Beira-Mar 0-1 Portimonense

A exibição do Beira-Mar ontem no Estádio Municipal de Aveiro frente ao Portimonense é o reflexo da intranquilidade que se viveu no clube nesta semana que passou.

A equipa do Beira-Mar entrou em campo frente a um Portimonense que aliado ao último lugar da Liga, não vencia desde o dia 26 de Setembro, ou seja, desde o jogo contra o Beira-Mar em Portimão. Para aqueles que se deliciam com pormenores estatísticos, esta vitória do Portimonense marcou a primeira vitória de Carlos Azelha na Liga enquanto treinador principal.

Com esta derrota, o Beira-Mar está a colocar-se a jeito. Se Leonardo Jardim frisou na conferência de imprensa posterior ao jogo que o Beira-Mar ainda goza de alguma tranquilidade em relação aos clubes que estão a baixo da linha de água, caso a Naval vença hoje, coloca-se a 8 pontos da nossa equipa.

Pior que esse facto é mesmo o facto do Beira-Mar estar precisamente há 3 jogos na possibilidade de efectuar os 27 pontos que lhe garantam “virtualmente” a manutenção na Liga e não aproveitar os jogos teoricamente “do nosso campeonato” para efectivar essa marca. Quem não mata, morre.

Ontem, frente ao Portimonense, vi um Beira-Mar a entrar em campo demasiado relaxado. Como se já tivesse o seu campeonato feito e não houvesse qualquer ambição em querer subir na tabela classificativa. Faço meus os comentários que ouvi na Rádio Terranova – o Beira-Mar parece a esta altura da época uma equipa desorganizada, incerta e dotada de uma direcção que parece estar a “desmontar a tenda” com base numa ilusão que a época está terminada ao nível de objectivos. Falsa ilusão.

O Beira-Mar executou uma péssima primeira parte. A pior primeira parte da época. Juro, que a primeira parte da equipa não parecia vir de uma equipa que nos encantou na 1ª volta do campeonato. Na 2ª parte, o Portimonense marcou (no único lance em que Rui Rego teve efectivamente culpas) e a equipa passou de uma situação de “descontracção” para uma situação de “nervosismo imanente” e “descontrolo emocional” – nervosismo esse que redundaria por exemplo no enorme falhanço de Wang Gang na linha de golo, um dos maiores falhanços que vi esta época senão o maior.

Esse desconcerto é obviamente marcado por alguns factores que aconteceram durante esta semana:

– O primeiro, obviamente, foi a venda de Ronny a uma equipa Chinesa.

Neste primeiro ponto, revelo como oportuno um comentário que fiz aqui no Bancada Norte a meio da semana. Parafraseio-me no intuito de revelar a minha opinião sobre este negócio: ” Creio que as informações que foram prestadas pela direcção em relação à transferência do Ronny (pagamento de uma compensação financeira cujos boatos apontam ao pagamento de uma quantia a rondar os 100 mil euros) são um tremendo barrete. Não estou a ver qualquer equipa da China, do Bangladesh ou do Djibuti a dar compensações financeiras por um jogador que terminava contrato em 4 meses a mais do que aquilo que ele iria receber até ao final do contrato.

É preciso tirar a limpo essa história.

Sem falar que desportivamente foi mais um mau passo dado pela direcção. Denota falta de ambição para o que resta desta época e para a próxima. Se com a saída do Rui Varela, Ronny (até à aquisição de Dudu) era o único ponta de lança do plantel e a direcção do Beira-Mar “viu-se negra” para contratar outro, até ao final da época resta um avançado que vem claramente desrotinado do Brasil tanto ao nível de forma como ao nível de encadeamento com os processos de jogo da equipa. Tenho lido por aí pessoas a dizer que o Wilson, o Wang e o Élio podem colmatar a saída. Nem pensar. São extremos, não avançados.”

– O 2º ponto que corrobora o desconcerto que se vive actualmente no clube prende-se obviamente com o futuro do treinador Leonardo Jardim.

Anteontem, surgiu uma notícia que o treinador está a caminho de Braga com um acordo formal estabelecido com o FC Porto. Pessoalmente, não creio que Leonardo Jardim embarque neste tipo de esquemas, que de imediato foi considerado como uma “imbecilidade” por Pinto da Costa; no entanto, nada me espanta que hoje Leonardo Jardim afirme que vai sair do Beira-Mar no final da época, como já foi admitido publicamente pelo Presidente António Regala. Não consigo perceber no entanto, porque é que a comissão administrativaactual direcção não foi capaz de apresentar a proposta de renovação ao treinador há alguns meses atrás, na euforia dos bons resultados alcançados pela equipa – creio que caso a proposta de renovação tivesse sido apresentada em Outubro ou Novembro, Leonardo Jardim assinaria.

Neste ponto, o clube fica novamente a perder. Caso eventualmente se tivesse renovado com Leonardo Jardim e caso este saísse efectivamente para outro clube, o clube poderia encaixar algum dinheiro com a desvinculação do treinador. Na actual situação, o treinador termina contrato e sai a custo zero. O Beira-Mar revela-se profícuo em deixar sair toda a gente em saldos.

– Um 3º ponto, também ele de vital importância, prende-se com o facto de 16 jogadores do plantel actual se encontrarem com futuro incerto. O Beira-Mar tem neste momento 8 emprestados de outros clubes e 8 jogadores que terminam contrato no final da época. De modo a assegurar estabilidade para a próxima época, a direcção já deveria começar a mexer os seus contactos de modo a aproveitar quem é de aproveitar para a próxima época. Um jogador que se encontra com futuro incerto na sua carreira profissional é um jogador intranquilo e completamente desleixado com o que falta jogar desta época.

Só a direcção do Beira-Mar não parece elucidada destes factos.

E está claro, perante todos acontecimentos, não se pode pedir que a equipa tenha rendimento nas partidas. Como Carlos Teixeira da Rádio Terranova frisou e bem, o jogo de ontem frente ao Portimonense foi o espelho das decisões que tem sido tomadas ao nível directivo e ao nível técnico.

Hoje, Leonardo Jardim anuncia a sua decisão. Não tenho muitas esperanças que fique. Infelizmente, vai terminar um ciclo de ouro para o Beira-Mar, quando todos nós detinhamos um sentimento de especial afecto pelo seu trabalho e um sentimento de esperança em relação a um futuro risonho para o clube.

Os próximos dias revelarão o futuro do clube. Não creio que a direcção seja opaca ao ponto de continuar passiva perante os problemas que tem em mão.

Para finalizar, peço desculpa a todos os sócios e simpatizantes que eventualmente possam discordar com a minha opinião. Mais que uma simples opinião, este post representa um desabafo meu em relação à actual situação do clube.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,

3 thoughts on “Beira-Mar 0-1 Portimonense

  1. NQM diz:

    Também concordei, totalmente, com a análise do Carlos Teixeira no final do jogo.

    Um abraço.

  2. Ruben diz:

    Isto está negro João, mas talvez mais 6 pontinhos cheguem e estão perfeitamente ao nosso alcance

  3. João Branco diz:

    Depois do que se passou durante a semana passada, durante o jogo de hoje e durante o dia de hoje em que Leonardo Jardim aproveitou para deitar mais uma acha na fogueira, já não digo nada sobre o resto de época que teremos pela frente.

    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: