Oscars 2011

Como já tinha escrito aqui a propósito da vitória de Colin Firth nos BAFTA, Colin Firth mereceu a estatueta. A sua brilhante interpretação em “O Discurso do Rei” vem colmatar uma série de grandes interpretações do Britânico. Faço menção de incluir a interpretação com que já nos tinha brindado em “Love Actually”, apesar de efectivamente esse filme não ser nada de extraordinário.

Quanto ao melhor filme, aceita-se a vitória do “Discurso do Rei”. Na minha opinião pessoal e considerando que vi 8 dos 10 filmes a concurso, creio que a vitória também assentaria na perfeição a “Black Swan”. Pela interpretação de Natalie Portman, pela graciosidade do argumento e pelo imenso “thrill” que o filme dá a quem o visualiza. “The Kids Are All Right” também é um excelente filme assim como “127 Days”. Pelos menos esses 4, mereceram o estatuto de nomeado.

No concurso de melhor realizador, Tom Hooper levou a melhor sobre David Fincher e sobre “The Social Network” – lembro-me perfeitamente que aqui http://joaorbranco.blog.com/wp-admin/post-new.phpquando escrevi uma pequena crónica do filme, apareceram logo vozes que me criticaram em relação ao desempenho de Fincher. A entrega das estatuetas acabaram por me dar razão – Fincher não mereceu o Oscar e “The Social Network” é na minha opinião o pior trabalho de um realizador que já nos brindou com uma pérola como “Fight Club” – aquele filme que é o filme da vida de muito boa gente.

“A Origem” foi buscar 4 estatuetas – Fotografia, Mistura de Som, Montagem de som e efeitos técnicos. Como a minha cara amiga Ana Margarida Mateus referiu numa postagem no facebook, os comentadores da TVI consideraram o filme como “um filme é um blockbuster intelectual”. Não gostei de tamanha depreciação. Dos filmes a concurso, “A Origem” é essencialmente o melhor filme do ponto de vista técnico e tem um argumento que é pura e simplesmente fantástico. Não é merecedor da categoria melhor filme ou melhor realizador, mas, merece os 4 galardões que recebeu nas categorias técnicas.

As categorias de melhor actor secundário passo à frente. Não analisei muito bem as prestações dos actores e actrizes nomeados. Quanto ao melhor filme estrangeiro, tenho-o aqui no PC, mas não tive tempo de o ver assim como não tive tempo de ver os outros 4 a concurso.

“Toy Story 3” levou o melhor filme de animação e melhor canção – merecidos.

“Inside Job – A verdade da crise” é fantástico e merece sem dúvida o galardão de melhor documentário. Recomendo que o vejam!

A melhor banda sonora original também foi bem entregue a “The Social Network” – Esqueci-me de referir na sua crónica que a banda sonora é um dos únicos pontos a favor do filme. Foi feita por Trent Reznik dos Nine Inch Nails e é pura e simplesmente sublime.


Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: