Ao meio-dia…

Em Inglaterra, todas as semanas, presenciamos a um jogo compreendido no intervalo temporal entre o meio-dia e as treze horas e trinta minutos.

Se antigamente, nos grandes anos da Premiership dos anos 90, era o Arsenal que dava o mote, actualmente, temos inclusive jogos entre os grandes disputados nesse período temporal de sábado.

No consciente inglês, onde o consumo se torna primazia e grande motor económico, existem estudos realizados que comprovam que colocar este tipo de jogos ao meio-dia traz estádios cheios, coloca famílias inteiras a ir ao futebol e depois a rumar às superfícies comerciais instaladas nos estádios dos clube para almoçar, para comprar um “recuerdo” do jogo e consequentemente para fazer girar o merchandizing dos clubes e a própria economia.

A moda Britânica já se alastrou a Espanha e a Itália. As Ligas Espanhola e Italiana, esta época, calendarizaram um jogo por semana de manhã. Tanto que há umas semanas vi o Real Sociedade jogar contra o Ahletic de Bilbao às onze da manhã e a Atalanta a jogar contra uma equipa que já não me ocorre à mesma hora em Itália.

Em Portugal, não temos nada disso. A não ser na 2ª liga, por necessidade dos clubes de facturar algum capital com as transmissões televisivas da Sporttv.

Pessoalmente, e em jeito de aparte, eu gosto de assistir jogos à noite. Mas cada caso é um caso…

O que se pode considerar facto é que a mentalidade do nosso futebol ainda não se encontra predisposta a ceder às mudanças da indústria e os jogos dos grandes continuam a realizar-se depois das dezoito horas no mínimo, quando dois grandes, por imposição, jogam no mesmo dia.

Para a tarde, estão sempre reservados os jogos entre equipas menores, os jogos não-televisionados. Só o Braga, actuando duas vezes às dezasseis horas da tarde, mudou esse paradigma esta época.

É certo que jogar à noite traz desvantagens. Principalmente no inverno, onde o frio tira pessoas do estádio, mesmo que o jogo seja no período temporal compreendido entre as catorze e as dezassete horas. Em dias de chuva, são raros os estádios dos jogos menores que ultrapassam as duas mil pessoas e em noites de chuva, até os grandes sofrem com a afluência de meia ou pouco mais de meia casa, ainda mais quando os jogos estão a dar pela televisão.

Que tal mudar as mentalidades do futebol português para bem da indústria que é o futebol? A Liga deveria urgentemente em pensar copiar os modelos das ligas de sucesso do futebol europeu e começar a pensar colocar em experimentação um jogo ao meio-dia por jornada para ver se a coisa toma o rumo do sucesso.

P.S: Este post surge na sequência do facto da liga espanhola ter dado luz verde ao pedido do Real Madrid de jogar contra o Osasuna no Bérnabeu ao meio-dia (11 horas em portugal) de domingo.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: