O último da Dinastia Roquette…


Adeus! Não voltes nunca mais!

Quando a 5 de Julho de 2009, José Eduardo Bettencourt venceu com 89% dos votos as eleições para a Presidência do Sporting, já se sabia que seria o último presidente da dinastia José Roquette.

As expectativas em torno de Bettencourt eram altas… Era um homem que conhecia todos os cantos da casa (colaborava com a SAD desde 2001), era considerado um grande amante da instituição do Sporting Clube de Portugal e pensava-se ser capaz de arrumar a casa depois do vendaval financeiro provocado por Filipe Soares Franco nas contas do clube, tornando-o capaz de continuar a diminuir o passivo e investir no futebol profissional, não só numa equipa competitiva como na reformulação de toda a estrutura organizacional do clube.

Contra, os cépticos do clube, trataram de afirmar que José Eduardo Bettencourt (administrador do Santander) era a escolha consensual dos interesses da banca no clube de Alvalade. Com o tempo, começamos a acreditar nestes mesmos cépticos.

Ao nível estrutural, Bettencourt prometia adoptar uma estrutura organizativa rígida que começava com a aprovação da remuneração de um salario para a sua posição. De cerca de 20 mil euros.

Ao nível do futebol profissional, os primeiros dias de Bettencourt no clube ficariam marcados com a expeculação da eventual saída de Paulo Bento do comando técnico leonino, ao qual o agora demissionário presidente haveria de proferir a célebre frase: “Paulo Bento forever!” – Paulo Bento não ficaria “forever”, sendo despedido antes do final do ano civil de 2009 graças a um extremo cansaço do treinador perante os jogadores, dos jogadores perante o treinador e do treinador perante a atitude da direcção da instituição.

Nos primeiros meses, Bettencourt preocupou-se em arrumar a casa ao  nível financeiro. Apuradas as contas exactas do Sporting, era mister para o presidente renegociar sucessivos planos de reestruturação financeira que permitissem ao Sporting apostar numa equipa competitiva, promessa que Bettencourt deixaria para a época 20092010 e para a actual época. Durante a sua presidência, Bettencourt haveria de investir 34 milhões em contratações no clube e haveria obviamente de ficar ligado à venda de João Moutinho ao rival Futebol Clube do Porto. “A Maçã Podre” – foi o que JEB intitulou o antigo capitão do Sporting, que actualmente dá cartas no rival. Durante o mandato de Bettencourt, o valor do passivo aumentaria e o valor do activo Sportinguista diminuiria. Para muito ainda contribuiram as vendas de Ronaldo do Manchester para o Real Madrid e as vendas de Veloso e Moutinho.

Com Bento fora do barco, Bettencourt haveria de cometer outro erro crasso aquando da escolha do novo treinador. Apesar de Carvalhal ser uma solução até ao final da época, Bettencourt e a sua direcção errou logo de início em nem sequer apresentar publicamente o novo treinador. Carvalhal seria apresentado pelo site do Sporting e iniciaria um longo calvário de 7 meses num plantel completamente destroçado pelo cansaço da era Bento. Até ao último dia, a direcção de Bettencourt não haveria de propor a renovação ao técnico, optando por contratar Paulo Sérgio para o comando técnico na época 20102011. Com a vinda de Paulo Sérgio, vinham mais promessas de investimento no futebol profissional. Promessas que foram goradas por JEB, que continuava mais interessado em anunciar sucessivas reestruturações financeiras quando os adeptos do Sporting queriam era ver vitórias, coisa rara no Sporting de Bettencourt.

A falsa promessa de uma estrutura organizativa sólida que permitisse dar algum descanso ao clube, caía lentamente por terra com o passar do mandado de JEB. Primeiro, o caso Sá Pinto vs Liedson que motivaria a saída do antigo internacional do cargo de director desportivo e a entrada de Costinha para o respectivo cargo. Depois, a mudança de treinador, a venda de Moutinho, o diferendo entre Costinha e Izmailov e a contratação recente de José Couceiro para um cargo que ninguém sabe muito bem o que representa e que competências lhe são dadas pela organização.

A certo tempo falou-se que Bettencourt queria instalar uma estrutura organizativa no Sporting parecida a um modelo que tantos resultados dá no FC Porto. Na realidade, com Bettencourt, o Sporting passou a ser uma casa a arder…

A nível desportivo, este ano e meio do mandato de Bettencourt foi sem dúvida uma das páginas mais negativas da história do Sporting Clube de Portugal. Salvo excepções, confirmadas com a vitória do Futsal no campeonato nacional da modalidade e a vitória na Taça Challenge da equipa de Andebol.

No futebol profissional, se Paulo Bento e Soares Franco iam conseguindo levar o clube à Liga dos Campeões durante alguns anos seguidos, com o início do mandato de Bettencourt, o Sporting começou a ser um clube com uma falta de ambição tremenda. A nível nacional, o Sporting passou a ser uma equipa com um orçamento monstruoso a lutar pelo parco objectivo da 3ª posição com o Braga. A nível internacional, foi-se a Champions e veio a Liga Europa, onde nem assim, o Sporting parece ter aspirações a ir longe.

Por estes motivos, a derrota de ontem abalou com Bettencourt. Creio que este já deveria estar a preparar a demissão para breve. Pela primeira vez, JEB foi humilde e admitiu que fracassou enquanto presidente. Por isso, foi ontem à sala de imprensa apresentar a sua demissão, deixando vaga para que outro possa fazer melhor. Cabe então agora a Dias Ferreira (presidente da AG) que marque eleições antecipadas ou que opte por tentar gerar um presidente “co-optativo”, modalidade presidencial prevista nos estatutos da instituição.

JEB saiu. Creio que o Sporting não precisa de outro JEB. O Sporting não precisa de um presidente que se olhe às contas e que não tenha ambição em ganhar, custe o preço que custar. Aliás, está economicamente provado que os clubes que investem em boas equipas acabam por ter retorno desse investimento, caso contratem bons jogadores, capazes de vencer e dar espectáculo – chamando assim pessoas ao clube. Com JEB, o Sportinguismo tornou-se descrente. JEB afastava a cada jogo mais sportinguistas do estádio e das deslocações fora.

O Sporting precisa sobretudo de um presidente populista que possa não só mobilizar o povo de volta ao clube como trabalhador na construção de uma efectiva máquina organizativa interna e na construção de um futebol profissional estável. Talvez esta minha ideia seja uma tremenda utopia nos tempos que correm… Bem sei que nos próximos dias deverão aparecer meia dúzia de candidatos a prometer mundos e fundos que o clube não pode pagar caso sejam eleitos pelos sócios.

É triste a realidade deste clube. No entanto, a demissão de José Eduardo Bettencourt já foi um passo importante para a mudança.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , ,

2 thoughts on “O último da Dinastia Roquette…

  1. Paulo Salcedas diz:

    é uma boa noticia a saída de JEB da presidência do SCP, vamos ver é quem o irá suceder e se tem unhas para esta guitarra, são demasiados equivocos e erros presidenciais nestes longos meses de mandato, este senhor teve o condão de afastar sócios e adeptos da equipa pelas suas atitudes.
    Muitos sportinguistas (e eu sou um deles) não lhe perdoam a saída de Moutinho para o Porto e as contratações desastrosas que fez, bem como a arrogância com que tratou muitas pessoas que deram sempre tudo pelo SCP.
    Lastimáveis as relações que manteve com o FCP, lastimáveis os negócios ruinosos que fez, trocou um jogador de selecção (João Moutinho) por um central-sapateiro (Nuno André Coelho) e um punhado de euros, delapidou o património desportivo e financeiro do clube, repare-se que a 1ª medida que este senhor aprovou foi um chorudo vencimento de 20.000 euros para si, muitos adeptos ainda o defendiam a dizer que na banca ia ganhar muito mais e que fazia isto por amor ao Sporting eu pergunto: será assim? não me parece….
    JEB para mim foi um enorme fiasco, um presidente papa-almoços, que andava de núcleo em núcleo em festas e banquetes, nunca estava com a equipa, principalmente nos maus momentos nunca mostrou apoio, nunca defendeu o seu clube em público quando era preciso, foi sempre um vendido e um “yes man” do seu amigo Pinto da Costa…. e dos seus amiguinhos dos bancos que devem ter assegurado todos os seus interesses antes deste abandonar o barco…
    Neste último jogo, onde o Sporting Clube de Portugal foi roubado até mais não, aquele azelha em vez de defender o seu clube e fazer barulho e escândalo opta por se demitir pura e simplesmente, sobre aquilo que se passou, nem uma palavra….
    Espero e tenho confiança que no futuro venha alguém presidir ao grande Sporting Clube de Portugal que saiba unir sócios e adeptos, dinamizar o clube e defende-lo contra tudo e contra todos, até contra os Catitas do nosso futebol…..

  2. João Branco diz:

    São verdades, que desde já subscrevo de bom agrado caro visitante.

    Melhor que isso ainda é o facto de ter dado realce no seu comentário a outros factos que pura e simplesmente me escaparam no acto de escrita deste post, como as imensas “comezanas” que JEB andava sistematicamente a fazer por nucleos. Sendo que uma das bandeiras de JEB era realmente levar mais Sportinguistas ao estádio, esse objectivo acabou (como bem referiu) por sair completamente o oposto: JEB ainda afastou mais os adeptos do clube.

    No caso Moutinho, JEB teve uma postura indigna para o posto de presidente do Sporting Clube de Portugal. Se realmente o jogador se recusou a treinar, aparecendo posteriormente no treino a gritar “vendam-me ao Porto”, nem que fosse o melhor jogador do mundo Moutinho tinha contrato com o Sporting logo JEB deveria ter obrigado Moutinho a cumprir o contrato até ao fim e não vendê-lo à primeira proposta que aparecesse.

    Outra coisa que me tenho apercebido na história do Sporting é que o Sporting sempre teve falta de alguém que venha a público defender o clube das arbitragens. Daí que Porto e Benfica (sempre a reclamar) detenham neste momento mão sobre as arbitragens e de certa maneira sejam claramente beneficiados em relação ao Sporting. Parece que não, mas por vezes a mãozinha (mesmo que leve) das arbitragens pode ser um ligeiro facto que ajude a certas equipas vencerem títulos. Com uma ajudinha aqui e outra ali, a coisa vai indo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: