NBA playoffs

Pequena antevisão da 1ª ronda dos playoffs da NBA:

No momento em que escrevo este post, os meus Bulls jogam o primeiro jogo da série contra Indiana.

Cruzamento da Conferência Este:

Chicago Bulls (1º) – Indiana Pacers (8º)
Miami Heat (2º) – Philadelphia (7º)
Boston Celtics (3º) – New York Knicks (6º)
Orlando Magic (4º) – Atlanta Hawks (5º)

Na série que opõe Chicago Bulls e Indiana Pacers, antevejo uma vitória fácil para Chicago. Será uma vitória 4-0 ou no máximo 4-1. Apesar do facto de Indiana ser uma equipa incómoda para Chicago (foi a única equipa da divisão central que bateu os Bulls) creio que a diferença de potencial é notória a todos os níveis entre as duas formações, assim como a diferença de objectivos nestes playoffs. Enquanto Chicago com todo o seu potencial, luta (pelo menos) pela chegada às finais, Indiana apurou-se para os playoffs (como lhe cumpria) sabendo que efectivamente não têm potencial para se bater taco-a-taco com as 5 melhores equipas da conferência.
Darren Collison e Danny Granjer serão peças chaves para Indiana, enquanto Derrick Rose, Carlos Boozer, Joakim Noah e Luol Deng farão de tudo para resolver a eliminatória para o lado de Chicago que terá sempre direito a 7º jogo em casa.

Os Heat também terão uma tarefa simples para eliminar os Sixers. Nesta série, a turma de Miami teve direito a defrontar mais frágil das equipas apuradas para os playoffs. Como tal, antevejo um 4-0. André Iguodala e Elton Brand estão a jogar bem, mas não serão capazes de colocar um ponto final na ambição do big-three da turma da Flórida.

Interessantes serão os duelos entre Boston e Knicks e entre Orlando e Atlanta.
Se no duelo entre 3º e 6º da conferência, as forças equivalem-se: será o Big-three de Boston contra Carmelo Anthony, Chauncey Billups e Amare Stoudamire, com a agravante do facto de Boston não só ter jogado mal nos últimos jogos da fase regular como a equipa se ter fragilizada com as trocas feitas há uns meses atrás.
Com a troca de Carmelo Anthony, New York ganhou um homem para resolver jogos e um base bem rotinado nestas andanças (Billups) mas por exemplo perdeu dois bons jogadores de equipa (Felton e Gallinari) que em muito tem ajudado Denver.
Boston terá que contar com as boas exibições daqueles que usualmente não falham neste tipo de jogos: Paul Pierce, Kevin Garnett, Ray Allen e Rajon Rondo. Glen Davis e Jeff Green também poderão ser cartas valiosas ao dispor de Doc Rivers. Antevejo uma série bastante renhida que Boston vencerá por 4-2 ou 4-3.

No duelo entre Orlando e Atlanta, Orlando vencerá por 4-1 ou 4-2. Apesar do facto da turma de Atlanta ter homens como Joe Johnson, Al Hortford ou Josh Smith, prevalecerá a técnica e a experiência de homens como Hedo Turkoglu, Jason Richardson, Jameer Nelson e Dwight Howard.

Cruzamentos Conferência Oeste:

San Antonio Spurs (1º) – Memphis Grizzlies (8º)
Los Angeles Lakers (2º) – New Orleans Hornets (7º)
Dallas Mavericks (3º) – Portland Trail Blazers (6º)
Oklahoma City Thunder (4º) – Denver Nuggets (5º)

A série entre San Antonio e Memphis será engraçada. Por um lado, San Antonio é uma equipa que nos habitua a fazer excelentes temporadas regulares para depois baquear nos playoffs. A equipa da turma do Texas foi perfeita. Dominou desde o início a sua conferência, vindo a cair de rendimento no final muito à custa da lesão de Tim Duncan. Conta com uma experiência inigualável no seu plantel (Duncan; Ginobili; Parker; McDyess) e com uma juventude bastante interessante a secundar (Gary Neill; Tiago Splitter – não coloco DeJuan Blair neste saco pois não lhe reconheço qualidades enquanto jogador) factos que podem ser decisivos nestas andanças.
Do outro lado Memphis faz a sua primeira aparição nos playoffs desde a criação do franchising da equipa. Longe vão os tempos em que por lá andava Pau Gasol. No entanto há Rudy Gay, Shane Battier, Marc Gasol (irmão de Pau), e Zach Randolph, jogadores de qualidade e com bastante experiência na Liga.
Antevejo um 4-1 ou um 4-2 para os Spurs.

Os Lakers não terão grande dificuldade em bater os Hornets. Os Lakers, balançados pela sede de vitória dos seus líders (Bryant e Gasol) quererão renovar os seus títulos. A qualidade e as soluções no plantel de Los Angeles são mais que muitas tendo em conta um adversário que ficou orfão de um dos seus melhores jogadores: David West. Será portanto Chris Paul contra a armada de Phil Jackson, facto que me faz antever um 4-0 desiquilibrado em todos os jogos da série.

Os Dallas Mavericks sofrem exactamente do mesmo problema dos Spurs: excelentes fases regulares; maus playoffs. O segredo de Dallas continua a assentar na veterania da equipa: Jason Kidd e Dirk Nowitzky. A secundá-los estarão Barea, Caron Butler, Tyson Chandler, Jason Terry, Peja Stojakovic e Shaun Marion, ou seja, soluções para todos os tipos de tácticas e para todas as vertentes do jogo (jogo interiortiro externo).
Do lado de Portland prevê-se uma equipa aguerrida, que não venderá barata a derrota.

No duelo entre 4ºs e 5ºs classificados, será um duelo equilibrado. Denver perdeu Carmelo e Billups, mas como referi anteriormente ganhou dois bons jogadores de equipa: Felton e Gallinari. Os dois, vindos de Nova Iorque, tem vindo a jogar muito bem. Oklahoma contará decerto com as prestações de Westbrook, Ibaka e Kevin Durant, que a bom da verdade são 3 belíssimos jogadores que dão uma certa graça de futuro aos homens do estado de Oklahoma.
Neste duelo, também há que atender que esta é a primeira vez que todos os nomes que enunciei jogam os playoffs.
Antevejo a vitória de Oklahoma na série por 4-2 ou 4-3.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

2 thoughts on “NBA playoffs

  1. jose diz:

    Olha que phil teve muito bem contra miami. miami na minha opinião é uma equipa que pode jogar muito bem e muito mal, não vejo muita regularidade nela, não é uma equipa em que vá apostar. Chicago com o rose a jogar como está, não tem muito que se preocupar.
    Agora Orlando tem que se preocupar, não podem esperar que o howard(46pts!) faça tudo, acho absurdo um jogador como o richardson no primeiro jogo dos playof marcar 4 ou 6 pontos, acho que a equipa está mal equilibrada, e mesmo no banco não tem alternativas crediveis.
    Já dallas é difícil, depende de como jogarem, já que os blazzer têm uma equipa fantástica, aquele wallace encaixa que nem uma luva, e se o brandon roy saltar do banco a jogar bem, cuidado.

    Os spurs vai ser interessante, porque nem o ginobli está a 100% nem o duncan, já menphis tem uma equipa muito boa, mas acho que spurs não vai falhar, tal como os lakers não irão falhar, que até a brincar podem ganhar este jogo.

    De resto acho que interessante mesmo vai ser os denver a jogar e ver como boston está, eu não acredito que boston falhe, mas falta-lhe o posto perkins cuja saida ninguem conseguiu colmatar…

    fica bem

  2. João Branco diz:

    Zé,

    Vi os dois jogos e presto-me a postar de seguida o jogo dos Bulls, que foi (como te disse) um “ai jesus” até ao final. Se não fosse aquele triplo do Korver e aquela exibição portentosa do Rose, já estaria 0-1 na série.
    Na edição de hoje do Jornal Record (não sei se tiveste oportunidade de ler as declarações) o Danny Granger (que fez um belíssimo jogo em parceria com o Collison) afirmou que o Rose é como uma ex-namorada: quando pensamos que a afastamos, ela volta sem pedir licença.

    But, as the american say “afterall, there is no big deal on this challenge”

    Quanto ao jogo de Miami: Philadelphia surpreendeu-me naquele primeiro período, como porventura te deverá ter surpreendido. Fizeram uma excelente entrada. Depois veio o poderio do big-three de Miami, bem acompanhados pelo Jones e pelo Chalmers. Continuo a dizer que a equipa de Miami ficou mal servida com a entrada do Mike Bibby – é um grande jogador, mas creio que não veio acrescentar nada ao jogo deles.
    No final, veio ao de cima a dificuldade que Miami tem em fechar jogos, dificuldade essa que será imperdoável caso joguem contra Boston nas meias-finais ou contra os Bulls na final de conferência. O James continua super individualista e super irregular: um ou outro período de excelência, pelo menos dois períodos em que só faz asneiras.

    Pelo que vi da série de Orlando contra Atlanta, constatei a primeira surpresa: jamais achava capaz que Atlanta fosse ganhar a Orlando. Incrível (como referes) também foram os 46 pontos de Dwight Howard e a soma de pontos do Howard com o Jameer Nelson: 73 dos 99 pontos da equipa. Realmente, não esperem que o Howard mantenha uma produção tão alta (mais que os 46 pontos são aqueles 19 ressaltos – números impressionantes para quem perdeu o jogo). Para Orlando voltar a sorrir, o Turkoglu, o Brendon Bass, o Richardson e o Arenas tem que contribuir bem mais daquilo que contribuíram esta madrugada.
    Atlanta fez um jogo bem distribuído: o Johnson e o Crawford foram os melhores marcadores, mas tanto o Hortford, como o Smith como o Kirk Hinrich fizeram partidas bem interessantes do ponto de vista do lançamento.

    Dallas venceu o primeiro jogo. 89-81. Como disse no post, reafirmo que Portland é uma equipa com qualidade que não venderá barata a passagem aos Mavs. No entanto, deslumbram-me as soluções a todos os níveis que o Mavs têm ao seu dispor.

    Hoje é a vez de Spurs e Lakers confirmarem as suas credenciais. Creio que ambos passarão incólumes a esta primeira ronda. BostonKnicks, ando doido para ver esta série e para ver o real potencial das duas equipas sob pressão. Quanto a Denver, tem ali uma aposta de futuro, mas creio que os miúdos de Oklahoma serão mais fortes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: