Arquivo de etiquetas: embaixada inglesa em lisboa

A Inglaterra selvagem

Confesso que de todos os desportos que são praticados pelo mundo, os desportos de lutas e de artes marciais não me agradam minimamente. Causa-me constrangimento e até algum grau de ansiedade generalizada ver dois ou mais intervenientes (seja no boxe, no jiu-jitsu, no vale-tudo, no MMA, UFC, entre outros) cheios de raiva animal a esmurrar o adversário sem dó nem piedade por um punhado de euros ou por uma medalha.

Confesso que me causa ainda mais ansiedade e angústia estar a almoçar e surgir a notícia que relata o sucedido no video acima postado. Aconteceu em Preston. Na Inglaterra civilizada, onde os pais são considerados extremosos (até quando os seus filhos desaparecem a culpa é sempre das autoridades dos países onde estão a passar férias) e onde a própria lei é severa para casos de negligência, opressão ou maus tratos paternos.

Crianças de 8 a nos são colocadas numa jaula (tal como no MMA e no UFC) e lutam perante o extase de meia dúzia de anormais. Desumano. Intratável. Inexplicável. Selvajaria pura. Apenas me ocorre uma palavra para descrever este tipo de pessoas (pais, donos do clube social): filhos da puta. Deveriam ir presos pelos traumas que estão a dar de borla a estas pobres crianças. Porém, fiquei com mais nojo das declarações tanto dos pais das crianças como da proprietária do clube: é legal, os pais consentem, as crianças não tiveram problemas físicos de maior (e não estavam a usar protecções, imagine-se!!!) e a modalidade é cada vez mais popular em terras de Sua Majestade. Barbarismo puro para os dias que correm.

A imagem de uns dos garotos a chorar comove-me. A organização deste triste espectáculo assim como os pais das crianças não tem a mínima noção dos traumas psicológicos que podem estar a oferecer a estas crianças sem que estas mereçam. Assim o disse o alto bastonário da Ordem dos Médicos Inglesa. E muito bem

Como tal, a minha indignação é tanta que decidi escrever ao embaixador do Reino Unido em Portugal, sem medir as palavras onde acuso os seus compatriotas que organizam estes combates como bárbaros que deviam ser severamente punidos pela justiça. Quem entrega o sangue do seu sangue a este tipo de espectáculos não merece assumir os destinos destas crianças até à maioridade. Pedi-lhe efectivamente que usasse da sua esfera de influência política para impedir que existam mais incidentes deste género.  Não tenho medo das consequências que possam vir. Afinal de contas estamos em democracia. Caso o senhor embaixador do Reino Unido em Lisboa não me der uma resposta que seja cabal, pondero efectivamente estudar a fundo a hipótese de usar o direito de denúncia que me concerne enquanto cidadão europeu no sistema europeu de protecção dos direitos humanos acerca de um claro atropelo dos Direitos Humanos provocado por cidadãos Britânicos, e caso se venha a provar uma não-actuação das autoridades Britânicas sobre o fenómeno em causa, deverei denunciar o estado britânico como compactuante da referida violação.

Estarei portanto muito atento ao desenrolar destes acontecimentos, podendo avançar já com uma petição pública aberta a todos os cidadãos portugueses (e europeus) que se mostrem indignados.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , ,
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 57 outros seguidores