Rikers Island

Este vídeo é a 1ª parte de um documentário feito pela NBC para a mais perigosa prisão de Alta-Segurança do Estado de Nova Iorque. Clicando no vídeo, poderão ver as outras 4 partes da prisão que poderá ser o destino de Renato Seabra caso amanhã seja condenado pela Justiça Norte-Americana a prisão perpétua.

Rikers Island é uma prisão de Alta-Segurança, conhecida por ser bastante frequentada por gangsters de várias etnias e pelos ajustes de contas que as próprias “famílias do crime” fazem dentro da prisão. É uma das prisões mais sangrentas dos Estados Unidos, motivo que levou por exemplo que certos detidos apenas tenham direito a sair 1 hora por dia da sua cela.

O julgamento do assassino de Carlos Castro é já amanhã. A defesa do jovem Português pretende que ele se dê como inocente mesmo após as confissões que o jovem fez à Polícia nos dias que se seguiram ao crime. As fontes de comunicação social dizem que o advogado de Renato Seabra deverá tentar efectuar uma defesa baseada na insanidade do jovem no momento do crime.

Anúncios
Com as etiquetas , , , , , , , ,

21 thoughts on “Rikers Island

  1. Nelson diz:

    Pode ser uma Prisão de Alta-segurança e frequentada por gangsters de várias etnias, mas, não é lugar para estar uma pessoa que possa ou sofre de problemas psicológicos. Renato Seabra deveria ser escoltado para uma casa com indivíduos que sofram de problemas mentais. E digo isso, porque errar é humano e Renato pode ter cometido este crime em acto de defesa, ou seja, hoje em dia quem é o indivíduo que não quer estar ao lado de outro indivíduo que tenha boas posses financeiras? Não fiz nenhum cálculo, mas de 10 indivíduos, 1 indivíduo nao tem esse interesse. Carlos Castro como era um cronista de posses financeiras, Renato Seabra teve esse proveito de juntar se a ele para subir na vida, mesmo sabendo que Carlos Castro era uma pessoa que gostava da Fruta que a Mulher(Hetero) gosta. Como referi, Renato pode ter se defendido no dia que cometeu o homicídio, “Foi encurralado no canto da parede”, viu que nao tinha maneira de se “Libertar”, teve um ataque violento de pânico e defendeu-se, que até o matou. O ser Humano só conhece os seus extremos até ao dia que acontecer e esse foi o dia de Renato.

    Ps: Não estou aqui para defender ninguém, simplesmente gosto de argumentar o que penso e criar discussões.

  2. Fátima diz:

    Acho desumano enviar para uma cadeia destas, conhecida pela violência, uma pessoa que acaba de sair de um hospital psiquiátrico e que ainda nem julgada foi.
    Espero sinceramente que o Renato aguente firme, não vai ser fácil.
    O Renato deveria ser absolvido, ele não é um criminoso. Ele chegou a uma situação extrema provocada pelo próprio CC.Concordo com as palavras do Nelson, não vou estar a repisar.
    Se for condenado, que seja por homicidio involuntario e venha cumprir pena a Portugal.
    Não concordo nada que os condenados cumpram pena fora dos seus países.Não terão eles direitos também?É desumano atirar com um miúdo para uma cadeia horrível daquelas, longe da família e dos amigos.Poucas visitas irá ter, os amigos nem lhe podem mostrar o seu afecto e apoio psicológico.Alguém devia fazer alguma coisa…não se deixa um miúdo assim abandonado a si próprio sem qualquer tipo de ajuda.Boa sorte Renato.

  3. Migas diz:

    Eu também concordo. Penso que o Renato deve cumprir pena pelo que fez. Mas colocarem-no numa das mais perigosas prisões que existe, é um extremo. Não me parece que ele seja um assassino ou que tenha internções de matar mais alguém. Apesar do crime horrivel que cometeru, acho que poderia cumprir pena numa prisão de mínima segurança.

  4. Andre diz:

    Oh Nelson ….
    compreendo tudo o que disseste! Errar é humano etc etc etc … mas uma pessoa encurralada a um canto não pode cometer o crime que ele cometeu! Os pormenores do crime não são compatíveis com a tua frase:

    Foi encurralado no canto da parede”, viu que nao tinha maneira de se “Libertar”, teve um ataque violento de pânico e defendeu-se, que até o matou.

    Estás a esquecer-te dos pormenores macabros?!?

    Quem se defende no máximo empurra, esmurra,

    Não usa um saca rolhas … e ainda mais com o outro já morto!

  5. Reinaldo Gallindo diz:

    Acho que ele (o Renato) vai ter o que merece, tudo foi premeditado com requintes de crueldade… Ele comeu a fruta e chupou o caroço… foi frio, maldito, espero que ele sofra todo o horror que fez o Carlos Castro passar… que se foda em Rikers Island, porque se fosse cá, ficaria impune para cometer outros crimes, adeus Demónio!!!!!!!!!!!

  6. João Branco diz:

    Respondendo a todos os comentários:

    Defendo a extradição. Tirando todos os pormenores sórdidos do assassinato e todas as causas que levaram Renato Seabra a cometê-lo (sim porque somos humanos), cada vez mais defendo que a justiça norte-americana deveria extraditá-lo de modo a ser julgado no seu país. Isto porque embora o crime tenha sido cometido em território norte-americano, envolveu dois cidadãos de nacionalidade portuguesa. O problema (porque há sempre um mas a meio das premissas) é que um dos objectivos da justiça norte-americana é julgar como modo preventivo à sociedade. Os tribunais norte-americanos julgam qualquer pessoa com o intuito de fazer transparecer categóricos morais de conduta aos seus cidadãos e fazer transparecer sanções pesadas a quem viole esses categóricos.

    Confesso que quando coloquei este vídeo, coloquei-o a pedido de um grande amigo meu que é amigo próximo do Renato Seabra. Para que os Portugueses tenham uma pequena noção de como é a América e de como é o reverso da medalha da justiça Norte-Americana. Colocar um pobre jovem português numa cadeia como Rikers Island é o mesmo que condená-lo à morte nos próximos meses ou a uma vida em cativeiro cheia de problemas psiquiátricos. Carlos Castro, apesar da morte horrenda, não detém esse valor na medida em que Renato Seabra poderá sofrer nesta cadeia.

  7. Calincas diz:

    O Renato Seabra vai ser a nova Puta da prisao…. Queria subir na vida á pala de um Gay, agora sobre as conseguencias…. Devia ter pensado nisso antes de se meter com ele…
    Quer dizer, querem ser figuras publicas e tudo fazem pela fama, e depois nao querem sofrer as conseguencias ?

    Prisao de alta segurança e que fique la muitos anos. Ele sabia o que o carlos Castro era gay e sabia muito bem onde se estava meter, enrabou o velho e foi enrabado, agora sobre na cadeia, bem feito.

  8. Marta diz:

    Concordo que os actos de Renato Seabra foram horrendos e desomanos,mas tambem ninguem sabe em que circunstancias psicologicas estes foram praticados.
    Temos de ser realistas,qualquer pessoa neste mundo tem ambiçao,quem nao gostaria de “ser” superior ao que e?quem nao quer subir na vida?Renato queria isso mesmo,e el tinha merito proprio para ser “alguem”apenas lhe faltava contactos e alguem que o ajudasse a integrar-se no mundo da moda.
    Ele viu no CC um interveniente que o poderia ajudar no seu sonho,mas o que cc pedia em troca era um preço bastante alto,Renato nao aguentou mais toda aquela pressao,todo aquele fingímento de se fazer passar por quem realmente nao era e agiu inconscientemente.
    vamos ser racionais,se ele tivesse premeditado o crime,el pensava nas consequencias,e qual e o jovem que com uma vida pela frente como Renato iria deitar tudo a perder???
    So espero que ele consiga ter força e coraguem para enfrentar e superar esta ma face da sua vida.

  9. bernardo diz:

    Queriam q ele viesse para Portugal talvez……Para Monsanto talvez…Para em 10 anos estar em casa…Talvez.
    Ele é um bárbaro assasino. PONTO!
    E os outros milhares que estão em Rickers? Não terão tb família? As suas atenuantes? Quantos estarão lá que lá no fundo são óptimas pessoas?
    Deixem-se de tretas…..25 parece-me muito muito bem..

  10. gaz diz:

    Convém referir que Renato não irá ficar junto dos criminosos mais violentos até ser porventura condenado, a visualização do documentário esclarece isso.

    Quem entra num país que não o de sua naturalidade fica sujeito às suas leis. No governo civil onde nos dirijamos para pedir o passaporte, poder-nos-ão informar dos nossos direitos enquanto cidadãos estrangeiros de visita a um país.

    Com todo o respeito ao dono do blog mas a sua concepção da lei e a sua concepção do justo ou desejável são em tudo alheias à realidade.

    Agradecido pelo documentário, bem haja.

  11. Maria Dias diz:

    «Colocar um pobre jovem português numa cadeia como Rikers Island é o mesmo que condená-lo à morte nos próximos meses ou a uma vida em cativeiro cheia de problemas psiquiátricos. Carlos Castro, apesar da morte horrenda, não detém esse valor na medida em que Renato Seabra poderá sofrer nesta cadeia.»

    O «pobre jovem português» é invariavelmente apresentado como «modelo» e parece que foi para singrar a esse nível que se «colou» a uma pessoa que tinha condições para ajudá-lo a conseguir. Portanto o «pobre jovem português» tinha noção do que desejava e do que era necessário fazer para conseguir atingir o que desejava: oferecer-se como objecto sexual a um homem conhecido pelas suas características ou preferências sexuais.
    Entretanto, podem ter acontecido muitas coisas. Não as conhecemos, não podemos opinar. Mas, atendendo aos factos relatados, o «pobre jovem português» aproveitou as ajudas e serviu-se da suposta paixão que o outro sentia por ele. Por isso, os acontecimentos fatais e fatídicos aconteceram em Nova Iorque e não em Lisboa ou no Porto: ele foi de férias com o suposto amigo ou amante, usufruiu de qualidade de vida e mais: partilhou o quarto com aquele de quem, afinal, se queria aproveitar. Partilhamos o quarto com quem? Com pessoas íntimas, com pessoas de confiança. Portanto, o agora morto, confiava no seu amante ou amigo, a ponto de o colocar no próprio quarto, na própria cama.
    A certa altura, o «pobre jovem português», por razões que só diminutamente poderemos conhecer e logo avaliar, matou o seu benfeitor – sim, benfeitor, porque o objectivo do «pobre jovem» era singrar na carreira e o outro tinha condições para ajudá-lo. Matar um benfeitor não será uma enorme ingratidão? Matar cruelmente um benfeitor não será um acto extremamente perverso? E se o benfeitor lhe exigiu contrapartidas (e portanto não era um benfeitor assim tão bem intencionado) mereceria, por isso, a morte horrenda que parece que teve? E o pobre jovem protuguês terá(teria) alguma superioridade moral ou ética para fazer justiça (que justiça?) pelas próprias mãos?
    Agora vejamos: o jovem português confessou o crime, forneceu detalhes e logo soube muito bem o que tinha feito. E depois enlouqueceu? Quem não ficaria perturbado vendo que afinal o acto não teria atenuantes? Quem não ficaria perturbado ao perceber que a sua carreira de modelo ficaria comprometida? Ou será que o «pobre jovem português» pensou que suprimir um homossexual com uma certa idade não seria punível? Ou, mais ainda: pensaria ele, na sua arrogância de jovem modelo, que a sociedade lhe louvaria a aptidão assassina?
    O «pobre jovem português» não é de modo nenhum um coitado com problemas psicológicos: cometeu um crime, soube o que estava a fazer, representa um risco para a sociedade pois revelou mau carácter, perversidade, crueldade, ganância, etc. Teve azar por cometer o crime num país em que a justiça se aplica deste modo. Não terá outro remédio senão aceitar a pena e cumpri-la e nós não temos nada a ver com isso.
    Pouco importa o valor do homem que foi assassinado que não nos compete aferir. Pouco importa se ele era boa ou má pessoa, qualidades que dificilmente poderemos agora avaliar. O «pobre jovem português» que queria ser rico e famoso e acabou na prisão não tinha o direito de matar – principalmente porque, na óptica dele, a sua vítima reunia condições para o fazer subir na vida.
    O caso do pobre jovem português é sórdido. Claro que a prisão vai fazer-lhe mal. Claro que o ambiente da prisão não será edificante, nunca é. Mas foi ele que, conscientemente, criou para si este destino. E nós, meros espectadores de uma realidade que imprecisamente conhecemos, pouco poderemos fazer, porque não temos competência para tal.

  12. Vera Sales diz:

    Tenho vergonha de ser portuguesa. Onde está o nosso governo no meio disto tudo? O que fazem para nos defenderem? Axam que um rapaz de 21 anos vai aguentar 1 dia no Inferno? A culpa ninguém lhe tira, mas que pague pelo seu crime no seu País, e não seja cometido outro crime ao pô-lo nesta prisão.

  13. olga diz:

    O Renato sendo culpado, pois ainda não foi julgado, acho que deve ter o castigo que merecer, mas sinceramente uma cadeia daquelas é demais lá dentro tenho a certeza que tudo lhe poderá acontecer. Eu sou a favor da extradição pois fosse qual fosse a pena acho que deveria ser cumprida em Portugal. Que tudo corra pelo melhor é o que espero.

  14. gisela diz:

    Pois eu também acho o mesmo, apesar de tudo tenho muita pena do Renato. Há aqui um sádismo tremendo que é o lado que mais custa a engolir a qualquer humano, que é o seguinte: é certo que o rapaz não foi nem é nenhum santo, é preciso ter mesmo mau caracter e ser violento, para cometer uma macabriçe daquelas. mas será que a justiça é justa? Eu acho que não. Se agora para se fazer justiça o vão abandonar numa prisão daquele calibre junto com os piores assassinos da américa, o que é que estão á espera que saia dali?
    É que nem sequer estão a dar uma oportunidade de o rapaz se arrepender cumprir a pena que tem a cumprir, e voltar á vida dele. Logo á partida estão a por a hipotese de prisão prepetua. Se assim for, a propria justiça é desumana e do mais revoltante que existe.
    Se calhar ele até prefere que o matem logo de uma vez do que estarem a matálo aos poucos sádicamente,,, Acho que ele devia cumprir pena cá em portugal para pelo menos ter o direito a ter a família mais perto. Prisão prepetua também não concordo, estar misturado com os piores assassinos da américa e numa das piores prisões do mundo, também é pavoroso só de imaginar. Tenho muita pena dele e da mãe dele que ninguém melhor que ela o conheçe e o ama. O problema é que estão a fazer com que ele págue pelo que fez, mas umas 5 vezes mais ainda. Será que a culpa foi toda só dele?? Este é um caso que maior polémica tem tido até agora. A vida de alguém não tem preço, o ser humano não é prefeito, mesmo até os que estão sempre á espera que alguém cometa um erro para os julgar e lhes apontar o dedo. Parece que as pessoas se limpam da porcaria que são, assim que aparece alguém que tenha cometido um erro. Assim os outros erros ficam temporáriamente esquecidos enquanto hover alguém a ser julgado. Que mundo de hipócritas,,, Os proprios guardas prisionais são uns brutos sádicos e até em alguns casos abusadores, mas são vistos como os que praticam a justiça..

  15. João Branco diz:

    Voltando a esta interessante caixa de diálogos só tenho a manifestar dois pontos muito curtinhos:

    1 – Quem tem telhados de vidro que atire a primeira pedra.

    2- Acho intolerável em pleno século XXI os pontos em que chegam a mesquinhez humana, a falta de bom senso, a falta de inteligência e a desumanidade a que chegaram certos homens. Engane-se quem pensa que o Direito e a Justiça só servem para punir quem viola as regras aceites e impostas pela sociedade. Os objectivos do Direito e da Justiça vão bem mais para além disso. Se existem regras (elevadas a leis) aceites em comunidade pelos homens, os objectivos do Direito e da Justiça também se prendem nas funções de prevenção (da criminalidade) entre os homens e na recuperação individual daqueles que as violam para que possam reintegrar a sociedade e para que esta os possa acolher.

    Por isso, não podem mencionar o exemplo Norte-Americano de Direito e Justiça como um bom exemplo. Jamais poderão apoiar um exemplo, um modelo que ainda contempla molduras penais de pena de morte ou prisão perpétua como exemplos ou modelos capazes de efectuar a função preventiva ou a função de reintegração dos individuos em sociedade depois de terem cumprido as penas pelos crimes que cometeram.

  16. Pedro diz:

    Eu só acho que o crime dele foi desumano, tal como a prisão para que o enviaram…
    Amor com amor se paga…
    Aqui quase toda a gente comenta com base no que a comunicação social fez da sua mente delével..
    Ele bem sabia que o Carlos Castro era homosexual… Tudo bem que o sujeito nao devia ser flor que se cheire, mas mesmo assim… Que se afastasse! E se fosse algo do momento, tal como uma tentativa por parte do “idoso” de o coagir a ter relaçoes sexuais, ele agiria a quente e talvez lhe atirasse algo ou o empurrasse… Não lhe iria arrancar os genitais nem espancar por uma data de tempo…
    Se ele cometeu um crime horrendo e foi para uma prisão horrenda, está lá muito bem… Ele tem familia, mas todos os que la estao dentro também, muitos com filhos e talvez la estejam por tentarem dar-lhes alimento e um tecto! Este está lá por arrancar os genitais a um homossexual e é esse que deve saír? É esse o coitadinho que deve vir para portugal onde as prisões, comparartivamente àquela, são prisoes pra putos da escola?? Enfim…
    Mesmo com “doenças” do foro psicológico, nada o justifica…

  17. Raquel Costa diz:

    Tenho pena da familia, dos amigos, da terra! mas praticar um crime destes? ser absolvido? Loucura? Insanidade? Mas que pensam as pessoas que escrevem isto? Subir na vida através de uma pessoa que sabia tudo o que ele era? E depois fazer o que fez? tem de pagar, tem de sofrer. E se fosse ao contrário, os amigos que diriam? Que absolvesse o assassino dele? Pensem bem, se fosse o inverso? se tivessem feito tal e qual ao Renato? Vocês que se dizem amigos estariam aqui a pedir a absolvição do criminoso? Quem pensa assim não pode ser amigo, nem sério, nem ter moral. Vir para Portugal fazer o quê? Ele não escolheu Nova York para praticar a cena aterradora? Ele não se sujeitou a tudo para poder ter vida de luxo e comer á custa do ricaço? isso é sério? Bom? Puxa, estes amigos devem estar loucos, não sabem o que é viver na sociedade e em sociedade…

  18. Já foste diz:

    Já foste! ahahahah

  19. CESAR diz:

    EU ESTIVE PRESO LA EM 2006, EU SEI COMO E EXATAMENTE ESSE LUGAR.

  20. Filipe diz:

    Cada um analisa o caso por si e pelas experiências que teve (ou por sorte não teve) na vida;
    No meu caso, acho que o Renato Seabra tem muitos atenuantes para o crime que cometeu, a meu ver, e pela experiência que passei (explico à frente), devia mesmo era ser solto…algus anos atrás, tive o azar, de uma pessoa que eu conhecia e que pensava ser meu amigo, de descobrir que essa pessoa tinha tendencias homossexuais pois apaixonou-se por mim. Como não sou, nem tenho tendencias homossexuais, simpaticamente e com cordialidade, afastei-me dessa pessoa, começando aí um autentico inferno na minha vida com perseguições, ameças de morte, ameaças à minha familia e muito mais que não interessa estar aqui a explicar, mas todas elas bastante graves. Esta situação levou-me ao desespero total e a um estado de loucura que um determinado dia, em que já estava tão farto da situação, e para conseguir acabar com o pesadelo de telefonemas, ameaças, etc., etc., no fim de mais um desses telefonemas, fui à procura dessa pessoa para o matar. Felizmente não o encontrei nesse dia, e a minha familia e a minha namorada e os meus verdadeiros amigos apreceberam-se da forma que eu estava e conseguiram-me chamar a razão. Foi então apresentado queixa nos competentes orgãos criminais, que tentaram resolver a situação e que de alguma forma o conseguiram; esta toda situação, levou-me a fazer tratamento psiquiátrico e a ter mesmo uma aversão enorme a todos os homossexuais, imagino que nem todos sejam iguais, peço desculpa aos que não são, mas sinceramente quero distancia desse tipo de pessoas.
    Como disse, estava no meu país, e tive o apoio da familia, namorada, verdadeiros amigos e orgaõs de policia criminal/tribunal….o Renato Seabra, estava longe de tudo e num país que não era o dele. Imagino a pressão a que foi submetido para chegar ao ponto de fazer o que fez.
    Sobre pagar pelo que fez, já está a pagar e bem pago e no meu entender já chega, devia de ser solto. Já basta o tempo que está preso, e no caso de ser solto, o fardo que vai carregar o resto da vida por causa de um “paneleiro” que a unica coisa que sabia era falar mal das outras pessoas e que nunca fez nada de jeito na vida.
    Esta foi a minha experiência de vida e mais uma vez a minha opinião é SOLTEM O RENATO SEABRA, pois ele é a verdadeira VITIMA neste caso.

  21. MÁRIO RUI diz:

    TODOS NOS SOMOS CULPADOS DO BEM QUE NÂO FIZEMOS.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: