Dallas Mavericks 112-103 Miami Heat

Jogo fantástico na America Airlines Center em Dallas! No melhor jogo dos 5 jogos das finais da NBA até agora, os Dallas Mavericks colocaram-se em vantagem na série por 3-2 e podem decidir o campeonato caso vençam na madrugada de domingo para segunda os Miami Heat na Flórida.

Emocionante até ao minuto final, o jogo foi muito equilibrado à semelhança dos anteriores (muitas reviravoltas no marcador durante a partida) e ao contrário dos 4 jogos anteriores, a pontuação das duas equipas ultrapassou os 100 pontos e os jogadores suplentes de ambas as equipas tiveram tanto ou mais destaque que os titulares.

O equilíbrio e a eficácia mostraram-se logo presentes no 1º período, em que Miami fechou a vencer por 31-30. Apesar de um parcial de 21-14 favorável aos Dallas Mavericks a ponta final viria a sorrir aos Heat, comandados por um excelente período de Dwayne Wade que no final do período até teve de sair para os balneários com uma lesão na bacia depois de um choque em falta contra o suplente de Dallas Brad Cardinal. Wade voltaria no 2º período mas haveria de se ressentir da lesão e voltar aos balneários. Depois de algum descanso e de exercícios na companhia do preparador físico e do fisioterapeuta da equipa, voltaria a meio do 3º período para tentar resolver a partida para Dallas. Já Brad Cardinal deve ser mencionado a título de curiosidade pelo facto de ter sido novamente aposta de Rick Carlisle para o jogo exterior (onde a equipa de Dallas esteve completamente on-fire) relegando novamente Peja Stojakovic para a condição de não-utilizado na equipa Texana. Cardinal cumpriu a sua tarefa, marcando uns pontos e sobretudo, lutando contra os jogadores de Miami (houve ali uma parte em que teve picado com Juwon Howard, veterano de Miami que também saltou do banco para contribuir com 6 pontos).

No 2º período, com a ausência de Dwayne Wade a equipa de Miami ganhou mais no colectivo (talvez foi o único jogo em que a equipa funcionou como um colectivo). LeBron James e Chris Bosh iam aparecendo esporadicamente com um ou outro lançamento, mas no entanto o segundo período traria um Mario Chalmers bastante inspirado no lançamento. No lado de Dallas, o período foi claramente de Dirk Nowitzky (teve a particularidade de ter jogado o 4º jogo com 38,5º de febre) e de Jason Terry, que no final da partida seria extremamente decisivo. É neste segundo período que Terry faz um triplo quase inacreditável numa posse de bola, lançando de lado sobre pressão adversária e sobre pressão de tempo de ataque.

Ao intervalo, o equilíbrio era dominante, estando Dallas a vencer por 60-57.

No 3º período veio a chuva de triplos de Dallas e consequentemente a maior vantagem do jogo para a turma Texana na partida: chegaram a estar a vencer por 7, mantendo-se essa vantagem durante quase todo o período. O 3º período trouxe o brilhantismo do base porto-riquenho Juan Barea, ora no lançamento de triplos, ora em penetrações para o cesto em que enfrentava tudo e todos, ora no jogo de passe para os colegas, especificidade técnica onde Jason Kidd esteve uns furos acima daquilo que tinha feito nos jogos anteriores. 

No 4º período, Miami incomodou e de que maneira a equipa da casa. Houveram momentos em que Dallas desligou da partida e os Heat não só recuperaram no marcador como estabeleceram uma vantagem de 4 p0ntos a 4 minutos e meio do final. A partida estava balançada para a turma da Flórida até que apareceu (primeiro) um inspiradíssimo Jason Terry com um triplo a empatar a partida a 100 e depois um Jason Kidd a colocar os texanos com uma vantagem de 5 pontos (105-100) com outro triplos após uma incursão para o cesto bem sucedida do Alemão Nowitzky e 3 bolas desperdiçadas por LeBron James que apesar do triplo-duplo fez uma boa exibição para o colectivo mas não apareceu individualmente. Jason Terry acabaria por terminar a partida com  novo triplo.

A partir daí, os Heat desperdiçaram bolas e limitaram-se a fazer faltas para colocar os Mavs na linha de lance livre, que aproveitaram para fechar o jogo.

Individual e colectivamente:

– Do ladoi de Dallas, Dirk Nowitzky dividiu com Jason Terry e Juan Barea o estatuto de melhores jogadores da partida na minha opinião.

O Alemão esteve espectacular com 29 pontos e 6 ressaltos. Muito eficaz no lançamento (50% de eficácia de campo e 100% na linha de lance livre onde concretizou 10 pontos) seleccionou melhor os seus lançamentos e não teve medo do jogo interior quando achou que a selecção de jogadas assim o exigia.

O 6º de Dallas é uma máquina. Jason Terry é um jogador de excepção e faz-me lembrar outro grande jogador que há uns anos passou por Dallas: Jerry Stackhouse. São jogadores de excepção com uma técnica formidável, com um nível de eficácia no lançamento interior e exterior fantástico mas são jogadores que não são grandes vedetas da Liga porque ao longo da época tanto aparecem como desaparecem. Stackhouse tinha 1 jogo excepcional por cada 5 maus, mas aparecia sempre na altura das decisões. O mesmo se passa com Jason Terry. Marcou 21 pontos e ganhou 6 ressaltos. Desses 21 pontos, 3 foram de triplo numa eficácia nos lançamentos de campo de 8 em 15. Marcou triplos fenomenais como o da 1ª parte em que lançou todo de lado e no período onde os seus 2 triplos foram cruciais para a equipa de Dallas.

Juan Barea é outro jogador formidável. O pequeno base não se amedronta e vai à luta. Marcou triplos inacreditáveis e acabou o jogo com 17 pontos importantíssimos para a equipa. Além disso fez 5 assistências.

Jason Kidd e Tyson Chandler acabaram ambos com 13 pontos na partida. Como já tinha referido, o base fez uma partida acima daquilo que tinha feito nas anteriores. Marcou 13 pontos (não o deixem sozinho para lançar de 3) fez 6 assistências, esteve mais certeiro no controlo do jogo de ataque de Dallas onde partilhou tarefas ora com Barea ora com Terry. Tyson Chandler fez o jogo que lhe competia. Debaixo do cesto conseguiu 13 pontinhos, ganhou 7 ressaltos mas nos derradeiros minutos teve hesitações de atacar o cesto. Perdeu o combate na luta das tabelas contra Bosh e LeBron James mas lutou bastante.

Colectivamente, grande eficácia dos Mavs ao nível do lançamento com uma percentagem de 56,9% (39  em 69). Relativamente aos jogos anteriores, os Mavericks lançaram menos e concretizaram mais. Nos 3 pontos, foi um jogo à medida daquilo que a equipa de Rick Carlisle já nos tinha habituado nos playoffs, como por exemplo aconteceu na série contra os Lakers: alta eficácia com 13 triplos concretizados em 19 tentativas.

Na luta das tabelas, Miami venceu claramente: 42 ressaltos contra 32.

– Do lado de Miami, apesar da lesão durante o decorrer da partida, o melhor marcador voltou a ser Dwayne Wade. 23 pontos e 8 ressaltos. Se Wade não tivesse o problema que teve, talvez pudesse fazer muito mais pelos Heat.

LeBron James fez um fantástico triplo duplo (17 pontos10 ressaltos10 assistências) – Como já tinha referido, foi uma excelente exibição colectiva do astro de Miami, que pecou apenas por não ter assumido as suas responsabilidades nos minutos finais.

Chris Bosh voltou a fazer uma excelente exibição com 19 pontos e 10 ressaltos. Teve um excelente desempenho no lançamento (8 em 19).

Pela primeira vez, o banco de Miami conseguir fazer uma excelente partida. Mario Chalmers saiu do banco para marcar 15 pontos (4 triplos) Udonis Haslem fez 10 pontos e 5 ressaltos, Mike Miller fez 9 pontos (3 triplos) e até o veterano Juwon Howard marcou 6 pontos (ainda não tinha marcado qualquer ponto nestes playoffs). No total, os 2 jogadores do 5 incial (Mike Bibby e Joel Anthony) mais os 5 suplentes conseguiram marcar 44 dos 103 pontos da equipa da Flórida, factor único nos playoffs deste ano.

Colectivamente, ao nível do lançamento os Heat não tiveram muito atrás da eficácia de Dallas. Lançaram por 70 vezes e concretizaram 37 bolas. Ao nível do lançamento de 3 a diferença foi notória. Apesar da eficácia não ser má (8 triplos em 20 tentativas) os Heat concretizaram menos 5 bolas, uma diferença considerável que explica a vitória de Dallas (mais 15 pontos em triplos).

O jogo 6 realiza-se às duas da manhã da madrugada de domingo para segunda em Miami com transmissão na Sporttv. O jogo 6 será decisivo. A equipa de Dallas sagra-se campeã caso vença o jogo. A equipa de Miami precisa de vencer os dois jogos em casa para alcançar o tão almejado objectivo estabelecido para esta temporada.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: