107,9% de Azelhice

Os manos que brincam lá às rádios pela Academia voltaram a fazer das suas. Nunca antes a ala esquerda do piso 2 do edíficio nº1 da Padre Antonio Vieira esteve em tanta sincronia ao nível de ideias e trapalhices…

À semelhança dos colegas da porta do lado, são outro grupo fechado onde só entra quem é amigo dos manos. Quem não o é, fica à porta.

Quando se trata de receber os dinheiros da Queima “todos os santos da casa ajudam”. O problema é quando nas despesas se mete a linguagem num Alemão muito pouco técnico que facilita a tradução por parte de quem o sabe interpretar e de quem anda há muito tempo dentro daquela casa a observar as trapalhadas de gerações.

É numa postura de autênticos sanguessugas que os “santos da casa” não só tentam amealhar uns cobres extra quando se sentem tocados pelos exacerbados gastos como se tentam isolar do resto que se passa dentro de portas. Pior que isso, sugam até onde podem o trabalho pro-bono de outros sem dar em troca uma única consideração. Foi o que aconteceu nos Kontactos Fotográficos, promovidos pela Secção de Fotografia da AAC. Pode ser visto aqui e aqui. Esqueceram-se coitados.

É interessante constatar este facto, visto que no Festival de Paredes de Coura andavam por lá com grandes cristas, como se fossem os reis do mundo.

Com as etiquetas , , , ,

71 thoughts on “107,9% de Azelhice

  1. emanuel diz:

    ahahah que chorrilho de burrices!

  2. João Branco diz:

    Emanuel Botelho (presumo):

    É esse o teu melhor argumento?

  3. joao alexandr diz:

    UI, ESTAMOS FORTES! ATÉ JÁ SABEMOS FAZER TROCADILHOS COM 107.9!

    Ponto 1: como ousas falar em “santos da casa” sem fazeres a mínima ideia do ridículo por que estás a passar
    Ponto 2: as sanguessugas não têm cabelo, logo não podem fazer cristas
    Ponto 3: se foste a Paredes de Coura é porque não acompanhaste o Kontactos Fotográficos (ainda para mais com “k”, estilo msn)
    Ponto 4: é de louvar o teu gosto por Modest Mouse mas não gostar de Mogwai e Sonic Youth faz com que as pessoas não te liguem porque podes ter algum problema .

  4. joao alexandr diz:

    esses comentários são para publicar

  5. joao alexandr diz:

    Ponto 1: como ousas pronunciar o nome santos da casa em vão sem saberes o ridículo por que estás a passar
    Ponto 2: as sanguessugas não têm cabelo, logo não podem fazer cristas nem nem pavonear-se por PD
    Ponto 3: se estiveste em PD é porque não acompanhaste o Kontactos (isto é o quê, “k” de msn?) Fotográficos logo não estiveste a acompanhar a actividade da secção.
    Ponto 4: gostas de Modest Mouse, e isso é de louvar, mas não gostares de Mogwai e Sonic Youth faz com que as pessoas não te passem cartão por pensarem que não jogas com o baralho todo.

  6. joao alexandr diz:

    Nice, “curto” duplicados, tipo João Pinto e João Pinto II

  7. João Branco diz:

    Caro João Alexandre:

    1. Estou a aprovar todos os comentário. Nesta plataforma não há maneira de fazer com que os comentários sejam postados automaticamente. O que eu lamento, desde já, porque não é da minha personalidade aplicar a censura quando existem criticas ou quando os comentário vem de pessoas que tem ideologias ou visões de uma determinada problemática que diferem da minha.

    2. Eu sei bem que os “santos da casa” é um programa da RUC e até o ouço de vez em quando. Para vossa informação, 107.9FM é por norma a estação que está sintonizada no meu rádio. E apesar daquilo que vocês podem pensar, eu até agosto de certos formatos como “The Office, Santos da Casa, No Money, no honey, Blame Canada, RUC´n´roll” e gostava de outros do passado por o “Culturama” (não sei se ainda continua no ar) e o “Origami” que também não sei se continua no ar.

    3. Os pontos 2, 3 e 4 do teu comentário são tão absurdos que nem merecem qualquer resposta da minha parte. Principalmente o 4. Já te disse no outro comentário que os gostos são subjectivos. Não gosto de Mogwai, não gosto de Sonic Youth. Não gosto de shoegaze assim não gosto de post-rockprog-rock.

  8. João Branco diz:

    Sinceramente, não percebi essa dos duplicados. Será que me podes elucidar melhor sobre o que estás a tentar insinuar?

  9. Rui Oliveira diz:

    Joel, quem és tu e o que conheces da RUC?

  10. Rui Oliveira diz:

    Ainda por cima chamei.te Joel. Na páscoa dou-te as amendoas

  11. hugo diz:

    os gajos da ruc… esses melros que andam sempre de crista levantada. sempre… não é só em paredes e coura. é sempre! bem os conheço…”É esse o teu melhor argumento?”

    “Não gosto de Mogwai, não gosto de Sonic Youth. Não gosto de shoegaze assim não gosto de post-rockprog-rock.”

    e de pós-paulo, gostas?

  12. João Branco diz:

    Rui Oliveira

    Quem és tu e o conheces de mim? Pelos vistos nem ler sabes.

  13. João Branco diz:

    Hugo:

    Não, não é o melhor argumento. Poderia dizer mais para além disto. E digo-te francamente. Não mudo absolutamente uma linha em relação ao que disse neste e nos outros posts.

    Não mudo nem que a secção inteira venha aqui comentar.

  14. emanuel diz:

    ó riqueza, eu não argumentei nada! não preciso, graças a deus!

  15. Rui Oliveira diz:

    Pois não sei ler, por isso perguntei. Falaste-me de meia dúzia de programas da actual grelha, falas-me superficialmente de “lugares comuns” de uma secção virada para dentro bla bla bla bla…

    Mas não li nada que demonstrasse que tu saibas minimamente o que se passa na RUC. Vi críticas baratas e insipientes, num acto de notória necessidade de te mostrares.

    De ti conheço pouco e pouco quero conhecer. Apenas perguntei numa tentativa de perceber o porquê deste teu texto, porque aparece e quais as tuas motivações…

    Mas se tu optas por essa postura de críticozinho cultural de trazer por casa tudo bem, parabéns e bom trabalho. Conseguiste.

  16. vítor diz:

    adoro pós-paulo!

  17. João Branco diz:

    Caro Rui Oliveira:

    Não tenho qualquer necessidade de me mostrar. Nunca a tive.

    As pequenas descrições sobre mim que estão vísiveis no título do blog (banner) e na barra lateral dizem tudo sobre mim. Neste âmbito, como seccionista da AAC que dá o que pode e o que não pode pela secção, não consigo compactuar com este estado de coisas. Sou sincero demais. Talvez seja ao mesmo tempo uma qualidade e um defeito meu.

    Este blog não serve simplesmente para criticar o que está mal. Se tu o leres com atenção, também elogio quem se deve à meritocracia. Se reparares bem nas respostas que dei a este post aos comentários dos teus colegas, irás encontrar uma em que eu até afirmou que a minha rádio favorita e a que eu ouço mais é a RUC. Até vais encontrar as minhas preferências ao nível da programação da RUC.
    Um dia vocês até poderão chegar aqui e ver um elogio claro à radio. Porque eu não sou tendencioso nem muito menos preconceituoso à partida.

    Se as criticas vos doem, as que me são feitas quanto ao trabalho da minha secção que é a dos Direitos Humanos também me doem. E no entanto, quando eu falho, tenho que engolir. Porque ao engolir essas criticas não me estão a destruir, estão sim, a dar-me indicadores para melhorar o meu trabalho.

  18. João Branco diz:

    Emanuel Botelho (caso a minha presunção esteja certa):

    Parabens pela actuação em Paredes de Coura. Eu estive lá e gostei.

  19. emanuel diz:

    que caralho, se é para andar aqui em respostas pessoais, troquem de mails e vão namorar para o gmail. isto serve para atirar postas ao ar. ou fui eu que vi mal e afinal isto não é um blog?

    ó joão, muito agradecido pelo elogio… mas será que só eu é que não gostei daquilo?

  20. Afonso diz:

    caro joão:

    falando agora a sério, seria talvez melhor que ouvisses a rádio antes de escreveres.

    saltando por cima das considerações disparatadas que fazes sobre a secção, gostava só de chamar a atenção para o facto de que, ainda antes do início dos “Kontactos”, estar já a rodar na emissão da RUC um spot promocional do evento. para mais, os programas que dizes que ouves na rádio (tirando o Culturama que, sim, ainda está no ar: 5ªs feiras, 16h), não são os melhores para apanhares qualquer cobertura que se faça dos Kontactos, ou de qualquer evento, visto que são programas que se ocupam principalmente de música. experimenta ouvir também os espaços informativos (são vários), que talvez te surpreendas. não tenho estado muito em Coimbra neste mês, mas sei que foi, pelo menos, gravada uma entrevista com o fotógrafo João de Castro, que participou nas vossas actividades.

    posto isto, só te posso aconselhar um pouco mais de atenção ao trabalho das outras secções, antes de as acusares de negligenciarem o trabalho da tua.

  21. João Branco diz:

    Emanuel:

    Eu gostei. A qualidade do som do palco é que não era grande coisa, tenho em crença.

    É absolutamente normal que não tenhas gostado. Eu editei um livro há 4 anos e continuo sem conseguir gostar dele. Tento melhorar a minha escrita, mas continuo sem gostar dela. Como artista que és, é natural que tenhas a sensação que podes dar mais, que podes evoluir mais. Eu tenho a certeza que irás evoluir. Dá tempo ao tempo.

  22. Afonso diz:

    correcção: assumi que fizesses parte da secção de fotografia. pelos visto assumi mal, e peço desculpa por isso. assim, onde digo “vossas actividades”, etc., que se leia “actividades da secção de fotografia”, etc.

  23. João Branco diz:

    Caro Afonso:

    Eu ouvi os spots sobre os Kontactos.

    Prometo continuar a ouvir a radio como o tenho feito até hoje.

  24. João Branco diz:

    Não faço parte da secção de fotografia. Sou sócio de algumas, mas sou activo apenas nos Direitos Humanos. Em princípio irei inscrever-me para o vosso próximo curso de formação. Irei informar-me pessoalmente à Radio sobre o que é preciso para tal efeito.
    Só espero é que não me tomem por tabela. Estarei disponível a partir da vossa semana para discutir o assunto pessoalmente com quem quiser. Basta só informar-me para o mail que tem em disposição na barra lateral.

    Não precisas de pedir desculpa. Fizeste uma associação que qualquer pessoa faria.

  25. Seymor Butt diz:

    Epá… Oh João Branco a verdade é que o teu post tem muito pouco de crítica séria e objectiva… tem mais de comentário ressabiado – “são outro grupo fechado onde só entra quem é amigo dos manos.” – não passaste na entrevista para o curso na rádio? – não te passaram cartão em Paredes de Coura? – “É interessante constatar este facto, visto que no Festival de Paredes de Coura andavam por lá com grandes cristas, como se fossem os reis do mundo. “/ “Parabens pela actuação em Paredes de Coura. Eu estive lá e gostei.”
    Reconhece lá que que andas indisposto, que a prisão de ventre te deixa irritado e que os incêndios e acidentes na estradas de Portugal te deixam sensivel, e pede desculpa aos fãs e aos elementos que são o espírito da rádio… Repara que nos ultimos meses do público ao DN passando pelo Beiras tem sido a RUC e o seu pessoal a colocar Coimbra no mapa…
    Para o pessoal da rádio continuem com o bom trabalho

  26. João Barreira diz:

    Caro João Branco, não te preocupes que não tomamos ninguém por tabela. Será até uma óptima ideia que te inscrevas num dos cursos para assim ficares a conhecer melhor a rádio. Aliás, no curso de informação terás oportunidade de conhecer a pirâmide informativa da RUC, que coloca a AAC em primeiro lugar. Por vezes pode não acontecer (sim, é uma rádio escola e por vezes falhamos), mas quando acontece nunca é por má fé de quem edita.
    O processo de entrada na rádio, bem como o de formação, estão bem definidos e verás que as entradas e aprovações nada têm a ver com amizades.

    ps: o único cartão “partidário” que trago na carteira é o do Benfica. Sim, sou um dos que paga o salário ao Roberto…

  27. João Branco diz:

    Caro João Barreira:

    O meu obrigado por um comentário sucinto e objectivo, ao contrário do anterior. Agradeço desde já a tolerância para um pequeno contacto que será feito nas próximas semanas.

    Como afirmei nos comentários, irei inscrever-me. Daqui a alguns meses irei mais longe: no final do curso, irei postar aqui de forma fundamentada (nesse período já terei conhecimento de todos os processos de funcionamento da rádio) uma observação sobre a mesma.

    Errar é humano. Não vos culpabilizo de nada. No seccionismo, penso que toda a gente deve remar para o mesmo lado, ou seja, deve fazer todos os esforços para que a bandeira da AAC seja içada ao mais alto patamar possível.

  28. Azelha-auditivo-que-ficou-com-o-auto-radio-encravado-em-107.9 diz:

    Remar é com os náuticos! E esse é um dos grandes problemas das secções meterem a foice em seara alheia (e o A de anarkoide, e facho do fascistóide, e o H de hemorroide…). Mas gosto desta inquisição intramuros contra as únicas secções que têm actividade diária e visibilidade. De facto é extremamente complicado criticar quem nada faz… ou seja duas ou três em 16 secções culturais. Quem será a próxima vítima dos “cacetetes” da santa aliança da direcção geral? O Fado? na… eles ainda se recusavam a cantar a serenata e depois ia ser bonito…

    Tu não tens necessidade de te mostrares mas escreveste um livro… eu também fui à pouco ali ao sanitário e deixei lá uma bela obra. Ouves a RUC todo o dia mas informação que dá durante a manhãzinha passa muito cedo… e o que dá durante a tarde também não sabes se ainda está no ar, deve ser porque vais às aulas todas…

    Caro João Barreira, não tem de pedir desculpa por nada! Quem não gosta deixa na borda do prato. Acho que a MegaFM e a antena3 ainda transmitem.

    Emanuel quero namorar contigo no gmail e não gostei nada de Paredes, aquilo lá para as 6 da manhã começou a cacimbar e deu-me cabo da crista.

  29. No meu transistor a pilhas o sinal da RUC abafa o da TSF e tenho de ouvir esta porcaria electronica o dia todo diz:

    “Errar é humano. Não vos culpabilizo de nada.”

    Obrigado. Fico sensibilizado pelo teu perdão, pela coerência do teu discurso e pela firmeza das tuas opiniões. Que sejas bem vindo ao mundo das sanguessugas.

    Que o senhor esteja contigo.

  30. hugo diz:

    nada disso oh emanuel botelho. aquilo lá em paredes de coura foi uma merda… mas a ti desculpam-te tudo porque és artista.

    mas começa é a baixar a crista. ela está tão alta como na tua foto do bi em que tás vestido com a t-shirt dos millionaire…

  31. emanuel diz:

    eu na foto do bi em que estou de crista estou de blazer, camisa e gravata. não te confundas. a dos millionaire era do cartão de estudante do tempo dos escudos.

  32. Álvaro Martinho diz:

    Com a devida atenção estive a ler este post, aliás li 2 vezes… espera… li 3 afinal…

    Que espécie de criatura que carrega em teclas és tu que eu não consigo perceber o que tens contra a RUC e o Santos da Casa para difamares tanto…

    Cumprimentos

  33. Álvaro Martinho diz:

    ahhh é verdade…

    VÊ LÁ SE DEIXAS TE DE MERDAS E VAI DIFAMAR O CARALHO Q TE FODA ANTES QUE EU TE APANHE E TE ACERTE O PASSO. SEU CABRÃO FILHO DE UM COMBOIO DE PUTAS!

  34. João Branco diz:

    Ao autor do último comentário (que obviamente foi escrito por detrás de um nome falso e de uma conta de email inexistente) tenho a dizer que registei o endereço de ip.

    Somos todos muito homens quando nos escondemos por detrás de um computador. À pessoa em causa, gostaria de facto que ela me apanhasse e cumprisse aquilo que escreveu.

    Daqui em diante, não irei censurar este tipo de comentários, mas pura e simplesmente não irei responder às pessoas em causa. Posso engolir ofensas dirigidas à minha pessoa. Agora, a outras pessoas da minha família não.

  35. Paulo Abrantes diz:

    Afonso Diz:
    Agosto 24th, 2010 16:08

    caro joão:

    falando agora a sério, seria talvez melhor que ouvisses a rádio antes de escreveres.

    saltando por cima das considerações disparatadas que fazes sobre a secção, gostava só de chamar a atenção para o facto de que, ainda antes do início dos “Kontactos”, estar já a rodar na emissão da RUC um spot promocional do evento. para mais, os programas que dizes que ouves na rádio (tirando o Culturama que, sim, ainda está no ar: 5ªs feiras, 16h), não são os melhores para apanhares qualquer cobertura que se faça dos Kontactos, ou de qualquer evento, visto que são programas que se ocupam principalmente de música. experimenta ouvir também os espaços informativos (são vários), que talvez te surpreendas. não tenho estado muito em Coimbra neste mês, mas sei que foi, pelo menos, gravada uma entrevista com o fotógrafo João de Castro, que participou nas vossas actividades.

    Afonso:

    O spot promocional que passa na RUC, sobre os Kontactos Fotográficos (KF), foi protocolado entre as 2 Secções. Em troca do spot foram oferecidas inscrições grátis nos ws e o logotipo consta em todo o material de divulgação – tal como protocolado.

    De facto fizeram uma entrevista com o João de Castro, que orientou um ws. No entanto os organizadores do evento (KF), a Secção de Fotografia, teve 30 segundos num programa para falar sobre o ciclo de cinema – inserido no KF.

    A RUC não se mostrou interessada em divulgar um evento que eles proprios apoiaram – protocolarmente.

    Pessoalmente estou-me cagando que a RUC e a cabra continuem na cegueira que ultimamente têm permanecido. Contunuarei a ouvir a RUC e a ler a cabra (para perceber como podem ser tão filhos de puta.

    – Quanto ao pos-paulo. Será uma banda? Passa na RUC? Opá ó joão vê se te portas como homem se não um dia destes vou ter uma conversa contigo.

    Nunca se esqueçam de uma coisa: desde que se ligam à net todo o vosso rasto é perceptivel.

    -joao alexandr
    Quanto ao K (tipo msn como vxa diz), já ouviste falar em punk-marketing? Aprende: http://www.punkmarketing.com/

  36. emanuel diz:

    havia aqui qualquer coisa que não me deixava levar nada disto muito a sério. ando a pensar no que será desde ontem. primeiro assumi que fosse por tudo isto ter que ver essencialmente com a academiazinha dos estudantinhos, assunto que me interessou vagamente por dois meses (depois saiu o murray street e eu olha, parti para outra).

    mas continuei a reflectir. não podia ser só isso. se fosse isso, eu nem sequer tinha tido vontade de responder, nem que fosse unicamente para dizer parvoíces (o que efectivamente aconteceu).

    mas acho que já sei o que é que me faz, sem dar grande importância a isto, continuar a responder:

    o teu grande problema é, aparentemente, a ruc não ter dado visibilidade à secção de fotografia no dia mundial da fotografia (um não-facto, ao que me consta até havia uma entrevista marcada com um dirigente da secção que apareceu meia hora atrasado e a dois minutos do final do programa em que essa entrevista estava marcada; ainda assim teve direito a esses dois minutos finais do programa).

    nessa ordem de ideias, gostaria de saber quantas vezes foi a secção de fotografia (ou qualquer outra) desenvolver actividades com a ruc no dia mundial da rádio. assumo que exista um dia mundial da rádio. se qualquer parvoíce tem direito a um dia mundial, a rádio também deve ter.

    ou indo mais além, quantos cartões de felicitações terá a secção de fado enviado aos grupos de teatro da associação académica nos dias mundiais do teatro? isto, meus amigos, é grave!!! é como aquele miúdo na escola primária de ceira que já não tem o magalhães porque o deixou cair. é grave! ou não, esperem, não é grave a palavra de que estou à procura… ah, já sei: é estúpido e infantil. é isso. toda esta celeuma que aqui se criou é estúpida e infantil.

    ontem apercebi-me disto:

    http://denunciacoimbra2.wordpress.com/2010/08/20/19-agosto/#comments

    gosto particularmente da secção de comentários. mas como gosto mais de ser parvo, permitam-me uma curta dissertação final:

    ó academia, vai pro caralho que te foda. nunca consegui perceber porque é que sendo académica, insistes em ser recorrentemente infantil, pedante e estúpida. vai ler brecht!

  37. emanuel diz:

    “- Quanto ao pos-paulo. Será uma banda? Passa na RUC? Opá ó joão vê se te portas como homem se não um dia destes vou ter uma conversa contigo.”

    anda ter a conversa comigo, se faz favor, que eu sou homem e explico-te. espero é que não me batas, que eu, sendo homem, sou também um vidrinho de cheiro.

    espera aí, se calhar é melhor não. a explicação é tão surreal que ainda acabo a levar na boca na mesma. deixa lá. o joão explica-te, ainda que não tenha sequer sido ele a usar a expressão.

  38. emanuel diz:

    ai, o comentário que eu deixei antes do do paulo abrantes foi censurado???

  39. emanuel diz:

    ó foda-se isto assim não tem piada. censuram-me o único comentário sério que fiz? é para o paulo abrantes não ficar mal?

  40. emanuel diz:

    ah, esqueçam tudo, já apareceu o comentário.

  41. João Branco diz:

    Emanuel, nenhum comentário foi censurado. Houve dois comentários que foram parar à caixa pendente. Não percebo este formato: alguns comentários entram directamente, outros vão parar à caixa pendente e mesmo à caixa de spam e eu tenho que andar para trás e para a frente a colocá-los.

    Abraço

  42. Messias diz:

    Permitam-me o plágio deste modo de ser/estar, mas, uma vez que aqui neste blog tenho essa oportunidade, gostaria de, copiando o seu jeito, dedicar dois vídeos ao Paulo Abrantes.

    1 – http://www.youtube.com/watch?v=obPdXTq0XEI

    2 – http://www.youtube.com/watch?v=2c4L4CPfQY8

    Muito obrigado, um bem haja

  43. João Branco diz:

    Já que estamos numa de ironia, ao autor do último comentário dedico-lhe este clássico:

    Ou se pretendermos entrar no meu jogo, de uma forma mais agressiva dedico-lhe uma parte do mesmo clássico com uma imagem diferente:

  44. Ouvinte todas as Quartas do Ruc'n'Roll diz:

    João Branco deixa-me advinhar uma coisa, que venho vindo a perceber ao fim desta “bobeira” que vem sendo aqui falada.

    Será que alguém te mandou esta música (http://www.youtube.com/watch?v=uifcNp-mqZI) e tu foste a correr fazer esta merda de post?

    Cumprimentos a todos, e aos que ouvem todos os dias o Ruc’n’Roll.

  45. João Branco diz:

    Não, inspirei-me nesta:

  46. Hallota Fagina diz:

    João Branco… bjinhos para ti

  47. Ouvinte todas as Quartas do Ruc'n'Roll diz:

    É esse o tema da tua vida, ou queres-me bater? Hoje não posso porque estou a fazer Ruc’n’Roll.

    Mas agora sinceramente e falando a sério, tu meu menino, além de não conseguires manter um discurso coerente em nada do que debitas aqui (sim, porque isto que tu fazes não é criticar, não é escrever, isto rigorosamente não é nada) tu fazes sem argumentos nenhuns, é assim porque sim e ponto final. Mas infelizmente a academia (não merece letra grande) é assim, intrigas, querem que aqueles que conseguem lutar para ter visibilidade lá fora, estejam subjugados àqueles que nada tentam fazer, e que nada fazem para se promover. meus meninos, cresçam, porque a vida depois não é como na academia, e deixem de andar a cheirar o cu uns aos outros e trabalhem, trabalhem em conjunto.

  48. João Branco diz:

    Não, eu não entro por esses caminhos.

    Não entro pelos caminhos da violência física, como anuncia o Sr que assina pelo nome de “Álvaro Martinho”. O Rugby tem-me ensinado muitas coisas ao longo dos anos: uma delas é que o comportamento agressivo deve ser aplicado dentro do campo e nunca fora dele, excepto em situações de auto-defesa.

    Mas, se alguém me atacar, não nego um confronto físico para me defender. E aí meus amigos, não respondo por mim.

  49. Ouvinte todas as Quartas do Ruc'n'Roll diz:

    Eu quando escrevi o comentário sempre pensei que tu como pessoa racional num mundo de irracionais e justo num mundo de injustos, também fosses inteligente num mundo de ignorantes, mas já percebi que és igual à maioria, um ignorante que só te interessa a critica não fundamentada e partir para a violência quando argumentos nem existem (ou nunca existiram), e que nada de intelectual consegues (ou conseguiste desde o principio deste post) responder.

    Junta as tuas tartarugas ninjas ó menino revolucionário, que em nada tens de revolução, apenas tens 107,9% de ignorância em ti.

  50. João Branco diz:

    Conhece-me bem antes de vir para aqui escrever é o conselho que te deixo.

  51. Ouvinte todas as Quartas do Ruc'n'Roll diz:

    Provaste o teu próprio veneno então. Porque vieste para aqui falar do que não sabes também.

  52. João Branco diz:

    Continuo a dormir de consciência tranquila.

  53. Ouvinte todas as Quartas do Ruc'n'Roll diz:

    A ignorância tem essa vantagem.

  54. emanuel diz:

    troco citroen arcadiane sem documentos e com o diferencial partido pela caixa de DVDs das três primeiras temporadas do sai de baixo (edição especial com director’s cut do episódio “caíu na internet, é peixe”).

  55. “Pessoalmente estou-me cagando que a RUC e a cabra continuem na cegueira que ultimamente têm permanecido. Contunuarei a ouvir a RUC e a ler a cabra (para perceber como podem ser tão filhos de puta.”

    Gostava (como membro da RUC) de não ser incluído nas ofensas da parte final do texto sob pena de ter de ir fazer uma visita ao distrito de Santarém. Começa a ser estranho que alguns membros da secção JPEG andem para aí a disparar em todas as direcções. O que vale é que ninguém vos dá ouvidos porque no final, quanto mais falam menos vos têm em consideração. Do 2º piso só resta a DG e com um bocadinho de sorte, até a máquina de vending vai sofrer a ira destes GIFs animados.

  56. joao alexandre diz:

    Amigo Abrantes, “somos punks ou não?”.

    A si, em especial, dedico esta pérola:

    Despeço-me com amizade

  57. hugo diz:

    que puto de 31 que práqui vai…e tipo, se fôssemos todos bater umas punhetas?

    isto tudo é demasiado ridículo para ser sequer levado a sério.

  58. emanuel diz:

    caiu na internet… é peixe.

  59. Paulo Abrantes diz:

    A secção JPEG foi Secção Cultural em 2009. Carlos, não precisamos que nos dêm ouvidos. o nosso sentido é a visão. Audição é para a RUC.
    Está descançado que os filhos de puta não são da RUC, sim da cabra.
    Agora vou fumar um pipe nas escadas da Assembleia da República.

  60. Ana Beatriz Rodrigues diz:

    Boa noite.

    Há já muito tempo que tenho vindo a acompanhar esta polémica “Secção de Fotografia/Paulo Abrantes vs Secção de Jornalismo e, agora, RUC” e sempre optei por não me pronunciar, por achar que não me devia intrometer. Porém, com isto tudo, e com os limites mais do que ultrapassados, a situação atingiu contornos inenarráveis.

    Passei, nos últimos cinco anos, muito tempo na escola AAC em vários âmbitos: núcleo de estudantes, órgãos de gestão, assembleias magnas, cabra e RUC. E, se, por um lado, consigo compreender o Paulo Abrantes (que, creio, não conheço pessoalmente) na sua demanda pelo “espírito da academia” e da “cooperação entre secções”, por outro, também percebo os meus ex-colegas. Por isso, vamos por pontos:

    1. Ninguém tira o mérito à Secção de Fotografia AAC, como esta surgiu e ninguém, falo por mim, a menospreza. Ela tem valor e é necessária, numa academia que tem como objectivo o serviço público estudantil, formar pessoas e carácter. Agora, se esse carácter tem de ser formado, insultar pessoas e instituições em sítios públicos, onde qualquer pessoa pode aceder, através de uma rápida pesquisa google, mais do que muito-inapropriado, é crime.

    2. A Secção de Fotografia não é, contudo, mais do que as outras. Qualquer protocolo estabelecido tem de ter benesses para ambas as partes envolvidas. Consequentemente, dizer num blogue pessoal que alguém é isto e aquilo e que foi, gratuitamente, a algo, não é de bom tom. Porque, caro Paulo Abrantes, se fosse a qualquer outro espaço buscando publicidade (e sim, estou a atentar que as duas partes envolvidas no protocolo pertencem à AAC), iria pagar. Aqui, apenas se limitou a que as pessoas que foram tenham ido em trabalho, deduzo, para depois informarem os ouvintes.

    3. No que à questão “A Cabra” concerne, não estou bem dentro dos pormenores. Claro que esta não deveria ter publicado o polémico cartoon, vai contra o código deontológico dos jornalistas, mas uma coisa é certa: estar sempre a pegar no assunto, haver trocas de insultos, processos, difamações, falar-se em nomes pessoais (em especial, sobre profissionais que têm o seu nome em jornais nacionais) não é o caminho para resolver a questão. Especialmente quando um jornal que se preze e que tenta ensinar isso aos seus alunos, tem de ter uma linha editorial – e não de servilismo à AAC, mesmo que esta a financie. Vamos colocar a situação como se fossemos todos muito burros: “o meu pai dá-me a mesada e sustenta-me a minha vida académica/ os meus copos/ as minhas viagens, etc. Mas o meu pai odeia pessoas de etnia cigana. Eu tenho de odiar gente de etnia cigana, também, apenas porque o meu pai me paga a vida?”. O mesmo é válido entre a SJ e a AAC. Pondo isto deste prisma, as coisas parecem mesmo ridículas, não acham?

    4. As secções não são “amigas”entre si. Basta ir a um conselho cultural para perceber isso. E quer a RUC, quer a Secção de Jornalismo, atenção, estão quase sempre abertas e têm um trabalho contínuo e visível (com uma emissão permanente 24/7 e com a Via Latina e com o Jornal, respectivamente). Já muitas outras secções que recebem, igualmente, verbas elevadas (não menciono nomes, não vou entrar por aí), vejo-as sem actividades, ou com uma actividade anual, e sempre de porta fechada. Isso é o “espírito da AAC”?

    5. Para a pessoa que falou do “dia da Rádio”, este existe, de facto. É o dia da Radiodifusão e celebra-se, todos os anos,a 25 de Setembro. A RUC, com todos os defeitos que possa ter, tem um trabalho sério, esforçado e meritório. Se falha, às vezes? É um facto, mas quem não o faz? Por ser uma escola, tal como a SJ, tem de ensinar e só se aprende com erros. De salientar, além da música, da difusão de cultura,a RUC está sempre a par e passo do que se passa na AAC, no Ensino Superior e nas outras secções. E, meus caros, percebam algo muito importante: quer a RUC, quer a Cabra, mas sobretudo, a AAC não é uma vida. Há pessoas que pensam que sim, que fazem daquilo uma vida, e que parasitam nela. Mas há que evoluir. Há que perceber que é uma passagem, uma aprendizagem, que é sério, sim, mas não como a maioria pinta. Há que saber relativizar, que é algo que pouca gente faz, quer seccionistas, quer dirigentes (e, como comecei por referir, fui uma delas, e com muito amor à causa) e, em particular, o autor deste post (que nem comento, porque isso seria dar demasiada importância a este nonsense em si. Mas já agora, falar de “actuações em paredes de coura”, criticá-las e depois congratulá-las… É de mim, ou… isto é mesmo nonsense?) e ao sr. Paulo Abrantes.

    Despeço-me com amizade.

    ABR.

  61. João Branco diz:

    Ana Beatriz Rodrigues:

    Respondendo à questão levantada no último parágrafo do seu comentário, gostaria de lhe dizer que o último parágrafo deste post não tem qualquer associação à actuação dos “Yeah” no Festival Paredes de Coura mas a outro episódio em particular que se passou fora do recinto do referido festival.

    Espero ter elucidado.

  62. Paulo Abrantes diz:

    Ana Beatriz Rodrigues,

    Responder-te aqui ao resto dos outros parágrafos, nomeadamente o que toca à Secção de Fotografia e à minha pessoa, seria exaustivo e julgo que não irias entender á primeira. Por isso, caso queiras, pessoalmente esclareço o que entenderes.

    No entanto deixa-me dizer-te que não me conheces pessoalmente e muito menos o meu trabalho, por isso o teus devaneios em relação à minha pessoa são fruto do que os teus colegas me pintaram.

  63. In Vino diz:

    Quem parece fazer vida na AAC são alguns elementos da RUC que até usufruem de ordenado. Já têm cabelos brancos e meninos a chamarem-lhes papás.

  64. Marco Perdigão diz:

    Ao triste que assina como Álvaro Martinho eu só tenho a dizer que se o João realmente quiser saber quem tu és, ele consegue. Talvez tenhas sorte porque estás a apanhar a fase mais calma da vida dele. Se isto se tivesse passado há dois anos atrás, a primeira coisa que ele faria era ir até à RUC e virar uns quantos. Até podem ser 5, ele chega para todos.

  65. João Branco diz:

    Marco, não vale a pena entrar pela violência física. Não justifica nada que pode ser discutido através da força das palavras e dos argumentos.

  66. joao diz:

    Que tristeza que para aqui vai. Se eui quiser saber quem são todos e onde estão também consigo, basta perguntar ao RRibeiro!
    Só posso dizer mesmo que quem não entendeu tb já n vai entender. Eu não percebo de fotografias, logo, também não opino sobre paisagens e coisas.

  67. jose brás diz:

    mas é exactamente o que a ruc precisa: que entrem naquela possilva e rebentem com as trombas a uns quantos. depois que façam queixa ao conselho fiscal e a policia.

  68. João Branco diz:

    João:

    Não precisas de perguntar a ninguém. Sou o João Branco, muito prazer. Se quiseres falar comigo pessoalmente mandas-me um email com o local e a hora e eu lá estarei para ouvir aquilo que tiveres a dizer. Cara a cara. Sem medos.

  69. um tipozinho da ruc diz:

    ao campeão que vira não sei quantos e faz e acontece:

    ao contrário de muitas outras secções, a ruc abre portas ás 9H da manhã e estas só encerram, penso que ás 3 da manhã…
    normalmente anda ser por cá gente, por isso, se algum dia te apetecer, podes sempre aparecer… a porta até é automática, abre-se para te dar passagem, não tens que fazer muito por isso…

    quando quiseres “virar uns quantos” e não sei mais o quê já sabes…

  70. João Branco diz:

    O que é certo é que o “campeãozinho” não só foi ameaçado de porrada neste post, como anda a ler umas certas indirectas (a ameaçar de porrada) em páginas de redes sociais por parte de membros da referida secção.

  71. emanuel diz:

    ahahaha esta merda ainda se arrasta? foda-se, vão fazer amor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: