Estou a gostar

A 19 de Setembro, escrevia eu neste blog algumas palavras elogiosas em relação a Paulo Bento, poucos dias antes da sua contratação como seleccionador nacional.


Transcrevendo as minhas palavras nesse ponto, reforço a minha ideia sobre o seleccionador nacional: “Paulo Bento conhece bem a casa, conhece bem as pessoas e é um treinador que gosta de apostar em jovens. É um homem correcto, educado e sincero. É objectivo e não gosta de fazer muitas experiências quando se tratam de jogos a doer. Quer vencer.”

Volvidos alguns meses desde a feitura desse post, não retiro uma única frase sobre o seleccionador nacional. Tendo sido eu um enorme crítico de Paulo Bento na era Sporting, na Selecção, estou a adorar o seu trabalho.

Desde o início da era Scolari que não vejo esta selecção a jogar tão bem. Com um grupo de jogadores que Queiroz transformou numa autêntica tortura, temos agora uma verdadeira selecção, se bem que a lacuna de um matador continua a persistir.

Nestes primeiros jogos da éra Paulo Bento, tem-se notado um futebol que difere dos seus antecessores. A defesa está mais acertada, o meio-campo (sem Pepe e sem Tiago!) consegue ser musculado com a presença de Raúl Meireles na defesaataque, assertivo na distribuição de jogo com o futebol da dupla do Porto Rúben MicaelJoão Moutinho, e amplo com a qualidade de passe de Carlos Martins, fazendo a sincronia perfeita para a magia de Fabio Coentrão à esquerda e Quaresma à direita, que hoje fizeram esquecer que por estas bandas existe Cristiano Ronaldo.

Na frente continua o mesmo problema. Hugo Almeida dispõe de imensas bolas para marcar mas não aproveita. Postiga é muito esforçado mas não é um matador por excelência, numa selecção onde Lièdson já não conta e onde um avançado matador procura-se desde a saída de Pauleta. (não considero Nuno Gomes um matador mas sim um avançado bastante profícuo a jogar de costas para a baliza com a linha do meio campo)

É portanto uma selecção diferente, a jogar um futebol mais alegre do que aquele que era praticado pela selecção de Queiroz. Para além de perdedor, Queiroz é um infeliz. Só um infeliz cujo currículo marca apenas duas vitórias menores enquanto treinador principal (um campeonato de sub-20; uma taça de portugal pelo Sporting) pode falar pelo nome de Carlos Queiroz. Como sabemos, Pepe não é flor que se cheire: foi castigado uma vez por uma agressão bárbara a um jogador do Getafe e ainda há poucas semanas cometeu uma agressão na Liga dos Campeões que me arrepiou todo. No entanto Queiroz é o apanágio do ditado que diz que “pela boca morre o peixe”: nessa perspectiva, Queiroz já morreu há muito tempo e Queiroz”es” existem muitos no futebol português.

Paulo Bento pode até nunca ganhar nada com esta selecção. A qualidade doida de selecções por esse mundo fora é abismal. Todavia, para mim Paulo Bento já fez mais em poucos meses do que Queiroz em dois anos: já constituiu uma selecção. Tal facto já constitui um ponto extra para quem um dia critiquei arduamente no meu clube e que perante a situação actual do clube me arrependo de ter criticado porque de facto ainda lá faz muita falta.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , ,

One thought on “Estou a gostar

  1. Cláudia diz:

    Concordo e assino por baixo. 😀

    E também me lembro de o ter elogiado nesses posts de Setembro axo eu.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: