23:20 – Mais um leitor enviou-nos uma mensagem, neste caso, acerca da urna 3 de Direito (Administração Publico-Privada\Mestrados\Doutoramentos).

O leitor falava-nos do incidiente que levou a que ontem a mesma urna fosse boicotada devido a um mal-entendido gerado pela presumível entrada de mais dois votos para o Conselho Fiscal na referida urna. Os Alunos de APP que já tinham votado até então tiveram que votar novamente.

O referido aluno diz ainda que hoje os alunos do 3º ano de APP quiseram votar em massa e subita e inexplicavelmente fechou-se novamente a urna durante alguns minutos. Pequenos incidentes que segundo o colega “foram comentados por muita gente na faculdade”.

Dentro de aproximadamente 40 minutos encerram as urnas na sala de estudo da Associação. A Cabra e a TVAAC deverão mandar as suas primeiras sondagens à meia-noite e meia. À 1 da manhã começarão a sair os primeiros resultados.

Este blog terá cobertura ao minuto dos resultados tanto para a DG\AAC como para o Conselho Fiscal. Dentro de minutos serão colocadas em novo post, grelhas que serão actualizadas sempre que se souberem resultados das 23 urnas do escrutínio.

 

Especial eleições AAC – Entre o Nada e o Infinito

09:29: Bar da FEUC. A meia hora da abertura das urnas, os primeiros “caciques locais” começam a “despertar” no Bar do Sr. Carlos. Mariana Mesquita, Joel Gomes, Diogo Batista de Carvalho, Ricardo Bem-Haja entre alguns elementos da Lista C como Gustavo Bonifácio preparam-se para a batalha do cacique de hoje. 

09:43: Um leitor mais atento mostrou-nos algo bastante interessante. Como é sabido, os núcleos não podem declarar apoio expresso a uma lista candidata à Direcção-Geral, mas pela imagem que mostramos em baixo, o Núcleo de Estudantes de Economia é amigo da Lista C “Desperta a Academia”

Como podemos também reparar pela imagem abaixo, o mesmo núcleo já não é amigo de da Lista L “Liga-te”:

Já que estamos numa de parcialidade barata, gostava então de propor algo ao presidente da Direcção-Geral Eduardo Barroco de Melo que, em tempo útil, marcasse duas reuniões: uma com o presidente do Núcleo de Estudantes de Economia e outra com o presidente da concelhia da JSD de Coimbra com o propósito de perguntar qual ou quais são as visões que o mesmo tem sobre o Ensino Superior.

09:53: Foi-me alertado que durante o fim-de-semana aconteceram alguns incidentes na FEUC. Elementos da Lista C (alguns atiram os nomes de Tânia Costa e Mané Torres) foram vistos por alunos de gestão a arrancar os pendões da Lista L.

10:43: Maior parte das urnas de voto da Academia ainda não abriram. Comunicaram-me um problema na Faculdade de Direito: não foi dada autorização para a colocação da urna na sala ao lado da do Núcleo de Estudantes, havendo a possibilidade da mesma ser colocada no Hall de Entrada da referida sala. O problema está a atrasar em larga medida a abertura de urnas na Academia.

10:47 – Ainda não houve rastro de Dino Alves pela FEUC. Num dia tão importante ficou em casa a dormir?

10:48 – Começam a abrir as urnas na Academia. As duas urnas da FEUC já recebem votos.

11:15 – Polo 3 – Em medicina, afluência amiúde às urnas.

Farmácia: “The Bolas Show” controlado por João Alexandre. Os dois estão separados por poucos metros. Estará o antigo secretário-geral da Queima das Fitas interessado em fazer amigos em farmácia? Irregularidades? Cacique? Nah. O vigilante da Comissão Eleitoral é André Amador.

11:17 – Bolas está neste momento a reunir-se com os seus “bola boys” – estarão a tentar arranjar um truque para remover João Alexandre da boca da urna?

12:22 – Fui corrigido por Bolas e pelos seus boys. Não são os “bola boys” mas sim a “família do pharmaquistão”.

Em Farmácia continuam muitos estudantes a aceder às urnas de voto.

Do outro lado da cidade, avisam-me que a urna de Direito está a ser problemática (como sempre) motivo que levou a Comissão Eleitoral a ter que a suspender mais que uma vez. Dentro de momentos irei trazer-vos novas das urnas da Faculdade de Direito e da Faculdade de Letras.

Mais uma vez informo que estou disponível para receber informações de outros locais de voto por intermédio do nº de telemovel 912703643 ou através da barra de comentários deste blog e do email joaorbranco@live.com.pt.

Já agora, ninguém me quer prestar informações do Polo II? Como é que andam os departamentos de Civil, Mecânica e Electro?

12:49: Dois votos para o fiscal entraram ao mesmo tempo na urna de Direito, o que levou Hugo Ferreira e Fabian Figueiredo a dizer a Pedro Fialho, presidente da AM, para fechar as urnas todas. As urnas estão fechadas por tempo indeterminado.

12:58 – Urnas reabertas pelo Presidente da Assembleia Magna.

13:18 – Em letras, tenho informação que a malta está toda nervosa. As urnas já foram fechadas 2 vezes nos últimos 20 minutos. Manuel Afonso é o delegado da Lista I à Comissão Eleitoral na Faculdade e terá sido o responsável pelo fecho da urna. Tenho informações que está a ser uma grande batalha entre os “Taveira Boys” PP e Nelson Fonseca: PP de portátil em punho pesquisa por contactos de história, Nélson agarra-se ao telémovel. 147 votos conferidos até ao momento na FLUC.

14:57 – Depois de um almoço de duas fanecas fritas na broa (à trabalhador), encontro-me na FLUC. Votaram no total cerca de 200 pessoas a esta hora. Nelson Fonseca e Pedro Tiago continuam onfire. Estive à conversa com Pedro Tiago, e deu para espreitar que a sua agenda está bem recheada de contactos. Uma maravilha de cacique!

Um aluno de letras confessou-me que a grande afluência de votos na faculdade será amanhã, tecendo algumas críticas ao representante da comissão eleitoral, segundo o próprio “feitinho com uma lista”.

Foi-me também pedido por membros da Comissão Eleitoral para perguntar a Pedro Fialho pelas senhas de alimentação a que tem direito.

Já tenho também notícias do Polo II: Afirmam-me que alunos de civil estiveram próximos de andar ao soco nesta manhã. Ambiente e Electro estão tranquilos, com o cacique todo lá mas tranquilos.

Na FEUC, o ritmo também está normalizado. Com pouco cacique e com poucos votantes.

15:02 – Volto a relembrar que estou disponível para aceitar quaisquer informações decorrentes deste acto eleitoral pelo número de telemovel 912703643 ou então por email na conta joaorbranco@live.com.pt

15:07 – Foi me dito que Ricardo Morgado passou algum tempo no seu departamento, o departamento de Física. Conta quem lá esteve que os cigarros iam ao ritmo de quem come batatas fritas, tal era a nervoseira. Será que o candidato da L teme perder a sua própria casa?

16:06 – Em Direito, nervos à flor da pele em ambas as listas e em pessoas afectas às mesmas. O representante do Conselho Fiscal Jorge Dantas, quando confrontado pelo nosso blogger pediu para este “ser encerrado num manicómio”. Mónica Batista, actual super-coordenadora das Relações Externas da DG está com os nervos à flor da pele. André Costa reuniu as suas tropas no bar de baixo e deu-lhes um sermão de 10 minutos.

A urna da Administração Público-Privada foi impugnada porque entraram 2 votos a mais para o Fiscal. Uns dizem que foram distribuídos boletins de voto a mais para alguns alunos. Ambas as listas clamam inocência no acto. A urna foi impugnada, tendo que os votantes dirigir-se novamente ao local de voto para votar.

De resto, na Faculdade das leis, os candidatos da casa andam para trás e para a frente. A urna de voto está concorrida e alguns candidatos não desgrudam da fila da frente para cacicar.

Aproveito também para avisar que um aluno de biologia enviou-me uma mensagem a declarar que a esta hora já estão apurados cerca de 70% dos votos possíveis no departamento, motivo que o leva (e que me leva também) a desconfiar de fraude.

Vou até Biologia ver o que se passou de facto.

16:59 – Info fresquinha: Fabian Figueiredo e Hugo Ferreira da Lista M “Mexe-te” fizeram queixa à Comissão Eleitoral pelo mail enviado pela aluna\assistente de Direito Constitucional da Lic. em Direito Filipa de Sá aos alunos da sua mailing list. 

Em Biologia confirma-se a alta percentagem de votantes no acto eleitoral no 1º dia do mesmo. Em Letras, a afluência também está interessante.

17:32 – Darq com 186 votos até agora.

17:34 – Caro estudante, se ainda estiver interessado em mandar uma fresquinha sobre estas eleições para a AAC, pode fazê-lo a partir do mail joaorbranco@live.com.pt ou do número de telemovel 912703643. Agradeço informações do Polo II (Civil), de Psicologia e de Desporto.

17:36Informação fresquinha de psicologia – Até ao momento já votaram 200 pessoas, sendo que de fonte segura garantem-me que 2\3 são para a Lista L (tem 2 efectivos da Faculdade e essa pode ser a justificação) – O mesmo aluno garantiu-me que a faculdade não tem mais votos porque a mesma tem agora um espaço perto do Centro Cultural D.Dinis e algumas turmas não passam pela faculdade para assistir às suas aulas.

Sondagem Entre o Nada e o Infinito

Apuro os resultados das sondagens que levei a cabo nos últimos dias neste blog. No momento em que escrevo este post falta 1 hora para a abertura das urnas de voto nas faculdades.

Antes de passar aos resultados, cumpre-me apenas esclarecer um ponto importante:

1. Esta Sondagem não foi efectuada sobre moldes profissionais e o seu resultado é meramente indicativo pelas razões que se conhecem. Pretendia obviamente que fosse uma sondagem onde só pudessem votar sócios-efectivos da AAC, mas, essa impossibilidade levou a que todos os leitores pudessem votar.

Pergunta 1:

Quem irá vencer as eleições para a DG\AAC?

Foram apurados 459 votos.

Segundo os resultados obtidos, a vitória (caso se confirmar, resta saber se será na primeira ou segunda volta) será de Ricardo Morgado da Lista L “Liga-te à Academia”.

Resultados:

1º Lista L “Liga-te à Academia” — 206 votos – 44.88%
2º Lista C “Desperta a AAC” — 191 votos — 41.61%
3º Lista M “Mexe-te pela AAC” — 31 votos — 6.75%
4º Lista T “A Alternativa És Tu” — 16 votos — 3.49%
5º Outros — 15 votos — 3.27%

Pergunta 2:

Quem irá vencer as eleições para o Conselho Fiscal da AAC:

Foram apurados 244 votos. A concretizar-se, a vitória também será do candidato da Lista L “Liga-te à Academia” Francisco Guerra, todavia, longe da maioria dos 7 lugares elegíveis no fiscal.

1º Lista L “Liga-te à Academia” — 61 votos — 25% (2 mandatos)
2º Lista C “Desperta a Academia” — 46 votos — 18.85% (2 mandatos)
3º Lista P “Pedrulha pra DG” — 44 votos — 18.03% (1 mandato)
4º Lista A “Paraíso Fiscal — 40 votos — 16.39% (1 mandato)
5º Lista O “Oligopólio” — 36 votos — 14.75% (1 mandato)
6º Lista M “Mexe-te” — 7 votos — 2.75%
7º Lista I “Indigna-te” — 5 votos — 2,05%
8º Lista D “Até a Dormir, lá vamos” — 4 votos — 1,64%
9º Lista T “A Alternativa És Tu — 1 voto — 0,41%
10º Lista Z “Tudo em Ordem”– 0 votos — 0%

Para finalizar, cumpre-me agradecer a todos aqueles que participaram na sondagem e afirmar que o Entre o Nada e o Infinito vai encontrar-se por aí na cobertura das eleições com um especial minuto-a-minuto. Se me quiser contactar acerca de qualquer informação, rumor ou boato que possa surgir hoje e amanhã, poderá fazê-lo através da caixa de comentários deste blog, da conta de email joaorbranco@live.com.pt ou a partir do meu número de telemovel 912703643, sendo que em todos os casos garanto sigilo.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Doutoranda do cacique

 

Conteúdos retirados a pedido da docente da Faculdade de Direito Filipa de Sá.

Este blog responsabiliza-se pelos conteúdos divulgados e pede desculpa aos leitores pela retirada dos conteúdos.

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

vil(elices)

Como é da praxe, o nosso caríssimo Samuel Vilela lá voltou a usar a mailing list de Relações Internacionais para fazer campanha de última hora.

O catedrático do cacique, da competência (nula) e do trabalhinho que foi zero durante o último mandato voltou a atacar…

Nem a denúncia do Entre o Nada e o Infinito no ano passado levou o referido aluno a refrear os ânimos.

O que vale é que o corpo do texto este ano não foi tão descarado. O nosso vil(ela) tachista optou por uma coisa mais soft, já passavam 2 minutos das 23:30

“Boa noite,

Como já deverá ser do conhecimento da maior parte encontram-se a decorrer eleições para os Órgãos Gerentes da AAC. Terminado o período de campanha, as votações iniciam-se amanhã e terminarão na próxima terça-feira. Amanhã o local destinado às votações será a sala dos Núcleos no piso 0 e, terça-feira, a sala 2.5, no piso 2. No período nocturno também poderão votar na sala de estudo da AAC entre as 21h e as 00h.

Independentemente do vosso sentido de voto a participação neste sufrágio é importante, principalmente num ano em que possivelmente o Ensino Superior vai sofrer mais ataques, ao nível do financiamento e da acção social (bolsas de estudo). Será sempre importante uma Direcção-geral da AAC com a legitimidade de um elevado número de votantes.

Da minha, falando um pouco do projecto que integro, a Lista L, gostaria apenas de vos deixar a garantia que caso sejamos eleitos, além da contínua representatividade que o nosso/vosso curso poderá continuar a ter na AAC, expresso também pela Mariana Mesquita, que integra a lista, poderão continuar com o nosso empenho no apoio à resolução dos vossos problemas académicos que vão surgindo no dia-a-dia e, também, com uma AAC activa no plano da cultura e do desporto.

Obrigado pela vossa atenção,
Com as mais cordiais saudações académicas,


Samuel Caetano Vilela, candidato a Vice-Presidente da DG/AAC
Mariana Mesquita, candidata a Relações Externas da DG/AAC
Lista L – Liga-te à Academia”

Vergonha? Essa não existe. Vale tudo não é Vil(ela)? Pois vale, sim senhor! Já agora gostei da parte da representatividade que o curso tem na AAC? Tem tanta representatividade que nem o candidato à super-coordenadoria das Relações Internacionais é aluno do referido curso.


Com as etiquetas , , , , , , , , ,

auri-negrices

Créditos: Pedro Nuno\Ultras Auri-Negros.

Com as etiquetas , , , , , ,

os esmifras

Ler aqui o comunicado do Centro de Estudos Cinematográficos da AAC em relação à Gala António Luis Gomes.

Foi com algum gozo que assisti às trocas de palavras entre o presidente do CEC\AAC Tiago Santos e o representante das secções culturais na Comissão Executiva do Conselho Cultural da AAC António Miguel Arnaut.

Pela primeira vez, por mais que me custe admitir (continuo a reiterar publicamente que não lhe reconheço capacidades para exercer o cargo de super-coordenador da cultura na DG\AAC), o António Miguel Arnaut assumiu uma postura digna de paridade entre as Secções, e, perante o referido comunicado deu uma resposta que achei desde já muito positiva e muito elegante à missiva do CEC\AAC.

Vamos por partes:

1. Se bem me lembro, na gala de encerramento dos Caminhos do Cinema Português de 2010, Vitor Ferreira, na altura presidente do Centro de Estudos Cinematográficos, com António Miguel Arnaut na plateia, mostrou o seu descontentamento em relação ao festival, segundo palavras próprias “pela falta de condições que lhe eram dadas pela casa que alberga a referida Secção”.

2. Pegando no referido comunicado e no trecho que assim reza: “É inconcebível que a realização de um evento que pretende ser a consagração do trabalho desenvolvido pelas Secções Culturais da Associação Académica de Coimbra se concretize com base em ideias em avulso, falta de informação, onde imperam as vontades e favores, ou pelo menos a tentativa de calar as vozes incómodas da Academia”.

Fazendo a junção do ponto 1 ao ponto 2, inquiri alguns representantes de secções culturais acerca da reunião do Conselho Cultural de preparação da gala e de alguns acontecimentos que se passaram nessa reunião.
A reunião de preparação da gala António Luis Gomes foi longa. Durou algumas horas, na discussão do evento, da programação e dos prémios que seriam entregues. O Presidente do CEC, segundo os relatos, entrou a meio da reunião e afirmou que a secção não estava a marcar a sua presença “visto que o evento Caminhos do Cinema Português tinha mais preponderância que a gala” mas aproveitou a ocasião para perguntar à Comissão Executiva do Cultural se lhe emprestava 5 mil euros adiantados, valor que segundo o próprio era urgente para aplicar no evento, valor que foi desde logo atribuído por antecipação.
Desde logo, trilha-se aí uma falta de respeito perante uma gala que visa mostrar o trabalho realizado pelas secções culturais ao longo do ano.
Dado o avanço de capital, o presidente do CEC não se ficou por aí e tratou de tentar vender o “naming” de prémio ao Conselho Cultural no valor de 2 mil euros, proposta que veio a ser recusada. Esta para mim é nova: vender algo a uma casa que já financia a actividade. Vender algo a uma casa numa génese de “vender a própria mãe ao pai”.

Urge-me no entanto relembrar que no ano passado, o CEC\AAC recebeu uma verba relativa ao pagamento das bandas que iriam actuar nas after-parties, pagamento esse que posteriormente seria feito pelo Theatrix e cujo CEC tem no contrato estabelecido com o estabelecimento nocturno uma cópia dos valores dos pagamentos. Resumindo e concluíndo: alguém meteu dinheiro ao bolso.

Ainda sobre este posto, também é de relembrar ao presidente do CEC\AAC que o relatório de actividades da referida secção não apareceu a tempo da gala o que é de facto algo muito triste visto que a referida secção pouco ou nada faz mais durante o ano lectivo do que os Caminhos do Cinema Português.

3. No referido comunicado, Tiago Santos fala de falta de transparência.

Tenho também a comunicar que a falta de transparência é algo que não assiste ao Centro de Estudos Cinematográficos. Quero afirmar aqui publicamente, que 90% das pessoas que trabalham nas secções culturais trabalham pró-bono. Digo bem, 90%. Existe uma excepção: o CEC. Não preciso de repetir mais nada: existem elementos da direcção do CEC que são remunerados pelas funções que exercem dentro da secção. Remunerados não, muitíssimo bem remunerados. Basta ver as facturas que estão na tesouraria da Associação Académica de Coimbra para se perceber que o próprio director do festival leva para casa nada mais nada menos que 5200 euros pela função que exerce no festival. Se alguém me tentar desmentir, auditorias às contas da secção e a verdade virá ao de cima. E mais uma vez se denota que a referida secção também vive numa onda de profunda ingratidão perante a casa que a alberga e que lhe deu as condições para trabalhar.

Tudo isto não me leva a concluir apenas que a referida secção vive numa falta de transparência enorme. Vive numa onda de esmifrar o máximo de dinheiro possível, de forma descarada e sem olhar a quem, sem apresentar contas nem rei nem roque. Daí que dê inteira razão à posição assumida pelo António Miguel Arnaut.

4. Outra coisa que me faz espécie é o facto do Centro de Estudos Cinematográficos da AAC continuar a ser a única secção que cobra às outras secções valores pela utilização do seu material e estar a preparar-se para tentar cobrar a utilização do Mini-auditório Salgado Zenha, que como todos sabemos está consignada como material destinado à promoção do seu trabalho mas, em todo o caso é pertença da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra e como tal é um bem que pode ser usufruído por todas as secções e organismos autónomos que assim o entenderem e requisitarem. 


Com as etiquetas , , , , , , , , , ,

Património Imaterial da Humanidade

Carlos do Carmo – “Canoas do Tejo” — Álbum: Canoas do Tejo (1973)

Com as etiquetas , , , ,

academices

O tal dia de reflexão académica só existe mesmo no papel! Parece que apenas não se pode mencionar o nome das listas boca a boca. Porque no facebook vale tudo!

Com as etiquetas , , , ,

uma questão de honestidade

De todos os candidatos à presidência da DG\AAC, cada vez mais considero que o candidato mais sóbrio ao nível de discurso e mais honesto ao nível intenções é o meu colega Fabian Figueiredo da Lista M.

Só tenho pena que o Fabian nunca vença umas eleições na Academia, pelo quadro “político” onde está inserido, pela máquina mobilizadora que está agregada a 2 outras listas concorrentes e pelo preconceito que por vezes é associado à sua pessoa. Neste blog, eu critiquei e ironizei por muitas vezes algumas tomadas de atitude do Fabian e algumas declarações em Assembleia Magna. Mas, também sou capaz de me retratar e de entregar as vacas ao seu dono de vez em quando, como diz o ditado. E o Fabian mostra que conhece muito bem a realidade da Academia, da Universidade e o papel que a AAC deve desempenhar em função destas. É um facto completamente inegável.

Noutro prisma, há muito que defendo (e já o disse a alguns colegas) que para haver união entre os estudantes, devia-se chegar a um consenso que teria como ponto de partida uma alteração (a acontecer seria nos estatutos) no sistema de eleição para a DG\AAC – a minha proposta concorre no sentido destas serem disputadas com o mesmo modelo com que se disputam as eleições para o Conselho Fiscal – ou seja, em vez de a democracia ser usada como voz da maioria (winner takes it all) dever ser usada como voz única, em que os corpos sociais da AAC seriam eleitos mediante a percentagem de votos obtida, constituíndo à posteriori uma Direcção-Geral que respeitasse a coligação entre as várias vozes da Academia traduzidas em voto.

Assim, todos aqueles que conseguissem por via do voto ter expressão entre os estudantes teriam um representante na Direcção-Geral. Neste sistema, é claro que haveria uma enorme dificuldade em depois se atribuírem as respectivas pastas e cargos entre os representantes eleitos, mas nada que uma saudável discussão entre os eleitos não resolvesse esse problema, visto que quem se candidata a uma Direcção-Geral deverá ter a obrigação de conhecer todos os dossiers respeitantes à mesma. Resolviam-se assim algumas guerrinhas fracticidas entre os grupinhos e grupetos. Talvez até a Assembleia Magna viesse a ganhar com este sistema, gerando finalmente uma salutar discussão dos problemas da Academia, a eliminação de tentativa de domínios sectoriais por parte de grupo A, B, C ou D e a desunião entre os estudantes na hora de decidir e solucionar.

Talvez esta ideia seja uma utopia. Para mim seria uma questão de união e honestidade perante todos os estudantes.

Com as etiquetas , , , ,

futeboladas

Vitor Pereira salvou um matchpoint, ontem, contra o Shakhtar Donetsk, num jogo muito díficil que Hulk desbloqueou.

O Porto mantem-se assim na luta pelo apuramento, sabendo de antemão que o jogo contra o Zenit São Petersburgo no Dragão daqui a 2 semanas será crucial e obviamente, dotado de um grau de dificuldade enorme.

Para isso, em muito valeu a sorte que o Porto teve no jogo da Ucrânia. Recebeu duas bolas nos ferros, uma em que Hélton foi inteligente ao jogar a bola para fora e outra na primeira parte, onde o mesmo estava a guiar com os olhos o colocadíssimo remate disferido por Luiz Adriano, jogador que pelo que vi ontem, merece muito mais do que jogar neste Shakhtar e tem lugar de caras no “escrete”.

Valeu portanto a atitude demonstrada pela equipa portista. O Porto nunca desistiu da vitória, e mesmo perante as claras oportunidades de golo dos Ucranianos, mostrou a maturidade que tão bem conhecemos aos seus jogadores. Hulk fez o resto, marcando aquele golo abriu caminho para a vitória.

Vitor Pereira respirou de alívio. Esta vitória alimenta o sonho do clube ainda se qualificar para os oitavos-de-final, garante pelo menos a passagem à Liga Europa e dá mais uma almofada ao técnico portista numa altura crítica e na antevisão de mais um jogo muito complicado já no domingo contra o Sporting de Braga, onde o Porto pode começar efectivamente a vencer caso os dois rivais de Lisboa empatem no derby de sábado ou um deles perca pontos.

Horas antes do FC Porto jogar na Ucrânia, a festa foi cipriota em São Petersburgo.

O modesto APOEL foi empatar à Rússia e garantiu a qualificação para a próxima fase da Champions. É certo que esta equipa Cipriota (que atenção, nem tem uma má equipa) bafejou em muito do sorteio desta fase de grupos, calhando num grupo sem um gigante europeu. Todavia, existe sempre a contrapartida de, por antemão, se prever um grupo muito renhido dado o valor semelhante das equipas na contenda. No entanto, quem imaginava que este APOEL (uma das equipas mais frágeis desta fase e também uma das equipas beneficiadas pelo novo modelo de Platini para a competição) iria passar o seu grupo, ainda mais pela forma categórica com que se bateu contra todas as equipas?

No jogo de São Petersburgo, o APOEL limitou a aplicar a receita que deu frutos no empate obtido no Dragão na 3ª jornada e na vitória perante os Portistas em Chipre: colocaram o “autocarro” em frente à sua baliza, deram o domínio da posse de bola aos Russos (63%\37%) sem no entanto descurar uma organização defensiva ímpar que levou por exemplo à noite desinspirada do Português Danny e conseguiu perecer a 18 investidas do Zenit à sua baliza (7 remates à baliza e 11 remates para fora). Os Cipriotas só conseguiram fazer um remate (para fora) durante os 90 minutos da partida.

O APOEL está portanto de parabéns, e dentro das equipas de países com menos expressão no futebol europeu que beneficiam do novo modelo da champions (os campeões dos países com menor ranking\coeficientes por clubes da UEFA não disputam nas pré-eliminatórias jogos contra equipas não-campeãs tendo portanto 5 vagas directas) é excepção à regra do desastre que tem sido as campanhas de Genk (Bélgica; ontem levou 7 no Mestalla do Valência) BATE Borisov (Bielorússia) Croácia Zagreb (Croácia) e Viktoria Plzen (República Checa).

As contas finais do grupo irão fazer-se na próxima jornada, com o Porto a receber no Dragão o Zenit, necessitando obrigatoriamente de vencer os Russos para se apurar. O APOEL recebe o já eliminado (das competições da UEFA) Shakhtar com a hipótese de assegurar a primeira posição do grupo. O APOEL consegue o primeiro lugar se:

1. Vencer o Shakhtar.

2. Empatar com o Shaktar e o Zenit empatar com o FC Porto.

Grupo H

O Viktoria Plzen foi vencer à Bielorússia o BATE Borisov por 1-0 (golo do médio Bakos aos 42″) garantindo praticamente o apuramento para a Liga Europa como 3º classificado do grupo.

Os Bielorussos podem lamentar-se das muitas oportunidades de golo que desperdiçaram durante a partida. Bastava-lhes apenas o empate para garantir essa posição.

De realçar, também considero o facto de ter visto Pavel Horvath em campo. Para quem se lembra, foi um médio centro Checo que passou pelo Sporting há muitos anos atrás. Aos 36 anos, o esquerdino ainda é titular no campeão checo em título.

Em San Siro, o Barça confirmou o primeiro lugar deste grupo, depois de um grande jogo de futebol que iria terminar com a vitória dos Catalães por 3-2.

Foi de facto um cheirinho do bom futebol e do equilíbrio entre equipas do topo do futebol europeu que iremos ver daqui em diante na competição.

Pelo pouco que vi da partida, do lado do Milan gostei das exibições de Zlatan Ibrahimovic (muito picado por estar a jogar contra o Barcelona semanas após o lançamento do seu livro onde tece duras críticas à estrutura do clube catalão e em particular ao seu treinador Pep Guardiola). Ibra haveria de marcar o 1º golo dos Milaneses, golo que aos 20″ deu o empate depois de um golo do Barça obtido por auto-golo do Holandês Mark Van Bommel.

Ainda no lado dos milaneses, também gostei das exibições de Kevin-Prince Boateng (este Ganês é um jogador que enche as medidas de qualquer um, principalmente pela forma como mexe com a bola e com a capacidade genuína que tem em colocar centros longos para a área que normalmente geram aflição para a equipa adversária) e de Clarence Seedorf (quanto mais velho está mais o gosto de o ver jogar!).

Guardiola encarou o jogo de Milão com algumas reservas, visto que o mesmo apenas decidia o vencedor do grupo e não o apuramento. Daí ter optado por colocar alguns jogadores cujo tempo de jogo não tem sido muito neste primeiro terço de época. Assim sendo, o treinador dos Catalães deu a titularidade a Éric Abidal, Thiago Alcântara e Seydou Keita, deixando no banco Gerard Piqué em prol da colocação de Mascherano como central, como aliás tem sido “quase-norma” no conjunto catalão sempre que um dos centrais não se encontra a 100% do ponto de vista físico.

Tais alterações não mexeram por completo na forma de jogar do Barcelona e tanto Xavi como Lionel Messi como David Villa tiveram que suar para levar de vencida a turma de Max Allegri.

Grupo F

Mais uma vez, Robin Van Persie foi o “Robin dos Bosques” de Arsène Wenger. Duas grandes finalizações “mataram” o apuramento para os Gunners e catalogaram ainda mais este Holandês como o melhor que este Arsenal tem para oferecer (e decerto que a demanda pelos seus serviços tenderá a aumentar nos próximos dois meses; fala-se de City, United, Chelsea, Milan e Barcelona) e aniquilou quase por completo as esperanças dos campeões alemães em título em se qualificarem para a próxima fase, o que de facto é uma pena pois este Dortmund é capaz de fazer muito melhor que o Marselha e que o Olympiacos. Um dos motivos que levou o Dortmund a não passar este grupo foi obviamente a ausência em alguns jogos (entre os quais este) de jogadores importantes na manobra da equipa como é o caso de Sven Bender, Mario Gotze, Lucas Barrios e o defesa-central Neven Subotic. Uma equipa que não apresenta estes 4 jogadores em simultâneo em nenhum dos jogos desta campanha, parte claramente em dificuldades em relação aos adversários.

A exibição do Holandês foi tão grande que Jurgen Klopp, treinador do Dortmund não hesitou em gabar o internacional pela laranja mecânica: “Robin van Persie, wow, what a performance, what a player. He’s certainly one of the best in Europe”.

No outro jogo do grupo, os Gregos do Olympiacos foram fazer pela vida ao Vélodrome em Marselha. A equipa comandada pelo espanhol Ernesto Valverde safou o matchpoint que se jogava em Marselha vencendo a equipa da casa por 1-0 com um extraordinário golo do jovem médio ofensivo internacional Helénico Giannis Fetfatzidis aos 82″.

Nesta equipa Grega, pelo que vi do resumo da partida, conseguiu aguentar de forma estóica as investidas dos Marselheses e deve dar graças pelo resultado não só ao excelente golo do seu organizador de jogo mas como às boas exibições dos centrais Marcano e Torossidis e do avançado Djebbour.

Analisando este grupo e a próxima jornada:

O Arsenal já está qualificado e com o primeiro lugar assegurado. O Marselha é 2º com 7 pontos, o Olympiacos 3º com 6 e o Dortmund 4º com 4.

Na próxima jornada, o Olympiacos irá receber o Arsenal e as chances de qualificação aumentam não só pelo Marselha ter que viajar à Alemanha para defrontar um Dortmund que ainda aspira a conseguir a qualificação ou para os oitavos de final da prova ou para a Liga Europa, mas também porque Arsène Wenger poderá poupar muitos jogadores importantes nos Gunners para tentar relançar o clube ao nível interno.

Eis os cenários possíveis das complexas contas deste grupo:

1. O Marselha passa caso vença o Dortmund na Alemanha, indiferentemente do resultado do Olympiacos. Em caso de derrota dos Alemães, o Olympiacos garante o lugar na Liga europa.

2. O Olympiacos necessita da tal derrota dos Marselheses ou do empate para passar, ou do empate no jogo contra o Arsenal caso o Dortmund vença o Marselha (os Gregos tem 1-1 nos jogos contra o Marselha e 3-2 na série contra o Dortmund) desde que os Alemães vençam os Franceses por vantagem de 3 golos. Na última situação por mim evidenciada, o Olympiacos passa, o Marselha vai para a Liga Europa e o Dortmund, mesmo apesar de uma vitória por 3 golos é eliminado.

3. O Borússia de Dortmund precisa de vencer o Marselha por 4 golos de diferença (perdeu 3-0 no 1º jogo) e “per si” este resultado não chega pois necessita que o Arsenal vença na Grécia.

Grupo E

Villas-Boas vai de mal a pior.

O Chelsea teve o pássaro na mão para vencer em Leverkusen e foi traído por uma exibição categórica de Michael Ballack.

Com um golo de Drogba no início da 2ª parte, os Blues subestimaram claramente a resposta do adversário e recuaram no terreno para defender a magra vantagem. Erro claro numa competição como a Champions League que denota acima de tudo que a equipa de Villas-Boas está a jogar sobre brasa.

O Leverkusen de Robin Dutt não se deu como vencido e nos 20 minutos finais foi lá para a frente em busca de algo que lhe pudesse ser útil nas contas deste grupo. Conseguiu empatar aos 73″ por Eren Derdyok (na primeira vez que tocou na bola 2 minutos após a sua entrada em jogo) e com um espírito de abnegação enorme ao empate conseguiu chegar à vitória em tempo de descontos com um golo do defesa Manuel Friederich a passe de Michael Ballack, um antigo “blue”…

Vitória justíssima para o Leverkusen, equipa que está a fazer das tripas coração para fazer valer a sua falta de potencial em relação a Valência e Chelsea com um espírito de luta e sobrevivência tremendo e balde de água fria para um Chelsea que não tem mostrado rigorosamente nada em todos os jogos deste grupo e que como tal, arrisca-se claramente a ir parar na 2ª liga do futebol europeu.

O Leverkusen arrisca-se a vencer um grupo que era talhadinho aos “blues”.

Mais uma vez, e porque não me canso de referir, um baile de Roberto Soldado e companhia para Platini ver.

Hat-trick do avançado, confirmando a época de excelência que o mesmo está a fazer e que também já referi no último post em que abordei a liga espanhola.

O Valência recuperou muito bem do desaire caseiro frente ao Real Madrid. Desaire injusto diga-se a bom da verdade desportiva. Deu 7 ao campeão belga em casa e alimentou as hipóteses da qualificação.

Jonas, Pablo Hernandéz, Aduriz e Tino Costa marcaram os restantes golos dos “Ché”.

Arrisco-me a dizer que perante o potencial que o Valência tem neste momento (jogadores como Maduro, Topal, Rami, Costa, Soldado, Aduriz, Jonas, Piatti, Banega, Canalez, Diego Silva, Albelda, Parejo) se fosse possível juntar três vedetas que saíram nos últimos anos para clubes de maior nomeada (Silva, Villa e Mata) este Valência poderia efectivamente lutar pelo título da Liga Espanhola e marcar uma sólida posição na maior competição da UEFA. No entanto, as graves dificuldades financeiras pelas quais o clube tem passado nos últimos anos obrigaram a que a direcção tivesse que vender uma jóia da coroa por temporada para saldar o enorme passivo que o clube chegou a apresentar (cerca de 500 milhões de euros). É de espectar que os valencianos tenham que vender jogadores como Banega ou até mesmo Soldado nos próximos lances de mercado de transferências.

Resumindo e concluíndo, estamos perante mais um grupo onde o suspense da qualificação irá perdurar até ao último minuto da última jornada: O Leverkusen lidera com 9 pontos, o Chelsea e o Valência tem 8, com vantagem neste momento para os Blues.

O Chelsea recebe o Valência em Stamford Bridge num jogo que se prevê que seja de loucos enquanto o Leverkusen desloca-se ao terreno do desamparado Genk.

1. O Leverkusen apura-se como vencedor do grupo caso vença os Belgas, ou empate, concretizando-se um empate no embate entre Chelsea e Valência.

2. O Chelsea apura-se e vence o grupo caso vença o Valência e o Leverkusen não ganhe e apura-se em 2º com uma vitória.

3. O Valência apura-se e vence o grupo caso vença o Chelsea e o Leverkusen não vença.

4. Em caso de empate em Londres e derrota do Leverkusen, o Valência apura-se pois tem vantagem sobre o Leverkusen nos jogos realizados entre si assim como o Chelsea nos jogos realizados com o Bayer.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

descrença

Eduardo Barroco de Melo tem hoje em mãos mais uma “vitoria dos estudantes de Coimbra” – uma vitória moral é certo.

Com todo o fantasma que paira sobre o ensino superior, sobre a UC e sobre os estudantes de Coimbra em particular, com os cortes no financiamento da Universidade, com os cortes nas bolsas de estudo motivadas pelo novo regulamento de atribuição das mesmas e a previsão de 1400 alunos que já deixaram ou podem deixar a UC até ao final do ano, a Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra em colaboração directa com os núcleos de estudantes da casa não conseguiram levar mais do que 9\10 autocarros a Lisboa para a Greve Geral. (cerca de 500\550 estudantes, isto é, se os tais autocarros forem cheios).

A confirmar-se um número de 500\550 estudantes, falamos que apenas 1\48 avos da comunidade estudantil actual da UC se mostraram interessados em lutar pelos direitos que lhes estão a ser cortados pelo governo.

Relembro que no 17 de Novembro de 2010, a Direcção-Geral comandada por Miguel Portugal conseguiu levar 2 mil estudantes de Coimbra a Lisboa.

Para quem (Eduardo Barroco de Melo) dizia nas redes sociais que um determinado projecto (Lista C) não tinha argumentos para criticar esta Direcção-Geral (estás a dormir Eduardo?) só posso concluir que não só a Lista C não tem argumentos para efectuar a tal mudança como o próprio presidente da Direcção-Geral parece completamente autista em relação ao seu trabalho particular e tem hoje a resposta que os estudantes de Coimbra não aderem em massa a mais uma iniciativa da Direcção-Geral.

Com as etiquetas , , , , , , , , ,

tachadas

Leio no Record que Gilberto Madaíl ganha enquanto Presidente da Federação Portuguesa de Futebol 13580 euros por mês e Fernando Gomes, enquanto Presidente da Liga de Clubes 12180 euros.

Pago pelos contribuíntes nacionais, Gilberto Madaíl aufere mais que o primeiro-ministro e que o Presidente da República.

Percebem agora porque é que Madaíl ficou tantos anos no cargo e nunca quis largar o tacho?

Percebem agora porque é que Fernando Gomes quer ir para a Federação?

Com as etiquetas , , , , , , ,