Nunca mais irei escrever sobre o amor

“ Olhá-la nos olhos é como descobrir um conjunto de coisas, de sensações, um todo de valores, de bons valores , de simpatia, de amizade, de carinho, de ternura. É descobrir aquilo que roça o perfeito. É descobrir aquilo que nos interessa para sermos felizes.
Olhá-la nos olhos é olhar o infinito e esquecer que possa existir mundo, que possam existir outras realidades para além do seu ser e do seu modo de estar.
Olhar nos olhos como a olhei, é sinal de um amor nato que por ela tenho. É sinal que não só a amo, como desejo puramente toda a sua amizade e tudo aquilo que ela sabe que me pode dar.
É sinal que é ela que quero mais do que tudo nesta vida(…)

(…) aquele sorriso fascinante, aquela boca que procurava a minha língua, aquela simplicidade no andar, aquele ombro que ampara as minhas quedas e  onde me dá conforto chorar sem medo que os homens me descartem da sua realidade, aqueles olhos cerrados naquele primeiro beijo que conto repetir mais vezes durante toda a minha pequena existência”


Introdução ao Capítulo II by João Branco (copyrights reserved)

Com as etiquetas , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: