Dallas Mavericks 86-83 Miami Heat

Ao 4º jogo da final, os Mavericks empataram a série 2-2.

Traçando um breve resumo sobre a partida, pode-se dizer que tivemos 4 períodos bem disputados entre as duas equipas, com a incerteza sobre o vencedor da partida a pairar até ao final.

Os Mavs a jogar em casa (depois de terem vencido um jogo fora e de terem perdido um jogo em casa) sabiam perfeitamente que uma derrota neste 4º jogo não acabaria com as suas hipóteses de chegar ao título (se vencesse Miami faria o 3-1) mas do ponto de vista psicológico, colocaria muitos entraves uma eventual reviravolta (o 5º jogo é em Dallas, o 6º e o 7º em Miami).

O jogo começou com um primeiro período equilibrado, que terminaria com as equipas empatadas a 21. Dirk Nowitzky e Chris Bosh começaram a todo o gás, marcando os primeiros pontos de ambas as equipas. Enquanto o Alemão limitou-se  a fazer as travessuras do costume (marcou os primeiros 6 pontos da equipa, desapareceu por completo da partida até ao último período onde pegou na bola e decidiu) o poste dos Heat fez um jogo bastante eficaz do ponto de vista do lançamento com 24 pontos (9 em 19 em lançamentos de campo).

A acompanhar Bosh esteve Dwayne Wade (32 pontos incríveis 13 em 20 em lançamentos de campo). Wade esteve muito bem no lançamento, aparecendo muitas vezes a finalizar debaixo do cesto. Já LeBron James fez um jogo muitos furos abaixo do seu potencial e daquilo que lhe é exigido. Com apenas 8 pontos (+ 9 ressaltos e 7 assistências) James não lançou muito (11 lançamentosalguma falta de confiança) e concretizou bastante pouco (apenas 3 lançamentos de campo em 45 minutos) – para além disso cometeu alguns turnovers (4).

Em todo o caso este jogo também se caracterizou pelo facto de ninguém do banco de Miami ter amenizado a falta de pontos de um dos seus elementos do big-three. Nos 83 pontos da equipa, 64 foram marcados pelas 3 vedetas.

O equilíbrio voltou a pautar o 2º período da partida, acabando os Heat por ir para intervalo com uma curta vantagem de 2 pontos.

O 3º período trouxe um maior domínio dos Heat. A turma da Flórida, inspirada pelo excelente jogo de Dwayne Wade chegou a ter uma vantagem de 9 pontos no 4º período. No entanto, duas belas jogadas de Jason Terry davam inspiração aos Dallas para lutar pelo campeonato.

Até que nos segundos finais, uma fase de valente confusão quando Dallas vencia por 2 pontos (nos últimos 3 minutos a bola teimava em não entrar nos 2 cestos) dava a oportunidade a Jason Terry de fechar a partida na linha de lance livre, após 10 pontos de Dirk Nowitzky no período.

O Alemão não esteve bem durante toda a partida. Depois de ter concretizado os primeiros 6 pontos da equipa desapareceu por completo da partida. Lançou muito e mal (6 em 19 em lançamentos de campo) e por 3 ou 4 vezes tentou o um para um contra Chris Bosh e acabou por perder a bola em drible para a defesa de Miami. Esteve muito eficaz na linha de lance livre (9 em 10) onde desiquilibrou o resultado para Dallas.

Jason Kidd também não se exibiu ao nível que a equipa pretende dele. O base falhou muitos passes, cometeu muitos turnovers (4) e não concretizou um único ponto (0-3 em lançamentos de triplo).

Shaun Marion e Tyson Chandler voltaram a ser decisivos para a turma de Dallas. O primeiro com 16 pontos, aproveitou as falhas defensivas do seu marcador directo (LeBron James) para concretizar bolas um tanto ou quanto bizarras do ponto de vista técnico. O poste fez o que lhe competia. Lutou debaixo das tabelas contra Bosh, Anthony ou Haslem. Se na primeira parte perdeu muitos ressaltos principalmente na defesa, na 2ª parte Chandler foi importante a ganhar ressaltos ofensivos (9 ressaltos ofensivos7 defensivos) para depois fazer a tapinha e acrescentar aos 16 ressaltos, 13 importantíssimos pontos.

Jason Terry saiu do banco para ser a alma que a equipa precisava para vencer. Terry não esteve bem até ao último período. No 4º, apareceu com 2 jogadas magníficas quando o marcador já descambava o jogo para o lado de Miami. Não esteve brilhante no lançamento (6 em 15) mas acabou o jogo com 17 pontos. Quem também saiu do banco para assumir um papel importante foi DeShawn Stevenson. Relegado para o banco por troca com Barea (o porto riquenho concretizou 8 importantes pontospoderia ter feito mais qualquer coisa em 3 lances onde fez tudo bem excepto o lançamento) o baseextremo entrou para concretizar 3 triplos importantíssimos para colocar Dallas em cima da vantagem de Miami.

Concluíndo, o jogo também fica marcado pela extrema ineficácia das equipas ao nível de triplos. Ao todo, Dallas lançou da linha de 3 pontos por 19 vezes concretizando 4 e Miami apenas concretizou 2 em 14 lançamentos. Algo atípico tendo em conta a qualidade dos lançadores das duas equipas.

Não foi um jogo bem jogado. As equipas demonstraram muito nervosismo durante toda a partida e sentiram a pressão na hora das decisões. Neste jogo, jogou-se mais com o coração e acabou por vencer uma equipa de Dallas que teve jogadores mais capazes de escolher bem as suas jogadas e o sítio dos seus lançamentos.

O 5º jogo disputa-se na madrugada de quinta para sexta e marca a despedida das finais de Dallas.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: